História Awake: o segredo (Jikook) - Capítulo 21


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Suga, V
Tags Bangtan, Blackpink, Bts, Bulletproof, Jikook, Namjin, Segredo
Exibições 234
Palavras 3.572
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Hentai, Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Yaoi
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


~Leiam as notas finais que tem uma parada importante.

Aproveitem meus amores.

Capítulo 21 - Resoluto.


Fanfic / Fanfiction Awake: o segredo (Jikook) - Capítulo 21 - Resoluto.

(Jin POV)

 

Um cheiro estranhamente familiar invadia minhas narinas enquanto meu corpo lentamente despertava e a consciência retornava aos poucos. Minhas pálpebras tremiam em sua batalha contra o peso em minha cabeça para abrirem-se.

 

Você precisa acordar, Jin.

 

Respirei fundo e fui tomado pelo cheiro novamente, finalmente me obrigando a abrir os olhos e o que eu pude ver  - depois de minha visão entrar em foco - com toda a certeza me chocou profunda e drasticamente.

 

Deitado ao meu lado ainda parecendo desfrutar de um sono profundo, estava Namjoon. Usava nada mais do que uma maldita boxer cinza escuro que contrastava quase que pecaminosamente com sua pele bronzeada. Tal visão fez com que eu ficasse automaticamente alvoroçado e me erguesse com demasiada rapidez, logo me causando certa vertigem devido a movimentação súbita o que me fez cair de volta sentado na cama. Acabei por deixar um grunido alto escapar por entre meus lábios tamanha era minha capacidade para o desastre e o garoto mais novo se remexeu na cama murmurando desconexamente e abraçando a si próprio - provavelmente pela baixa temperatura do ambiente em junção à seminudez - suspirando antes de abrir os olhos tão lentamente que mais parecia uma cena em slow motion de um filme qualquer.

 

Ele piscou várias vezes tentando focar e após parecer ter êxito, olhou-me fixamente, quase como se pudesse ler minha mente conturbada. Isso apenas fez com que eu ruborizasse como o bobo notável que eu era. O silêncio permaneceu inquebrado pelo que me pareceu um longo tempo enquanto nos encarávamos  num diálogo mudo praticamente sem piscar os olhos.

 

Eu tentava desesperadamente lembrar de todos os detalhes da noite passada, principalmente a parte em que acabei na cama com Kim Namjoon seminu, porém minha pobre mente era capaz de me agraciar apenas com pequenos flashes e, tais fragmentos foram o bastante pra me fazer comprimir os lábios e baixar a cabeça franzindo o cenho numa espécie de careta que não pude deixar de notar, fez o outro permitir um sorriso brincar no canto de seus lábios.

 

- Você pode por favor… - suspiro - A gente por acaso…? - gesticulei sugestivamente no espaço vazio entre nós dois.

- Não… Mas não vou mentir, essa roupa lhe cai muito, muito bem - Ele me disse ficando novamente sério.

 

Meu olhar finalmente caiu para meu próprio corpo e como se eu já não estivesse embaraçado e chocado o suficiente com toda aquela situação no mínimo perturbadora, percebi que assim como Namjoon, eu vestia apenas uma mísera boxer branca  que em nada disfarçava minha intimidade em sua típica ereção matinal.

 

Droga.

 

Mais rápido do que achei ser possível, peguei qualquer travesseiro colocando-o em meu colo. Inutilmente, pois o maldito garoto sorriu e levantou-se lentamente sentando-se escorado à cabeceira da cama com as pernas levemente separadas deixando a própria ereção mais do que evidente, parecendo nada incomodado com aquilo.

