História Back 2 u - Capítulo 21


Escrita por: ~

Postado
Categorias Neo Culture Technology (NCT)
Personagens Haechan, Hansol, Jaehyun, Johnny, Kun, Mark, Taeyong, Ten, Winwin, Yuta
Tags Jaeyong, Johnten, Jungwoo, Kaisoo, Kun, Kunsol, Lucas, Markchan, Markhyuck, Nct, Sehun, Sekai, Suho, Taeten, Taeyong, Ten, Yuta, Yuwin
Visualizações 182
Palavras 4.710
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Escolar, Fluffy, Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Yaoi
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Eu amo essa fota aaa
Tenho uma fic de Exo maravilhosa pra recomendar pra vcs
Link lá embaixo
Boa leitura♥️

Capítulo 21 - Xing ling


Fanfic / Fanfiction Back 2 u - Capítulo 21 - Xing ling

Youngho olhou para Ten e percebeu que este se segurava para não rir da situação, assim como ele mesmo.

Ambos se levantaram devagar e sentaram-se no sofá um ao lado do outro.

Sehun e Kai logo também se sentaram no outro móvel logo a frente dos dois e ficaram encarando um ao outro por alguns segundos, cochichando até que Jongin finalmente cortou o silêncio.

- Vocês tão namorando?

- O que? - Ten fez uma expressão um tanto surpresa.

- Claro que não! - Youngho exclamou com convicção.

- Vocês tavam se beijando como dois vampiros sedentos e não estão namorando? - Sehun perguntou sério.

- Isso - Ten respondeu como se fosse óbvio.

- Desde quando? - Kai perguntou.

- Ontem - Yougnho olhou de soslaio para Ten que tentava fazer contato visual para que não contasse além do que deveria, porém​ o outro não percebeu - Mas não é nada sério, não precisa disso tudo sabe, é só uns beijos, um pouco de estudo, sexo casual e...

- Sexo?! - Kai exclamou surpreso - VOCÊS TRANSARAM?!

Ten espalmou a mão sobre a coxa de Youngho, olhando enraivecido em seus olhos enquanto seu rosto se contorcia de dor.

- O que foi? - perguntou massageando a perna - Eu só falei a verdade...

- Agora tudo faz sentindo - Jongin refletiu, lembrando-se do comportamento anterior de Ten.

- O que fazemos agora? - Sehun perguntou no ouvido de Kai.

- Não sei - o outro cochichou de volta - Pensa em como seus pais reagiriam.

- Acho que não é uma boa ideia - falou por fim ao lembrar de como seus pais eram bolsomitos, mesmo que fossem pessoas legais - Vamos só orientar eles né, como bons irmãos que somos.

- Você é seme ou uke? - perguntou a Johnny baixinho.

- Jongin! - Sehun exclamou, batendo em seu ombro - Não são essas coisas que devemos perguntar.

- O que é então?

- Bem - Sehun começou com seriedade, como se soubesse exatamente o que estava falando - Vocês pelo menos usaram camisinha?

Johnny e Ten trocaram um olhar cúmplice e tentaram segurar o riso o quanto puderam, era tudo uma grande diversão para os dois.

- Eu não te criei pra esquecer de coisas tão básicas, Chittaphon! - Sehun exclamou severamente.

- Digo o mesmo, Youngho! - Jongin imitou o tom do outro.

- Você não me vê nem no meu aniversário, Kai - Yougnho riu, afinal não se importava muito com aquilo, ou pelo menos tentava não se importar - Até parece que se preocupa.

- A partir de agora vocês só vão estudar se estivermos em casa - falou Sehun tentando parecer autoritário.

- E nada de ir pro seu apartamento - Kai falou apontando para Youngho - Eu sei que você fica sozinho quase o dia todo.

- Vamos ter que achar outro lugar, hyung - Ten sussurrou no ouvido do outro que riu, sentindo a pele se arrepiar.

- O que vocês tão cochichando aí? - Sehun se inclinou para frente ao perguntar.

