História Awake - Capítulo 8


Escrita por: ~

Exibições 47
Palavras 3.413
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção Científica, Lemon, Romance e Novela, Shonen-Ai, Suspense, Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Adultério, Álcool, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 8 - Doces e errados sentimentos


Fanfic / Fanfiction Awake - Capítulo 8 - Doces e errados sentimentos

 Awake

 Capítulo 8 - Doces e Errados sentimentos

 

   “-...SeokJin já sabe disso?-“ A voz de Tae Hyung escoara por sua mente mais uma vez, fazendo com que o dono das madeixas negras bufasse, estava a ficar mais impaciente a cada momento, e isso já estava ficando aparentemente óbvio

   Tae Hyung saíra da casa antes mesmo que acordasse

   Era fim de semana, mas isso não impedia que o Kim mais velho saísse da casa antes das nove, claro que estranhara aquilo, afinal, não exista ser que odiasse mais acordar cedo do que Kim TaeHyung, principalmente aos fins de semana

   Mas não era como se este devesse satisfações para si, ao fim

   Seus olhos caíram cansados sobre a televisão mais uma vez, não sabia a quantas horas ficara vidrado ali, apenas sabia que olhar para aquela enorme tela já estava a causar-lhe dores de cabeça. Permitiu que seu olhar se elevasse sobre o relógio pendurado em uma parede ao canto da sala

   22h30

   Estava entediado, ficara o dia inteiro esperando o retorno do mais velho, afinal, não possuía a chave do apartamento, e se saísse, não haveria nem forma de trancar a casa, fazendo-o suspirar em cansaço

   E também, não era como se este tivesse muito para onde ir e nem com quem sair, de qualquer forma

   Muito provavelmente Tae Hyung nem comeria o jantar, apenas chegaria e tomaria um banho, para em seguida, capotar na cama

   Foi então que o alto e estridente toque do celular preencheu todo o recinto com a musiquinha que particularmente irritava-o, fazendo com que o jovem levantasse rapidamente do sofá, indo ao criado mudo perto da televisão e pegando o aparelho em mãos

   Mas decidiu ignorar qualquer outro pensamento inútil que fosse tomar sua mente, deslizando o olhar para a tela já virada para si

   “Park Ji Min”

   Franziu o cenho, confuso

   Desde a praia, encontrou-se com o Park apenas uma vez, quando este convencera-lhe a realizar a viagem em contáveis dias, e por mais que brincassem e fizessem piadas, este parecia distante

   Como se um enorme peso existisse em si

   Mas como não era de intrometer-se, o mais novo apenas calou-se e tentou amenizar o clima, entrando com o mesmo entre as risadas e piadas supérfluas

   E antes mesmo que notasse, já havia atendido a ligação, pegando o aparelho celular e levado-o a orelha, e antes mesmo de emitir qualquer som, o mais velho o cortou

   -Jeong....-Sua voz estava manhosa e mole, o que logo levou o Kim a ver na hora que o homem ao outro lado da linha, estava bêbado

   -Ji Min? Aonde você está?

   -Eu estou... Naquela praça, perto do café... Você pode vir aqui? Preciso mesmo falar com você

   -Não tem como falarmos amanhã? Estou meio enrolado aqui...- Mordeu o inferior, não sabia se seria uma boa hora para encará-lo, por mais que esse parecesse realmente precisar com si

   -Não tem mesmo como você vir?- Indagou, com a voz manhosa, e o mais novo apenas suspirou, derrotado

   -Está bem... Eu estou indo...-Babuciou cansado, encerrando a conversa logo em seguida

   O Jovem de cabelos negros apenas bloqueou a tela do celular novamente, correndo rapidamente para a porta da sala, e quando estava a ponto de sair, esbarrara em Tae Hyung

   -Jeonggie? Aonde está indo com a esta hora?- Arqueou a sobrancelha, enquanto deixava suas chaves sobre uma pequena mesinha ao lado da porta

