História Bad, bad company. - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Justin Bieber
Personagens Jaxon Bieber, Jazmyn Bieber, Jeremy Bieber, Justin Bieber, Pattie Mallette
Exibições 16
Palavras 2.054
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Drama (Tragédia), Festa, Ficção, Hentai, Romance e Novela, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Oi, oi ~
Olha eu aqui de novo 🙌🙌🙌
Bom, para quem ainda não sabe eu editei o último capítulo porque acabou ficando muito longo e acaba ficando aborrecido de ler. Por isso, como eu amo muito vocês e só penso no vosso bem estar, resolvi postar o capítulo por partes. Vamo ver no que dá, né 😂
Huashuashuas
Boa leitura gostosos e gostosonas 😘❤

Capítulo 4 - Fourth Chapter.


Fanfic / Fanfiction Bad, bad company. - Capítulo 4 - Fourth Chapter.

Virei costas rapidamente e fechei os olhos com força tentando afastar aquela visão do satanás da minha cabeça.

- Merda!!! - berrei feita doída do tanto de vergonha que estava sentindo.

- Me desculpa, meu não sabia que... - senti que ele se aproximava.

- SE VISTA GAROTO!! - mandei perto de um colapso no coração.

Ouvi a risada gostosa dele bem baixinho. Me virei irritada e gritei.

- Tá rindo do quê garoto??? - arregalei de novo os olhos ao perceber que ele ainda estava nu, mas dessa vez, me olhando com a mesma expressão que me olhou da primeira vez que nos vimos. Virei de novo e voltei fechando os olhos.

Cacete! Demónio!

Sem vergonha na cara.

- Não se preocupa não, não é nada que você já não tenha visto. - a voz dele se fez ouvir.

- QUÊ? - gritei irritada.

- Vai dizer que nunca viu ninguém pelado?

- Aff. - bufei. - Vá se catar.

Cruzei os braços em baixo do peito e bati o pé no chão de nervoso.

Óh vontade de tacar gasolina em você e te atirar fogo em cima.

- Prontinho, pode virar sua mal humorada. - ouvi a voz dele novamente atrás de mim e rapidamente me virei. Assim que tive contacto visual com ele o mesmo sorriu e desviou o olhar para o cordão dos shorts de praia, apertando-o.

Aquele sorriso...

Deixei meu olhar descer pela parte exposta de seu corpo sem camisa. Seus braços desenhados ao pormenor, cada traço parecia dançar tão bem em redor de seu corpo bem estruturado. Parecia até mentira dentro da minha cabeça o facto de existir alguém tão...

- ...completo. - deixei escapar por entre os lábios, chamando a atenção dele. Seus olhos pousaram nos meus e os meus por ali ficaram. Seu sorriso desapareceu junto com a sua ação apertando os shorts. Seus olhos refletiam a água do rio correndo e brilhando ... Bieber... porque não sai da minha cabeça?

- JÉSSSS!!! - ouvi gritarem meu nome dentro da mata. Olhei na direção da voz e não vi ninguém, mas identifiquei a voz como sendo a da Tay.

- Ahram...- ouvi Bieber limpar a garganta e olhei para ele de novo.

- Que está fazendo aqui? - perguntei autoritária.

Ele olhou para mim e me virou costas pegar o resto das coisas que estavam caidas na grama.

- Desde quando eu tenho que te dar satisfação, ein mocinha? É minha mãe agora, é?

- Olha aqui seu arrombado - ele me olhou com um sorriso cínico. - isso daqui é me..

- JÉSS, CARALHO. ESTÁ AQUI, EU PENSEI QUE VOCÊ SE TINHA PERDIDO, OU SEI LÁ... VOCÊ ESTÁ BEM? - Tay apareceu de repente e correu até mim, ofegante, falando rápido, nem percebeu Bieber ali.

- Calma, eu estou bem não aconteceu nada, só cochilei um pouco.

- Oi pra você também baixinha. - o loiro lá cumprimentou-a e ela estremeceu um pouco, presumo que se tenha assustado. Sorri com isso.

- Oshi! Tá doido Justin? Quer me matar do coração? - ela levou a mão ao peito e respirou fundo.

- Sou assim tão gostoso para você se assustar? - ele piscou pra ela, rolei os olhos com isso.

- Uhm, pergunta pra mim não, pergunta pra Jéss, ela deve saber.

- Tá louca Tay? - me indireitei ao ouvir meu nome naquela frase e olhei discretamente para ele. Ele me olhou por instantes e deu um meio sorriso, mas logo o desfez.