- Nada - Ten se afastou de Youngho, recostando-se para trás no sofá confortavelmente.

- Então - Kai tentou pensar em qualquer coisa que​ seus pais falariam - Se vocês precisarem de qualquer, sei lá, ajuda... Nesse assunto... Podem falar com a gente, né Sehun?

- É... - o outro concordou com a cabeça - Se precisarem de umas dicas também, sabe, eu e Kai constumamos fazer um negócio que você pega o...

- Acho que eles não querem saber, amor - Kai riu de nervoso e tapou a boca do outro.

- Já conversamos, então? - Youngho se levantou apressado - Preciso ir pra casa.

- Quer que eu o leve de novo? - Ten também se pôs de pé, se dirigindo a Kai enquanto o outro juntava os materiais.

- Acho que ele conseguir ir sozinho dessa vez, Ten.

O tailandês deu de ombros e foi até a porta, abrindo-a para que Johnny saísse.

O mais alto parou por um momento e o fitou, vendo de soslaio que Sehun e Kai observavam os dois mesmo que tentassem disfarçar.

- Até amanhã, então - falou depois de alguns segundos, ainda parado.

- Tchau - o mais novo falou e o outro seguiu para sair, porém teve seu braço segurado - Hyung.

Ten sorriu de canto e beijou rapidamente seus lábios, logo voltando a soltar o braço de Johnny, este que sorriu satisfeito antes de ir embora.  

        •°•°•°•°•°•°•°•°•°°•°•°•°•°•

Já era quase hora de dormir e Mark estava deitado em sua cama, lendo um livro para a aula de história enquanto Donghyuck tomava banho. O Lee havia continuado a treinar mesmo após o ensaio, acompanhado do menor, e agora estava finalmente descansando no dormitório depois de já ter tomado seu banho.

Mark levou um susto e derrubou o livro em cima do próprio rosto quando escutou a porta do banheiro bater subitamente. Ouviu a risadinha característica de Haechan enquanto o mesmo se aproximava, usando apenas uma calça de moletom e tendo os cabelos escuros molhados e um tanto mais compridos que o normal.

Mark riu de sua própria desgraça e deixou o livro de lado, observando Haechan se aproximar e sentar na cama ao seu lado.

- Queria que você tivesse tomado banho comigo - falou passando a mão pelos fios e os lançando para trás, longe da visão.

- Não é muito seguro - Mark levou a mão até a lateral do abdômen do outro, acariciando em movimentos circulares com a ponta dos dedos - Podemos gastar muita água.

Donghyuck soltou outra risadinha e suspirou pelo carinho da mão quente de Mark em sua pele.

- Ei, esses são seus pais? - perguntou depois de algum tempo, pegando um porta retrato que estava ao lado da cama do mais velho, em cima do criado mudo.

- São.

Mark sorriu tristemente ao lembrar daquilo. Na verdade agora era estranho como toda a dor que antes sentia, parecesse ser amenizada apenas pela presença de Haechan.

Antes de conhecer aquele lado afeitvo e gentil do outro, Mark vivia sentindo raiva de tudo, chorando por nada e se sentindo sempre triste e solitário. Não iria negar que mesmo conhecendo-o a pouco tempo, já sentia que era essencial em sua vida.

Mark percorreu suas costas com o braço, ainda acariciando a pele e o puxando em sua direção ao rodea-lo completamente. Haechan sorriu e se inclinou, unindo seus lábios aos do outro em um beijo calmo.

O mais alto logo puxou Haechan ainda mais ao seu encontro, fazendo-o ficar abaixo de si, beijando seus lábios cada vez com mais urgência enquanto ele devolvia com gosto, movimentando sua língua com destreza.

O menor inverteu as posições rapidamente, ficando sobre Mark e sentindo todo seu corpo abaixo de si, tanto com as mãos que percorriam seu corpo, tanto quanto os lábios que desvendavam cada pedacinho de sua boca.

- H-hyuck...- Mark chamou, segurando seu peito e afastando seus lábios por um momento, sentindo a respiração acelerada.