   -Eu... Volto já- Foi tudo o que disse, antes de correr para fora da casa e deixar um ruivo confuso para trás

 

   O∆O

 

   Como a antiga praça não era tão afastada da casa de Tae Hyung, decidira ir a pé mesmo, correndo feito louco, tropeçando em seu próprio pé vez ou outra

   Demorou em torno de quinze minutos para que finalmente conseguisse avistar a praça, logo vendo o semblante do Park sentado na pista de skate, com um olhar perdido

   Diminuiu o ritmo de seus passos à medida com que aproximava-se, parando completamente assim que chegou ao pé da pista

   O Mais velho não tardou a notar a presença do mais jovem, levantando-se rapidamente e rumando em sua direção

    -Jonggie...- Chamou-o, enquanto jogava-se em seus braços, em súbito, o mais jovem o segurou em dificuldade, mas ainda assim, conseguiu impedir a queda deste

   -Ji Min... Por quê você bebeu? E quanto?

   -Um pouquinho... E não me chame assim...- Bufou- Sempre que você faz isso, lembro de quando ficava bravo comigo...

   -E como eu deveria te chamar?- Arqueou a sobrancelha, confuso- De Park?

   -Não... De Chinnie- murmurou a última parte ao pé de sua orelha, de forma carinhosa, fazendo-o suspirar

   -Você está realmente bêbado, Jimin...-Suspirou, soltando-o- Venha, eu vou te levar para casa...- Foi tudo o que disse, antes de pegar a mão alheia e passa a puxar o mais velho, em direção ao caminho que viera antes, o para a casa de Tae Hyung

   -O quê tem de errado de me chamar assim?- Soltou-se, cruzando os braços e encarando Jeong

   -Me diga o por que de eu ter de te chamar assim, e quem sabe, eu faça isso- Disse, sentia-se conversando com uma criança

   -Por que você me chamava assim

   Foi então que o mais alto arqueou a sobrancelha, confuso

   -Eu chamava? Mas por quê? – Indagou, sentindo uma pontada de alegria ao ver que por estar levemente bêbado, o Park poderia dar-lhe algumas dicas, sem nem perceber

   -Por que nós... namorávamos antes do acidente- Murmurou em um tom baixo, triste, Jeong apenas arregalou os olhos em resposta, surpreso

   -Nós... Namorávamos?

   Agora tudo se encaixava, o olhar machucado que muitas vezes Ji Min enviava para si, as várias chamadas e o desejo óbvio de ficar próximo de si, era porque Ji Min esperava que o mais novo se lembrasse, afinal, era realmente importante e muito provavelmente, doloroso vê-lo sempre e nunca poder dizer nada

   -Sim...

   -Me desculpe por...- Sua voz estava falha, como se visse cada vez que pôde ter feito o mais velho sentir-se triste- Eu sou uma péssima pessoa, eu..

   -Você não teve culpa, aliás, você não se lembrar de nada agora também não é sua culpa...- Afirmou baixo- Mas ainda assim, eu queria que após saber isso, você... Voltasse comigo, para sermos felizes juntos, como antes... Mesmo que você jamais se lembre de nós, Eu quero que você me dê uma chance... que nos dê uma chance

   Jeon sabia que o mais baixo falava a verdade, sabia muito bem que, este, apesar de fora de si, ainda conseguia abalar-lhe apenas com palavras

   O Moreno suspirou baixo, sabia que isso era injusto com Ji Min, sabia que se não tivesse acontecido tudo aquilo, provavelmente ainda estariam juntos

   Uma parte de si, dizia para aceitá-lo, pois quem sabe o tempo devolvesse-lhe tanto suas memórias, quanto seus sentimentos por Park Ji Min e consequentemente, não machucaria ao mesmo; Além do fato do mais velho ser realmente atencioso consigo, sendo incapaz de machucá-lo

