História Back to the Past - Capítulo 8


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol, Chen, D.O, J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Kai, Kris Wu, Lay, Lu Han, Personagens Originais, Rap Monster, Sehun, Suga, Suho, Tao, V, Xiumin
Tags Baek, Baekyhun, Bts, Bullying, Byun Baekhyun, Chanbaek, Chanyeol, Chen, Colegial, Destino, Do Kyungsoo, Esperança, Exo, Ficção, Gay, Huang Zitao, Ilusão, Jimin, Jongdae, Kai, Kaisoo, Kim Jongdae, Kim Taehyung, Kris Wu, Lay, Luhan, Min Yoongi, Park Chanyeol, Romance, Sehun, Shipp, Suga, Tao, Trouxa, Trouxisse, Wu Yifan, Xiuchen, Yaoi, Yixing, Yoongi, Zhang Yixing
Visualizações 85
Palavras 5.774
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Crossover, Drama (Tragédia), Escolar, Famí­lia, Festa, Ficção, Fluffy, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Yaoi
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Mais uma vez, ficou difícil para postar antes. Estou terminando o bimestre, então estou lotadx de provas, e tive outro simulado de um dos meus cursos hoje, portanto, quero me desculpar com vocês.
Espero que gostem desse capítulo ♡
OBRIGADX PELO 35 FAVORITOS, SARANGO VOCÊS ♡♡♡♡♡

Capítulo 8 - First Kiss


Fanfic / Fanfiction Back to the Past - Capítulo 8 - First Kiss

  O céu já estava escuro do lado de fora do aeroporto, mas não era possível ver isso do lado de dentro, já que era tudo muito mais claro e bonito, e as únicas janelas eram as que mostravam a pista de decolagem, que fizeram meu queixo cair ao ver o tamanho dos aviões que estavam parados, alguns coloridos, outros bem sem graça, mas todos extremamentes gigantescos, e muito melhores do que o que a minha mente ignorante sempre imaginou.

- Tá, onde que a gente tem que ir? - Chanyeol perguntava para uma das inspetoras da nossa faculdafe que tinha entrado com a turma inteira para nos guiar até o portão de embarque correto e tudo mais.

- Tem que despachar a mala primeiro, burro. - Sehun disse, interrompendo Chanyeol, que fez a famosa cara de cu, e assim, fomos despachar as malas junto com as outras pessoas da faculdade que iam pra China.

Deixamos nossas malas, e fomos diretamente para a área das compras, onde Chanyeol comprou muita comida e um óculos de sol (não sei por quê), eu comprei uma máscara para dormir e Sehun comprou um perfume.

- Ui, rico. - Chanyeol zombava Sehun, enquanto o mesmo pagava o seu Chanel no caixa.

- Cara, é só um Chanel. - Sehun dizia, pegando a sacola da mão da caixa e a agradecendo.

- Quem dera se eu pudesse falar o mesmo. Achei que você era pobretão que nem eu, Sehun.

- Eu tava sem meu cartão de crédito, por isso tava em dúvida se vinha ou não nessa desgraça de viagem, cujo tô me arrependendo só de pensar que vou passar mais tempo com você. - Sehun dizia em um tom irônico para Chanyeol, que ria.

- Sehun? - ouvimos uma voz atrás de nós, e ao nos virarmos, vimos Yixing, o amigo de Sehun. Vestia uma jaqueta de couro preto, com uma blusa também preta por baixo. Segurava uma mala vermelho-sangue, que logo foi apoiada verticalmente no chão brilhante, pois Yixing abraçou Sehun, o cumprimentando, enquanto os dois sorriam.

- O que você tá fazendo aqui? - Sehun disse após se soltar do abraço de Yixing, que sorria.

- Tô voltando pra China pra ver minha família. E vocês? - ele disse, cumprimentando o resto do nosso grupo acenando com as mãos.

- Coisa da faculdade. - Sehun disse, e logo olhou para trás de Yixing, percebendo pela primeira vez que havia mais alguém com ele. Era um homem alto, com as laterais da cabeça levemente raspadas, e o topo mais alto, formando um topete que deixava sua aura mais glamurosa, acompanhado pelas suas roupas de marcas caras, esbanjando toda a sua riqueza. Usava um óculos escuro que o deixava com o ar mais misterioso. Deslizou sua mão direita pelo seu cabelo castanho-médio, e sorriu, se curvando após perceber que havíamos notado a sua presença.

- Ah, esse é meu amigo, também chinês. - Yixing disse, puxando-o para frente para o apresentar para nós.

- Oi, sou Wu Yifan. - ele disse, olhando para nós enquanto sorria.

- Wu é cantor e ator, daí estamos voltando para a China juntos. - Yixing disse, olhando para Wu.

