História Baby, I love you - Capítulo 6


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Suga, V
Tags Jikook, Maryzinhaxr, Namjin, Vhope
Exibições 17
Palavras 1.123
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Escolar, Ficção, Lemon, Romance e Novela, Violência, Yaoi
Avisos: Drogas, Estupro, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Yeeeey eu voltei pra vocês finalmente! Minhas provas acabaram e eu só tenho aula até sexta, eu acho pelo menos sjsjsjs

Capítulo 6 - Capítulo 6: Deveria dormir aqui mais vezes


Brian Lee POV

    Muitas pessoas me considerariam um monstro, um babaca, um idiota, mas eu não me importo. Ninguém sabe o que eu passei na mão daqueles malditos,não foi apenas uma humilhação, foram os piores dias de toda a minha dia. Até hoje posso ouvir os risos, as brincadeiras sujas direcionadas a mim, eu não fiz nada. Desde o dia em que pedi para meu colega de classe para falar com eles, os mesmos começaram a me tratar de modo desumano, e eu não sei o porque. Sinceramente. De longe pareciam ser doces, alegres e divertidos, eu não sei o que havia de errado comigo na época para ter bandejas jogadas em mim, para receber boladas na aula de Ed.Física, para ser taxado como babacão da turma, acabei me afastando de Arthur e Ana  como forma de proteção pois os dois não mereciam nada.

— Brian? Brian!

    Meus pensamentos eram interrompidos pela voz fina de Ana que me dava um chute na perna esquerda

— Ai mulher! Quer me alejar?

— Não, só quero conversar, afinal o viado do Arthur saiu

— Foi aonde que eu não vi?

— Na sorveteria.

— Ah, e o que quer falar?

— Por que não deixa essa história de vingança para trás? Você nem sabe o real motivo deles terem feito aquilo..

— Eles me machucaram Ana, me fizeram de pano de chão.

— Mas você nem está pensando direito, esses dias eu parei para refletir e aquele garoto da nossa sala?

— O Jooheon?

— Sim.. Ele.

— E o que tem ele?

— Você deu o papel para ele não foi? Ele pode ter modificado a carta e dado para os garotos.

— Como você sabe disso?

— Lembra que depois do que aconteceu naquele dia, ele nunca mais apareceu para falar com você.. Ou apareceu?

— Não..

— Então caralho, foi ele.

— Mas não tem nexo, por que ele faria isso?

— Não sei, só sei que esse é o motivo mais plausível existente

— Vou pensar sobre isso, Ana..

    Pude ouvir a porta ser aberta e um Arthur entrar com um pote de sorvete dizendo um "Cheguei povo", voltei a me vidrar na TV sentindo um peso sobre meu corpo me fazendo olhar e perceber que era o viado do Arthur. O joguei no chão rindo da situação, o mesmo me puxou pelo braço me fazendo cair em cima de seu corpo. Percebi que suas bochechas estavam vermelhas, sentindo minha respiração contra a sua e fiquei olhando seus olhos levemente arregalados. Sem perceber acabamos ficamos ali por alguns minutos até ouvirmos um grito da Ana dizendo que não queria ficar de vela, me levantei e voltei a me jogar no sofá sorrindo ladino. Ficamos assistindo filmes até de madrugada, nossos pais saíram para algum lugar desconhecido por mim então eu vim para a casa dos irmãos Zé bota fogo.. O por que desse apelido? Os dois quase queimaram a cozinha uma vez tentando cozinhar o que resultou em uma tia Lee com cara de gato raivoso. Não havia quartos suficiente então eu dormiria no quarto do Arthur, a Ana não deixou eu dormir com ela porque eu provavelmente ficaria enchendo o saco dela, o Arthur é mais tranquilo então eu posso encher o quanto quiser. Me levantei, os ajudei a arrumar as coisas, escovei os dentes no banheiro e fui para o quarto com o Arthur. Me joguei na cama vendo o garoto fazer o mesmo e me virei para olha-lo, ele aparentava estar tão cansado que eu decidi não enche-lo coitado. Me permiti abraçar o garoto recebendo um corpo alheio encolhido e pequenas mãos brincando com a gola de minha camisa

— Boa noite, Brian.

— Boa noite, Zé bota fogo.

    Senti um tapa ser depositado em meu peito me fazendo rir e apertar mais o menor em meus braços, acabando adormecendo ali depois de alguns segundos.

Kim Namjoon POV

   Chamei Jin para vir aqui em casa depois de pedir para meus pais, ficamos o dia inteiro assistindo séries e comendo besteiras. Não conseguia tirar os olhos dele e de suas coxas bem marcadas na calça de moletom, estava ficando louco sem poder ao menos apertar aquelas coxas ou atacar o pescoço branquinho do meu namorado. Já eram umas duas horas da madrugada e nós desligamos tudo, escovamos os dentes e fomos para o quarto. Me sentei na cama esperando o maior fazer o mesmo, mordi o lábio inferior ao ver ele retirar sua camisa e vir até mim, não estava aguentando mais, eu precisava fode-lo.

    Me aproximei de seu rosto selando nossos lábios em um beijo calmo e carinhoso que logo foi se transformando e virando um beijo necessitado e feroz. Levei minhas mãos até suas coxas apertando ali, separei nossos lábios pela maldita falta de ar e fui para seu pescoço distribuindo chupões e mordidas pelo local. Fui descendo lentamente depositando beijos molhados pelo abdômen alheio até chegar a barra da maldita calça de moletom, logo a mesma se encontrava em algum canto do quarto e eu apertava o membro pelo pano fino da boxer vermelha recebendo um gemido abafado em troca. Retirei a peça íntima a jogando no mesmo canto da calça revelando o membro já rígido, passava a língua lentamente pela sua glande logo colocando o membro em minha boca, arranhava suas coxas com certa força vendo sua mão segurar em meu cabelo me ajudando com os movimentos. Depois de alguns minutos assim, senti o líquido quente em minha boca e o engoli subindo novamente e selando nossos lábios, abri minha calça retirando a mesma juntamente com a box. Roçava meu membro em sua entrada lambendo seu pescoço e ouvindo gemidos manhosos em reprovação

— Me fode logo, Namjoon.

— Me chame de daddy, meu babyboy.

— Me foda logo Daddy, por favor.

    Ouvir aquela voz manhosa foi a gota d'água para minha sanidade ir embora, rapidamente o penetrei indo fundo e sentindo suas unhas sendo cravadas em minhas costas arranhando as mesmas com força. Comecei a estoca-lo com força e precisão segurando na cabeceira da cama, tentava conter os gemidos que insistiam em sair de minha boca e ataquei os lábios do maior levando minhas mãos até sua cintura apertando ali. Acabei acertando o ponto sensível de Jin separando nossos lábios pude ouvir o gemido alto e forte saido dos lábios vermelhos do garoto. Cheguei em meu ápice me desfazendo em sua entrada e sai decdenteo dele me jogando ao seu lado ofegante, direcionando meu olhar para ele

— Deveria dormir aqui mais vezes

— Também acho

    Selei nossos labios em um selinho demorado e o abracei nos cobrindo com a coberta, acabando por dormir ali mesmo.


Notas Finais


Desculpa qualquer erro, kissus :3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...