   Mas outro lado, sobrevoava suas lembranças com Kim Seok Jin, ou o quanto esse faria-lhe falta, ou o quanto escolher o moreno à sua frente soava-lhe errado e doloroso

   A poucos dias tinha, após muita negação e teimosia, permitiu-se admitir seus próprios sentimentos pelo Kim mais velho

   Mas como já sabia muito bem, o medo da rejeição era muito maior que a vontade de arriscar-se, então, como sempre, decidira afastar-se e correr de seus problemas, com um belo fraco que era

   Estava a ter uma batalha interna dentro de si, seus olhos nem olhavam mais diretamente para o Park, e sim, ao chão

   Foi então, que o alheio chamou-lhe a atenção, mais uma vez

   -Estou sendo meio rápido, eu sei... Mas eu quero realmente que, você pense nisso... Então não precisa responder-me agora, hn?- Murmurou gentil , encarando-o com um sorriso reconfortante

   -Está bem...- Foi tudo o que conseguiu dizer, agradecera internamente as palavras alheias, pois por si só, não teria conseguido pedir-lhe tempo

   -Então por agora... Me deixe fazer isso, mesmo que só uma vez...- sussurrou baixo, aproximando-se lentamente do jovem de orbes negras, que o encarou, confuso

   -Fazer o quê..?- Babulciou, quando sentia a aproximação aumentando, dava um passo para trás, enquanto o mais velho dava um a frente

   Em um certo momento, não existia forma de afastar-se mais, viu-se encurralado na parede grafitada ao canto do parque

   -Ji Min... O quê você está fazendo?- repetiu, em um misto de angústia e medo, sentiu as quentes mãos do Park em sua cintura, grudando os corpos; Era fraco demais para tentar soltar-se e idiota demais por medo de machucar o mais velho; os lábios do mais baixo entreabriram vez ou outra, antes do moreno finalmente passar a aproximar a face do Kim, que em seu misto de sentimentos, virou o rosto e fechou os olhos, com receio do que viria a seguir

   As respirações já misturavam-se, e ao notar a mudança de posição do rosto de Jeong, depositara seus dígitos em seu queixo, virando-o para si mais uma vez

   Jeong Guk podia sentir a aproximação ficando cada vez mais sufocante, o hálito de menta já preenchia completamente suas narinas, mas eu súbito, sentiu o afastamento do Park de si, fazendo-o finalmente abrir os olhos

   Agora, lá estava Ji Min ao chão, com um nervoso SeokJin a segurá-lo pelo colarinho

   -O Que raios pensa que está fazendo?- A Raiva era visível no olhar do Kim mais velho, fazendo o moreno ainda em pé, estremecer-se

   -O que raios você pensa que está fazendo!- Park respondeu-o de volta, nervoso enquanto soltava-se bruscamente do alheio

   Os dois levantaram-se e passaram a se encarar, seus olhares estavam repletos de irritação, o clima estava pesado, os dois pareciam que iriam sair em uma luta corporal em questão de segundos, e Jeong Guk notou aquilo, decidindo então, intervir

   -Jin...? O que faz aqui?

   -Eu estava indo te buscar na casa do Tae Hyung quando vi esse acéfalo em cima de você- A indignação em suas palavras era a coisa mais aparente ali, fazendo o Kim mais novo querer tirar um de perto do outro o mais rápido possível

   -Estava...indo me buscar?- O encarou, sem entender

   E um silêncio se instalou no local, e neste meio tempo, Jin aproximou-se do mais baixo, entrelaçando sua mão na do alheio, ignorando completamente a presença do Park

   -Venha morar comigo de novo, Jeong Guk- Pediu, encarando-o com intensidade, o Kim mais novo não entendia o que aquele olhar significava, mas seu coração passou a acelerar-se com aquele único pedido

