História Backstage Pass (G!P) - Capítulo 48


Escrita por: ~

Postado
Categorias Laura Prepon, Orange Is the New Black, Taylor Schilling
Personagens Alex Vause, Personagens Originais, Piper Chapman
Visualizações 635
Palavras 1.347
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Comédia, Crossover, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Cross-dresser, Drogas, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Intersexualidade (G!P), Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


💕Love is Pain💕
Vauseman eterno amor.

Capítulo 48 - Capítulo 48.


Fanfic / Fanfiction Backstage Pass (G!P) - Capítulo 48 - Capítulo 48.

48

De volta ao quarto do hotel, Piper circulou a suíte para desligar todas as luzes, exceto a lâmpada ao lado da cama. Alex se sentou na beirada do colchão e brincou com o despertador.

–Temos que estar de pé em duas horas – a guitarrista disse com a voz rouca de exaustão. – Desculpe pela nossa noite de núpcias não ter ido tão bem.

A professora se sentou ao lado dela na cama e pegou o despertador de sua mão para colocar na mesa de cabeceira.

– Eu também – disse Piper. – Mas podemos ter uma lua de mel prolongada em alguns meses. Depois que a turnê acabar e Nicky estiver melhor.

Alex levantou a cabeça, permitindo-lhe ver os olhos verdes tensos pela fadiga. Os hematomas ao redor deles não a estavam ajudando a parecer mais alerta.

– Eu poderia tentar fazer amor com você, se você quiser – disse Alex.

– Não precisamos fazer sexo de novo, querida. – Piper quase riu quando seus ombros caíram com alívio. A pobre roqueira estava acostumada a ter de satisfazer o insaciável apetite sexual da professora por ela. – Eu já tive muito sexo hoje, mas eu preciso fazer amor com você.

Piper saiu da cama e se ajeitou no chão aos pés dela. Desatou uma de suas botas e a puxou livre, jogando-a de lado antes de massagear o peito do pé delicado através da meia de algodão macia e branca.

A guitarrista murmurou um som de prazer do fundo de sua garganta. Piper reafirmou sua atenção sobre o outro pé e, em seguida, pediu-lhe para deitar-se na cama com as pernas balançando sobre a borda para que pudesse abrir seu jeans. Alex levantou os quadris e ela puxou as calças. Olhando cansada para ela, a guitarrista estendeu os braços abertos.

– Vem cá, minha esposa. Eu preciso te abraçar, me lembrar de que você é realmente minha, e pensar em tudo o que é bom na minha vida quando todo o resto for a porra de uma merda.

A professora piscou para conter as lágrimas, o coração batendo com empatia. Ela sabia que Alex amava Nicky – não da forma que ela tinha fixado na maior parte do dia, mas como uma amiga, uma colega, e alguém em quem ela pode sempre confiar.

– Eu ia massagear suas costas – disse Piper. – Ajudá-la a relaxar.

– Eu vou me sentir mais relaxada com sua cabeça bem aqui. – Alex deu um tapinha no centro de seu peito, e a professora não podia negar que queria muito descansar a cabeça sobre o coração dela.

A guitarrista puxou a camisa permanecendo de top, e Piper tirou a maior parte de suas roupas, deixando a calcinha no lugar, esperando lembrar à sua boceta ansiosa que ela não tinha que transar com Alex para mostrar-lhe o quanto a amava. Elas se aconchegaram juntas debaixo das cobertas, a cabeça da professora no meio confortável do peito dela e seus batimentos cardíacos bateram firmemente contra seu ouvido.

– Me desculpe por ter me comportado como uma idiota no hospital – a voz rouca da guitarrista retumbava através de seu peito.

Alex cobriu os olhos com uma das mãos e suspirou.

– Aquilo foi você se comportando como uma idiota regular? Como você é quando se comporta como uma enorme idiota?

A guitarrista riu sem entusiasmo.

– Você não quer testemunhar isso.

A professora acariciou sua barriga distraidamente, desejando que sua mente se acalmasse para que pudesse dormir um pouco.

– O que eu vou fazer se ela não se recuperar? – Alex sussurrou.

– Eu lhe disse para não se deixar pensar assim.

– Eu não posso evitar.

– Ela vai ficar bem. Ela é a Nicky-filha-da-puta-Nichols. Um pequeno ferimento na cabeça não vai mantê-la por muito tempo.

A guitarrista traçou linhas sobre a pele nua do quadril dela.

– Talvez depois que ela melhorar nós possamos convidá-la de volta para a nossa cama. Seria tudo bem quando não for a nossa noite de núpcias, certo?

Piper mordeu o lábio. Por mais satisfatório sexualmente que tenha sido seu trio com Alex e Nicky, aquilo fodeu a sua mente mais do que ela tinha previsto.

– Eu não acho que seja uma boa ideia. – Ela disse depois de um longo momento.

– Por que não? Achei que você tinha gostado.

