História Back for you - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias One Direction
Tags Love1d
Visualizações 156
Palavras 2.347
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Aventura, Colegial, Comédia, Festa, Romance e Novela

Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oiii Galera mas um capítulo para vocês!! Esse é o capítulo onde elas vão para aeroporto vocês nem imagina o que vai acontecer, mas nada a dizer então boa leitura e beijos da Ju :D

Capítulo 3 - O grande dia chegou!!


Fanfic / Fanfiction Back for you - Capítulo 3 - O grande dia chegou!!

 

Pov Rebeca

 

Entrei no táxi a caminho do aeroporto. após colocar as malas na parte traseira do carro junto com a minha mãe e os meus irmãos mais as duas no porta mala, o visor do celular indicava 23:00h o meu medo de me atrasar até que serviu, chegarei a tempo e de sobra. Perder o voo é a última coisa que pretendo fazer, nunca, nunca cometeria essa tolice com uma passagem para Londres em jogo.

 

Pelo horário era de se esperar que o trânsito cooperasse conosco, o taxista não teve dificuldades em chegar no Aeroporto e que não demorou muito, pulando para fora do carro ao colocar os pés no chão cinzento da entrada aquela sensação boa se instalava em cada parte do meu corpo, a mesma que eu já esperava faz dias, meses e anos, o primeiro passo de tantos outros já estava dado.

 

Juliana já havia chegado, a mais pontual,  então era de se esperar, por mensagem também estava ciente que Isabela e Larissa chegaram logo depois, quase juntas, peguei aqueles carinhos criados para suportar as malas e com ajuda do dono do táxi pude ter o peso e as mão livres para andar pelo extenso aeroporto até a guinche de embarque. 

 

Através do meu campo de visão pude localiza-las, de longe consegui enxergar as três cabecinhas mais a frente, riam sobre alguma piada da roupa da Isa. 

 

Ao me ver pularam alegres chamando a atenção daqueles que passavam por nós de caras fechadas e outros contagiados com o nosso momento, o olhar das três brilhavam com os belos sorrisos estampados nos rostos. 

 

Pov Juliana

 

 Meu pai pediu para eu me arrumasse cedo pois eu gosto de demorar na maioria das vezes no banho e até mesmo quando a muda de roupa está decidida, a minha roupa não fugia muito do frio do avião e da temperatura que Londres estará quando chegarmos. 

 

Com a chegada de cada uma parece que eu vou parar no hospital de tamanha alegria, o coração não se contém, suspirei, logo em seguida abrindo um largo sorrindo e abraçando Beca que falava palavra atrás de palavra, minutos atrás eu estava nesse automático e a tendência aumentar mais quando o time estiver completo. Falta Bia e Mariana, o que não é de anormal, principalmente a segunda.

 

Estamos na pura adrenalina, só estamos esperando as duas atrasadas para ir comprar as coisas e também para partimos ao nosso destino. Vendo as meninas dar atenção e ajudar Rebeca com as suas coisas, virei o meu rosto para as cadeiras acopladas uma do lado da outra, me agachei chamando o garotinho de braços cruzados no colo da minha mãe. 

 

Ao me ver sorriu como sempre, se desprendendo do melhor colo do mundo que eu já fui desbancada, corria em minha direção na mesma traquinagem do dia a dia. Sentindo os bracinhos curtos prender em meu pescoço o apertei com toda a minha força. Levantei o meu corpo novamente e agora Davi tinha a mesma altura que a minha podendo me ver olho no olho. 

 

-- Juana. - o coração se acalentou em instante, de dois anos pra cá ganhei um nome mas bonito que o meu, ele costuma me chamar desde modo. - Você vai embora e não vai voltar?- perguntou com os olhinhos tristonhos. 

 

Fazendo o aperto só aumentar.

 

-- Meu amor, olha a Juana vai ter que ir, eu prometo que volto para correr, brincar e desenhar com você. - falei quase entrando aos prantos, portanto me segurei o máximo. 

 

-- Eu vou chorar, quero ir co-com você. - da sua forma embolada e fofa de falar me prendia mais a minha atenção.

 

-- Ei eu sempre vou está pertinho de você. - disse apertando o seu narizinho com os meus dedos. - Promete se comportar e cuidar da mamãe.

 

-- Eu Pometo.- falou Davi dando um estalado beijo na minha bochecha e fazendo dedinho para mim.

 

-- Meu rapazinho...- falei em tom orgulhoso e juntando os nossos dedinhos.

 

-- Juanaaaa.- chamou Davi cheio de manha.

 

-- Fala amorzinho...- respondi balançando ele.

 

-- Te amo irmãzinha. - falou alisando os meus cabelos e beijando todo meu rosto.

 

-- Eu também te amo meu leãozinho!- só pude sentir as lágrimas quentes rolarem em meu rosto e os pequenos bracinhos do Davi me apertando em mais um abraço.

 

-- Não chora...- falou fechando os olhinhos.

 

-- Ei eu não estou chorando. - disse limpando os olhos e fazendo cócegas em sua barriga arrancando altas gargalhadas.