- Bela conversa, mas eu tô com fome. - Chanyeol sussurrou para mim, e comecei a rir discretamente.

Após alguns minutos de conversa que não fluía, decidimos ir até um restaurante italiano do aeroporto, onde finalmente a conversa rendeu, e ficamos conversando sobre o trabalho de Wu e Yixing na China, e etc.

 - Passageiros do voo 55439 da companhia aérea Pastelus d'Frang com destino à Pequim, China, o embarque é liberado a partir de agora, com limite máximo até as dezenove horas e cinquenta minutos, sendo o horário de decolagem as oito horas da noite. - uma voz feminina ecoou pelo aeroporto através dos aparelhos de som, e meu nervoso se intensificou. Senti que Jongin me olhava discretamente, e o olhei também. Por mais que eu estivesse com medo do voo se aproximar cada vez mais, não posso negar que o olhar de Jongin me acalmou um pouco.

- Vamos já, então. Vocês ouviram, né? - Chanyeol disse, terminando de pagar sua parte no caixa do restaurante.

- Vocês também vão no 55439? - Wu perguntou, sorrindo. - Vamos juntos!

Após terminar de pagar, Chanyeol tomou a frente do grupo, e fomos até o portão de embarque 12, onde outras pessoas da nossa faculdade de outros cursos que iriam para a China haviam chegado antes de nós. Uma fila havia se formado na frente da porta, onde os funcionários da companhia aérea conferiam os passaportes e outros documentos, liberando as pessoas pouco a pouco.

- Posso ver os passaportes e suas identificações, por favor? - um dos funcionários disse, quando nossa vez chegou. Eu estava atrás de Chanyeol, então já peguei todas as minhas coisas, e ele checou a todos.

Um ar congelante invadiu meus pulmões e todo o meu corpo repentinamente, após a porta automática se abrir para o nosso grupo passar. Estava escuro, pois já eram quase oito da noite, e não conseguíamos ver a lua, pois estava levemente nublado, o que me deixava com medo de talvez dar alguma turbulência ou problema no avião.

- Ei. - Jongin me chamou, um pouco atrás. Desacelerei os meus passos, para ele me alcançar, e senti seus dedos se entrelaçando nos meus. - Fica calmo.

O olhei estranhamente por fazer aquilo em público, mas logo pensei melhor sobre isso, e apenas sorri para ele, que fez o mesmo, e assim começamos a subir as escadas que davam para o gigante avião branco e azul que estava bem na frente de nós.

                          ***

- Você tem medo do céu? - uma voz feminina surgiu ao lado do pequeno Kyungsoo, em meio aos seus catorze anos de idade, sentado na arquibancada de sua antepenúltima escola da vida.

Virou rapidamente seus olhos que antes olhavam o céu nublado, surpreso de que alguém havia o chamado para conversar. A garota de cabelos pretos como carvão o olhava com seus olhos castanho-claro, que eram esmagados pelas suas bochechas ao exibir um largo sorriso, mostrando seus dentes brancos e bem tratados.

- Hã... Que? - Kyungsoo respondeu, e a garota deu uma gargalhada mais alta e exagerada do que o esperado.

- Todos sempre riem de mim quando falam essas coisas, você é o primeiro a ficar sério. Prazer, Lee Sunhee. - a garota disse, pegando a mão de Kyungsoo forçadamente, e a chacoalhando. - Estou na mesma série que você, sei disso por que te vi entrando na sala 12, mas sou da turma B, daí minha sala é a 11.

- Ah... Tá. - Kyungsoo respondeu, sorrindo forçadamente para Sunhee.

- Você não é muito de falar, não é mesmo?

- É. Não falo com quase ninguém... Por isso estranhei você vir falar comigo. - Kyungsoo disse, olhando para a garota. A olhava "discretamente", mas sem interesse algum. Simplesmente achava seus olhos bonitos, e observava os contornos e formas das pupilas e gravava todos os detalhes possíveis para tentar desenhá-lo mais tarde. Seria difícil, mas tentaria.

- Pelo jeito me achou bonita, pelo tanto que tá me olhando.- a garota de cabelos escuros disse, o olhando enquanto corava de leve. - Você também é bonito.

- Obrigado. - Kyungsoo respondeu, virando o rosto para frente.

- Muitos garotos falam que sou atrevida, mas na real só tenho mais atitude que eles... Eles tem inveja da minha coragem, isso sim. - dizia, enquanto enrolava uma mecha preta de seu cabelo em seu dedo indicador. - Então... Quero te conhecer melhor. Você tá livre hoje de tarde? Nem que for só pra um lanche.

