História Awakening - Capítulo 9


Escrita por: ~

Postado
Categorias League Of Legends
Personagens Akali, Annie, Cassiopeia, Darius, Draven, Garen, Katarina, LeBlanc, Lux, Swain, Talon
Exibições 22
Palavras 1.760
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Ficção, Hentai, Luta, Magia, Mistério, Romance e Novela, Violência
Avisos: Álcool, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Olá de novo povo, como estão? (*w*)/ Fico feliz em revê-los novamente.

Capítulo 9 - Capítulo 9


Fanfic / Fanfiction Awakening - Capítulo 9 - Capítulo 9

Enquanto isso, na cidade do progresso.

A viajem fora longa, mais longa do que Garen imaginava. Cada trote com seu cavalo começou a se tornar um fardo. Sentia-se cansado, exausto. Sonolência começava a tomar conta de seu corpo. Sua mente estava mais aglomerada de pensamentos distorcidos. Tudo parecia ir contra a sua vontade. Ele diminuiu o trote, Xin fez o mesmo, quase parando ao seu lado.

- Ei amigo, tudo bem?

Perguntava ele, um tanto preocupado. Garen coçou as têmporas com os indicadores, em seguida o olhou de esguelha.

- Desculpe-me, me sinto um pouco tonto. A viagem esta me desgastando... mais do que pensei.

Xin sorriu, dando um trote amais para frente.

- Ei, não desanime. Já estamos aqui.

Continuava ele, ainda com aquele sorriso em seus lábios. E ver Xin daquela forma, lhe deu forças para dar um curto sorriso e o seguir até a beira de uma colina. Era um pouco alta, mas bastou alguns trotes para subi-la completamente. O vento soprou forte, fazendo seus cabelos morenos esvoaçarem, estreitou os olhos, erguendo um pouco o cachecol. Finalmente. A imagem que viram abaixo era mais do que bela. Piltover, a cidade do progresso. Finalmente haviam chegado. E pelo visto, as coisas pareciam calmas dali de cima. Mas Garen sabia, que aquela cidade era bem movimentada por trás dos muros.

--------------------------------------------------------------------------------------------------

Seus cavalos seguiram adiante, com trotes suaves pela rua principal. Tudo ali era envolto a meios tecnológicos, as estruturas das casas, prédios e imóveis, a própria estrada feita com pequenos pedaços de mármore ajudava para a deixar a aparência, ainda mais impecável. Os pássaros cantavam felizes, o vento soprava com força total, fazendo inúmeros aviões motorizados alçarem voo por cima de suas cabeças.

As pessoas riam, conversavam e se divertiam. Xin sentia-se em casa naquele local cheio de paz e prosperidade. Até mesmo seu sorriso se tornou mais vivo e alegre quando desceu do cavalo. Garen fez o mesmo, deixando-os amarrados em um estábulo ali perto.

- Cara... Esta cidade nunca deixa de me surpreender... é realmente o berço da tecnologia...

Garen sorriu, mas antes que pudesse responder o amigo, ouviu-se uma voz feminina e pelo tom que ressuo, estava apavorada.

- CUIDADO!

Os olhos azuis do demaciano olharam diretamente para cima, de onde a voz estava ecoando. Tudo aconteceu tão rápido, que ele mal teve tempo de reagir. Uma mulher caia em direção aos seus braços, não conseguiu reconhecê-la no momento, tudo não passava de borrões roxos e marrons,  mas antes que pudesse estender os braços para então pega-la, apareceu algo extremamente forte que o empurrou na ultima hora, fazendo-o tropeçar para o lado. Sua visão girou por um momento, colocando as duas mãos no mármore, evitando a sua queda.