- O que foi? - Haechan ficou confuso ao ver seu olhar que parecia um tanto assustado - Aconteceu alguma coisa?

- Eu tô sentindo - Mark sorriu minimamente, levando a mão de Haechan até seu peito que batia acelerado - Você não sente?

- Sinto o que?

- O meu coração, Hyuck - Mark levou a mão até o rosto do outro, acariciando a pele com cuidado - Eu acho que te amo.

Donghyuck ficou imóvel por alguns segundos, ainda suspenso sobre Mark e encarando seus olhos.

Os segundos foram passando e o menor nada conseguia dizer, seu cérebro parecia congelado. Aquelas palavras fortes pareceram travar seus pensamentos por um tempo, como se não conseguisse processa-los. Estava certo que gostava de Mark, afinal adorava sua companhia, o maior era tão bom e amoroso consigo, muito diferente de como era anteriormente. Mas amor era algo muito intenso, algo que poderia mudar tudo, que exigia alguma coisa em troca. Mesmo que parecesse algo inofensivo, Haechan sabia que o amor tem essa falha de parecer algo fácil, sendo que é algo muito mais que complicado.

- Tudo bem, não precisa dizer nada - Mark sorriu de forma contida e puxou o outro para seu lado, abraçando seu corpo com delicadeza - Eu só queria que soubesse o que eu sinto, Hyuck. Ou pelo menos me ajudasse a entender.

Haechan não disse nada novamente, apenas apoiou a cabeça no peito do outro e suspirou pesado, sentindo seu coração bater acelerado conforme aquelas palavras retumbavam em sua mente.

•°•°•°•°•°•no dia seguinte•°•°•°•°•°•°•

Ten e Sicheng estavam a caminho da escola, enquanto o tailandês contava sobre o dia anterior ao outro.

- Parece que vocês vão ter mesmo que achar outro lugar pra essas...safadezas de vocês - Sicheng terminava de comer seu habitual bolinho de chocolate enquanto falava.

- Nosso dormitório parece um bom lugar, Cheng. Confortável...

- Nem pensar! - Sicheng se exaltou e Ten achou engraçada sua expressão raivosa coberta de chocolate cremoso - Nada dessas saliências no meu dormitório.

- Eu tava brincando - Ten abraçou o amigo pela cintura, apoiando a cabeça em seu ombro.

Logo os dois chegaram na escola e foram se sentar nas mesinhas do lado de fora, um de frente para o outro, esperando pela aula que logo começaria.

Sicheng contava a Ten sobre o dia anterior, quando foi falar com Yuta, porém o tailandês tinha que fazer certo esforço para prestar atenção, pois seu olhar percorria o perímetro em volta vez ou outra, procurando por um rosto em especial.

- Ele ainda não chegou, Ten - o chinês sorriu ao notar o olhar do outro que estava em tudo menos em si.

- Ele quem? Não tô esperando ninguém - se fingir de desentendido nunca foi o forte de Ten.

- Yougnho tá diferente hoje - falou Sicheng apontando para um ponto qualquer.

- Onde? - Ten levantou os ombros, olhando ao redor com os olhos espertos, procurando a figura do mais alto em meio a tantas pessoas.

- Não tá esperando ninguém, é? - Sicheng riu - Daqui a pouco você vai estar trazendo café da manhã pra ele.

- Única coisa que eu dou pra ele comer você já sabe o que é e acho que já tá de bom tamanho.

- Eu não ouvi isso - Sicheng revirou os olhos e Ten riu.

- Ei - Ten chamou com um sorriso safado no rosto - E aí, conseguiu ver a bunda do Yuta? Ou sei lá, pegar nela pelo menos...

- Ten! - o rosto pálido do chinês logo se tornou avermelhado, causando uma gargalhada da parte de Ten.

- O que? Eu só estou curioso. Próxima vez que vocês estiverem sozinhos, você pega e me conta, tá?

- Eu vou te ignorar, Chittaphon, vou fingir que você não existe - Sicheng desviou o olhar do outro que sorria, franzindo as sobrancelhas e sentindo o rosto queimar só de imaginar fazer aquilo.

