História Awakened - Capítulo 1


Escrita por: ~

Visualizações 27
Palavras 922
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Drama (Tragédia), Escolar, Fantasia, Festa, Ficção, Hentai, Magia, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror, Violência
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Nova fic sobrenatural estilo vampire^^ inspirado no filme "Queen Of Damned" espero que gostem
Boa leitura a todos 😘

Capítulo 1 - Finalmente vivo


Fanfic / Fanfiction Awakened - Capítulo 1 - Finalmente vivo

Música Tema :

Deftones - Change

-----------------------------------------

Eu estive dormindo por muito tanto tempo... nem lembro mais como é a cor do meus cabelos, nem lembro como é meu rosto... nem lembro quem eu sou... quanto tempo estive dormindo?


JÁ ERA perto da meia-noite, um grupo de jovens bêbados passeavam pelas ruas desertas da cidade, cantando embriagados até que um dos meninos viu o famoso cemitério a frente e decidiu brincar com os companheiros.

—Ei, ei, venham aqui… —gritou, os outros o olharam e então foram até ele, logo que todos estavam observando o cemitério. —estàovendo ? Dizem que esse cemitério existe a mais de 600 anos… e dizem que os vampiros que existiam aqui na cidade foram enterrados ai… só música pode despertá-los…

—Ah, é ? —interrompeu um dos jovens segurando uma guitarra e entrando no cemitério —vamos ver então.

—Jason, não faz isso, eu estou assustada… —alertou a namorada do rapaz, os outros o seguiram.

—Fica calma, Mia. Isso não passa de histórias pra assustar crianças… —todos então se reuniram em uma das covas que parecia ser mais antiga e Jason começou a entoar as notas graves da guitarra.

Longe da cova onde estavam sentados, uma alma que estava adormecida a muito tempo começara a despertar, estranhamente apreciando o som que vinha daquele instrumento. Dando socos e mais socos na porta de seu caixão, abrindo buracos em busca de sua liberdade.

—Viu só ? Uma lenda… —comentou Jason. —Lindsay, Mia, não acredito que caíram nessa história besta do Michael. —debochou.

—Ah, foi o Billy que me contou hahahah, vamos embora galera.

—Ei, espera —disse Lindsay —onde tem um banheiro por aqui ?

—Não tem banheiro aqui, Lind. —disse Mia.

—Tudo bem, vou procurar um lugar apropriado pra fazer isso antes que minha bexiga exploda…

—Ok, a gente espera —disse Michael e a garota se afastou do grupo.

Andar pelo cemitério a noite não era nada confortante, Lindsay olhava para todos os lados, assustando-se a cada pequeno barulho que ouvia. Se colocou atrás de uma lápide, olhando em volta garantindo que nenhum dos meninos estava espionando, então abaixou sua calcinha já que estava de saia e agachou-se. Alguns segundos depois um barulho em uma árvore a fez levantar depressa, caminhando em direção ao barulho.

—O-Oi… tem alguém ai ? —perguntou hesitando passos, aproximando-se do que parecia ser um altar. A medida que se aproximava do tal altar, o ambiente ficava mais frio. —Michael ? Jason ? Quem tá ai ?

—Está com medo ? —perguntou uma voz vinda de trás dela, Lindsay se virou rapidamente e se assustou ao deparar-se com um jovem rapaz trajando roupas de épocas antigas, ele analisou-a com estranheza. —Que século é este ?

—Hã… XXI ? —respondeu ela assustada. —Q-Quem… quem é você ?

—Eu ? Eu sou o vampiro Nathan... —rapidamente o jovem a tomou pelos braços, presas afiadas saltaram de sua boca e fincaram no pescoço de Lindsay, sugando todo seu sangue e então, ao terminar, jogou-a no chão já sem vida. —e finalmente estou vivo.



Os jovens já estavam impacientes, Mia andava de um lado para o outro preocupada.

—Ela tá demorando muito… —falou quase num sussurro para si mesma. —vamos atrás dela.

—Relaxa, ela deve ter se perdido ou a necessidade foi maior. —comentou Michael dando risada.

—Ah, claro que foi… —todos se levantaram depressa e olharam um rapaz com os lábios cheios de sangue, ele sorria e então seus olhos contemplaram a guitarra de Jason. —Então este foi o artefato maravilhoso que me despertou ? Eu quero pra mim.

—Ai, cara… parece que você fumou um belo baseado… sério ! Roupa maneira pra quem vivia no século XV… mas nós não podemos perder tempo temos que achar nossa amiga… —disse Michael. Nathan sorriu e então ergueu o corpo inerte da garota, Mia gritou ao ver o estado em que a amiga estava.

—Ah, sim… a jovem Lindsay… ela nem ao menos lutou por sua vida… —disse jogando o corpo dela para longe.

—O que você fez seu filho da puta ?! —gritou Michael já partindo pra cima do vampiro, iniciando uma sequência de socos que foi prontamente desviados, logo Nathan segura os braços de seu oponente e os quebra facilmente, Michael gritou sentindo uma dor terrível, e então o vampiro o mordeu.

—Mia, corre ! Corre vai ! —gritou Jason e então partiu para cima do rapaz tentando acertá-lo com a guitarra, Nathan desviou sem dificuldade, e numa velocidade incrível arrancou o coração do humano.

—Vou ficar com isso aqui… —disse pegando a guitarra.



—Socorro ! Socorro ! —gritava Mia enquanto corria pelo cemitério, mas de repente o vampiro aparece em sua frente e a segura pelo pescoço, a erguendo.

—Sua voz… me irrita…

—P-por favor… n-não me machuque… —Nathan pendeu a cabeça para o lado, ele adorava ouvir um pedido de misericórdia.

—Diga de novo, amorzinho… me implore…

—Por… favor… n-não… —o pescoço da garota foi separado do corpo antes que ela terminasse a frase. Nathan a jogou de qualquer maneira no chão e em seguida olhou as próprias mãos, sentindo o sangue circulando novamente nas veias. Já havia se passado tanto tempo, nem se lembrava como o gosto do sangue era bom, passou a língua nos lábios e sorriu.

—Finalmente vivo —falou para si mesmo, deu um passo a frente mas percebeu que não poderia ir para a cidade com aquelas roupas. Andou até o corpo caído de Michael, sorriu aprovando o estilo do humano. Ele vestia uma camisa xadrez vermelha de botões que estava sob uma jaqueta preta, calças jeans escuras e tênis pretos.

Após trocar de roupa, o vampiro Nathan colocou a guitarra em sua capa e a apoiou nas costas, agora pronto para se aventurar em sua nova jornada no século XXI.



Notas Finais


Esse foi o prólogo, curtinho mas deixa um gosto de "quero mais"
Espero que tenham gostado
Beijos e até o próximo capítulo ❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...