 

Apesar de tudo, eu fiz um esforço e sustentei meu olhar no garoto porque de repente, eu quis gravar cada detalhe seu na memória e não fiquei nada desapontado. Seu cabelo apontava para todos os lados numa bagunça adorável. Seu rosto ainda estava inchado pelo sono fazendo com que seus lábios aumentassem ainda mais o tamanho e naquele momento, ele passou a língua por eles o que fez com que parecessem ainda mais convidativos. Era possível sentir tamanho desespero logo pela manhã? Aliás, eu sequer sabia o horário, mas quem se importa com a rotação do relógio quando minha própria mente girava descontrolada gritando coisas que meu corpo não obedecia?

 

Antes que eu me desse conta, eu agi. Quase como se tivesse ligado no piloto automático ou de certa forma possuído, o que talvez de fato fosse verdade. Verdade que o garoto seminu ao meu lado me possuía completa e irreversivelmente,  e ele o fez tão sorrateiramente que eu sequer me dei conta antes que fosse tarde.

 

Muito tarde.

 

Eu me aproximei do garoto tão devagar que mal parecia que eu realmente me movia. O pedido implícito em meus olhos e a resposta tão óbvia na cara do outro. Quando perto o suficiente, percorri seu rosto com a ponta dos dedos desde sua têmpora até a linha marcada de seu maxilar. Quebrando o contato visual apenas quando meu dongsaeng fechou os olhos e respirou fundo em expectativa. Meu rosto ia de bom grado para cada vez vez mais perto do seu. Eu respirava Namjoon e estava adorando isso. Ele era inebriante. Em sua fragrância almiscarada e única como ele próprio em todas as suas características. Não esperei nem mais um segundo sequer pra tocar aqueles lábios e o garoto correspondeu da melhor forma possível: simplesmente mordendo a ponta do meu dedo me fazendo arfar e avançar finalmente contra o mesmo colidindo minha boca na dele num selar de lábios que logo evoluiu para um beijo intenso assim que o loiro agarrou-me pelos ombros e invadiu minha boca com sua língua quente.

 

Eu tinha plena certeza que assim como eu, ele não se importava se havíamos acabado de acordar ou se alguém poderia ouvir os gemidos de satisfação emitidos por nós ou se estávamos numa situação nova e extremamente perigosa ali enquanto nos emaranhávamos um ao outro despudoradamente sem quebrar o contato de forma alguma. Era uma espécie de queda de braço pelo controle dos atos, onde tudo aquilo beirava a violência tamanha a força empregada nos abraços e pegadas. Eu logo percebi que eu poderia conviver perfeitamente bem com aquilo e todas as suas sequelas desde que tivesse Kim Namjoon em meus braços todos os dias para abusar de sua pele bronzeada de todas as formas - que eu conhecia e que ele podia me ensinar -  e para saboreá-lo com toda a vontade que eu contive durante tanto tempo.

 

A verdade é que o medo me comandou por tempo demais. Me fez perder oportunidades em demasia e agora eu era ávido para recuperar tudo o que eu ousei me negar. Assim como meu querido dongsaeng que agora explorava meu pescoço com aquela boca que eu tinha certeza ter sido abençoada pessoalmente por Abraxas tamanha a luxúria com que me possuía. Eu puxei seus cabelos pela nuca fazendo com que ele me olhasse com a expressão carregada de desejo e desespero antes de tomar seus lábios mais uma vez selando aquele momento tão íntimo e tão nosso.

 

Quando eu iria imaginar que eu ia acordar na cama quase sem roupa com meu caro amigo em tamanho embaraço - e diga-se de passagem, delicioso embaraço - sendo refém de cada sensação?

 

Não sei quanto tempo exatamente ficamos naquilo, sinceramente isso era o de menos. Eu poderia devorar aquele garoto pedacinho por pedacinho, poderia bebê-lo gota por gota. Seu sabor era incomparável assim como o efeito que ele teve sobre mim. Que ele sempre teria. Tomá-lo não era mais apenas o meu desejo, mas sim minha maior necessidade. Precisava de Kim Namjoon como precisava de ar para respirar.

