História Back for you - Capítulo 23


Escrita por: ~

Postado
Categorias One Direction
Tags Love1d
Visualizações 41
Palavras 4.639
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Aventura, Colegial, Comédia, Festa, Romance e Novela

Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Olá meus Cupcakes!! Finalmente consegui atualizar, depois de refazer várias vezes esse capítulo. Aqui está ele com novidades e para quem está na torcida pela a Bela e o Zayn, acho que irão gostar do quem vem por aí.
Antes de mais nada eu quero agradecer o pessoal que acompanha a história, muito obrigada mesmo!

Uma boa leitura <3
Xx Ju

Capítulo 23 - Tarefas


Fanfic / Fanfiction Back for you - Capítulo 23 - Tarefas

Pov Mariana:

O prazo de duas semanas havia expirado como a Senhora Jackson nos informou hoje começaremos a fazer tudo o que foi pedido por ela. Passeia a noite inteira revirando pela cama na espera de o sono chegar, isso não aconteceu e só vim adormecer perto de o despertador alarmar.

Ansiedade ou outra coisa não é, devo parar de querer ficar trocando uma noite de descanso por passar altas horas mexendo em meu celular. Saí da cama antes do que o normal, isto ninguém espera de mim e muito menos eu, porém acordei emburrada como o de sempre. Procurei me ajeitar o quanto antes deixando um tempo para eu me alimentar sem pressa.

Prometi conter a minha boca para um palavra se quer sair a respeito de Lari e do dono dos olhos esverdeados, mas aí tem a Bia e quando começamos a falar tudo se torna mais complicado. Falando em Larissa, já imaginou essa menina desde o domingo passado? Vamos dizer que a sua alegria e animação rendeu pela a semana toda, para completar estava contando os dias para hoje. Assim me preparo melhor para as tarefas depois da aula, com ótimas companhias, a chata da Bia e mais o amor da Larissa.

Desconectei meu celular do carregador e peguei para ficar na internet, em seguida o meu lindo café magnifico chegou que agora em diante não terremos essa mordomia de receber na porta, infelizmente.

Essas duas últimas semanas foram incríveis, veio em mente ao dá uma mordida no meu sanduíche recheado. Primeiramente, eu recebi agradáveis elogios do professor o mesmo que deu aquele trabalho sobre o passei e me rendeu bons pontos, garanto que não tive ajuda das meninas nem ao menos do próprio celular. Sério mesmo. Também recebi outros pelos o que foram passados durante a aula. Em segundo, a cada dia eu e a meninas estamos fazendo um vínculo com os cincos caras diferentes, sem frescura e até bons de papo no momento que precisamos.

Dia desses um deles estavam dando conselho para nós.

Nada de tão exuberante ocorreu depois de termos ido á diretoria que deu o que falar para os nossos professores, a não ser o caso de um dos irmãos Collins ter escalado a Universidade para chegar ao quarto de uma menina.

Aconteceu de um barulho parecido com uma explosão acordou todos os alunos pela a madrugada, o corredor ficou cheio e muitos de nós estávamos assustados. Um funcionário viu o que poderia ser e nos disse que era nada demais que podíamos voltar a dormir.

Quando todos estavam prestes a trancar as suas portas e voltar a suas camas, Zac Collins saiu do quarto da tal menina somente de samba canção aos beijos contanto que as vigias da Universidade também se levantaram. Com os borbulho das pessoas e fofocas, parece que os dois saíram do corredor para a direção levando suspensão de uma semana.

 

Pov Rebeca:

O nosso segundo tempo estava prestes acabar, mas fomos liberados bem mais cedo do que a turma para cumprimos a ordem dada. Saímos em grupo ao mesmo tempo achando que a porta é grande demais para pode ser atravessada por onze pessoas.

 

-- Boa sorte galera! - disse Harry assim que deixamos a sala.

 

-- A vocês também...- disse a ele onde Mari e Bia estava próxima.

 

-- Se sairemos bem, é eu acho!- disse Bia.

 

-- Terão a melhor inauguração de refeitório já vista em todo planeta! – anunciou Niall.

 

-- O Irlandês aqui tem toda razão!- disse Louis batendo o punho fechado à mão do Niall que fez o mesmo.

 

-- Preparem comidas deliciosas, se eu estou com fome agora imagine depois.- disse Mari.

