História Bad Angel - (Kim Seokjin) - Capítulo 19


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Visualizações 24
Palavras 1.097
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Fantasia, Ficção, Hentai, Luta, Magia, Romance e Novela, Violência
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olááááá!

Hot? HOT HOT HOT HOT HOOOOOT! Asdoron
Parei -qq
Gente, já aviso que se tiver algum erro ortográfico ou sei lá do que neste cap, é porq deu uns bugs aí na hora que eu fui postar e tals...
E perdoem o meu hot lixo, ta? Tenham piedade de mim kskkks
<3

Capítulo 19 - "Eu te odeio, garota!"


-Por que eu te amo, Yuri! –Ele diz quase gritando. O encaro e ele solta um sorriso.

*Jin on*

-Você me ama? Você me quer? –Ela diz encarando-me.

-Você não me quer, eu não te quero. Eu só não queria ficar com isso guardado dentro de mim, entendeu? Agora que eu te contei, posso me iludir em paz... –Digo fazendo bico.

-Vai dizer que não me quer agora?! –Ela diz aproximando-se de mim. –Eu quero ouvir você dizendo que não me quer, hyung... –Ela diz manhosa. Eu estava me segurando para não avançar naqueles lábios. Ela me provoca, me deixa literalmente louco. Mas eu não vou fazer isso, não vou...

-Pare com isso, Yuri... –Digo arfando ao sentir sua intimidade roçando em meu membro, quando ela me abraçou. Ela apenas da risada.

-Você é doido, SeokJin. Ponto para mim! –Ela diz virando-se e indo até a escada, rebolando.

-Doido por você! –Digo indo até ela e a prendendo contra a parede. Ela olha em meus olhos e solta um sorriso sapeca. Naquele momento a minha sanidade foi embora.

-Estou vendo como você resiste às “forças do mal”... –Ela diz iniciando um beijo. Ficamos assim por um tempo até o bendito ar acabar. Pego em sua mão e a puxo até o quarto. Tranco a porta e logo começo a beija-la novamente. Faço uma trilha de beijos pelo pescoço dela e percebo um arrepio percorrer seu corpo. Levo minha mão até a sua intimidade, ainda coberta pelo tecido da roupa, e sorrio.

-Nem comecei e você já está molhada... –Sussurro em seu ouvido.

-Filho da mãe... –Ela diz começando a tirar sua roupa e eu faço o mesmo. Eu estava apenas de boxer e ela com sua lingerie preta de renda.

-Que fofa a sua lingerie... –Digo dedilhando o seu corpo, do pescoço até o meio de seus seios, onde ficava o fecho de seu sutiã. –Mas eu prefiro você sem ela! –Abro seu sutiã e o jogo em qualquer canto do quarto, começando a deixar vários chupões pelos seus seios.

*Yuri on*

Realmente, aquilo nem tinha começado e eu já estava molhada. Ele ajoelha-se no chão e me olha como se dissesse “posso?”. Assenti com a cabeça e ele rasgou minha calcinha rapidamente e penetrou-me com a língua, fazendo movimentos circulares, fazendo-me soltar um gemido baixo. Depois de um tempinho, senti que estava chegando ao meu limite e me desfaço em sua boca que engole tudo de uma vez enquanto levantava-se do chão. Ele sorri e me beija fazendo-me sentir meu próprio gosto.

-Minha vez... –Digo o empurrando para a cama. Começo a beija-lo enquanto o deitava na cama, ficando por cima dele. Encaixo minha intimidade na parte de seu membro, que ainda estava coberto pela boxer, e começo a rebolar em cima dele lentamente.

-Y-yuri tire isso... –Ele diz, cerrando os olhos.

-Isso aqui? –Pergunto maliciosa, colocando a mão sobre seu membro e apertando de leve, fazendo-o arfar.

-Eu te odeio, garota! –Ele diz invertendo as posições, ficando por cima de mim. Sorrio sapeca e ele me beija. Logo ele levanta indo até sua estante e tira de lá um pacotinho. Abre o mesmo e coloca em seu membro, após tirar a boxer. Ele volta, ficando por cima de mim novamente.