- Falando nele - Ten disse, vendo o japonês que se aproximava - Algum personagem de anime ganhou vida, ou seria Yuta Nakamoto vindo em nossa direção?

O sorriso de Sicheng aumentou consideravelmente ao ver a figura do outro que se aproximou e sentou ao seu lado.

Yuta sorriu grandiosamente ao encontrar seu olhar com o de Sicheng, ver seu rosto logo pela manhã o deixava de bom humor como nenhuma outra coisa no mundo podia deixar.

Sicheng rodeou sua cintura com o braço e apoiou a cabeça em seu ombro, sentindo o aroma fresco do outro.

- Taeyong mandou dizer que quer falar com você - Yuta se pronunciou, tirando Ten de seu momento de observação ao otp.

- Tudo bem, eu deixo vocês em paz - falou rindo ao se levantar - Onde ele tá?

- No estúdio.

- Cheng - Ten chamou antes de sair - Não esquece do que eu falei, uh? Sobre a bunda...

- Se você falar mais uma palavra, eu arranco sua língua com solda cáustica, Chittaphon - Sicheng ameaçou.

O tailandês apenas riu e logo se retirou.

- Que bunda? - Yuta perguntou confuso.

- Não é nada - Sicheng sentiu o rosto queimar novamente ao olhar diretamente para o outro que estava bem perto - E então, nosso passeio ainda está de pé?

- Claro! Tenho até uma surpresa para você.

- O que é? - Sicheng sorriu animado como uma criança.

- É uma surpresa.

Yuta se inclinou e deixou um selar rápido em sua bochecha, fazendo o outro se encolher e olhar em volta ligeiro.

     •°•°•°•°•°•°•°•°•°•°•°•°•°•°•°•°•°•

- Você fica ainda mais lindo assim suado - Jaehyun abraçou Taeyong por trás, sussurrando em seu ouvido.

- Eu digo o mesmo -  ele se virou e rodeou o pescoço do outro, selando seus lábios demoradamente.

Jaehyun correspondeu ao beijo de forma apaixonada, sentindo a pele macia e quente do outro em suas mãos ao passa-las por baixo da camiseta que usava.

- Atrapalho o casal? - ouviu-se uma voz ecoar pelo salão e a porta bater logo em seguida.

Ten sorriu animado ao ver o otp aos beijos e se aproximou, com o sorriso maravilhoso morrendo aos poucos quando uma expressão zangada se formou no rosto de Taeyong.

- Yuta disse que você queria falar comigo - Ten colocou as mãos no bolso do moletom que usava de forma tímida quanto Taeyong cruzou os braços.

- Que história é essa de Johnny participar da competição? - perguntou com a voz séria, encarando o mais novo profundamente.

Jaehyun se aproximou e abraçou o outro, se assegurando de que não atacasse o tailandês, mesmo sabendo que não seria capaz disso.

- Eu já falei, é a nossa melhor chance de ganhar - respondeu com um sorriso nervoso.

- Você não ouviu nada do que eu contei pra você, Ten? Eu não quero nem olhar para ele, quanto mais ensaiar. Pelo menos não enquanto ele não pedir desculpas.

- Ele me disse que quer falar com você... Pra pedir desculpas - Ten mentiu, já pensando em como faria para isso acontecer.

- Só acredito vendo - Taeyong suspirou.

- Eu duvido - Jaehyun se desprendeu de Taeyong, soltando um riso soprado.

- Ten - Taeyong chamou o outro e hesitou por um momento - Você... Você tem certeza que...

- O que foi? - o tailandês o olhou confuso.

- Você não tem nada mesmo com Johnny?

- N-não - Ten sentiu um frio na barriga por estar mentindo para o amigo - Não temos nada, já falei.

- Sabe que pode... Pode me contar se tiver, não tem problema.

- Eu não tenho nada com ele, Taeyong.