 

-- Chega de moleza e vamos trabalhar!- disse Ju puxando os dois e eu para caminharmos.

 

-- Isso aí Vó põe ordem...- disse Bela caminhando com Zayn para o lado oposto de todos.

 

-- Harry como é o homem...Claro que tem que ser assim... Tá bom...- conversava Bia com os outros atrás de nós indo a caminho da rampa de acesso ao primeiro piso.

 

-- Ahh detençãooooooo!- berrou Larissa fazendo todos pararem de andar e virar para olhar aquela cena.

 

-- Larissa!- eu e as meninas repreendemos. Impossível não querer rir.

 

-- Desculpe...- disse ela fitando a parede pelo o fato de os meninos estarem a olhar também.

 

Cada um se direcionou para aonde deveria em grupos ou duplas, no meu caso deveria ter tomado um bom calmante para enfrentar isto, sabendo que faremos comida para a Universidade inteira e temos a probabilidade de se acontecer alguma coisa errada a culpa é extremamente nossa.

Logo que encontramos a entrada da cozinha adentramos em silêncio para ouvir se tinha alguém por lá, não demoramos em avistar duas mulheres que em seguida nos explicou de tudo um pouco o que iremos por em prática.

-- Nosso prato de inauguração será comida caseira ou hambúrguer acompanhado por fritas. As sobremesas estão prontas, só devem cortar os legumes, preparar a carne para o sanduíche e fritar as batatas. -disse a cozinheira despejando tudo em nossas mãos, claro quem não faz isto por ter um tempo livre em vez de mexer em panelas ou ter que passar pelo o calor de um fogão.

 

-- E as sobremesas?- perguntou o Louis com uma cara que não gravou nada.

 

-- Como eu disse elas estão prontas e postas nas geladeiras, quando acabarem tudo retirem as de lá para colocar sobre o balcão assim os alunos se sirvam como queiram.- explicou.

 

-- Criançada a cozinha é dos quatro a partir de agora, bom serviço!- disse a outra funcionária que estava arrumando algo no fundo que nem tinha percebido a sua presença.

 

Depois de dizer tudo deixaram a cozinha rapidamente. Contando que Louis e Niall estão na mesma tarefa que a minha, aguardo eu de que os dois nem cogite em querer colocar a cozinha de cabeça para baixo. Como a nossa realista Mariana sempre me diz que costumo fazer uma tempestade no copo d´água, a melhor estratégia é respirar.

Dividimos sem deixar ninguém com o peso maior, eu e Ju preferimos ficar com a salada sabe é melhor se evitar qualquer cena sanguinária dentro de uma cozinha e os meninos se escolheram preparar o outro prato.

 

-- Que comece a detenção!- disse Ju colocando o avental e touca. Ela consegue passar a manhã inteira enfrentando o sono, mas nem adianta, logo que somos liberados para o almoço o cansaço aparece.

 

-- Vamos lá pessoal, estamos na detenção, HUHU!!- disse tornando o meu tom de voz mais animado.

 

-- Rebeca, SHIUUU!!- disse Ju. - Tá com a crise da Larissa?- falou esticando os braços na forma de se despreguiçar.

 

-- Estou...- disse a fazendo rir e mandei língua para ela.

 

Pov Bia:

Ao caminho fomos conversando, ao entrar na biblioteca se tocamos que deveríamos ficar quietos naquele gigante lugar. Olhe eu posso até estar aumentando as coisas, mas não é bem assim, essa biblioteca é mesmo gigante. As paredes de tons amarelados reforçava a aparência das prateleiras amadeiradas repletas de tantos exemplares.

Percorremos o único corredor largo perto da principal porta até ao grande balcão, somente nove alunos liam silenciosamente e fazia anotações necessárias em seus cadernos, os outros vagavam pela as fileiras estreitas das prateleiras em busca do que procuravam.

Descobrimos que algumas pessoas, só pelo dia de hoje, já ficaram três horas por aqui. Aí eu me pergunto quem tem a coragem para passar esse tempo enfornado em uma sala?! Eu até gosto de ler, porém nem ao menos consigo tirar uma hora vaga a se fazer isto. Eu levo mais pelo o fato de eu sempre querer conversar, está em contato com os outros e uma pessoa impaciente para esse tipo de lazer.