- A-acho que sim. Por que quer sair comigo? - Kyungsoo perguntou, corando ao receber o convite inesperado. Não sabia se ficava feliz por alguém finalmente o ter notado, ou se achava uma atitude exagerada para uma garota de apenas catorze anos.

- Isso nós vamos ver. - ela disse, e deu uma pequena risada, que foi interrompida pelo barulho de um grupo de garotos mais velhos gritando e brincando no campo logo abaixo dos dois adolescentes. Um deles parou, enquanto o resto do grupo continuava gritando e brincando. Os olhava, tentando ver quem era, devivdo a distância em que estavam.

- SUNHEE! - gritou, e começou a correr na direção dos dois, acelerando o coração de Kyungsoo de nervoso.

- Ai, lá vem. É meu irmão, ele vai implicar com a gente. - Sunhee disse, ao ver que o garoto se aproximava cada vez mais.

- Que merda você tá fazendo dessa vez? - o garoto, usando uniforme de futebol, disse, olhando para a irmã com seus olhos também castanho-claro. Era idêntico a irmã, mas na versão masculina, com músculos bonitos que eram marcados pela camiseta azul que usava. Kyungsoo o observava, e corou lentamente. Os olhos do garoto mais velho se voltaram para Kyungsoo, que o encarava, admirado pela sua beleza. - E quem é esse cara? É mais um dos caras que você tá dando em cima? Porra, Sunhee, já te disse pra parar de ser atrevida!

- Que merda, Hyunjae! Me deixa em paz, caramba! - Sunhee disse, se levantando rapidamente e olhando para o irmão, que era pelo menos uns vinte e cinco centímetros mais alto que a mesma.

- Argh, não sei como eu ainda aguento ser seu irmão! - resmungou, e desceu novamente para junto de seus amigos, que ainda gritavam e batiam uns nos outros por pura brincadeira.

- Ignore ele, ele é idiota. - Sunhee disse, se virando para Kyungsoo, que estava observando o garoto descer os degraus da arquibancada, admirando suas costas musculosas. - Por fim, vamos sair.

- Pode ser, mas quand... - Kyungsoo falava, quando foi interrompido pelo punho da garota, que se fechara em torno de seu pulso, o puxando para cima, e correndo até as escadas de emergência.

- Por que estamos saindo por aqui? Se o zelador ver, vai brigar com a gen... - Kyungsoo dizia em meio a correria, e novamente, foi interrompido por um grande impulso.

Já dentro das escadas de emergência, a garota de cabelos pretos o empurrara contra a parede, ficando com seu rosto a poucos centímetros do mesmo. Os sensores de movimento do local logo se desligaram, já que os dois adolescentes estavam parados na mesma posição fazia quase um minuto, fazendo com que tudo ficasse escuro, e apenas um feixe de luz iluminasse o local, vindo das bordas da porta que dava para o campo que antes estavam.

- O que você tá fazendo? - Kyungsoo perguntou, olhando para os grandes olhos castanho-claro que o fitavam sem piscar, acompanhados de uma respiração quente e uma expressão séria.

- Algo que eu quero muito fazer faz uma semana e meia. - a garota respondeu, e se inclinou na direção de Kyungsoo, selando ambos os lábios, porém Kyungsoo estava sem reação, e havia congelado, de olhos abertos.

A garota recuou, e o olhou com uma cara surpresa, e deu uma pequena risada, e o rosto de Kyungsoo corava a cada momento que passava.

- Você é muito tímido, ou esse foi seu primeiro beijo? - perguntou, e Kyungsoo continou quieto. - Bom, já que não há resposta, vou tentar novamente. Quem sabe, mais apimentado... Talvez assim você acorde um pouco desse transe.

Selou os seus lábios nos de Kyungsoo rapidamente pela segunda vez, e pegou as mãos do garoto, e as deslizou pelas suas costas, as deixando bem para baixo, e colocou uma delas em sua pequena bunda.

Kyungsoo tentou movimentar seus lábios, mas havia congelado. Como havia parado naquela situação do nada, com uma garota que nem sequer conhecia? Não conseguia sentir interesse por ela, e seu beijo estava o enjoando, porém, tudo piorou quando uma das mãos da garota foi em direção as suas partes íntimas, massageando-o rapidamente. Kyungsoo recuou, dando um pulo para trás, enquanto limpava seu rosto todo babado com o braço direito.

- Que porra você tá fazendo? A gente nem se conhece! falou, em um tom baixo para caso o zelador aparecesse.