 

Coloquei no chão novamente correndo com ele de um lado para o outro, deixando a minha mãe irada com a nossa bagunça para ajudar meu pai também entrou na brincadeira.

 

Pov Isabela

 

Decidi o que vestir para a viagem, não tenho essas frescuras de indecisão e não demoro para isso, acho uma babaquice pra essa demora toda, só se a situação realmente pedir, sei que também não vou para Londres com pijama, mas também nem como uma miss.

 

-- Caramba já está chegandoooooo!! - Rebeca falava animada e aos gritos que me fazia rir. 

 

Abracei Larissa de lado e Ju do outro batendo o meu quadril em uma e na outra, estou tão ansiosa que o meu celular já entrou no bolso da minha calça para a minha mão diversas vezes, sem contar das tantas mensagens que eu já mandei para Dona Mariana e me sentar e se levantar da cadeira. 

 

-- Ahhhhhhhhh!- Larissa se empolgou fazendo eu e as duas de boca aberta, no fim todas riram. ~

 

-- Eu que costumo fazer vocês pagar mico, não é? Olha aí. - disse. 

 

-- Mas hoje não vale estamos mais ansiosas do que o normal. - falou Ju rindo. 

 

Dei língua para as três.

 

-- Ok, se a Bia chegar primeiro eu fico com os chocolates que a gente vai comprar daqui a pouco.- disse. 

 

-- Hahaha nop. - disse Lari. - Eu que fico. 

 

-- Ihhh acho que a Bel ganhou dessa vez, olha lá a Biaaaaaaaa!!!!- terminou Beca ao guincho. 

 

-- Biaaaaaaaaaaaaa!!! - disse Ju. 

 

-- Marianaaaaaaaaa!!!! - falamos juntas ao ver ela mais atrás com o seu passo devagar.

 

Eu pulava como as três loucas bem ao meu lado. 

 

Pov Bia

 

Apenas foi preciso o carro do meu pai parar, pela a janela eu vi Mariana preste a atravessar a grande porta automática do Aeroporto. 

 

-- Marianaaaaaa!!!!!- gritei pela janela fazendo com que ela se virasse de um lado para outro para achar quem a chamava. - Aquiiiiiiii!!! - disse acenando e abrindo a porta do carro. 

 

-- Bia, o pai nem parou o carro direito. Cuidado! - dizia a minha irmã chata, portanto nem liguei pelo o que dizia. 

 

Corri para abraça-la, mas ela parecia está dopada como um zumbi, me fazendo rir ela tinha aqueles travesseiros no pescoço uma bolsa tiracolo no ombro e com a mão segurava a câmera ligada. 

 

-- Oi?- disse para ela que ria como eu. - Você acabou dormindo, não é?

 

-- Érrrrrr. - ria. - As meninas vão nos matar, acho que era para nós estarmos aqui meia hora atrás.

 

-- Uma hora. - disse pegando a minha mala de rodinhas e puxando a sua mão para que me acompanhasse. 

 

Com a pressa tive que por as roupas dentro da outra mala, pois ao descer as escadas de casa acabei deixando a maior escapulir das minhas mãos fazendo ela parar no fim da escada com defeito no feixe, sem contar celular que já tinha mil mensagens das "pontuais", agora que eu me liguei, Mari era a única que não estava a mandar nada. 

 

Por pouco eu saio de casa sem por os tênis, ainda bem que a minha mãe me avisou.

 

As meninas estavam desesperadas pela a nossa chegada, cada passo que Mariana dava uma mala cai ao chão e eu como uma boa pessoa tenho que ajudá-la. Elas vão reclamar do nosso pequeno atraso... Queridas nós vamos para Londres, descontem.

 

Pov Mariana

 

Eu, a desastrada de sempre, deixava as malas caírem do carinho com a velocidade que estávamos para chegar mais próximos das meninas.  De longe se podia escutar a gargalhada das palhaças que nem serve para ajudar, eu me dei bem pois só foi eu entrar no aeroporto que Bia gritou meu nome.

 

Ainda bem que chegamos juntas assim reclamações a parte, bom meu despertador não me acordou e quando fui ver minha mãe estava em cima de mim a me balançar, ela pensava que estava acordada em meu quarto apenas em silêncio. Tive que tomar um banho rápido, mesmo assim não adiantou muito porque a minha cara amaçada não escondia a soneca de horinhas atrás. 

 

 Minha solução foi o óculos.

 

 Ao chegar perto delas que gargalhavam de se contorce.

 

-- Ei pessoal, vamos logo na praça de alimentação daqui a pouco meu estômago vai sair para fora!- disse Bela desesperada.

 

-- Nossa nem fala com as amigas direito...- disse Bia. 

 

-- Vem cá!!!- disse Bela apertando Bia em seu abraços. 

 

Fazendo com que todas aproveitassem para se abraçar, o famoso abraço de urso grupal que demos em circunstâncias como essas.

 

-- Nossa que demora. Irão se casar no aeroporto? Só tem que encontrar agora os noivos!! – disse Ju, ela sempre adora nos zoar a respeito de namoro, e se saí uma ótima conselheira sobre esse assunto.