   -Jeonggie, não seja idiota, meu amor....- Ji Min aproximou-se desta vez, mas fora barrado por SeokJin, que ficou entre os dois- Venha, vamos para a minha casa... Fique lá até nossa volta à Califórnia, hn? - Murmurou, enquanto estendia-lhe uma mão, como se esperasse que o mais novo pegasse esta

   Jeon então se viu em um dilema, sem saber como responder aos dois sem que alguém saísse machucado, e ao ver isso, SeokJin puxara-o pelo braço, indo embora do parque e rumando para seu carro, estacionado perto dali

   O Ji Min gritara algo parecido com uma contrariação, seguindo os dois, então o Kim mais velho apenas virou-se e mandou-lhe um olhar ameaçador

   -Não se aproxime, ele é meu

   - Não, ele não é- respondeu-o, encarando-o igualmente nervoso- Solte-o

   Ambos já estariam se espancando, se não fosse a presença do mais novo da família Kim, mas não o faziam, pois sabiam claramente o quanto Kim Jeong Guk odiava violência, principalmente entre duas pessoas nas quais conhecia

   E ao ver a briga que aquilo viraria, Jeong se pronunciou

   -Chinnie... Eu... Falo com você amanhã, ok?- Encarou-o, e tal apenas devolveu ao olhar com desapontamento- Por agora, acho que tenho coisas a resolver com o Jin... Coisas para contar a ele e...- Deu ênfase na palavra “contar”

    O Park parecer hesitar, mas ao receber mais um olhar de Jeong Guk, suspirou e murmurou um “está bem”, antes de afastar-se e permitir a ida dos Kim

   Sem dizer mais nada, SeokJin puxara-o pelo pulso até o automóvel de cor chumbo, abrindo a porta para este e fechando-a após a entrada do mesmo, entrando no lado do motorista logo em seguida

   A Irritação do mais alto era óbvia, pois por mais que estivesse apenas os dois no carro, esse manteve-se em silêncio, e apesar disto, o jovem de cabelos negros decidiu cortar o silêncio após alguns minutos dada a partida do carro

   -Jin... O Que você...

   -"O que você" nada.- Cortou-o, nervoso- O Que você estava fazendo lá!? a essa hora com um homem bêbado que obviamente sente algo por você- Dessa vez, sua voz elevou-se, assustando ao alheio, e ao notar isso, suspirou e passou os dígitos entre as madeixas- Me desculpe por... Gritar com você...- Murmurou baixo- Eu só fiquei com medo de... não ter chegado a tempo e você acabasse escolhendo ele...

   O Olhar de Jeong elevou-se para encará-lo, este que olhava atentamente para a estrada

   -Não fale coisas assim...- Resmungou baixo, enquanto deslizava o olhar para as próprias mãos, estas, repousadas sobre a coxa -

   -Que coisas...?

   -Por favor, não diga que eu te pertenço como se realmente quisesse que eu fosse seu... Ou finja preocupar-se quando no final, vai dizer para mim que tudo isso é só porque somos algo parecido com amigos...- Sua voz estava baixa, mas não tanto para que o Kim mais velho não o escutasse - Não diga coisas doces, se não quer que eu acredite nelas e comece a ter sentimentos doces por você

   O Kim escutava-o atentamente, sem desviar o olhar da estrada, pois sabia que se o fizesse, acabaria por desabar, mas com a última frase de Jeong Guk, como um ímã, seu olhar pairou sobre este, que já possuía uma lágrima ou duas a escorrem por sua pálida e macia tez

   -Mas que droga, Jeong Guk- Esbravejou, encostando o carro no acostamento em súbito, assustando ao moreno

   Assim que o carro parou, o Kim mais velho apoiou a cabeça e os braços sobre o volante, cansado