 

Eu não estava preparado para parar ainda. Nem sei se tão cedo estaria. Por isso fui tomado por surpresa e frustração quando meu querido dongsaeng saiu de cima de mim - porque sim, já estávamos deitados na cama enroscados um no outro, num delicioso roçar de corpos - rolando hesitante para meu lado e encarando o teto enquanto arfava intensamente tentando a todo custo normalizar a respiração. Estava dez vezes mais amassado, mais assanhado e mais tentador.

 

- Você… eu não disse pra parar - eu disse o imitando ao tentar respirar normalmente.

- Eu não sou seu submisso Jinnie - ele disse com um sorriso escancarado na cara levantando da cama me deixando imediatamente carente.

- Isso… foi… muito bom… - eu disse enfim sentando na cama e o admirando de pé no quarto.

- Você disse isso ontem a noite toda - ele riu ainda com mais vontade.

- Falando nisso… você poderia refrescar minha memória sobre como eu vim parar aqui? Eu não lembro bem… só alguns flashes… Eu por acaso briguei com o Jackson? - perguntei de súbito e imediatamente sentindo meu rosto esquentar ainda mais.

- Sim, você brigou com ele. Bom, foi bem engraçado na verdade. Você deu uma bela crise de ciúmes Jin. Enfim… até onde você lembra? - ele me perguntou voltando a sentar na beirada da cama um tanto distante de mim.

- Eu lembro do Yoongi me infernizar e de te arrastar até o estacionamento e do que aconteceu lá… - baixei a cabeça - lembro de ter voltado pra festa com você e de estar no bar com o maldito Yoongi me zoando e me empurrando bebida e depois… só fragmentos. - finalizei balançando a cabeça em negação.

- Certo… então… em resumo: a gente ficou no estacionamento, daí depois de um tempo o Jimin ligou perguntando onde a gente tava porque o Hope tava muito bêbado e quase transando com uma das meninas do Twice no meio da pista de dança daí a gente parou o que fazia pra socorrer o bebum e depois acabou no bar depois de resolver aquilo porque o Jimin não fez nada além de se trancar naquela porcaria de banheiro com o Kookie. O Yoongi tava lá e como a gente não consegue esconder nada daquele garoto, ele logo começou com as piadinhas sobre a gente ter dado finalmente “uns pegas” e você ficou todo irritadinho e meteu bronca nos drinks que ele tão gentilmente lhe oferecia. Obviamente você ficou ainda mais bêbado do que já tava e não falava coisa com coisa até que do nada me puxou pra pista e começou a dançar de um jeito obsceno. Então lá estávamos nós dançando numa boa quando o Jackson brotou com o Mark de um lado e o BamBam de outro. Você surtou porque ele falou uma coisa no meu ouvido e começou a chamar o garoto de “galinha rodada”. Empurrou ele de perto de mim mandando ele cuidar melhor do Mark e do BamBam ou eles iam cansar de ser as putinhas dele. Não preciso nem dizer que o Jackson ficou muito fulo com você e quase partiu pra cima. Eu tive que te arrastar de volta pro estacionamento porque você parecia disposto a arrumar briga com qualquer um. Te joguei na Van e liguei pra todos os outros garotos dizendo que a noite estava dada por encerrada. Então você desmaiou no caminho de volta pra casa e eu te carreguei pro meu quarto, te dei banho e você quis dormir só de cueca na minha cama, o que eu não pude recusar porque você literalmente me prendeu na cama com você. - Namjoon finalmente acabou seu relato e honestamente, eu nem sabia onde enfiar minha cara ou se minha boca era capaz de abrir ainda mais.

 

Eu até lembrava dos beijos que trocamos no estacionamento, e de percorrer todo aquele corpo com minhas mãos durante a madrugada, lembrava de suspiros e dos estalos molhados causado pelo choque das línguas e sucções em qualquer parte dos corpos. Lembrava do cheiro dele que nesse exato momento eu sentia perfeitamente impregnando-se à minha pele.