- Você deve ser um bicha mesmo, pra não me querer. Tem ideia da quantidade de garotos que pede pra ficar comigo por dia? Daí quando você finalmente consegue alguém que preste na sua vida você simplesmente descarta? Idiota! Gastei meu tempo a toa, poderia estar beijando bocas mais bonitas que a sua nessa hora. Deve ser um gay mesmo, só um gay mesmo que não ficaria comigo. Viado! - Sunhee dizia, limpando o rosto com o pulso. Sua expressão era de raiva e autoridade.

Antes mesmo que Kyungsoo pudesse responder algo para a garota, a mesma fez um movimento rápido até o garoto, o empurrando escada a baixo, e logo abriu a porta que dava para o campo, e saiu correndo, deixando Kyungsoo deitado no chão com o braço machucado após rolar um lance de escadas inteiro.

                          ***

O avião começou a estremecer brusca e rapidamente, o que me impressionou, pois menos de cinco minutos atrás, ele estava apenas andando lentamente na pista de decolagem. As pessoas estavam quietas, e, não sei como, algumas já usavam máscaras de dormir e cobertores, relaxadas completamente. Provavelmente já haviam andado de avião antes, ou estavam muito cansadas.

Jongin estava ao meu lado, na poltrona do meio, e ao lado de Jongin, na poltrona do corredor, estava Chanyeol. Na fileira ao lado, Sehun estava no corredor, no meio estava Yixing, e logo em seguida estava Wu.

Uma aeromoça apareceu do nada na frente de todas as fileiras, dando instruções para caso o avião caísse na água, ou etc, mas a única coisa que fiquei impressionado era a habilidade dela conseguir ficar em pé durante aquela tremedeira toda do avião. Logo, o aviso de atar os cintos tocou, e a maioria das luzes do avião se apagaram, já que era um voo noturno.

- Agora vai, desgraça. Avião lerdo. - Chanyeol disse, enquanto firmava o cinto em seu quadril. Neste momento, pude sentir que Jongin havia se aproximado de mim, e virei meu rosto lentamente para ele.

- Você tá bem? - perguntei, e ele sorriu levemente para mim, e me deu um pequeno beijo, que infelizmente logo foi interrompido pelo avião que começara a acelerar mais do que nunca. Apertei a minha mão, que estava colada na de Jongin, e segurei o braço da poltrona com a minha outra mão.

- Jesus Cristo, Maria, José, esse avião vai explodir. - ouvi Sehun falar, em desespero, e Chanyeol, que aparentava também estar em pânico, ria da cara de Sehun, que encarava o teto do avião como se fosse o amor de sua vida. - Chanyeol, soca essa sua risada no cu.

- Ele tá trancado agora, nem vai rolar. - Chanyeol respondeu, segurando os dois braços da poltrona com uma força suficiente para deixar marcas vermelhas. Sehun suspirava, com uma respiração arfante.

O avião acelerou mais ainda, e o barulho de suas turbinas aumentou, mais alto do que qualquer música alta de qualquer balada ou boate de que eu havia ido em minha vida. O som das hélices gigantescas girando extremamente rápido invadia meus tímpanos, fazendo minha pressão e meu desespero aumentarem.

Tudo parecia em câmera lenta, novamente. Porém, finalmente, era uma cena feliz.

Apesar do desespero, eu e Jongin estávamos rindo, e Chanyeol rezava rapidamente, e ria da cara de pânico de Sehun, que encarava o teto Yixing estava sonolento e quase dormindo, e havia começado a falar em mandarim com Wu, que tinha seu apoio de pescoço para dormir amarrado em cima da cabeça, arrancando gargalhadas de Yixing. Todos nós sorríamos, e antes mesmo de terminarmos de nos preocupar, o avião deu um impulso em rumo aos céus, e uma sensação estranha tomou conta de meus ouvidos, provavelmente causada pela mudança da pressão e altitude.

- Já acabou? - Sehun disse, finalmente saindo do transe, e olhando para Chanyeol, que ainda estava agarrado aos braços da poltrona em que estava sentado.

- Vocês nunca andaram de avião antes? - Wu perguntou, ainda com a almofadinha amarrada em torno de seu rosto. Jongin começou a rir ao ver aquela cena, e eu também. Neguei a sua pergunta com a cabeça, e Jongin também.

- Nunca, e vocês? - Chanyeol respondeu, olhando para Sehu, Yixing e Wu, que ainda não haviam respondido.

- Já, essa é a terceira viagem que faço. - Sehun respondeu.

- Ah é, você é ricão, esqueci. E vocês dois? - Chanyeol disse, se referindo aos dois restantes.

- Viajo toda semana por causa do trabalho. - Wu respondeu.

- Algumas vezes só, por causa do trabalho também. - Yixing respondeu.

- Beleza, fico feliz em não ser o único pobre aqui. - Chanyeol falou, olhando para mim e para Jongin.