- Ok - ele sorriu aliviado - Não esqueça que amanhã depois da aula não vai ter ensaio porque vou jogar, então vocês vão poder sair mais cedo para descansar...

- Descansar? Eu vou assistir você, todos vamos.

- Isso mesmo - Jaehyun sorriu e abraçou o outro pela cintura, deixando um selar em sua bochecha e fazendo Taeyong se derreter todo pelo carinho.

       •°•°•°•°•°•°•°•°•°•°•°•°•°•°•°•

A aula já havia acabado e Sicheng corria pelo corredor a procura de Yuta que havia ido ao banheiro.

Naquele dia eles apresentaram o trabalho de artes e tiraram nota máxima, ao contrário de Johnny e Ten que por causa do mais alto, ficaram quase abaixo da nota. Yougnho havia comprado uma estatueta de no máximo dez centímetros em uma loja qualquer e colocado uma foto de Ten enquanto dormia no lugar do rosto, razão pela qual recebera um pedala Robinho um tanto  quanto forte demais do mesmo.

Sicheng virou o corredor ainda correndo  exasperado e esbarrou em outra pessoa, caindo no chão de joelhos e soltando um grunhido de dor.

O chinês olhou pra cima e viu que se tratava de Yuta, o que fez sua dor logo parecer insignificante, mesmo que ainda presente.

O japonês estendeu a mão e Sicheng a segurou, se içando para cima.

- Temos que parar de fazer isso - Yuta falou e soltou um riso contido, ainda segurando a mão do outro.

- Temos - Sicheng sorriu e logo recolheu sua mão - É... Então, onde vamos?

- Ainda é uma surpresa - Yuta sorriu e puxou o outro pelo braço, seguindo caminho para fora da escola.

Os dois andavam em direção ao centro, conversando animadamente sobre diversos assuntos como bons amiguinhos que eram.

Yuta aproveitou a distração do outro e segurou sua mão, ganhando um olhar surpreso de Sicheng que se segurava para não parecer feliz demais. O japonês sorriu largamente e ambos continuaram o caminho, dessa vez de mãos dadas.

- Você tá ouvindo isso? - perguntou Sicheng, parando de andar por um momento e olhando em volta ao escutar o som de murmúrios sôfregos bem baixinhos e contidos.

- O que? - Yuta perguntou de volta, também observando ao redor, apurando os ouvidos o quanto pôde.

Sicheng soltou sua mão e foi até um dos arbustos ao lado do acostamento, ouvindo o grunhido repetitivo ficar mais alto, parecendo vir dali.

- Parece um cachorro - falou enquanto afastava as folhas, revelando o animalzinho deitado no chão que uivava baixinho.

- É um cachorro - Yuta afirmou, se abaixando assim como Sicheng.

- Ele tá machucado, Yuta - Sicheng se aproximou um pouco mais e viu sua pata que parecia machucada, estando coberta de sangue seco - Coitado.

- E agora, o que fazemos? - o japonês perguntou, já percebendo que o pseudo encontro dos dois iria por água abaixo.

- Temos que levá-lo ao veterinário - Sicheng falou, já tentando pegar o animal cuidadosamente no colo.

•••

Depois de andarem alguns metros, os dois finalmente encontraram uma clínica veterinária. Sicheng levava o animal com cuidado nos braços, sentindo vontade de chorar a cada lamúria do cachorrinho que sofria.

- Em que posso ajudar? - perguntou uma garota jovem quando adentraram o estabelecimento - Yuta!

A garota que antes estava guardando alguns produtos em uma estante, se aproximou com um sorriso no rosto e abraçou Yuta que devolveu o gesto, mesmo que um pouco hesitante em fazê-lo.

- Oi - o japonês cumprimentou e logo se afastou da garota.

- Nós encontramos esse cachorro na rua, parece que ele quebrou a pata - falou Sicheng exasperado, ignorando os dois que se cumprimentavam.

- Posso levar ele para ser tratado, a Sra. Kang está logo ali, porém vocês terão que vir buscá-lo depois, não podemos ficar com animais por aqui.