 

Meu querido dongsaeng agora pulsava em minhas veias.

 

- Nam… sobre o que aconteceu… - comecei e logo fui interrompido pelo loiro que mais uma vez invadiu minha boca tomando-me no beijo mais profundo que eu já havia recebido em toda a minha vida. Eu não tinha dúvida alguma da paixão naquele ato. Tudo fluía como se tivéssemos ensaiado aquele momento a vida inteira. Como se seus lábios me pertencessem desde o seu nascimento sendo aquela criatura premeditada única e exclusivamente pra mim e como se eu mesmo em toda a minha teimosia pertencesse a ele. Nossas línguas apenas tomavam cada milímetro das respectivas bocas misturando saliva e saboreando um ao outro. Era como se eu fosse perecer se não tivesse aquele homem em meus braços pelo resto dos meus dias.

 

Ele me libertou finalmente e me olhou nos olhos com um meio sorriso nos lábios vermelhos e maltratados. O redor da boca na mais luminosa coloração rosada tamanha a intensidade dos ósculos.

 

- O que acha da gente deixar isso rolar? Sem se precipitar e sem tentar forçar nada… Acho que você me conhece o bastante pra saber o quanto eu posso ser cabeça dura, assim como eu te conheço Jinnie… até ontem você tava com aquela garota e eu sei que você não fica bem a menos que todos estejam bem primeiro. Acho que o mais difícil eu já consegui e isso já faz de mim o cara mais foda desse país.  - ele falava comigo enquanto acariciava meu ombro e braço, subindo e descendo com a ponta dos dedos, o que me causava um formigamento delicioso pelo corpo.

 

- Tudo bem… eu falo com ela hoje mesmo mas… o que era o mais difícil? - Eu perguntei inclinando a cabeça para o lado em sinal de confusão.

- Você aceitar que sentia alguma coisa por mim. Mesmo que…

- JIN HYUNG! NAM HYUNG SE VISTAM O SEJIN HYUNG TÁ SUBINDO! - Fomos impiedosamente interrompidos pela voz de Jungkook seguida por batidas na porta do quarto.

- Filho da…! O que será que ele quer agora?! - Namjoon disse exasperado enquanto saltava da cama indo em direção ao armário e tirando qualquer coisa de lá e jogando uma parte do bolo de tecidos que agora ele segurava. - Veste isso, suas roupas molharam no seu banho e não seria legal você sair nesse estado daqui de dentro - ele disse risonho encarando minha ereção explícita.

 

Peguei a camiseta branca e a bermudinha rosa que ele me entregou e vesti rapidamente sendo acompanhado pelo mesmo que já ia em direção à porta enquanto enfiava os braços pelas mangas da camiseta. Agarrei seu pulso antes que ele pudesse alcançar a maçaneta - agora já trocada - e abrir a porta.

 

- Nammie espera. Mesmo que o que…? -  questionei sendo respondido apenas com um selinho rápido.

 

(...)

 

Quatro garotos já estavam sentados pelos cantos  da sala quando eu adentrei o cômodo ao lado de Namjoon.

- Cadê o Tae? - Perguntei automaticamente.

- Bom… ele ainda não chegou em casa… não sei se você lembra mas ele não voltou com a gente ontem. - Yoongi disse enquanto limpava as unhas despreocupadamente.

- COMO ASSIM AINDA NÃO CHEGOU? JÁ SÃO QUASE MEIO DIA, ALGUÉM JÁ LIGOU PRO GAROTO PELO MENOS? - Namjoon se exaltou. Então quer dizer que era esse o horário…

- Claro que ligamos né… Ele disse que tava bem, que tinha ficado com uns amigos ou sei lá o que. Foi muito rápido - Jimin explicou parecendo ofendido.

- Vou fingir que acredito. - Nam respondeu.