- Tô loucona mesmo!!! - Tay se espreguiçou e sorriu para nós os dois. - Ué Justin, não era pra você estar com Chaz? Ele está esperando você faz um tempão já.

Imagino. O demónio resolveu tomar o banho do ano no rio e deixou os outros esperando né.

- Eu ia, mas eu acabei perdendo a localização e aí esse calor todo me deu vontade de refrescar, acabei ficando por aqui mesmo. - ele riu.

- Que lindo, viu... - murmurei baixo.

- Falou alguma coisa moça? - ele perguntou.

Olhei para ele e dei de costas adentrando a mata, retomando para a mansão.

- Tensoooo... - ouvi Tay comentando baixinho e em seguida a risada de Bieber.

- Ahhh, você viu Jéss? Olhe só essa maravilha de casa toda cheirosa, que nem você... - Chaz chegou perto me fazendo rir.

- Shhhh evite o contacto cuzão. - o afastei empurrando ele com o dedo. - É, mas eu tenho de admitir, você fez um bom trabalho Chaz.

Ele sorriu vitorioso.

- É Jéss, você escusava era de nos assustar daquele jeito, pensava que você tinha caído e batido com a cabeça numa pedra do rio, perdido a consciência e acabadando por se afogar nele. - Tay explicou.

- Nossa e quando é a parte em que você acorda? - ri do filme trágico que Tay estava contando. - Eu só acabei cochilando um pouco, não me apercebi do tempo passando.

- Uhm e Justin? - engasguei com a a própria saliva ao ouvir seu nome. - Que estavam fazendo juntos?

- VOCÊS ESTAVAM JUNTOS? - Chaz se levantou da mesa de jantar e encarou Bieber, feito bicha escandalosa. Bieber era outro que o olhava com cara de "Não olhe pra mim, meu.".

Indireitei as costas e continuei jantando normalmente.

- Sim estavamos. - falei metendo uma garfada na boca. Todo mundo se calou incluíndo Bieber que me olhou com certa desconfiança. - Depois de acordar encontrei ele perto do rio, ele não sabia o caminho para a mansão e eu falei que o ajudava e aí chegou Tay. Fim da história seus fofoqueiros.

- Ahhhh bom, melhor assim, pensei... - Chaz falava e eu continuei jantando sem prestar atenção. Passei os olhos por Bieber um segundo e o mesmo estava com aquele meio sorriso de sempre.

- Ou, tá me ouvindo? - Chaz gritou perto de meu ouvido e eu me encolhi com a dorzinha.

- Tá doído caralho?? - olhei ele brava e todo mundo riu.

Vish. Vá se foder.

#Jay ponto de vista

- Ahhhh Jéss, o jantar estava uma delícia. Se não fosse você e esses seus cozinhados eu tinha morrido de tanto trabalhar hoje.

- Aff isso é porque você é um encostado, não faz nada dessa sua vida, só quer saber dos negos. - observei ela de longe brigando daquele jeito bravo de sempre. Já tinha saudades. Ri um pouco com seu jeitinho.

...

....

.....

Porque caralho eu estou rindo disso? Que merda é que você está fazendo Justin Drew Bieber?

Justin Drew Bieber? Eu nem falo assim, pareço minha mãe falando.

Eu estou falando sozinho?

- Justin? Vem? - Tay chamou minha atenção. - Chaz vai mostrar a surpresa pra todo mundo.

- Claro vou já. - pisquei.

Caminhei devagar atrás de Tay, apreciando a brisa quente batendo na minha cara. Fechei os olhos, respirei fundo e os abri de novo. Meu olhar pousou nela. Ela estava sorrindo daquele jeito que me agarra sempre, os cabelos dela voam com a brisa deslizando entre eles. A luz noturna cai tão bem sobre ela, parece até que ela não é real, como se fosse uma escultura feita de cera.

Me apanhei sorrindo enquanto a olhava e desviei o olhar rapidamente. Entrei dentro de casa, percebi que Tay me estava olhando e olhei para ela. Ela estava sorrindo para mim.

- Ai, ai, Justin, Justin ...- ela falou e passou por mim dando risadinha.

Ué!!!

Qué que é??? Nunca viu???

- Menina metida...- murmurei olhando ela por cima do ombro.

- Aí é? Tá surpreendida é? Fique sabendo que eu tenho uma surpresa planejada para todo mundo. - prestei atenção novamente na voz de Chaz.

- Mais uma? Nossa cuzão, a mata tá fazendo bem pra você, acho que te vou trazer aqui a passear de vêz em quando. - a morena soltou uma gargalhada alta.

- Ahh cala a boca. - Chaz resmungou e tirou algo do bolso. - Vou ter de vendar você, pode ser?

