História Babuina Gay - Capítulo 11


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Friends, Idiotas, Originais
Exibições 12
Palavras 649
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Comédia, Ecchi, Romance e Novela, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


Oi oi dessa vez eu revisei oque eu escrevi
Se acharem algum erro ou eu sou cega ou achei que tava certo então Sorry
;3 fiquem com a fic drogada até as notas finais!

Capítulo 11 - Alagoinha Lândia


Fanfic / Fanfiction Babuina Gay - Capítulo 11 - Alagoinha Lândia

E então em meio ao caminho acontece algo inesperado e nem um pouco esperado para ninguém...
O filho da bendita (estou falando do Gabriel queridos...) Peida na merda do carro, e não foi aquele peidinho fraco que só sai barulhinho... Meodeolz oque essa praga comeu cara, a Eliza que estava dormindo até acordou para abrir a janela do carro e dar um soco no viado sem chifres, Layza até aproveitou o momento e chutou ele por vingança pela sua irritação mortal. E então todos desmaiam...

(...)

Amanda acorda ainda um pouco tonta.

— hm... Uh?!? MAIS QUE PORRA É ESSA?!?! ONDE QUE EU ESTOU? — Amanda percebe que não estava mais dirigindo, ela olhou para os lado e só viu Eliza que estava desmaiada/dormindo (provavelmente dormindo) ao seu lado, procurou mais um pouco e não avistou nada de Layza, Julia ou até o Gabriel. Amanda se levantou e foi acordar Eliza apenas a cutucando... E nenhuma resposta, e cutucou de novo só que agora à chamando... E nada, então decide chuta-lá... E ela grunhi acordando.
— mais que por... Ondé que eu tô? — a louca olha para os lados e não reconhece ninguém além da Amanda que estava ao seu lado. — Eai gata, vem sempre aqui? — Fazendo aquela voz bizarra de sedutor.
— deixa de ser otária, o pum divino do Gabriel mandou a gente pra "pqp" — Ela rodeava o lugar pra ter sinal dos outros, e nada.
— orra... Cabo com o clima, vou chamar aqui que Alagoinha Lândia — Eliza se levanta e fica seguindo Amanda. — Pô, to com fome sabes...
— Vá se ferrar jorjão
— vamos juntas, que vai ser melhor — ela diz apontando para um local onde se via algumas casas — oia lá!
— O quê?
— o meu dedo, hehe — termina a piada levando um cascudo. — ai viada!
— deixa de trouxisse.
— tava zuando sua jegue, eu to vendo uma mini aldeia.
— falasse logo esperma mal reproduzido.
— esse esperma mal reproduzido saiu do seu saco, otária.

Elas vão até uma das casinha e bate na porta não ganhando respostas, talvez não tivesse ninguém ali, ou viu duas demonha e não quis atender. Foram até uma cabana que estava do lado da casa dos ignorante.

— OOOO DI CASA!!!!! — Amanda bate na porta forte pra caralho e acaba quebrando um pouco.
— se nem conhece a pessoa e já ta quebrando as coisas, meodeolz Amandão.
— Oque vocês quer? — uma senhora abre a porta fazendo as duas se afastar um pouco da porta.
— Owla senhora, tudo bem? — Eliza fica na frente de Amanda comprimentando a senhorinha.
— Oque que seis quer? — Ela olha com cara de desconfiada para elas.
— um pouco de seu conhecimento minha senhora, você seria uma senhora gentil e nos ajudaria? — ela termina oque fala e olha fixamente para a velha.
— Eai velha, ta boa? — Amanda... Parabéns pelo seu esforço. — óia aqui velha, o négocio é o seguinte. Nóis ta perdida, e nossos colegas indesejados sumiu, infelizmente essa aqui do meu lado não sumiu também.
— meu deus... — a velha olha com raiva para Amanda. — Cadê a sua educação menina?
— Morreu junto com minha sanidade depois do MV Blood sweat & tears de BTS
— Oh céus...
— calma minha senhora, só queremos saber... Você poderia nos ajudar? — Eliza tenta ser o mais educada possível, vai que a velha é uma feiticeira, não sabemos.
— ok... Entrem — Ela da espaço da porta para entrarmos, e então por pura inôscencia(coisa que não temos) entramos sem esperar que nada de ruim aconteça, ela fecha a porta e tudo ao nosso redor fica escuro e ela começa a falar as palavras mágicas — PODER DIVINO VRAU — Depois de suas palavras adormecemos.


Notas Finais


Entooooonnnn?!?!?! Oque acharam?!?!?
Podem comentar gente eu não mordo e nem deixo o comentário sem resposta >u< (só o da Amandão quando ela merece) bye bye até o próximo capítulo ;3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...