 

A porta se abriu nesse mesmo instante revelando Sejin, que entrou na sala parecendo de bom humor até que olhou a todos nós desfazendo o sorriso e tendo as feições tomadas pela preocupação.

- Taehyung está dormindo ainda? - Ele perguntou, simples.

- Não Sejin hyung… ele deu uma saída, já deve estar voltando. O que quer falar com a gente? - Jungkook disse da forma mais inocente que pode não deixando nenhum espaço para o mais velho duvidar de suas palavras.

- Okay… vim conversar com vocês… na verdade, mais com o Jimin - ele disse virando para o ruivo que o fuzilou com os olhos instantaneamente.

- Não diga nada… me deixe adivinhar: Eu vou ter que me casar com alguém agora. Acertei? - Ele disse da maneira mais fria que podia arrancando um suspiro cansado do manager.

- Não Jimin… eu andei falando com o CEO… tentando botar alguma coerência na cabeça deles com toda essa história que já tá me dando nos nervos. Eles estão irredutíveis. Querem uma junção… um vínculo entre as duas empresas… qualquer coisa. O que eu tentei mostrar foi que namorar era uma coisa muito séria e que isso ia ser mal visto pela maioria das fãs de vocês. Tentei a todo custo provar que a rejeição seria grande demais e consegui um pequeno avanço. - ele fez uma pausa.

- O QUE ELES DISSERAM SEJIN?! FALA LOGO! - Eu gritei. Já me encontrava inquieto, balançando as pernas sem parar num maldito tique nervoso de tanta expectativa.

- Eles ainda precisam do vínculo mas… desistiram do namoro falso, o que te faz parcialmente livre dessa palhaçada Jimin. - Ele disse com os olhos meio arregalados enquanto tentava ler a expressão do garoto que parecia prestes a voar no pescoço do pobre homem sendo acompanhado pelo namorado logo em seguida.

- Então quer dizer que eu posso mandar essa conversinha e esse drama pro quinto dos infernos? - Ele perguntou de dentes trincados.

- Isso… - Sejin agora era cauteloso.

- Certo… e você veio aqui pra me dizer que o inferno pelo que eu passei no começo disso foi totalmente inútil? - ainda com os dentes trincados.

- Não… não foi inútil. Só serviu pra me ajudar ainda mais a resolver isso. Mas você pode continuar colaborando Jimin? - o homem continuava cauteloso e isso me fazia pensar que talvez ele não fosse tão tapado.

- NÃO. Não vou mais fazer parte disso. As coisas estão muito complicadas agora. Não conte comigo pra isso Sejin. Eu não consigo mais. É demais por motivos que você não seria capaz de entender por si mesmo.

 

Depois disso o menino ruivo simplesmente levantou do sofá e agarrou seu namorado - até então era segredo pra qualquer um fora os membros e a tal garota - e chapou-lhe um beijo pegando tanto o manager quanto o próprio Jungkook de surpresa fazendo o mais velho engasgar-se na mesma hora.

 

O Park apenas finalizou o beijo intenso e virou as costas puxando o outro consigo sumindo no corredor indo muito provavelmente até o seu quarto que era o mais afastado.

 

Voltei meu olhar para Sejin que ainda estava boquiaberto com a cena que presenciou. Ficamos todos apenas encarando a pobre criatura, e mesmo que eu tivesse a certeza de que todos naquela sala partilhavam da mesma reação que ele, mesmo que em escala menor - afinal o casal evitava tais demonstrações na nossa frente - todos mantiveram-se com a mais composta expressão vazia enquanto lentamente o rapaz voltava a si e parecia calcular algo.

 

- Agora tudo está explicado… alguém mais sabe disso? - ele perguntou.

- Não. - eu respondi e ele me olhou nos olhos.

- Ótimo, é bom que continue assim. A imprensa comeria vocês vivos… ainda preciso resolver a questão com a YG. Gente alguém me dá uma luz!