   -Como você que eu minta para você?- Foi tudo o que disse, e isso foi o suficiente para ter as orbes negras sobre si- Esses últimos dias... Tem sido um inferno para mim; Eu pensava que se passássemos um tempo separados, eu me desapegaria de você, e consequentemente, te esqueceria... Mas sabe o que aconteceu? Só piorou as coisas... Eu ficava ansioso todas as manhãs para acordar e ter o cheiro do café na mesa, de ter seu sorriso e você me dizendo um "Bom dia", me obrigando a comer o suficiente para uma semana... Mas sabe o que acontecia? Eu acordava sozinho, e por mais que eu soubesse disso, doía... E muito. – Disse, e o mais jovem escutava-o atentamente-  Ao fim da tarde, quando saía do trabalho, ia para casa triste, sabendo que chegaria e ficaria só... Eu senti a sua falta, Jeong... Eu senti muito a sua falta- Afirmou, desta vez, elevando a cabeça mais uma vez, para encarar ao mais novo, que o olhava de forma chorosa

   -O que quer dizer com isso?- Indagou, queria ter a certeza, não queria pensar em coisas irreais ou iludir-se em relação a SeokJin, queria ter a certeza de que poderia arriscar-se por ele

   -Isso quer dizer que... Eu amo você, Jeon Jeong Guk- Foi tudo o que disse, e isso foi o suficiente para que o jovem de cabelos negros desabasse em lágrimas

   -Mas que droga, Jin...- Resmungou, enquanto levava uma das mãos ao rosto, em uma tentativa falha de esconder seu choro, e o mais velho apenas aproximou-se mais, como se quisesse ouví-lo melhor  -Mas que droga...-o jovem bufou baixo mais uma vez, afastando o mais velho de si, não aplicara muita força em tal ato, apenas depositara os trêmulos dígitos no peitoral alheio, o pressionando de leve, fazendo o moreno notar que tal proximidade lhe era incômoda, que em resposta, acabara por dar-lhe o almejado espaço, mas sem libertar o jovem completamente, depositando sua destra sobre a mão alheia- Pare com isso...- Murmurou com a voz carregada de dor e cansaço, o maior apenas arqueou a negra e grossa sobrancelha, sem compreender, por conta da péssima iluminação do recinto, não era possível visualizar a expressão alheia tão bem- É sempre assim... quando estou a ponto de desistir... A Ponto de lhe deixar ir...Você...- A voz começara a falhar, apenas a idéia de deixá-lo... naquele momento... era tão dolorosamente indescritível que mal podia proferir as palavras presas à tempos em sua garganta- Sempre...

      -É isso...?- Soltou um riso anasalado, fazendo o mais novo elevar o olhar para encará-lo, o mesmo era tomado por dor e confusão- Não pensa que isso tudo seja porque... talvez... Você não deva me deixar?- Murmurou com a rouca voz, em uma calma tonalidade- Jeong Guk...- o chamou, fazendo-o se estremecer por completo- Você me pertence, se acha que tudo isso é loucura... Bom, então vamos ser loucos juntos...- sussurrou, elevando a mão livre para a alheia que tentava esconder a face do mais novo, afastando-a

   O Mesmo não protestou com o ato do jovem de madeixas castanhas, permitindo que este o encarasse

   - Não me importo nem um pouco com que está por vir ou sobre o que irão falar sobre nós... Eu te amo, e isso é tudo o que me importa- Murmurou, encarando-o, mesmo com a falta de iluminação, era possível sentir a intensidade do olhar de SeokJin - Você vai me permitir fazer isso?- Indagou, e o mais novo apenas deixou seu olhar cair sobre suas mãos juntas

   -Eu... posso confiar em você?