Xin estava no estábulo, checando as amarras dos cavalos para não deixar muito solto, já que poderiam assim fugir facilmente, mas aquela confusão lhe chamou a atenção, ouviu os passos de Garen ficarem mais brutos sobre o solo, como se estivesse caindo, deslizando pelo mármore, foi o suficiente para ganhar a atenção de Xin, fora o som do estrondo e a voz da mulher misteriosa. Garen pôs-se de pé rapidamente, e seus olhos foram de encontro das pessoas culpadas daquele tumulto. Eram duas mulheres, respectivamente. A que estava no colo da maior trajava uma roupa um tanto ousada, roxa com traços marrons, usava um chapéu um grande, chamativo, mas lhe dava um belo charme, seu cabelo preto azulado se rebelava com o vento. Os olhos dela se desviaram para os olhos da outra rapidamente. Esboçando um curto sorriso.

- Boa pegada, Vi.

Respondia ela, fazendo Vi sorrir.

- Como sempre.

Cantarolava a mulher dos cabelos rosados. Possuía mãos extremamente grandes e poderosas, revestidas em aço, era mesmo um belo par de manoplas, então fora ela que havia o empurrado de tal forma, apenas para pegar a sua amiga. Ele suspirou, mas decidiu se aproximar das mulheres.

- Droga... o bastardo escapou novamente.

Xingava a mulher dos cabelos azulados.

- Pshhhh, isso foi pura sorte. Mas pegaremos ele na próxima.

Respondia Vi, confiante.

- Nada me escapa. Como xerife de Piltover, eu mesma vou me certificar disso.

Os olhos dela pareciam brilhar em chamas ardentes ao proclamar tais palavras.

- Essa é a minha garota cupcake.

Respondia Vi. A mulher corou, mas manteve a expressão séria.

- Pela centesima vez, como sua superior, é pedir demais um pouco de respeito?

Vi sorriu ainda mais, mas manteve sua postura diante dela, colocando-a no chão.

- Certo, como quiser Caitlyn.

- Nesse meio tempo, por que não se desculpa com os nossos visitantes demacianos?

Garen estava parado ao lado delas e Xin do seu lado. Apenas esperando um momento certo para intervir. Mas as duas estavam mesmo bem empolgadas com aquele caso. E pelo que pode perceber, a caçada delas não estava sendo nada fácil. Mas assim que a xerife falou, Vi foi na direção de Garen, que parecia um tanto abatido.

- Você esta bem cara? Sua aparência esta horrível! Peço desculpas por antes.

Garen suspirou, colocando a destra em sua cabeça. Por um momento, sua visão começou a ficar embaçada. Parecia que tudo estava girando. Podia ver a cara de preocupação delas e de Xin. Mas o que estava acontecendo? Antes mesmo ele estava bem. Não conseguia raciocinar direito daquela forma. Ele tentou responder, mas falhou na primeira tentativa. Vi o segurou pelo ombro, achando que ele iria despencar a qualquer momento. Enfim, suas dores foram passando aos poucos, bastou apenas alguns segundos para se recuperar, ao menos um pouco.

- Estou bem...

Respondeu ele.

- Então, de quem estão atrás?

Perguntou Xin cruzando os braços, depois de perceber que Garen já estava um pouco melhor. A xerife o encarou por um momento, mas logo cedeu.

- Algum negociante. Esta merda de pó zaunite chegou as portas da nossa bela cidade e agora está solta dentro de nossas paredes. Vários distribuidores da substância particular espalharam por toda Piltover.

- Pó zaunite...?

Perguntou Garen. Vi apertou levemente seu ombro, fazendo-o olhar para ela.

- Você sabe, drogas.

Respondeu ela.

- Estou surpresa, você nunca ouviu falar dele?

Perguntava Caitlyn.

- Nós sabemos, mas pensamos que este problema já foi tratado a muito tempo atrás.

Respondera Xin.

- Não, a situação se tornou algo muito mais grande do que pode imaginar. O suficiente para me preocupar...

A voz de Caitlyn parecia ressoar tensa demais por um momento, mas ela desviou o olhar quando Garen a encarou. Um som de um big tocou no bolso de Vi, fazendo os olhares se dirigirem até ela. Ela pegou algo que estava preso em seu cinto na sua cintura. Era uma caixinha pequena, preta, com luzes vermelhas piscando. Garen ficou tenso quando percebeu o som ficar mais agudo quando ela apontara para seu lado. O olhar dela estreitou.

- Que estranho... O detector de radiação esta ficando louco.