Sob a madeira maciça daquele balcão poucos objetos decorativos se encontravam ali, uma porta canetas em forma de três livros fechados unidos estava mais ao canto, um bloco de anotações aonde Mariana achou os dados dos alunos. Já ao lado oposto da mesa se tinha o computador razoável que matutamos em saber para o que servia e a parede vazada por um círculo nos dava a oportunidade de observar quem andava pelo o fundo.

A pilha de livros para se guardar estava a nossa frente, portanto me prontifiquei à pega-los a minha querida amiga de juba ruiva se tocou em me ajudar. Dividi em duas quantidades equivalentes e deixamos o Harry para trás se apossando da cadeira giratória. Por nossa sorte havia um adesivo branco com uma caligrafia indicando o seu tema e assunto facilitando encontrar as suas prateleiras.

Pov Larissa:

Todas estão me achando louca por eu simplesmente estar alegre com uma simples detenção, elas sabe o motivo. As escolas Brasileiras não adotam esse método, sempre achei algo divertido a se fazer e não que eu esteja me referindo ao os filmes ou até mesmo aquelas detenções que se passam em salas de aula. Mesmo sendo um pouco chato eu estou gostando assim podemos até conhecer mais o pessoal daqui.

Minha tarefa nada mais era do que deixar o refeitório ao brilho para o horário de almoço ser um sucesso, ao me relembrar que só será por três dias seguidos me bate um alívio. Ainda bem que são a tarefas a serem cumpridas coletivamente, pois sinceramente eu sozinha não daria conta do recado e cansaria na quarta mesa.

A tal reforma por aqui reforçava as principais cores da Universidade, mesas e cadeiras novas foram postas espalhadas dando mais espaço para se andar já a bancada de por alimentos de longe se via ser nova e o que restava mesmo era a limpeza feita por nós dois. Pegamos os borrifadores, os panos e produto químico no almoxarifado do corredor mais próximo.

Não enrolamos para começar. Com o passar em cada mesa cantava trechos de músicas que se passava em minha mente, é as meninas tem razão estou empolgada. Nesses anos de amizade com as meninas nunca chegamos ao ponto de ir à direção e quem dirá uma detenção. Tudo muda quando você tem Louis de amigo.

[...]

Puxei a cadeira ao ver que restavam mais mesas. Liam também me acompanhou e vez o mesmo e se sentando a minha frente.

 

-- O que foi? Cansou?- perguntou.

 

-- A merda da minha unha quebrou! ARRGGH!- rugi.

 

-- Vocês meninas se preocupam por causa de uma unha sabendo que depois ela cresce!- disse Liam falando toda a verdade- Quer que eu termine a sua parte?

 

-- Nãoooooo.- respondi de imediato. -Valeu. Não precisa. Eu só estou tirando um tempo para pegar energia e voltar...- falei nos deixando sem assunto.

 

-- Como você conheceu as meninas?- perguntou curioso.

 

-- Ah foi normal... Sentamos juntas aos oito anos com o passar dos dias, conversamos, conhecemos cada uma e descobrimos ter diversas coisas em comum. Sempre damos de brigar e é claro que temos os momentos de implicâncias, mas acaba sendo nada como discussão de irmãos. A amizade foi ficando mais sólida até os dias de hoje. Eu amo conviver com essas sete chatas. – expliquei.

 

-- Qualquer pessoa que vê é impossível não ver a verdade entre todas.- disse Liam, enquanto limpava a sujeira encontrada. Para mim tanto faz só é pra disfarçar e deixar o cheiro eucalipto, pois daqui minutos seguintes voltará como antes. - Como assim sete chatas? Vocês são seis.- pensou.

 

-- Oh professor Payne, aqui somos seis, mas temos uma amiga que mora aqui que estudou também conosco. Alias somos nove contando Julia e Luiza. - falei com a numeração correta.- Peço para não dizer que as amo!- completei.

 

-- Por quê?- perguntou Liam juntando as sobrancelhas.

 

-- Se não uma pode rolar crise de ciúme e me fazer àquela pergunta “Quem você ama mais Larissa?” Sabe é melhor se prevenir.- brinquei rindo e ele também.- E quanto a você sobre as amizades da sua vida?

 

-- Em geral eu estou conhecendo os meninos a partir do primeiro dia de aula em diante já a vida são os meus vizinhos mesmo. - disse Liam com um olhar cabisbaixo.- Na escola vinha alguns puxar assunto, depois do nosso recreio me dispensavam nem ao menos se lembrar pelo o resto do ano letivo de mim.