- Você é o nosso manager, ganha pra isso. Então você resolva isso sozinho. Se me der licença, minha namorada me espera. E quando digo namorada, quero dizer cama. - Yoongi sendo ele respondeu e também saiu dali. Deixando apenas eu, Namjoon e Hobbie que parecia afundado em seu próprio universo e definitivamente de ressaca.

 

O barulho familiar da chave sendo colocada na fechadura foi ouvido logo antes da porta ser escancarada e Taehyung entrar completamente desajeitado e aos tropeços na sala acompanhado de uma certa loira demasiadamente famosa nesse dormitório.

 

- Eu… pensei que iriam estar dormindo ainda… boa noite hyungs.

 

Foi a única coisa dita por Tae antes de puxar a garota pela mão até seu quarto enquanto gritava pro Hobbie dormir em algum outro lugar e que o amava muito.

 

A  porta foi batida.

 

- Acho que você não vai ter com o que se preocupar mais Sejin… com toda a certeza um vínculo vai ser fortalecido nos próximos minutos. Se não tiver mais nada pra falar, eu gostaria de voltar a dormir já que estamos de folga. - Namjoon disse em sua voz mais grave começando a se levantar também.

- Tô começando achar isso também… Se cuidem meninos. Vou mandar entregar almoço pra vocês. Por minha conta hoje. E  você, vê se toma muita água - disse a última frase olhando Hope com um sorrisinho nos lábios - Até amanhã.

 

E saiu já levando o celular ao ouvido falando em inglês com alguém que não me interessava em nada.

 

- Pode dormir no meu quarto Hope.

 

Foi o que eu disse saindo a passos rápidos alcançando meu dongsaeng preferido de volta ao seu quarto e fechando a porta em seguida. O clique da tranca me fez tremer.

 

- Você ainda me deve uma resposta - eu disse chegando bem perto do loiro.

- Devo é…? - ele perguntou erguendo uma sobrancelha e se afastando de mim.

- Deve. Mas antes… - Alcancei meu celular que havia ficado na mesa de cabeceira de Namjoon.

 

5 Mensagens.

3 Ligações perdidas.

 

Respondi a primeira mensagem sem ao menos ler o que a garota tinha escrito.

 

Desejo o melhor a você. Você merece.

Felizmente, não serei eu a lhe dar nada disso.

Até um dia,

 

- Jin.

 

Larguei o celular de volta na mesinha e olhei o garoto que já se encontrava deitado sem camisa com as mãos atrás da cabeça parecendo muito relaxado. Mordi meu lábio.

 

- Onde a gente tava hein? - Perguntei já indo faminto em direção à cama.

- Indo dormir -  respondeu o garoto.

Aaah Namjoon…!


Notas Finais


Olha quem decidiu dar as caras... Isso mesmo, eu.
Eis que venho com algumas noticias a dar. Começarei com a ruim:
Awake está chegando ao fim. Esse provavelmente será seu penultimo capitulo, pelo menos é o que está em meus planos.
Eu não tenho palavras pra agradecer a todas e cada uma de voces pelo carinho e pela atenção que deram pra mim e minha loucura narrada. Awake foi o meu bebe... primeiro de muitos, devo dizer.
Agora a parte boa, depois do ultimo capitulo que provavelmente eu postarei em minha próxima folga eu vou postar um novo projeto meu que também vai ta delicioso pras que gostam de um conteúdo mais... adulto. Enfim... dependendo também do que meu pobre cérebro me fornecer para o final dessa fanfic (eu só descubro na hora o que vou escrever) eu postarei um capitulo extra e este capitulo será conforme a escolha de vocês. Podem pedir o que quiser que a tia escreve.

Amo muito vocês, mais uma vez obrigada e se cuidem viu.


Ps: Leiam essa fanfic pelo amor de Abraxas: https://spiritfanfics.com/historia/the-only-exception-6402483


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...