- Tudo bem, eu dou um jeito - Yuta falou enquanto a garota pegava o cachorrinho das mãos de Sicheng.

- Você sempre dá um jeito em tudo, gato - a menina piscou para Yuta que sorriu em resposta.

Ela virou as costas e levou o cachorro para dentro, voltando em alguns segundos já sem ele.

- A Sra. Kang vai tratar ele, só não esqueçam de vir pegá-lo depois.

- Tudo bem, Soo - Yuta sorriu de forma simpática para ela.

"Soo?"

- Vocês se conhecem? - Sicheng perguntou, mesmo já sabendo a resposta.

Não iria negar que sentiu uma pontadinha de ciúmes quando a menina abraçou Yuta, e agora ainda mais que parecia bem próxima a ele.

- Sou Jisoo, prazer. Perdoe minha falta de educação - a garota cumprimentou - Bom, eu e Yuta namoramos a algum tempo atrás.

- Namoraram? - Sicheng perguntou incrédulo, sentindo a pontada de ciúmes aumentar consideravelmente.

- É você? - Jisoo riu e desviou seu olhar de Sicheng para Yuta que tentou olhar para tudo menos para a garota que sorria insinuativamente.

- Eu o que? - Sicheng perguntou de volta confuso.

- Você é o xing ling - ela riu e logo voltou a falar - Bem...Nós namoramos por um tempo, até eu confessar a Yuta que na verdade gostava de uma garota da minha turma - Jisoo fez uma pausa, sentindo seu rosto esquentar só de lembrar da garota que já devia estar chegando da escola apenas para vê-la - Então Yuta também confessou que gostava de um garoto chinês da mesma turma, e...Tudo ficou bem. Continuamos amigos.

- Chinês? - Sicheng olhou para Yuta que fitava o chão - Ela tá falando de mim?

- E tem mais algum chinês que eu tenha chamado pra sair?

- Espero que não - Sicheng sorriu.

•••

Os dois estavam sentados na grama abaixo de uma árvore, em um parque quase vazio no momento, esperando pelo cachorro que logo estaria livre pelo que Jisoo havia falado.

- Por favor Omma, deixa eu ficar com ele? - Sicheng implorava de joelhos ao telefone, mesmo que sua mãe não pudesse vê-lo.

"Só se você prometer que vai cuidar dele e limpar todo o cocô"

- Eu prometo.

"Então pode".

- Obrigado Omma - Sicheng sorriu feliz - Até depois.

- Ela deixou! - Sicheng exclamou e abraçou​ Yuta que estava sentado ao seu lado, tentando abrir o pacote do algodão doce que havia comprado.

- Que bom! - Yuta sorriu largamente, o que só aumentou quando enfim conseguiu abrir a embalagem - Agora você precisa escolher um nome legal.

- Vou pensar - Sicheng se inclinou e tirou um naco do doce, se deliciando ao sentir o açúcar derreter na língua.

- Parecia que você estava com ciúmes da Jisoo - Yuta comentou depois de algum tempo em silêncio.

- Eu tava mesmo - Sicheng confessou e Yuta riu - Que foi? É normal sentir ciúmes de uma pessoa que você gosta.

- Você gosta de mim? - Yuta encarou Sicheng nos olhos, se aproximando.

- Você já sabe a resposta - Sicheng desviou o rosto, sentindo aquele frio na barriga que era comum quando Yuta estava muito perto.

- Mas eu quero que você diga - o japonês levou a mão até seu rosto e puxou para cima novamente com delicadeza, fazendo com que ficasse extremamente próximo do seu.

- Eu gosto muito de você, Yuta.

O japonês sentiu seu rosto esquentar quando ouviu aquelas palavras, o que só fez aumentar mais quando se inclinou e beijou os lábios de Sicheng como a tanto tempo queria fazer.

Um beijo lento e apaixonada se fez presente, Sicheng sentia o rosto corar enquanto devolvia aquele gesto que não imaginava ser tão bom. Era incrível como o gosto do algodão doce na boca de Yuta ficava ainda melhor enquanto o beijava. 