Nem soube o que falar.

-- Aí agora bateu um cansaço!- disse cruzando os meus braços e abaixando a cabeça. - Não sou a velha da Ju, isso eu estou ciente...- me refiz na gargalhada de Liam.

 

-- Por que chama a Ju de velha?- fez outra pergunta.

 

-- Chamamos assim de um modo carinhoso e também quando ela cisma em dizer gírias que nem pensamos em existir, reclama de dores nas costas feito uma senhora de idade, pelos os puxões de orelhas literalmente. Ela põe a gente a repensar.- disse toda a verdade.

 

-- Entendi. Ela é uma garota aonde queremos tê-la como...- parou se espantando no que iria dizer.- Ahh como amiga!- prosseguiu mudando de assunto.- O pessoal se espantaria encontrar Larissa em total animação reclamando de cansaço.

 

-- É mesmo...- resmunguei. Suspirei tomando forças a me levantar.

 

-- Que tal fazermos uma aposta?-Liam deu a ideia, me espantei.

 

-- Fazendo aposta?- agora eu que estava com as sobrancelhas juntas.

 

-- É o seguinte, no caso de você ganhar pode escolher algo que queira para mim, já se for eu terá que fazer um pedido de passeio ao Harry.- disse me fazendo arregalar os olhos.- Tudo bem?- disse quase rindo.

 

-- Tudo...- menti. Claro que eu não passava bem, tantas opções a serem escolhidas e logo esta vem na mente dele.- Prepare-se Payne, pensarei em algo brilhante.- disse brincando em um tom desafiador ao apoiar meus braços esticados na cadeira.

 

-- Fique com o lado direito e eu com o esquerdo. Ganha quem terminar o seu lado primeiro!- explicou.

 

 

-- Vamos ver...- disse no mesmo tom estreitando os olhos e eu fiz o mesmo.

Apertamos as nossas mãos. Liam Payne deve está imaginando a sua vitória esplêndida, porém eu terminarei tudo como uma máquina. Ele acha que despercebi o seu olhar direcionado a cada cinco minutos para a pequena vidraça da cozinha? Anda muito enganado.

Pov Harry:

O som bem barulhento rondou aos meus ouvidos para eu dar um salto da cadeira giratória. Acabei pegando no cochilo sem notar, porque depois de meia hora perdida tentando descobrir a função do computador cansei. O lugar é bastante tedioso para deixar alguém pegar no sono. Faltou pouco para eu ir de encontro ao chão com o meu desespero, caminhei até encontra-las deitadas sobre o mar de livros.  

No mesmo instante pensei em ajudar a se levantarem, a cara da Bia nada boa e Mariana sem se importar gargalhava escancaradamente, impossível não rir.

 

-- O que aconteceu?- perguntei prendendo o riso.

 

-- Ah... Eu espirrei e a anta também. Em vez de ela segurar a merda da cadeira preferiu tirar a mão para segurar o espirro, me desequilibrei e vim a cair!- disse Bia com um tom manhoso pondo uma das mãos na cintura, deve estar sentido dores.- Não adianta fugir, pois quem vai catar todos esses livros será você!

Mariana sentada no chão com a mão na barriga continuou assim, no fim das contas Bia e eu fizemos o mesmo.

 

Pov Juliana:

Picando os legumes da bacia já lavados, ao meio de mil pensamentos lembrei-me da ida até a pizzaria em comemoração ao que arranjamos na direção. Os meninos escolheram um bom lugar que nos rendeu bastante conversa e podermos fazer aquela noite se tornar agradável.

 

Flashback On

Deixamos os nossos quartos por volta das 20:30 da noite que dificultou a nossa saída da Universidade, o porteiro nos disse que não era um horário para jovens ficarem andando na rua podendo acontecer assaltos, roubos e violência, mas tudo muda quando se tem uma desculpa esfarrapada mesmo sabendo que pode falhar. Ao por os pés na calçada larga o frio se tornava maior o único jeito de afastar a sensação de bater os queixos era a conversa enquanto caminhávamos animados. Quem diria que eu estaria saindo com grupo de meninos, quase um mês por aqui estávamos fazendo o mesmo programa de antes quando se reunimos em uma mesa para almoçar e trocarmos os nossos nomes.