Deitei minha cabeça no ombro de Jongin, e ele passou seu braço pelas minhas costas, me abraçando, e depositando um pequeno beijo no topo de minha cabeça.

- Ih, sai casal. - Chanyeol disse, ao ver que eu e Jongin estávamos próximos um do outro.

- Sai você, desgrama. - falei, e Chanyeol riu, e eu encostei minha cabeça novamente no ombro de Jongin, que passava sua mão lentamente pelo meu rosto.

A maioria das pessoas havia começado a dormir já fazia um tempo, mas depois de uns quarenta mintos de voo, as aeromoças passaram com seus carrinhos de comida pelos corredores, distribuindo a nossa janta.

- Meu bucho agradece. - Chanyeol disse para a aeromoça chinesa ao receber a comida da mesma.

- Chanyeol, não fala essas coisas, vai que ela fala a nossa língua também. - Sehun disse, chamando a atenção do mesmo, mas após observar que a aeromoça havia apenas dado um sorriso com cara de quem não havia entendido uma palavra do que tinha ouvido, deu um suspiro cansado após ver o sorriso irônico de Chanyeol, que o olhava enquanto ria.

                           ***

 - É sério que você fez isso, seu inútil? - dizia Minjun, um garoto chinês que estudava na escola de Kyungsoo, que estava no auge de seus catorze anos de idade. - Você me dá nojo, Kyungsoo. - disse, e cuspiu no garoto, que estava sentado em seu lugar de sempre, no meio da sala de aula, no dia seguinte do ocorrido com Sunhee.

- Você não passa de um bichinha! - dizia Doyun, outro garoto de sua sala. Logo atrás, haviam mais três ou quatro garotos, que olhavam com nojo ou riam de Kyungsoo, após ficarem sabendo do que havia acontecido com ele e a garota.

- EI, ATENÇÃO! - um dos garotos, de cabelos escuros e olhos bem abertos para um asiático, gritou no meio da sala, onde a aula ainda não havia começado. Todos os alunos que antes brincavam, dormiam ou conversavam, focaram seus olhares para o garoto. - Para todos os garotos: quem aqui ficaria com Lee Sunhee da sala 11?

Todos os garotos levantaram as mãos, e algumas garotas suspiravam, chateadas por terem concorrência, e outras achavam bobagem e riam dos mesmos.

- Pois é, o nosso querido colega de sala, Kyungsoo, ficou com ela. - Minjun disse, olhando para a sala enquanto dava pequenos tapinhas no ombro direito de Kyungsoo, que ainda permanecia sentado. A sala ecoou em suspiros de admiração, e alguns garotos ficaram com inveja. - Opa, opa. Esperem! Não se iludam! Adivinhem o que aconteceu? Ele a rejeitou completamente, não moveu nem os lábios, e por cima de tudo, quando ela tentou apimentar as coisas, ele pulou fora, e acabou caindo na escada, deixando ela toda chateada...

- É sério isso, Kyungsoo? - um garoto desconhecido perguntou a Kyung, que ainda estava sentado em sua carteira, com os punhos cerrados debaixo da mesa, a ponto de suas unhas começarem a machucar a palma de suas mãos. Permaneceu calado e com uma expressão séria.

- Kyungsoo, você é gay ou o que? Desde o meio do ano passado, que foi quando entrou nessa escola, nunca te vi ficando nem dando em cima de alguma menina, nem interagir com elas você interage! - Doyun disse, olhando para Kyungsoo com desprezo.

- O que isso vai mudar na sua vida? - disse Kyungsoo, levantando rapidamente e apoiando os punhos em sua mesa. Não sabia por que havia falado aquilo, nem por que estava com raiva. Poderia apenas ignorar a situação ou dar alguma desculpa, mas a única coisa que aconteceu foi o fato de ter se arrependido na hora de ter dito aquelas palavras.

- Então você tá assumindo que é gay? - Minjun disse, e um sorriso sarcástico e maldoso começou a surgir no rosto do garoto. - PESSOAL, TEMOS UMA BICHA ASSUMIDA AQUI!

Kyungsoo socou a carteira com força, a ponto de arranhar sua pele. Olhava para Minjun e Doyun com raiva, e ignorava os outros garotos do grupo atrás deles. Eram os dois que haviam começado tudo aquilo.

Tinha apenas catorze anos, e não sabia o que estava acontecendo. Só queria ser protegido e ter amigos normais, não queria ser julgado. Não queria garotas o beijando do nada, e muito menos espalhado boatos sobre ele.

- Ih, o viado ficou bravo. - Minjun disse, quebrando o gelo da tensão que a sala havia criado após o o soco de Kyungsoo na mesa.

