História Baby on Board - Capítulo 19


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Bangtan, Bebê, Hentai, Heterossexual, Jikook, Namjoon, Vhope
Exibições 32
Palavras 718
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Famí­lia, Hentai, Romance e Novela, Yaoi
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


EU VOLTEEEEEEEI PESSOINHAAAS!!
Desculpem ter sumido. É que eu, na minha divina inteligência, tinha esquecido meu login e senha e não consegui entrar no spirit nem a pau. Kkkk
Desculpem mesmo, mas agora tô de volta!!!
Aproveitem o capitulo. >o<

Capítulo 19 - Capitulo 18


Fanfic / Fanfiction Baby on Board - Capítulo 19 - Capitulo 18

A viagem de ônibus para minha casa passou num borrão. Assim que cheguei me joguei no sofá. Estava cansada de chorar, cansada de sofrer por alguém que estava fora do meu alcance. Eu odiava ele por fazer isso comigo, não queria ser assim, não queria ser uma pessoa dependente, machucava demais.
Algum tempo depois a campainha tocou. Não me levantei para abrir a porta, não queria ver ninguém. Mas infelizmente a pessoa na porta era insistente pois não parou de tocar.
-Vá Embora!-gritei.
-Não vou, queria ver como você está!
Era a voz inconfundível do Jin. Mesmo não querendo ver ninguem, me levantei e fui abrir a porta.
Assim que a abri e o vi alí com aquela expressão preocupada, não consegui resistir, corri e o abracei. Chorei em seu peito, como nunca havia chorado antes.
Parece que quando existe alguém para nos consolar, as barreiras quebram e as lágrimas saem em profusão. Chorei amargamente por todos os meus problemas, chorei pelo Namjoon, chorei por minha mãe que se foi e a dor ainda estava presente, chorei por essa criança que viria ao mundo e eu não sabia o que fazer, chorei por ser essa pessoa depende, mas principalmente por perceber que a muito tempo havia perdido as esperanças de ter algo melhor que isso.
Jin me puxou para o chão, até que estivesse sentado, comigo em seu colo.
-Está tudo bem pequena, pode desabafar. -disse acariciando meus cabelos.
Passamos um bom tempo alí na porta da minha casa. Jin era muito bom em consolar, depois de um tempo as lagrimas foram secando e pude falar novamente.
-Des-Desulpe Jin, não queria desabar assim.
-Não tem problema querida, estarei a seu dispor sempre que precisar. Agora por favor, podemos levantar do chão e entrar? Não sou mais tão jovem.
Não pude deixar de rir. Jin era um amor.
-Desculpe, venha.
Me levantei e estendi a mão para ele. Entramos e fechei a porta.
-Não liga pra bagunça.
-Deixe de ser boba. Agora me diga, onde fica a cozinha? Você precisa comer alguma coisa.
-Fica ali -falei apontando para um pequeno corredor -Mas você não precisa cozinhar para mim, Jin.
-Preciso sim, eu quero e eu gosto de cozinhar. Me faz sentir util.
-Tudo bem, então.
Levei ele para a cozinha, sentei a mesa e deixei que desse uma de mamãe ursa.
Ficamos conversando sobre banalidades até que senti meu estômago revirar. Ele estava fritando ovos, e o cheiro me atacou em cheio. Senti a bili subir e não tive outra escolha a não ser sair correndo para o banheiro. Havia esquecido da porra do enjôo. Estava com a cabeça apoiada na borda do vaso, quando senti mãos delicadas afastarem meus cabelos do rosto para que não ficassem sujos. Era humilhante tê-lo ali me vendo vomitar, mas não podia fazer nada.
Assim que terminei, ele me ajudou a levantar e lavar meu rosto e boca. Quando já me sentia eu mesma de novo, Jin falou:
-Podemos conversar?
-Claro.
Fomos até a sala e sentamos no sofá um de frente para o outro.
-Sei que não é da minha conta, e se você não quiser me contar tudo bem. Mas preciso perguntar, você está grávida, s/n?
Minha palidez repentina deve ter me denunciado pois ele concordou com a cabeça antes mesmo que eu pudesse responder.
-Imaginei que estava. É do Namjoon não é?
Pude apenas concordar com a cabeça.
-Já contou para ele?
-Não, e nem vou!
-Por que, s/n? Ele merece saber.
-E-Eu ainda estou confusa Jin, isso é novo para mim também,  mas sei que um bebê e eu não nos encaixamos na vida dele. Peço apenas que não conte a ele, até eu decidir o que fazer.
-Não concordo com isso, mas respeitarei sua decisão. Só espero que não queira me excluir da vida do meu sobrinho e da sua gravidez também. -disse me olhando de cara feia.
Fiquei comovida por ele querer me ajudar.
-Se você quiser, será bem vindo, Jin. E obrigada por tudo, você é o melhor!
Ele sorriu e se inclinou para me abraçar.
-Obrigada querida, agora vamos sair e comprar algo para você comer que não te faça morrer de vomitar.
Ri e me levantei para trocar de roupa e sairmos e percebi que por mais  incrivel que pareça, eu me sentia melhor.


Notas Finais


Espero que tenham gostado, até o próximo.
Beijocas ~^O^~


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...