Niall o melhor cara para se escolher um bom lugar aonde tem comida andava na frente, pois sabia a localização do restaurante e nós seguíamos em alto astral. Passamos por ruelas e até alcançarmos a calçada de lojinhas enfeitadas a fim de chamar atenção dos consumidores a entrar.  O Irlandês parou em seguida a tal pizzaria de tijolos alaranjados a mostra como sua fachada e um grande letreiro piscando anunciava o nome do comércio.

O sino balançou de encontro à porta assim que adentramos, preferimos pegar uma mesa mais no fundo.

 

-- Aí meu Deus!- disse eu assim que senti o cheiro provavelmente vindo do lugar de preparo das massas.- PIZZA!! Que cheiro delicioso...

 

-- Vamos se sentar e pedir logo.- disse Louis.- Estou com fome!-falou do seu jeito engraçado tirando o moletom.

 

-- Hey vamos se sentar ali.- disse Liam apontando uma mesa.

 

Caminhamos até aonde Liam nos amostrou, não demorou pra um garçom nos perguntar o que queríamos, foi uma confusão em saber o que pedir por sermos muitos e querer sabores diferentes. Graças ao restaurante que tinha rodízio chegamos à conclusão que agradou os dozes.

 

-- Antes nós apresentamos uns aos outros e escutamos as piadas mais ou menos do Louis.- disse Harry relembrando o almoço no Nando´s, todos riram.

 

-- Hahahaha! Falou o piadista.- disse Louis.

 

-- Falou o bundudo.- retrucou Harry gargalhando.

 

-- Lou se quiser dividir a metade comigo estou aceitando...- disse Mari.

 

-- As mulheres do Brasil inteiro teria inveja da sua bunda!- disse Bela, enquanto os meninos riam.

 

-- O.k.!- disse Louis.- Sou tão bom em tudo e consigo me sair bem com os meus glúteos.- fez nós rimos mais e mais.

 

-- Nada para se beber?- disse Zayn limpando as lágrimas por rir tanto. - Vamos pedir.

 

-- Vamos pedir em exceção Larissa fica sem...- disse Mari.

 

-- É melhor mesmo, pois na última vez bebendo com vocês...- disse Bia.

 

-- O que?!- os meninos disseram junto voltando sua atenção em Isabela.

 

-- Nadaaaaaa!- disse Larissa com o olhar estreitado para as duas.

 

-- Aí tem coisa, pode acreditar!- disse Niall falando diferente.

 

-- Cara isso é sotaque do seu país?- perguntou Zayn atônito.

 

-- Ahh mais ou menos.- respondeu Niall com as bochechas coradas por todos estarem o olhando.

 

-- Uauuu!- disse Louis.- Fale outra frase com o sotaque...- pediu.

 

-- Não precisa.- disse ele fitando o menu de bebidas.

 

-- Vamos lá!- disse Liam.

 

-- Vai Niall!!- Beca se animou botando pilha.

 

-- Hum...- balbuciou e pigarrou.- Posso estar aqui para comer um a pizza qualquer, mas o que levo em conta é a companhia dessas belas moças e desses camaradas.- disse Niall em sotaque Irlandês ao Zayn.

 

-- Ownnnn!- disse eu e as meninas.

 

-- Ohhh não!!- disse Liam.- Niall você é um garoto e tanto, mas é injusto eu estar jogando o meu charme e sensualidade para conquistar uma dessas meninas lindas, e nem receber um “Owm”. – completou.

 

-- Fique tranquilo te darei algumas aulas.- disse Niall ajeitando os cabelos como um astro do Universo feminino a Liam.

 

-- Olhem meninas ele está querendo conquistar uma de nós, fiquemos atentas!- disse Bela.

 

-- Liam não era essa a deixa de Harry!- disse Larissa.

 

-- Eu simplesmente ponho em prática.- disse Harry a ela.

 

-- Viraram Bia e Louis agora? Só falta saírem na tapa para ficar idênticos.- disse Mari.

-- Nãooo!- disse Bia e Louis ao mesmo tempo.

 

-- Vamos para as bebidas?!- disse Bia.

 

-- Niall sabe se tem vinho aqui?- perguntei.

 

-- Você bebe vinho?- perguntou Harry surpreso.

 

-- Gosto.- respondi.

 

-- Meu Deus ela bebe vinho!- disse Louis.

 

-- Calma. É bom para a saúde!- disse a Louis.