– Eu gostei – A professora admitiu.

– Bem, eu gostei, ela gostou. Qual é o problema? – Piper estava quase com medo de dizê-la.

– Ela ama você.

– Eu a amo também.

As palavras cortaram o coração da professora em tiras, embora fosse quase certo que elas estavam falando sobre diferentes tipos de amor.

– Mas você está apaixonada por ela, Alex?

– O quê?

– Nada – disse Piper, com medo de que, ao discuti-la, a guitarrista pudesse perceber que estava apaixonada por Nicky. E ela não podia perdê-la, agora não. Não quando finalmente lhe deu seu coração. Isso iria destruí-la.

Alex ficou em silêncio por um longo momento.

– Você acha que ela é realmente apaixonada por mim?

A professora mordeu o lábio e assentiu.

– Eu sei que ele é. – Disse mortificada quando sua voz falhou.

O braço de Alex se apertou ao redor dela, mas ela não disse nada. Ela estava quase em lágrimas no momento em que encontrou coragem de dizer:

– Eu tenho tanto medo que ela acabe ficando entre nós, e me sinto tão mal por me sentir assim – especialmente agora que ela está machucada, mesmo com a volta de Lorna – mas não posso evitar. Não quero perder você, Alex. Eu não posso perdê-la, simplesmente não posso.

Há. Seu maior medo estava agora a céu aberto. Uma lágrima quente vazou pelo canto do olho e ela a limpou com raiva.

– Você não vai me perder, baby, e Nicky nunca vai ficar entre nós. Estou apaixonada por você, nunca fui apaixonada por ela. Era apenas sexo, Pipes. Mesmo quando Nicky e eu ficamos quando mais novas, era apenas sexo.

Para Alex, talvez, mas a professora tinha certeza de que significava muito mais do que isso para a vocalista.

– Eu sei – sussurrou, embora seu coração ainda estivesse nublado pela dúvida. – Eu só... é que me deixa com ciúmes compartilhar você com ela. Você não fica com ciúmes quando ela me toca?

– Não, eu fico com um grande tesão quando ela toca em você. – Sim, e isso não era normal.

– Mas quando Nicky me tocou antes... – A guitarrista enrijeceu.

– Porra, ela tocou em você antes? Eu vou quebrar os malditos dedos dela.

Piper deu um tapa na barriga dela.

– Não, ela não me tocou antes. Por que tem tanto ciúmes da Nicky de antes, mas não de agora? Eu não entendo.

– Porque... Porque é diferente. – Como se isso explicasse alguma coisa.

– E então?

– Bem... eu aprendi a confiar nela implicitamente com todos os aspectos da minha vida. Mesmo com você. – Alex inclinou a cabeça para beijar o topo da dela. E a guitarrista ainda alegava não estar apaixonada por essa mulher. – Mas se você não está confortável, permitindo-a em nossa cama...

– Não, eu não estou – disse a professora apressadamente.

– Tudo bem. Vamos encontrar outra coisa para nos dar prazer.

Piper se aconchegou mais perto do peito de sua amada, com o coração cheio de afeto. Acreditava no que a guitarrista disse, que não estava apaixonada por Nicky. Ela não tinha nada a temer, além da sua própria insegurança.

– Tudo que eu quero é você, Alexandra Pearl Vause.

– Você tem a mim, Piper Elizabeth Chapman Vause. Sempre. Se houver algum momento em que eu sinta que Nicky poderia ameaçar a nossa felicidade, não vou hesitar em colocá-la na linha.

– Promete? – disse a professora, sentindo-se um pouco juvenil para perguntar, mas precisava que ela lhe dissesse isso.

– Prometo. Eu sou sua, baby. Só sua. – Piper estava contando com isso.

A professora desceu a mão até o membro de sua amada, ainda adormecido.

– E esse Mostro, todo meu também?

– Oh, sim, todinho seu. – A guitarrista a rodou na cama, mergulhando no azul de seus olhos. – E você é inteiramente minha?

Piper contava com Alex para nunca partir seu coração, porque sabia que se o fizesse, ela nunca mais teria uma chance no amor novamente.

– E eu sou sua, meu amor – a professora sussurrou, perdida nos olhos verdes intensos. – Para sempre sua.


Notas Finais


Moçada, foi incrível brincar com a imaginação de Alex Vause com um pau... (Sonho de muitas Héteros de plantão, que eu bem sei!) Aí vem a perguntinha que não quer calar: Pipes com pau ou mais uma de Alex com um monstro? Ou melhor, Laylor com pau? Taylor ou Laura? Ui, seria divertido!
Enfim, thx por embarcarem nessa viagem louca, e fiquem agora com algo mais calmo: https://spiritfanfics.com/historia/the-edge-of-never-9310912

Kisses, kisses! 💋

Ps: Nicky deixou uma chupava do pirulito dela para vcs! 😋


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...