- Cala a boca, idiota. - Kyungsoo disse, olhando furiosamente para os olhos do garoto que estava em sua frente.

- O que pretende fazer? Me dar um tapinha fresco na cara, chorar e começar a correr? Por favor, né? - Minjun disse, e Kyungsoo simplesmente pegou sua mochila, a colocando nas costas.

- Ai, a menininha ficou chateada, e agora vai embora... - Doyun disse, imitando gestos e vozes femininas enquanto Minjun ria ao seu lado. Kyungsoo estava na beirada da porta, com os dois garotos atrás do mesmo, e virou como uma flecha. Seu punho se fechou rapidamente, e atingiu o rosto de Minjun, que caiu com força no chão, enquanto Kyungsoo saía correndo. Podia ouvir a gangue de amigos de Minjun correndo atrás de si, com passos largos e pesados para pequenos adolescentes. Correu mais rápido do que nunca, descendo as escadas do colégio, e saindo pela porta da frente antes mesmo da aula começar, com intenção de nunca mais voltar naquele lugar.

                         ***

- Tripulação, preparar para o pouso. - o piloto avisou, pelos auto-falantes, e sua voz ecoou por todo o avião.

- Ai, lá vem, de novo. - Sehun disse, passando as mãos pela cabeça em sinal de desespero.

- Ô Sehun, se você já andou de avião antes, por que entra em pânico? - Chanyeol perguntou, olhando para o amigo, que colocava o cinto de segurança novamente.

- Eu sei lá, só tenho medo. Olha o tamanho dessa coisa, imagina se cai, a merda que acontece. Chega de falar disso, pelo amor. - Sehun respondeu, abraçando a manta cor de vinho que havia ganhado da aeromoça.

Novamente, o avião começou a tremer, e a pressão começou a bugar meus ouvidos. Dei minhas mãos para Jongin, que havia acabado de acordar com o aviso do piloto. Dei um pequeno beijo em sua cabeça, e ele sorriu.

- Ih, começou a fudeção. - Chanyeol disse, agarrando novamente os braços da poltrona em que estava sentado após todos nós sentirmos o avião perdendo velocidade, e se aproximando cada vez mais do solo.

Segurei a respiração por algum motivo não-identificado, talvez por desespero e medo do avião. Porém, acabei descobrindo que o pouso era mais rápido do que a decolagem, o que fez com que eu, Sehun e Chanyeol ficassemos calmos mais rapidamente.

- Queridos passageiros, sejam bem-vindos à Pequim, China. Temperatura atual é de quatro graus celsius, com rajadas fortes de vento, tornando a sensação térmica de um grau negativo. Obrigada por terem escolhido a nossa companhia. Esperamos vê-los novamente em nossos voos! - disse uma voz feminina de uma comissária de bordo. Depois de uns quinze minutos, todos estavam já de pés, tirando suas malas de bordo e mochilas para fora, e alguns até mesmo já desciam do avião.

- Vamos logo, lerdeza. - Sehun disse, olhando para Chanyeol, que ainda estava sentado, arrumando sua bolsa.

- Para de me apressar, porra. - respondeu, olhando para o mesmo com uma careta brava estampada em seu rosto. Alguns segundos depois, se levantou, e passou na frente de Sehun no pequeno corredor do avião, trombando no ombro do mesmo, que dava uma risada. Deu pequenos tapinhas nas costas de Chanyeol, e manteve a mão em seu ombro, o empurrando lentamente.

Saímos lentamente devido as bolsas e ao espaço do corredor, esperando as pessoas descerem lentamente do avião. A cada passo que eu dava, podia sentir que um leve vento vindo da porta do avião, congelando lentamente nossas pernas.

- Puta merda, tá frio. - Chanyeol disse, na frente de Sehun.

- Espera aí então. - Sehun disse, parando em seu lugar, fazendo diversas pessoas atrás de nós reclamar de nossa atitude. Tirou seu casaco de couro que estava quente, e colocou nas costas de Chanyeol, que virou para Sehun, e sorriu agradecendo. Achei que tinha visto suas bochechas levemente coradas, mas logo Chanyeol virou para frente e a fila continuou andando.

- Puta merda... - ouvi Sehun sussurrar para si mesmo após pisar no primeiro degrau da escada da saída do avião, e logo entendi. Estava congelando, e para piorar, haviam rajadas de vento extremamente fortes, que mal me deixavam andar direito. Jongin se agarrou ao meu braço, me puxando cada vez mais rápido para a entrada do aeroporto de Pequim. Todos nós ríamos, e Chanyeol andava enquanto abraçava Sehun, que, por ter dado seu casaco a ele, agora congelava de frio.