Falara Vi. Caitlyn olhou para o aparelho, se aproximando quando viu ele ressoar mais alto por um segundo, no momento que Vi retirou ele do cinto, o aparelho quase bateu em Garen quando ela o pegou. E isso lhe deu uma suspeita.

- O que...? Esta vindo de você.

Dissera a xerife para Garen. Vi apontou novamente o aparelho para ele, justamente quando havia retirado aquela pequena pedra roxa de seu bolso e Caitlyn pode confirmar as suas suspeitas. Sacou seu fuzil de cano longo e apontou diretamente na cara do demaciano.

- O que você esta fazendo carregando esta joia? Você ficou louco?

Ela deu uma pequena pausa, olhando no fundo daqueles olhos azuis, que estavam completamente assustados. Abaixou a arma e suspirou.

- Nós vamos confisca-lo, rapidamente.

- Por que? O que há de errado com isso?

Questionou Garen, curioso. Caitlyn o olhou, estreitando os olhos.

- Precisamos trazê-lo até o Customs de Piltover. Heimerdinger saberá o que fazer com ele.

Quando estavam prestes a partir em busca de Heimerdinger. Xin protestou chamando a atenção das duas oficiais.

- Ei! Espere um segundo.... O que o torna tão perigoso?

Caitlyn parou, juntamente de Vi ao seu lado. Ela olhou mais uma vez para a pedra nas mãos de Garen, antes de falar.

- Lembra-se do Zaunite em pó? Uma pequena amostra dele pode transformar uma mente humana em um estado vegetativo. Os seres humanos, as criaturas zaunitas e os yordles reagem diferente a droga, mas na maioria das vezes, a exposição a ela faz com que a vítima esteja em um estado de loucura eminente.

Garen enrijeceu, imaginando o que poderia lhe acontecer, já que estava se sentindo mal por conta daquilo... Maldita pedra.

- Tudo bem, vamos ver o seu homem...

Respondera Garen. Caitlyn acenou positivamente e seguiu na frente com Vi, para lhe mostrar o caminho até la. Enquanto caminhavam entre a população, Garen puxou Xin pelo cotovelo, fazendo ele se aproximar um pouco, mas foi o suficiente para sussurrar.

- Eu espero que nada exploda. Hoje realmente não é meu dia...

Lamentava ele para o amigo. Xin sorriu, e Garen se afastou, estava um pouco tenso, mas sabia que iria ficar bem, ao menos tinha o amigo para acalma-lo. Xin por outro lado, deu alguns passos apressados para acompanhar Caitlyn, ao chegar do seu lado ele lhe fez uma pergunta, que estava em sua mente a um bom tempo.

- Uma última pergunta... – Começava ele, fazendo a mulher o olha-lo de canto. – Como você pega criminosos pulando de prédios?

- Oh! Bem, eu estava prestes a disparar um tiro certeiro, quando infelizmente acabei escorregando.

Respondera ela tranquilamente. Xin imaginou que ela provavelmente era bem esperta em perseguir criminosos de cima daqueles prédios, ainda mais com aquela bela arma para acerta-los a longa distância. Já que geralmente, quando eles fogem pelas ruas, costumam olhar apenas para trás e lados. Uma tremenda tática realmente. Mas sem dúvidas bem arriscada.

- Então você foi capaz de alcançar a mina de zaunite nas montanhas Ironspike?

Continuava ela, mas desta vez era ela quem fazia as perguntas.

- Sim, e o que vimos la nos mostrou bastante coisa do que poderia estar acontecendo. E sobre o relatório que você nos enviou... Não havia nenhum ofensor, mas por que não inspecionou as montanhas?

- Nós recebemos instruções.

Respondera ela.

- De quem?

Perguntou Garen abismado.

- Do Instituto de Guerra.

Garen e Xin se entreolharam. Algo ali estava errado. Vi chegou ao lado deles e sorriu.

- A propósito, o professor sempre sabe a resposta.

Falara Vi confiante. Isso foi tudo antes de entrarem no estabelecimento conhecido como Customs de Piltover, a oficina geral do professor Heimerdinger.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...