 

-- Será que dar para vocês pararem de pensar em meninos por um tempinho? – perguntou Bela bufando.

 

-- Está pegando mania da Mari em só saber em comida.- disse Beca assustada.

 

-- Ou mania não. Eu sinto fome como uma pessoa normal!-  disse rindo por estarem falando do meu jeito com comida.

 

-- Tem certeza Mariana? - disse Larissa. - Normal? - falou fazendo aspas com as mãos. A

 

-- Claro quem não!! Qualquer pessoa fica com fome...- disse Bela.

 

-- Tá vendo a Isabela usou as palavras de minha boca!!- indaguei.

 

-- Em esperar duas amigas atrasadas. - disse ela levantando a sua sobrancelha para mim. - Vem cá também... Estava com saudades.- disse Bela vindo em minha direção.

 

-- Tá pesando que eu me esqueci daquele dia no Skype? Tá enganada. - falei enquanto recebia ela aos meus braços.

 

-- Então vamos comprar doces? - disse Ju. 

 

-- Acho que dá tempo.- disse Bia olhando seu relógio.

 

-- Então vamos logo!! – disse Lari. - Londres nos espera logo.

 

As meninas já tinham feito o check- in e por incrível que pareça elas não reclamaram tanto, avisamos os nosso pais que conversavam juntos e dividia a experiência de ver seis garotas como crianças correr pelo o aeroporto e outra sobre os carinhos, a postar corrida.

 

Fomos nós mais os irmãos de Rebeca e o Davizinho, que pequenino já gostava das nossas atrapalhadas nos acompanhando, bem que ele é bagunceiro também. 

 

Compramos balas, chocolate, biscoitos, ou seja, parecia que nós estamos levando tudo, Isabela e eu exigimos para pararmos para comer então fomos para o Mc Donald, fizemos os nossos pedidos que foram rápidos porque só tinha seis retardadas quase adultas com três crianças.

 

Bela comia como uma desesperada vimos que todas estavam satisfeitas então voltamos, só foi chegarmos perto do pessoal que anunciaram o nosso voo que faltava quinze minutos para decolar. 

 

Juliana chorava como uma cachoeira, Larissa parecia que nunca queria sair dos braço de seu pai, Rebeca ria e ao mesmo tempo chorava, Isabela falava que amava todos até para os pais de todas nós, já Bia pulava de alegria enquanto Tia Leila puxava ela para perto com os olhos cheios d´água. 

 

Como Isabela, ali era único, famílias tinha se tornando uma só ao longo desses anos, ali todos se amavam sem igual e limites, era hora de seguirmos sem eles, agora em diante só restava as seis  que se tornará sustento da saudade de um e da outra. 

 

 Ao meio de suspiros, lágrimas quentes não de tristezas, mas sim de alegria, misturado com o turbilhão de sentimento, fechei os meus olhos por um momento filtrando a aura boa do momento, ao abrir e abraçar a minha mãe mais uma vez, entre o pescoço e cabelo delas uma pessoinha no fundo acenava para mim. 

 

Rafael... Não um dos irmão da Rebeca, e sim ele!

 

Como assim? Porque ele está aqui?!?! Limpei os meus olhos devo estar vendo coisas, limpei mais uma vez e outra não estava imaginado era ele próximo de nós. Do mesmo sempre a blusa xadrez, a calça jeans de lavagem escura um pouco frouxa e o seus pares de vans, cabelos desgrenhados, a barba mal feita por sinal que me fazia brigar se não tivesse ali. 

 

Se perguntando quem é ele?

 

Ele é o mesmo de anos atrás, se conhecemos no colégio, sua fama naquela época era de pegador por ser o filho da coordenadora e considerado o cara que as garotas caem em seus pés todos os dias, situação que nos fez rir meses atrás no sofá da sua casa. 

 

As meninas conhece ele por também ter estudado na mesma escola aonde nós estudávamos.

 

Larissa teve um rolo com ele, mas desistiu como ele é um cara de pau vivia enchendo o saco entre nós. Aquele anos de infância foram os melhorem que nos arrancam gargalhadas hoje em dia.

 

Por último falei com o meu pai e não dava mais tempo de ir até ele, apenas acenei sorrindo.

 

-- Tchauuuuuu!!- gritamos como loucas em direção aqueles que estavam ali sempre conosco, acenamos tanto, Ju voltou e beijou seu irmão mais uma vez e os pais, a partida ou o adeus é tão complicado podia ser mais fácil.

 

 Até chegarmos a porta do avião eu e as meninas fomos agarradas uma com as outras e só foi eu sentar na poltrona do avião que o meu celular vibrou.

 

"Sei que nunca levou a sério entre nós, mas fique sabendo que eu te amo. Bem que eu queria te abraçar para roubar um beijo teu, não consigo te tirar da cabeça... E outra sempre estarei de braços abertos para você quando voltar!! Mando muitos beijos, abraços e claro que você e as meninas façam uma boa viagem para Londres : D Te amo, Rafael" 


Notas Finais


Para quem quer ver as roupas entra no Polyvore o meu user é juh-cabralo-o


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...