-Irei te punir agora! –Ele diz e, sem aviso prévio, me penetra, fazendo-me gemer alto. Ele começa a dar estocadas lentas até eu me acostumar. Levo minhas mãos até seu ombro e cravo as unhas no mesmo, conforme ele ia acelerando os movimentos. Sua respiração ofegante em meu ouvido e nossos gemidos em sintonia, ecoavam pelo quarto. Logo ele começa a estocar mais forte e mais profundo, chegando ao meu ponto, fazendo-me gemer mais alto. Naquele momento só ouvia-se os gemidos e o som de nossos corpos se chocando. E foi assim até chegarmos ao nosso limite juntos. Ele se joga na cama ao meu lado, com a respiração ofegante, e logo forma-se um silêncio no quarto. Mas era um silêncio bom, sabe?

-Você é uma boa garota! –Ele diz puxando-me para seu peitoral.

-Ponto para mim de novo! –Digo entre risos.

-O que é que você fez no seu braço? –Ele pergunta, sem olhar para mim.

-Oh... Eu acabei cortando sem querer... –Digo desviando o olhar. Se eu dissesse que Bobby havia me cortado com a espada, aí é que ele ficaria puto e iria querer tretar.

-E nas suas mãos? Elas estavam enfaixadas... –Ele diz pegando em minha mão e a encarando.

-Machuquei também... –Digo fazendo biquinho. Eu tenho que mentir, fazer o que né... As minhas mãos não estavam mais enfaixadas, mas ainda tinham as cicatrizes das queimaduras daquela bendita jaula.

-Você se machuca muito, não acha? –Ele diz encarando-me.

-É a vida, né... –Sorrio torto. Ficamos em silêncio e, depois de um tempo, percebo que ele havia dormido. Eu não estava conseguindo dormir, não sei por que. Levanto da cama e vou até meu quarto. Pego uma troca de roupas no armário e visto. Deito em minha cama e tento dormir, mas não consigo.

-Aish... –Resmungo para mim mesma e desço para a cozinha. Pego uma xícara de café e vou para a sala assistir TV. Sei que café não vai ajudar em nada, mas eu gosto. Fico ali na sala assistindo TV e bebendo café por um tempão.

[...]

Escuto o barulho de passos e olho para trás, vendo Jin descendo as escadas.

-Acordou tão cedo assim? –Ele diz vindo até mim.

-Eu nem dormi... –Digo sem olhar para ele.

-Ué... Por quê? –Ele pergunta.

-Não sei... –Digo fazendo bico. Ele da de ombros e volta sua atenção para a televisão. Levanto do sofá e vou para meu quarto, me trocar para ir à escola.

-Onde vai? –Ele pergunta sem entender.

-Hoje temos aula, esqueceu? –Digo e corro para meu quarto. Pego uma calça jeans, uma camiseta branca e um moletom cinza e visto tudo. Vou para o banheiro, faço todas as minhas higienes e saio.

-Jin, anda logo, vamos nos atrasar! –Grito e ele desce correndo as escadas.

-Vamos então, sua apressada! –Ele diz, pegando em meu pulso e me puxando até a escola. Chegando lá, encontramos os meninos reunidos em um canto, conversando sobre algo.

-Olha eleees! –Hoseok grita ao nos ver chegando.

-Não grita! –Digo baixinho.

-Osh, o que houve? –JungKook pergunta.

-Ela não conseguiu dormir... –Jin diz.

-Eu não consegui dormir! –Digo fazendo biquinho.

-Awn, que fofa! –TaeHyung diz apertando minhas bochechas.

-Vish, olha quem chegou... –NamJoon diz baixinho, acho que na intenção de ninguém escutar. Infelizmente ele falhou, pois todo mundo olhou para trás. 

Continua...


Notas Finais


Gostaram do meu hotzin? Podem comentar, eu deixo <3

Até o próximo capítulo, e te amo vocês! <3
<3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...