 

-- Então tem um motivo...- disse ele.

 

-- Chatoooo!- disse o abraçando de lado.- É faz bem a saúde, eu gosto e é bom.

 

-- Bebida favorita?- perguntou Liam.

 

-- Sim.- respondi ganhando um sorriso dele.

 

-- Ela adora vinho!- disse Larissa aos dois que estava de braço a mesa.

 

A noite foi assim com um rodízio repleto de pizza de sabores deliciosos, bebi uma única taça de vinho sem exageros, ótimas conversas e piadas internas de nós que nos fazia rir uma atrás da outra. Voltamos para a Universidade logo, chegamos por volta das 23:25 faltando pouco para a meia-noite.

 

Flasback Off

Que pena que diversão dura pouco. Mas sim algo memorável. A noite na pizzaria parecia que se conhecíamos a décadas! Sem mais e menos o Louis apareceu na cozinha com aquelas toucas de chef e com talheres na mão fazendo uma dancinha.

 

-- Chegou o melhor chef de todos os tempos, com vocês Chef. Tommo Tommo!!!- disse Louis engraçado.

 

-- Então Chef Tommo Tommo, o que faz aqui?- disse entrando na brincadeira me virando a ele e pondo um dos braços na cintura.

 

-- Nossa esse hambúrguer ninguém vai querer comer. Só é pão e carne!!- disse Niall que se apoiou no balcão e começou a olhar para o hambúrguer com o olhar de bebê tristinho. Ele tinha razão, alguma coisa deveria ser acrescentada ali.

 

-- Calma meu caro amigo, temos uma solução para você!- disse Louis se aproximando de Niall e, eu e Rebeca os olhando.

 

-- Bom podemos acrescentar um molho!- Niall pensou como se uma lâmpada estivesse em cima da sua cabeça.

 

-- Boa ideia! Também poderíamos colocar uma fina camada de queijo derretido no hambúrguer!- disse Beca.

 

-- Claro!!- eu disse- Um molho também cairia bem, porém aonde vamos arrumar isso tudo?- lembrei aos três.

 

-- Deixa comigo!!- Louis se enfiou na dispensa da cozinha voltando com potes cheios nas duas mãos. – Auxiliares, andem! Me ajudem!

 

Misturamos tudo e Louis também deu a ideia de colocar uns pedacinhos de legumes dentro do tal molho. Acho que as duas cozinheiras que nos deu as ordens em detalhes não vão gostar muito desse nosso acréscimo. Os dois se posicionaram em um canto do balcão de mármore a fazer o que pensaram para os sanduíches.

Espero que isso fique bom e delicioso, se não hoje ninguém almoça por aqui.

 

-- NIALL!!- disse Beca vigiando o menino de cabelos loiros. Acompanhei o seu olhar e Louis o mesmo encontramos Niall comendo descaradamente as fritas, ele se espantou com um sorriso amarelado no rosto.

 

-- São batatas!! Não resisti!!- explicou ele com a boca farta e com o semblante travesso. Louis ao seu lado deu tapa na bunda do mesmo, com um talher.

 

-- Só podia ser o Irlandês!!- disse Louis.

 

-- Concordamos... - falou Rebeca e Niall nos respondeu mandando língua a nós.

 

-- Experimente!- disse Louis o entregando um hambúrguer pronto a ele. - Você é a nossa cobaia Irlandesa...- explicou.

 

Niall fez o que o Louis pediu. Deu duas mordidas no hambúrguer e nos olhou atenciosamente, em seguida balançou a cabeça positivamente dando um risinho de canto.

 

-- Está uma delícia!!- disse Niall abrindo um sorriso maior. - Que tal mais uma camada de queijo, carne e mais molho.

 

Louis festejou em vitória. Poucos detalhes a serem resolvidos e poucos minutos para a espera do sinal tocar. Não podemos esquecer as sobremesas! E tomar conta das batatas fritas antes que não existam mais até o horário do almoço.

 

Pov Isabela:

Eu e ele entramos pela a exclusiva porta do pequeno corredor com os baldes, vassouras, os produtos de limpeza e os espanadores. De início eu adoraria passar horas e horas dançando de frente ao espelho dessa sala, também digo a vocês que não vejo as nossas aulas começarem para aproveitar isto com a Maria Clara.