Depois disso, tudo passou bem rápido para o nosso alívio. Fomos até um ponto de taxis, e nos despedimos de Wu e de Yixing, que pegaram outro taxi para ir para um hotel.

                           **

- Mudar de escola novamente, meu neto? Sério? - dizia a avó de Kyungsoo, ao ver o mesmo jogando a mochila escolar no chão com força. Chorava, com o rosto todo vermelho após ter começado a contar que iria mudar de escola devido a uma briga e a falta de amigos.

- Sim, não aguento mais lá! - respondeu para a mais velha, que suspirava, cansada da mesma história de sempre. Já era a quarta escola de Kyungsoo, o que para a época era considerado um absurdo.

- Eu que não aguento mais essa história de mudar de escola quase todos os anos. Você que escolhe para onde vai a partir de hoje. Só me diga o lugar que eu faço sua matrícula. - disse, e saiu da sala, se deitando no sofá da sala, e fechando os olhos para descansar um pouco.

Abandonou a mochila no andar de baixo da casa, e correu rapidamente até o seu quarto no andar de cima. Suas mãos correram até a maçaneta, girando-a e após abrir a porta, batendo a mesma com muita força. Colocou seus fones de ouvido, e o conectou em seu celular, deixando a música ecoar em seus ouvidos no volume máximo. Foi a primeira vez que houve uma dúvida dentro de si. Ficou pensando se havia algum motivo específico do por que havia olhado para o irmão de Sunhee daquele jeito, tentando achar alguma resposta para isso. Então, ignorou todos os seus sentimetos e simplesmente deixou a música percorrer pelo seu corpo em seu quarto, que era iluminado apenas pelo feixe da sacada que não havia sido fechada direito.

                          ***

Chegamos na faculdade, e outros alunos que também havia viajado já estavam lá para procurar seus dormitórios. Todos nós estámos extremamente exaustos, então fomos direto para os quartos, deixando para explorar a faculdade e o campus apenas no dia seguinte.

No quarto 12, eu, Jongin, Chanyeol e Sehun iríamos dormir em dois beliches. Escolhi ficar no de baixo, pois era mais fácil de sair. Jongin correu até o outro beliche, na cama de baixo, e Sehun jogou sua mala de bordo no chão.

- Ah não, Jongin. Você sabe que eu gosto de ficar embaixo. - disse, lamentando ter perdido o lugar no beliche.

- Bom, isso eu não sei e pretendo nunca saber. - Jongin disse, e Chanyeol soltou uma risada ao fundo, enquanto tirava o casaco que Sehun havia o emprestado, e colocando-o na cadeira de uma mesa encostada na parede, ao lado de uma janela que estava coberta por uma persiana marrom.

- Alguém vai tomar banho? - Sehun perguntou, abrindo a porta do banheiro, e acendendo as luzes do mesmo.

- Eu. - Chanyeol disse, já sem camisa e sem suas meias, segurando uma troca de roupa em suas mãos. Seus cabelos escuros estavam bagunçados devido à camiseta que havia retirado anteriormente, e seu olhar sonolento e cansado olhavam para Sehun de uma forma sensual.

- O-ok. Vou depois de você. - Sehun concordou em voz baixa, e levou sua mão direita até seus cabelos, os ajeitando e indo nervosamente até a sua mala e pegando uma troca de roupas para quando sua vez no banho chegasse.

- Vem junto. - Chanyeol disse, e eu, Jongin e Sehun olhamos juntamente para o mesmo, que depois de alguns instantes com a face mostrando uma expressão séria, começou a rir, e entrou no banheiro, fechando a porta.

Comecei a organizar minha mala, tirando as roupas da mesma e as colocando em uma parte reservada para mim do armário coletivo do quarto. Estava escuro, e apenas a luz do hall do quarto estava acesa, deixando o resto do cômodo ser tomado pela escuridão.

Sinto que Jongin se aproxima de mim pelo barulho de seus passos, e não demora muito para suas mãos me abraçarem por trás, mesmo com Sehun no quarto. Deixo-me levar pelo seu abraço, e sorrio enquanto coloco uma blusa preta em um cabide.

- Nossa, quando é o casamento? - Sehun perguntou, bocejando.

-Shh, Sehun. - Jongin disse, dando uma leve risada e balançando seu corpo lentamente enquanto me abraçava no escuro.

Alguns minutos depois, o quarto é invadido por uma luz amarelada do banheiro, acompanhada por uma nuvem de vapor quente que invadia o quarto gelado em que estávamos, e por um Chanyeol apenas de toalha amarrada no quadril e cabelos molhados.

- Jesus amado, você fez um churrasco aí dentro ou o que? - Sehun disse, se referindo ao tanto de vapor que invadia o quarto gelado em que estávamos. 