   -Pode

   - Então vou dar uma chance, para esse errado e doce amor- Afirmou, então SeokJin Separou sua mão da alheia, depositando-a sobre a tez facial alheia, segurando-a delicadamente e virando para si

   Em um movimento lento, aproximou-se do mais novo mais uma vez

   Este entreabriu os lábios duas ou três vezes em expectativa, já fechando os olhos o que fez o mais velho sorrir

   Tão lindo, tão seu

   E Sem mais esperar, Jin selou os lábios róseos de Jeong Guk em um lento e afetuoso beijo

   Seus lábios apertavam os do mais novo de forma gentil, puxando-os vez ou outra, até que a quente e macia língua do mais alto deslizou pelo inferío do alheio, pedindo a tão desejada passagem

   Não demorou para que o dono dos cabelos negros a concedesse, permitindo a invasão da língua, esta, que logo procurou por sua semelhante, chocando-se com ela e acariciando-a

   As mãos do dono das madeixas castanhas repousaram sobre a cintura do mais novo, puxando-o para seu colo, deixando suas posições mais confortáveis

      O Kim mais novo não o contrariou, permitiu que Ji comandasse tudo, colocando uma perna de cada lado de seu corpo

   Assim como qualquer outra pessoa, a falta do ar se fez presente e dolorosa, fazendo os dois se separarem, e com o ato da separação, SeokJin segurara o lábio inferior alheio entre os dentes, puxando-o de leve antes de finalmente soltá-lo;Então se entreolharem, tal ato que não durou muito, pois logo SeokJin passou a depositar leves e gentis beijos por toda a extensão de pele exposta do pescoço alvo e sem marcas do jovem ao seu colo

   O Caçula da família Kim suspirou com o toque, e ao ter o primeiro toque mais brusco - Uma mordida -  Gemeu baixo e contraiu-se sobre o mais alto, que esbravejou algo baixo

   Kim Jeong Guk, como conseguia provocá-lo tanto?

   Não sabia, mas definitivamente queria mais

   Queria ver todos os tipos de outras provocações que o mais novo poderia causar em si

   Forçou suas mãos sobre a cintura do mais baixo, fazendo-o rebolar de leve sobre si, recebendo um baixo gemido em resposta

   Estava ficando mais fora de si a cada som emitido por Guk, que parecia não contrariar qualquer ação sua, fazendo-o sorrir

   Deslizou a destra para o membro já desperto do jovem de orbes negras, apertanto-o de leve e tendo algum resmungo como resposta, que na realidade soou mais como um pedido para que continuasse

   Por mais tentador que soara-lhe terminar com tudo aquilo naquele momento, separou seus lábios da tez alheia e abriu os olhos, para encará-lo

   Pôde ver a respiração decompassada do mais baixo, que apertava fortemente os olhos, suas bochechas estavam realmente quentes, e seus lábios estavam avermelhados e inchados por conta do beijo anterior

   Ao notar o afastamento do Kim mais velho, resmungou algo qualquer e abriu os olhos para encará-lo

   -Por mais que eu queria continuar com isso aqui, estamos em uma estrada- Sussurrou baixo- Vamos para a nossa casa para eu poder dar um jeito em você, hn?


Notas Finais


GENTE ME PERDOA POR PARAR AI
Tive dois motivos pra terminar ai e um deles é que assim como qualquer pessoa, eu sei que é super fácil ler uma fic +18 aqui, e podem ter muitas pessoas que não "podem" ler ou simplesmente não gostam, por isso, para quem não gosta, dou a oportunidade de pular a parte do lemon mais facilmente
e também, o capitulo tava ficando muito maior que os outros -q
Enfim, então para todos os serumaninhos que acompanham a fic, já deixo claro que o próximo capitula vai ter coisinhas e vou deixar nas notas iniciais (para quem não quer ler) quando mais ou menos acaba, para a pessoa poder pular normalmente essa parte
E bom, é isso mesmo
Muito obrigada mesmo a todos que têm lido, acompanhado e comentado a fic, isso tem me encorajado muito a continuar a escrever e tudo mais, me desculpem por ser péssima em responder os comentários, e principalemte, por demorar para responder -q
Então, isso é tudo mesmo ˜beijos e obrigado por tudo, até o próximo capitulo <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...