História Bad Blood - Capítulo 6


Escrita por: ~

Postado
Categorias Jensen Ackles, Justin Bieber, Luan Santana, Nina Dobrev
Exibições 42
Palavras 1.770
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Ficção, Policial, Romance e Novela, Suspense, Terror e Horror, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Voltei depois de sememas sem voltar e problemas emocionais sérios.

Espero que gostem do capítulo e não liguem pros erros de ortografia por que não foi corrigido o capítulo

Até as notas finais

Capítulo 6 - Você tem que saber o que quer daqui pra frente


Fanfic / Fanfiction Bad Blood - Capítulo 6 - Você tem que saber o que quer daqui pra frente

Será que nem se dormir nesse casa pode mais? Resmunguei fazendo com que as vozes sumissem por alguns segundos e reaparecenssem me fazendo bufar. Me virei na cama e abri os olhos encarando o teto branco do quarto, meus olhos logo se acostumaram com a claridade me fazendo me sentar na cama.

Olhei pro papai e franzi o cenho. Ele me olhou por longos segundos antes de morder o lábio. Ele estava enrolado em uma toalha da cintura pra baixo e algumas gotas de água escorriam por seu peitoral. Deus!

- o que você faria se eu falasse que fiquei excitada te olhando? - ele abriu um sorriso de canto totalmente malicioso mais uma tosse falsa me fez arregalar os olhos e olhar em direção a porta.

- O Justin veio falar algo... - papai falou com um tom de voz debochado. Alguma coisa estava errada entre os dois. 

- por que estão brigando agora? - Justin assim como papai engoliu seco e se entre olharam ficando em silêncio em seguida.

- não estamos... - arqueiei uma sobrancelha fazendo com que ele se calasse e suspirasse. - ele não tinha o direito de tirar a sua virgindade Emma. - ri incrédula, ele realmente falou isso? E como uma passe de magica a raiva do Justin voltou.

- isso sou eu quem decide não acha? - ele me olhou totalmente sério. - foi una escolha minha e você não tem o direito de se meter na minha vida...

- por que esta falando assim comigo? - ri incrédula, então as palavras dele na escola me voltaram a cabeça

- por que eu sou uma vadia lembra? Mais dessa vez eu dei e deus! Foi incrível, daria de novo. - ele ficou sem fala, eu sabia que ele sabia do que eu estava falando.

- tudo bem já chega. - papai se meteu fazendo com que nós dois o olhassemos. - Justin amanha a gente conversa você precisa descansar por causa do braço e sua irmã precisa de um banho então....

- mais pai... - ele nos cortou com só un olhar fazendo com que nos calassemos

- agora! - me levantei irritada da cama e fui em direção ao banheiro enquanto Justin batia a porta do quarto com força.

Abri o chuveiro e me enfiei en baixo do mesmo sentindo a água quente bater em minha pele me fazendo relaxar.

- sabe o que eu faria? - a voz do papai soou atrás de mim me fazendo pular de susto. - te foderia com força. - ele me imprenssou contra a parede gelada do banheiro. - você fica tão gostosa com as marcas dos meus chupões e mordidas no corpo sabia?

Meu quadril se moveu automaticamente em direção ao dele fazendo com que minha bunda fosse de encontro ao pau dele. Gemi assim que suas mãos deslizaram pelo meu corpo até parar na minha intimidade.

- Justin estava com ciúmes sabia? - o dedo dele deslizou sobre minha intimidade até parar no meu clitóris. - ele queria ser ele o primeiro a entrar nessa bucetinha apertada. - gemi jogando minha cabeça contra o peito dele deixando meu corpo completamente vulnerável. - geme bem alto amor, deixa seu irmão saber que ele não tem potencial pra ser o seu primeiro. Mostra pra ele que você é minha!

E foi com essas palavras que meu gemidos começaram a soar, chamando o nome dele e implorando por mais. Seus dedos começaram a trabalhar em conjunto, enquanto um trabalhava em meu clitóris outro trabalhava dentro de mim.

Meu corpo começou a tremer e eu me agarrei aos braços dele gemendo ainda mais alto. Ele sorriu em meu pescoço enquanto continuava a falar palavras obscenas, e isso só me excita ainda mais.

- para! - gemi enquanto segurava seus braços. - eu preciso de você, agora! - ele sorriu e me virou de frente pra ele adentrando minha boca com a língua. O chuveiro continuava aberto com a água caindo sobre nossos corpos nus.

Ele me deu impulso pra subir em seu colo e foi extamamente isso que eu fiz enlaçando minhas pernas em sua cintura.

- eu sempre quis foder no chuveiro sabia? - sorri ao ouvir suas palavras. Gemi enquanto o membro dele foi me preenchendo aos poucos. - Olha pra mim. - Ergui minha cabeça do corpo dele e encarei seu rosto. Meus olhos se fixaram nos deles enquanto ele se movimentava pra dentro e fora de mim.

Ele mordeu o lábio inferior enquanto me olhava fixamente, meus gemidos saiam baixos e minhas unhas arranhavam suas costas.

- Jen... - ele sorriu enquanto se empurrava com mais força e fundo dentro de mim. Meu quadril começou a se movimentar sem minha permissão indo de encontro a ele. - Ah Deus, você é tão grande... - ele riu enquanto continuava com os movimentos.