Chanyeol o olhou com ironia, e deu um sorriso sarcástico ao andar até sua mala para pegar outra troca de roupas.

- Ué, você não tinha levado um troca de roupas antes? - Jongin perguntou, olhando para Chanyeol, desconfiado.

- Não gostei delas, daí vim pegar outras. - respondeu, olhando para Sehun ao abrir sua mala. O mesmo estava vermelho, e evitava olhar para Chanyeol, que deixava as gotas de água caindo de seu cabelo molhado escorrerem pelo seu peito musculoso exposto.

- Vou tomar banho. - Sehun disse enquanto suspirava, pegando a primeira roupa que viu em cima de sua mala e indo rapidamente até o banheiro. Ouvimos ele soltar o ar de seus pulmões mesmo após ter fechado a mala, e Jongin me olhou com uma expressão surpresa.

- Ok, o que foi isso? - perguntou, me olhando, e Chanyeol deu uma pequena risada.

- Ignora ele. - Chanyeol disse, colocando uma camiseta preta larga.

Depois de todos nós tomarmos banho, capotamos e dormimos em nossas camas de tão cansados devido a toda a viagem até lá. A cama era confortável, mas nada se compara a cama que eu tinha em minha casa.

- Sai da frente, quero mijar. - ouvi uma voz masculina sussurrar, enquanto tentava dormir. Olhei para o beliche ao lado, e Jongin dormia na cama de baixo, mas a de cima indicava que Sehun havia saído. Descobri um pouco da minha cabeça para observar o que estava acontecendo, e vi Chanyeol e Sehun em pé, com seus pijamas amassados, o que mostrava que ambos estavam dormindo antes.

Sehun deu espaço para Chanyeol passar, e quando o mesmo começou a bambear de sono até o banheiro, o mais baixo o puxou, empurrando-o para a parede rapidamente, e silenciosamente.

- O que você tá fazendo? - Chanyeol perguntou, olhando espantado para Sehun.

- Eu tô cansado, Chanyeol. - Sehun dizia, e tapou a boca de Chanyeol com uma de suas mãos, enquanto a outra estava apoiada na parede. - Todos os dias eu não durmo direito por causa de você.

- Mas a gente nem mora junto, e quando vou na sua casa eu procuro não roncar tant...

- Shh. Você sabe muito bem do que eu tô falando. - Sehun interrompeu, fazendo o símbolo de silêncio com os dedos da mão que cobria a boca de Chanyeol. Logo, os olhos de Sehun se viraram para os lábios do mais alto, que logo após perceber que Sehun se aproximava para beijá-lo, o empurrou levemente para longe.

- Sehun, você me fez de trouxa uma vez e nós consertamos as coisas e conseguimos virar amigos novamente. Porquê tá tentando complicar tudo? - disse, olhando para o mais baixo, que tinha uma expressão triste.

- Me desculpa, Chany... Mas eu ainda tenho sentimentos por você. - Sehun disse, abaixando seu tom de voz a cada palavra dita.

- "Chany"? Você cria uma situação dessas e ainda me chama por um apelido carinhoso? - Chanyeol disse, irritado, e entrou no banheiro, fechando a porta na cara de Sehun, que suspirou e se sentou na pequena banqueta da mesa do quarto, olhando para o nada. Depois de alguns minutos, comecei a ficar sonolento novamente e meus olhos se fecharam lentamente, criando uma grande e profunda escuridão, que logo foi interrompida novamente pelo barulho da porta do banheiro se abrindo.

Chanyeol olhava para Sehun, que ainda estava sentado o esperando do lado de fora do banheiro. Seu olhar passou de irritado para triste, e de triste para apaixonado. Sehun, ao perceber que ele havia saído do banheiro, se levantou rapidamente, ficando frente a frente com Chanyeol. O mais alto deu lentos passos, se aproximando de Sehun, e sua mão puxou seu queixo para cima.

Ambos se olhavam mais profundamente do que nunca, e apenas a luz fraca e branca da lua através da persiana do quarto os iluminava, e logo mostrava seus lábios finalmente se selando. As mãos de Sehun subiram até o pescoço de Chanyeol, e em seguida para sua cabeça, a acareciando. As mãos do mais alto apertavam as costas de Sehun, o trazendo para mais perto. Aquilo durou por alguns minutos, mas eu estava com sono o suficiente para adormecer no meio de toda aquela cena.

                           ***


Notas Finais


Espero que tenham gostado, nenês ♡♡♡
Juro e prometo de verdade que vou tentar melhorar e fazer capítulos maiores e melhores, nem que seja pra demorar pra postar. Qualidade é o que importa. Sarango vocês ♡♡♡


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...