Depois de tanto tempo apenas observando o japonês que parecia inalcançável, era surreal finalmente estar o beijando, Sicheng sentia cada partícula de seu corpo vibrar de felicidade, cada pedacinho seu correspondia ao outro garoto intensamente. 

O sentimento que se apossou dos dois naquele momento foi algo tão profundo que não buscaram entender, apenas sentiram um ao outro até a falta de ar fazer com que se afastassem, mesmo que não completamente.


      •°•°•°•°•°•°•°•°•°•°•°•°•°•°•°•


Assim que Sehun saiu, deixando os dois sozinhos apenas por algumas horas como havia dito, Johnny abandonou seus cadernos quase que instantâneamente.

O combinado de não deixar os dois sozinhos havia ido por água abaixo quando Sehun lembrou de seu ensaio na companhia de dança, então fez os dois prometerem que não fariam nada além de estudar naquele meio tempo.

Os dois não eram muito de promessas, diga-se de passagem.

Youngho se aproximou, beijando o maxilar de Ten e logo descendo até seu pescoço, delineando uma trilha que beijos que fizeram o tailandês suspirar de satisfação.

O menor quase esqueceu o que antes pedia a Johnny quando recebeu aqueles carinhos tão bons do mesmo, porém tentava manter em mente o pensamento de que precisava que este falasse com Taeyong.

Youngho logo chegou em seus lábios e os beijou profundamente, inclinando-se parcialmente sobre Ten e adentrando com a mão por sua camiseta para poder sentir o corpo do outro que tanto admirava.

Johnny desceu as mãos e apertou os dedos em volta da barra da camiseta do outro, puxando-a para cima. Ten não deixou que continuasse e parou seus movimentos, se afastando rapidamente antes que não fosse mais capaz de fazê-lo.

- Nada além disso até você falar com Taeyong - falou firmemente, sentando-se de novo no sofá.

- Aish, Ten, deixa disso - Johnny abraçou o corpo do outro, tentando fazê-lo mudar de ideia com mais beijos - Você não tem o direito de me deixar excitado e depois parar tudo desse jeito.

- Tenho enquanto você não for falar com Taeyong.

- Não faz isso, bebê - Youngho puxou sua orelha levemente com os dentes - Vou ficar zangado com você.

- Foda-se - Ten riu e Youngho levantou uma sobrancelha, vendo aquilo como um desafio.

- Você não acha que deve respeitar seu hyung? - perguntou, novamente percorrendo com sua mão pelo tronco do outro, arranhando levemente sua pele e deixando traços vermelhos que logo sumiram.

- Não dou respeito a quem não merece.

Ten retirou sua mão e se levantou, pronto para ir a qualquer lugar, porém Youngho o segurou pelo braço e o puxou novamente em sua direção, fazendo-o sentar em seu colo.

- Eu preciso de você agora, Ten - falou enquanto levava a mão até o cós de sua calça e descia até o membro que aos poucos acordava, fazendo Ten suspirar pesado.

- Se você for falar com Taeyong... Eu faço o que você quiser, hyung - sua voz falhou quando Youngho apertou a mão com mais força em volta da saliência em sua calça.

- O que eu quiser? - Johnny repetiu e sorriu animado com a ideia.

- Qualquer coisa.

- Ok, eu falo com o Sr. Lee. Algo mais?

- Quero que peça desculpas por ter sido um babaca.

- Peço.

- Ok, agora eu sou todo seu - Ten sorriu quando sentiu os lábios de Youngho voltarem a beijar seu pescoço e sua mão adentrar a calça já aberta.

- Todo meu - Yougnho suspirou em seu ouvido ao sentir Ten rebolar sobre seu quadril - Agora quero minha recompensa.

- Você promete mesmo que vai falar com ele? - o tailandês virou-se de frente para o outro, ainda em seu colo.

- Prometo, Ten.

- Pode pedir o que quiser então - Ten sorriu angelicamente e rodeou o pescoço de Youngho, deixando um selar em seu pescoço e logo se afastando para olhá-lo.