Por lá se encontrava alguns colchoes finos, minis trampolins e vários rádios espalhados pela as paredes brancas, na parede do fundo se tinha letras de músicas gravadas por letras diferentes. Nem é preciso dizer que os meus olhos estão brilhando igual pisca-pisca de Natal!

 

-- Acho melhor começarmos pelo o enorme espelho!!- eu disse saindo dos meus devaneios e imaginações de eu dançando passos difíceis sincronizado com o grupo.

 

-- Começar logo pelo o mais difícil!?- reclamou Zayn.

 

-- Se você não me ajudar vai ser eu que vou reclamar. Senhor topetudo!- disse levantando a ponta de seu topete. Fomos em direção ao espelho grudado na parede fora a fora e misturamos a água com o sabão nos baldes coloridos.

 

-- Tantos rádios espalhados por aqui, porque ficar sem música não é?!- disse Zayn.- Olha aqui tem um CD com ritmos variados, posso colocar?- dizia ele no pequeno espaço de uma mesinha branca com um netbook.

 

-- Pode. Só tem quer ter música boa!- eu disse e ele riu. Os sons começaram a vazar pelas os furinhos das caixas, é inevitável eu não me mexer durante uma música, contando que ela seja dançante é ainda mais inevitável.

 

-- Cuidado para não cair!- disse Zayn olhando atento no que eu fazia.

 

-- O chão nem está escorregadio.- disse.

 

Jogava água com sabão no espelho e espalhava tudo. Ao mesmo tempo em que eu esfregava a esponja dançava sem me preocupar em cair ou algo do tipo.

 

-- Vamos lá me acompanhe!- disse Zayn fazendo uma dancinha com as mãos puxamos mais alguns juntos.

 

O tempo foi passado. A música tocava e os dois idiotas continuavam a dançar, somos nós mesmos, percebi que devia pegar mais água e limpar os panos. Deixei o menino de cabelos negros acabar a pequena sujeira.

 

-- Buu!!- berrou Zayn que estava atrás da porta, me fazendo se assustar.

 

-- Você quer que eu derrame o balde no chão com espuma e que eu caia?- disse a ele. - Já basta a Ju machucada e agora quer me vê do mesmo estado!?- eu disse.

 

Deixei-o falar com as moscas e fui terminar o meu serviço. Estou com tanta fome que não vejo esse tempo acabar logo e sermos liberados. Cantei trechos de algumas partes das músicas que tocava.

 

-- Ficou chateada comigo?- perguntou Zayn depois de eu me virar e parar de cantar.

 

-- Não...- disse olhando para as minhas mãos cheia de sabão.- Só que na próxima vez quando for fazer essas brincadeiras não faça quando eu estiver com um balde de água misturando com sabão nas mãos!- eu disse batendo em seu ombro marcando a minha mão na manga da sua blusa. - Que foi Z ficou mudo? Não estou chateada.

 

De repente passei a escutar as batidas do coração dele mais rápidas parecendo sair da sua boca. Ora ele me olhava ora olhava para os seus tênis. Vamos dizer tímido. Minhas mãos estavam suadas e as pernas trêmulas, sem saber o motivo.

Por um segundo Zayn juntou mais os nossos corpos e entrelaçou seu braço em minha cintura, puxou uma mecha do meu cabelo para trás, algo que está virando mania, seus olhos castanhos agora brilhava de uma forma inexplicável. Meu sistema nervoso já estava aos impulsos, o corpo mole para suportar o balde firmemente.

Ele foi se aproximando, se aproximando e... os nossos lábios se encontraram. Levei um impacto de reação, mas preferi aproveitar e fechar os olhos como Zayn.

As respirações estavam ainda mais rápidas do que antes, não demorou a pedir passagem da sua língua em minha boca, também não recusei. Aí acho que estou preste a ter um troço, parece que nós dois queríamos que esse beijo acontecesse já faz tempo! A merda do ar foi acabando, infelizmente, só com esse beijo ele me provou que é bom.

Tivemos que se separarmos sem deixar de rolar selinhos. Há tanto tempo que não sinto essa sensação calorosa, embora eu estivesse fitando os seus lábios carnudos o sinal tocou vindo do refeitório.

 

-- O sinal do almoço tocou devo ir...- eu disse parecendo uma babaca. Peguei a bolsa e corri em direção da porta.


Notas Finais


O que acharam minha gente? Mando um beijo e abraço apertado a vocês! Mais uma vez obrigada ;D


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...