História B de Beijos de Triplos A são coloridos - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Attack All Around (AAA - Triple A)
Personagens Chiaki Itou, Mitsuhiro Hidaka, Shuuta Sueyoshi
Tags Aaa, B De Que, Cores, Shuuhidachia
Visualizações 5
Palavras 663
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Colegial, Fluffy, Shoujo (Romântico), Slash, Universo Alternativo
Avisos: Bissexualidade
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Um dos meus OT3 favoritos é ShuuHidaChia e quando vi o projeto 'B de quê?' a mão de escrever tremeu e aqui estou postando, não minha primeira fic no site, mas nesta conta. E enquanto fui escrevendo não tive a intenção de explanar o que seria a bissexualidade, só escrever como convenientemente três adolescentes bissexuais ultrapassaram a barreira da amizade e se apaixonaram.

Capítulo 1 - Triplos A e B


1. Vermelho

Apaixonar-se por uma garota hétero não estava nos planos de Chiaki Ito, isso Shuta Sueyoshi poderia afirmar com toda e plena certeza do mundo.

Só que na vida imprevistos acontecem e foi um tanto que impossível para ele não reparar que Chiaki chorava um dilúvio e espalhava soluços ao ver Misako Uno aos beijos com Takahiro Nishijima atrás dos bancos do ginásio durante uma aula de educação física sem a fiscalização de um professor por quinze longos minutos.

Como um bom melhor amigo que era, Shuta suspirou fundo e fez seu papel como manda o cartório. Abraços e vários “vai ficar tudo bem” foram distribuídos enquanto seus dedos deslizavam pelas madeixas castanhas com suavidade. Sueyoshi ignorava a vontade de rir com escárnio da própria miséria ao consolar Ito – por qual era apaixonado a anos – sofrendo sua primeira desilusão amorosa enquanto ele mesmo sofria com a dele todos os dias.

E quando alguém perguntava o que havia acontecido para a menina mais espivetada da turma se debulhar em lágrimas, Shuta sorria meio constrangido e respondia: “o panda vermelho de pelúcia dela desbotou para o rosa”.

 

2. Amarelo

Mitsuhiro Hidaka brilhava. Não no sentido literal da palavra, obviamente, mas seus sorrisos e piadas eram contagiantes. Era automático abrir os lábios e mostrar os dentes amarelados quando o rapaz de cabelos desarrumados e com pontas viradas para todos os cantos entrava na sala.

Conviver com Hidaka era uma tortura para Suyeoshi. O rapaz um dia mais novo era irritantemente bonito, amistoso, simpático e invasivo. Cheio de um skinship desnecessário, levou poucos meses – diria até que semanas – para que o coraçãozinho batesse um pouco mais rápido assim que as mãos geladas de Hidaka segurassem as dele com força, puxando-o para um canto onde contaria sobre os sonhos delirantes de ser um cantor famoso.

Era nauseante a voz esganiçada e alguns tons mais altos do que o normal para os garotos, o olhar felino e um tanto quanto alucinado, os braços e pernas que não paravam quietos por um segundo que fosse. Assim, a loucura e espontaneidade que Hidaka exalava parecia sugar Sueyoshi mais e mais numa viagem psicodélica que levava a um mundo alternativo onde coroas de girassóis eram tão ou mais valiosas quanto as de ouro.

No entanto, Chiaki também foi sugada.

Shuta desconfiou que os tons de vermelho e amarelo se tornariam um laranja distinto do rosa que ele mesmo era.

 

3. Rosa

Era difícil afirmar em que momento Chiaki e Shuta e Mitsuhiro, três indivíduos independentes, transformaram-se em ChiakiShutaMitsuhiro, um ser apenas.

Onde o vermelho se misturava com o amarelo e o amarelo com o rosa, mas o vermelho e o rosa também já eram um a tanto tempo que não conseguiam mais se distinguir um do outro.

Shuta Sueyoshi se questionava o porquê de estar tão apaixonado e absorto por duas pessoas de cores tão fortes.

Questionava também do porquê de ficar louco quando Hidaka aparecia por trás do nada com um abraço surpresa e Chiaki vinha pela frente fechando seus braços sobre o pescoço de ambos os garotos. Ou de quando as bocas se misturavam e nenhum deles sabia dizer quem foi que mordeu a língua e bateu os dentes, seguindo com risadas e olhares de contemplação.

Porque, preste atenção, Chiaki Ito poderia ter sim gostado de Misako Uno em determinada época, mas o fato não anulava a sensação de conforto e borboletas no estomago toda vez que Shuta a direcionava um sorriso e dizia que tudo ficaria melhor depois de uma maratona de One Piece.  Da mesma forma que Mitsuhiro Hidaka ter se atraído automaticamente pelas bochechas rechonchudas de Chiaki e seu jeitinho meigo não sobrepunha sua vontade de beijar os lábios carnudos e avermelhados de Shuta após proferir tantos palavrões e seu mau humor se esvair.

– Nós te amamos. – Em uníssono as vozes se mesclaram.

– Eu também amo vocês.

A resposta era porque amarelo e vermelho, de alguma maneira inocentemente estranha, resultavam, não em laranja, mas em rosa.


Notas Finais




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...