Meu corpo todo estremeceu e eu atingi o clímax praticamente gritando o nome dele. Alguns estocadas depois e ele gozou. Meu corpo se chocou contra a parede enquanto eu tentava me manter de pé.

- isso não deveria ter acontecido merda - neguei com a cabeça enquanto me enrolava em uma toalha. - Emma...

- por que você continua fazendo se vai se arrepender depois? - ele engoliu seco ao ouvir minhas palavras. - para de me usar como estepe!

Sai do banheiro rapidamente, ajuntei o que sobrou das minhas roupas e sai do quarto batendo a porta com força. Minha visão embassou e eu senti a ardência nos olhos vir com tudo.

- o conto de fadas acabou foi? - mamãe estava sentada na minha cama e tinha um sorriso debochado no rosto. - como se sente? Seu pai conseguiu mesmo não foi?

- conseguiu o que? - perguntei confusa, minha cabeca cabeça esta cheia demais pra conseguir raciocinar direito. - do que você esta falando? - ela me olhou confusa e riu em seguida.

- do plano pra te fazer parar de birra e ir pra cadeia sem reclamar? - franzi o cenho confusa vendo o sorriso dela aumentar. - não vai me dizer que achou que ele transou com você por que sente desejo não é?

Como assim? Se ele não... Ah meu Deus! Claro, foi tudo um plano. As palavras bonitas, a "briga” com a mamãe, o arrependimento. Deus como sou burra! Ele me usou, e eu idiota cai feito um patinho, meu deus.

Ela saiu do quarto rindo assim que me viu cair no chão chorando. Ela sabia de tudo! Ela sabia e não fez nada! Meu deus!

Parabéns Emma você acaba de ganhar o prêmio de troucha do ano. O que um cara como ele iria querer com você? Sua burra!

Não vou ficar aqui e esperar que chegue a hora de ir presa por que não vou ser presa, não vou mesmo.

Depois de colocar uma roupa e pegar meu celular e uma mochila com algumas coisas sai do quarto. Não me querem aqui, pois bem não vou ficar aqui.

Ao dobrar o corredor dei de cara com Jensen. Ele me encarou confuso olhando pra mochila no meu braço.

- aonde você vai a essa hora da noite? - tentei passar por ele sen responder mais ele barrou minha passagem. - eu estou falando com você Emma.

- pra qualquer lugar longe dessa familia e de você. - praticamente rosnei as palavras com ódio, ele franziu o cenho confuso me fazendo revirar os olhos.

- do que você esta falando? - ri debochada enquanto apertava a alça da mochila com força.

- pode parar de fingir, Olívia me contou tudo. - tudo pareceu se iluminar no rosto dele me fazendo tentar passar novamente.

- Jensen amor. - Olivia apareceu e nos olhou confusa. Assim que ela viu Jensen a olhar irritado ela bufou. - você abriu a boca não abriu vadia? - ri incrédula tentando passar novamente. Jensen me segurou novamente.

- o que foi que você falou Olívia? - ela se calou e não respondeu. - não me obrigue a te fazer falar Olívia. - ela continuou sem falar fazendo com que ele agarasse pelo braco a jogasse contra uma parede. - Fala cacete! - ela se encolheu e suspirou.

- disse que você estava me usando para um plano bobo de me fazer ir sen reclamar pra cadeia, que foi só um jeito que você achou pra ter o que queria. - ele olhou pra ela novamente e eu vi o pavor nos olhos dela.

- e você acreditou? - dei de ombros enquanto encarava os dois. - não acredite nisso Emma, eu sei que esta confusa e com medo maia eu nunca faria uma coisas dessas com você. - susoirei e desviei o olhar, eu sabia que o silêncio dela era confirmação da mentira mais e esse tudo isso não passou de um plano dos dois?

- e faria por que então? - Olívia retrucou e isso foi o suficiente pra que eu soubesse que não era plano, ela estava muito brava.

- já passou pela sua cabeça que existe pessoas mais bonitas e gostosas que você? - ela abriu a boca várias vezes me fazendo rir.

Ela não respondeu só passou por nós e foi em direção ao quarto batendo a porta em seguida.

- volta pro quarto. - ri e novamente tentei passar por ele, tudo bem era mentira mais e quando isso tudo vai mudar? Não vou ser presa. - Eu ainda sou seu pai Emma.

- por favor Jensen. - falei debochada. - você realmente acha que vou ficar aqui depois de tudo o que ela fez e falou? Que tipo de mãe faz isso? E você? Meu pai? Não pensou isso enquanto me usava não é?

- eu não te usei Emma. - ele suspirou. - eu só... Eu não sei o que você esta pensando de tudo isso por acredite eu não tenho motivos pra me arrepender mais sim pra  me preocupar com que eu estou fazendo com a sua cabeça, em como você se sente com tudo isso. - ele suspirou. - eu sei o que quero Emma, mais você tem que saber o que quer daqui pra frente.

- você acha que eu não sei? Acha que minha cabeça esta fodida? Pelo amor de Deus! Eu perdi minha virgindade com você por que quis! - gritei irritada. - se eu estou confusa então não sei mais o que é não estar confusa.

Ele sorriu e me puxou pela cintura colando seus lábios nos meus, minha mochila caiu no chão e eu me entreguei de bandeja pra ele. Por que isso só acontece comigo?


Notas Finais


O que acharam? Justin vai se fazer presente nos próximos capítulos e as coisas vão esquentar com a chegada de algumas pessoas.

Até o próximo capítulo ;*


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...