- Tira a roupa e fica de quatro.

- O que?

- Quer mesmo que eu repita? - Youngho riu e subiu a blusa de Ten para que a tirasse - Eu te ajudo.

Ten logo se livrou da camiseta, sentindo o corpo queimar só de imaginar o que Johnny faria. Tirou todo o restante de sua roupa assim como a de Youngho, este que logo o mandou  ficar de quatro em cima do sofá estofado, sem vergonha alguma na cara.

O mais velho se colocou atrás do outro, lambendo os lábios ao ver o corpo tão belo de Ten daquela forma.

Youngho se aproximou e abraçou seu corpo por trás, beijando a pele exposta enquanto masturbava lentamente o membro do outro que já ficava ereto. Ten arfou em meio a uma risada, sentindo grande prazer ao ter o corpo do outro colado ao seu.

Johnny se afastou novamente, sorrindo ao ouvir um som reclamoso por parte de Ten quando se distanciou. Espalmou as duas mãos sobre as nádegas do tailandês, massageando a carne macia e logo separando-as delicadamente.

Preparou-o com cuidado, tentando se controlar ao ouvir seus gemidos e suspiros sôfregos pela dor.

Ten sentiu a dor lancinante o atingir quando Johnny o invadiu, estocando lentamente​ de início, mas logo aumentando a velocidade quando ambos sentiram necessidade de tal.

Youngho ia rápido, estimulando o membro do menor enquanto se movimentava com vigor.

Ten logo cedeu quando finalmente chegou em seu limite, largando o corpo  e deitando de barriga para baixo, tendo Youngho sobre seu corpo, este que ainda se movimentando lentamente para também enfim se satisfazer.

Johnny suspirou pesadamente, ainda sentindo seu coração bater descontrolado e aos poucos se acalmando assim como sua respiração.

- Johnny, será que dá pra sair de cima de mim? - Ten perguntou com a voz abafada devido a almofada na qual apoiava a cabeça - Temos que limpar toda essa bagunça.

- Mas já? - perguntou enquanto brincava com os fios do cabelo de Ten - Estou bem confortável aqui.

- Mas eu não - Ten fez força contra o outro e Youngho logo saiu de cima de si, deitando ao seu lado quando o outro se virou.

O tailandês abraçou o outro e descansou a cabeça em seu peito, esperando o cansaço passar para finalmente tomarem banho e limparem aquela bagunça toda.

Não seria uma surpresa dizer que os dois caíram no sono por alguns minutos e só acordaram em um pulo quando ouviram a porta bater.

Ten nunca sentiu seu coração bater tão rápido quanto ao imaginar Sehun entrando por aquela porta e vendo os dois naquela situação, porém a sorte estava a seu favor e quando foi ver era apenas uma das moradoras do prédio que desistiu de bater em sua terceira tentativa e logo foi embora.

- Já pro banho, bebê - Ten falou para Johnny depois de ver a porta.

O mais alto apenas riu enquanto se encaminhava para o outro cômodo.

Ten mordeu os lábios ao ver o corpo nu e esbelto do outro se mover em direção ao banheiro, este que não deixou de lhe lançar um beijo logo atrás de uma piscadela antes de seguir caminho.

"Se eu soubesse que ele era assim, teria pegado muito antes"

Para o azar de Ten, mão era só a beleza do outro que o fazia sentir-se atraído. Mas isso é outro capítulo.


Notas Finais


(Tô amando muito essa fic gente, leiamm)
https://spiritfanfics.com/historia/venom-9311674

Capítulos grandes vcs disseram
Então gnt, o que estão achando??
Enquete rápida:
Minha crush me mandou dois coração e uma carinha sorridente no wpp, será q ela me ama?
Jdjjdjfcj
Era para ter postado ontem, mas eu me atraso pra tudo....
Queria postar a tarde, mas n vai rolar tmb, to mt ansiosa hj
O MV do monsta x scrr vão ver aaaa
Bjss galeraaa


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...