Quê? Vendar? Porque tem de vendar só ela?

- Vendar ? - ela recuou uns passos. - Não me parece cuzão.

- Deixa Jéss, eu não deixo ele fazer nada com você. - Tay falou entusiasmada.

- Tá com medo? - Chaz a provocou.

Ela arrancou a venda das mãos de Chaz e ela própria a pôs.

Mina orgulhosa, ein.

- Vá agora com calma, ande devagar. - Chaz a orientou com o caminho, os segui até à porta. Saimos de casa e fomos para as trazeiras da mesma. Pude ver a piscina já funcionando, cheia de água e com as luzes dentro dela ligadas.

- Fique quieta agora. - Tay pediu e se distanciou um pouco, junto com Chaz.

Viados, me deixando de parte.

- Vamos buscar uma coisa lá dentro e já voltamos, nem ouse em espreitar, tá ouvindo mocinha? - Chaz avisou e saiu correndo para dentro de casa junto com Tay.

Meu celular tremeu no bolso pouco depois e o saquei fora.

" Chaz-

Drew bota o olho nela, não deixa ela espreitar. Estamos tirando o bolo do forno, aguenta um pouco isso."

Olhei boquiaberto para o celular e depois para ela parada, vendada alí na frente da piscina.

Eu tenho cara de babysitter?

Quero nem saber. Tchau.

Guardei o celular no bolso e voltei as costas à mais nova e caminhei para dentro de casa.

- Affs. Tanto tempo. - a voz dela me fez parar. - Se isso fôr pegadinha, eu juro que vocês vão tomar bala na testa seus merdas.

Ouvi os passos dela irrequietos e olhei para trás rapidamente.

- Não se mexa idiota, vai cair! - corri e apressei-me a agarrá-la para que não cai-se à piscina. Ela estava prestes a cair quando consegui pegar a mão dela, que acabou me puxando junto.

Ouvi o grito dela abafado pela água assim que caimos os dois lá dentro.

Agarrei-a e puxei-a até à superfície. Ouvi-a respirar ofegante e tossir umas quantas vezes.

- Calma, calma. Pare quieta um segundo garota! - puxei-a para mim e retirei-lhe a venda. Ela me olhou assustada pela proximidade.

- O-oque... - ela olhou em volta ainda mais assustada e depois voltou a me olhar.

Meus olhos crusaram com os olhos coloridos que não abandonam os meus pensamentos. Ela me agarrava firme por não ter pé naquela parte da piscina. Inconscientemente puxei-a para mais perto de mim, colando ainda mais os nossos corpos, isso fez com que minha atenção se desviasse para o...grande decote que aquele bikini me mostrava. Pudia perceber cada gota descendo por entre os seios fartos dela. Engoli em seco e senti um tapa bem firme na cara.

- Nojento. - ela se soltou rapidamente de meus braços e nadou até às escadas da piscina.

- Espera aí. - tentei ir o mais rápido possível de encontro a ela.

- Jéssica, não foi isso que você está pensando. - a alcancei, e nesse momento ela começou subindo as escadas com a aquela bunda virada para mim. Me pedindo socorro...

Merda. Porque tem de ser tão gostosa?

- Uhum, tá bom. Tchau. - continuou de costas para mim subindo as escadas.

Me fodi agora.

Agarrei o braço dela e apuxei para dentro de água novamente, fazendo-a olhar para mim.

- Não foi nada disso...- olhei nos olhos dela e fiquei vidrado nela novamente. - eu não queria...

- Jus...- ela chamou por mim quase que num sussurro.

Senti meu sangue ferver e minha pulsação ficar acelerada com isso.

Ela tentou ir embora dos meus braços de novo, mas desta vez eu puxei-a a tempo e deixei-a bem coladinha a mim.

Percebi o olhar dela descer até meus lábios enquanto ela mordia os dela.

Por favor pare...eu não vou conseguir desse jeito...

- Jus...- ouvi ela me chamando de novo.

Eu não...

Desci meus olhos até seus lábios carnudos tentando ao máximo controlar minha vontade de a ter. Encostei-a na parede da piscina, colando nossas testas, agarrei nas coxas dela e ela subiu em meu colo. Consigo ouvir sua respiração descompassada. Ela me olhou cheia de desejo ...

- O que é que você fez comigo garota... - murmurei antes de esmagar os meus lábios nos dela.

Apertei as coxas dela contra os meus quadris enquanto ela me puxava o cabelo entre lutas intensas entre nossas línguas.

Eu podia beija-la o dia todo.

TODO.


Notas Finais


😨😱


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...