História Bad Blood - Capítulo 8


Escrita por: ~

Postado
Categorias Jensen Ackles, Justin Bieber, Luan Santana, Nina Dobrev
Exibições 24
Palavras 2.640
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Ficção, Policial, Romance e Novela, Suspense, Terror e Horror, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Oi amores, passei um bom tempo sem postar e finalmente postei.
Sei que o capítulo pode estar meio sem graça mais foi preciso.
Enfim, não foi corrigido então me desculpem qualquer erro de digitação.
Boa leitura.

Capítulo 8 - Briga


Fanfic / Fanfiction Bad Blood - Capítulo 8 - Briga

Meia hora, esse é o tempo exato em que Justin entrou no escritório do papai e os dois começaram a brigar. Tentei entrar mais os seguranças não deixaram, falaram que eu poderia me machucar e que tinha ordens diretas do papai pra não me deixar pisar lá dentro.

Candice está apavorada no sofá, é a primeira briga que ela presencia e posso dizer que é uma das piores. Os gritos são constantes e o barulho de algo se quebrando consegue ser ainda mais pertubador do que os gritos.

- Mamãe você tem que fazer algo. - falei pela centésima vez desde de que tudo aquilo começou. 

- Não vou entrar ali nem a pau. - ela retrucou me fazendo bufar. Eu não posso entrar, Candice não está em condições e a única pessoa que poderia parar isso está sentada no sofá com os olhos pregados no maldito celular.

Mais gritos e mais coisas se quebrando e então tudo ficou silencioso.  Papai abriu a porta rapidamente e olhou pra mamãe no sofá que o olhava anciosa.

- Acho que quebrei o braço do nosso filho. - Candice abafou um grito levando as mãos a boca enquanto eu o olhava incrédula.  Olivia se levantou do sofá em um pulo e acompanhada de Candice as duas entraram no escritório.

- Qual é o seu problema? - falei assim que tentei passar por ele. Meu corpo deu um giro de 360 graus completo assim que ele me puxou pelo braço. 

Em questão de segundos ele me fez virar pra ele e então me empurrou contra a parede me virando novamente e me deixando com a cara totalmente colada a parede a nossa frente.

- Meu problema é você.  - engoli seco assim que suas mãos deslizaram pela minha cintura. Seu corpo forçou o meu um pouco mais contra a parede. - Você me deixa louco e ao que parece tem o mesmo efeito no seu irmão. 

Me soltei de seu aperto e me virei encarando seus olhos verdes. Foi só então que percebi os efeitos causados pela briga nele. Seu lábio perfeito estava cortado, a bochecha estava um pouco inchada e vermelha e ele parecia ter dificuldade em se mexer.

- Meu Deus. - murmurrei enquanto levava minhas mãos até seu rosto, era incrível como até mesmo machucado ele ficava lindo. - O que realmente aconteceu lá dentro?

Ele fechou os olhos e aproveitou o carinho que eu fazia em seu rosto. Ele parecia bastante vulnerável, e por alguns segundos cheguei a considerar que a culpa daquilo tudo poderia ter sido totalmente e somente de Justin. Alguns segundos depois eu percebi que estava pensando besteiras, ninguém briga sozinho.

- Justin falou algumas coisas de você que me fizeram perder a cabeça.  - sua testa se encostou na minha enquanto ele ainda mantia os olhos fechados, parecendo com medo de me encarar. - Emma eu não consigo me controlar quando o assunto é você, eu nunca consegui.

- O que você fez? - ele abriu os olhos e eu percebi as lágrimas, ele estava preocupado com o estado de Justin e preocupado com oque eu iria pensar depois que descobrisse o estado em que ele deixou meu irmão, eu conseguia ver isso nos seus olhos. 

- Eu sinto muito. - seus lábios foram de encontro aos meus e as lágrimas finalmente desceram de seus olhos. Ele se afastou de mim e suspirou antes de sair caminhando em direção a garagem.

Assim que escutei os pneus do carro cantando e o portão se abrindo corri em direção ao escritório com o coração na mão, preocupada com o estado de Justin, preocupada com as besteiras que Jensen poderia cometer e acima de tudo preocupada com a minha sanidade.
Mamãe estava ajoelhada assim como Candice ao lado de Justin que estava no chão enquanto alguns dos seguranças do papai falavam um com outro o que deveriam fazer.

- Jus. - me ajoelhei ao lado de mamãe e arregalei os olhos ao ver o estado em que seu rosto se encontrava.

O sangue já seco cobria a maior parte de seu rosto e roupas, ele gemia de dor cada vez que algum dos homens mexia em seu corpo.  O lábio estava cortado, as bochechas estavam inchadas e vermelhas, havia cortes em quase todo o seu rosto e os olhos estavam roxos.

- Emma. - ele sorriu assim que me viu e eu senti as lágrimas desceram pelo meu rosto. - Ei, não chora, eu estou bem. - neguei com a cabeça enquanto acariciava seu cabelo. 

- Como ele pôde fazer isso com você? - minha voz saiu áspera e falhada por conta do choro. - Ele é um monstro. 

Justin sorriu mais logo o seu sorriso foi interrompido pelo grito de dor, um dos seguranças olhou pra mamãe e ela rapidamente se levantou e foi até a mesa pegando o telefone e discando o número da ambulância. 

- Me promete uma coisa. - Justin segurou uma das minhas mãos com um pouco de dificuldade e suspirou. - Me promete que você não vai deixar ele te tratar mal,  me promete que se você nao aguentar mais você vai parar, me promete Emma que você não vai desistir de si mesma por causa dele.

Eu fiquei totalmente sem reação diante de suas palavras, tinha muita coisa ali que nenhum dos dois estava me contando e eu estava cansada desse jogo, estava cansada de ser feita de idiota pelos dois.

- Emma. - Candice chamou a minha atenção e eu percebi que fiquei sem responder por alguns bons minutos. Justin me olhava esperando uma resposta mais eu simplesmente não tinha uma.

- Promete Emma.  - engoli seco sentindo a pressão do olhar de todos naquele escritório em cima de mim. Sorri fracamente e apertei sua mão. 

- Eu prometo Jus. - ele sorriu gemendo de dor logo em seguida. Escutei as sirenes da ambulância e me levantei saindo dali em seguida.

Por Deus eu preciso sair daqui!

                         ***

Assim que atravessei a porta joguei minha bolsa em qualquer canto assim como os meus tênis.  Eu sei que alguém vai levar eles lá em cima depois e por mais que eu odeie a ideia de deixar esse tipo de coisas para os empregados eu preciso mesmo de um banho e uma cama.

Passei a noite inteira no hospital com Justin.  Ele tem duas costelas quebradas e um braço e passou por uma cirurgia de emergência já que também estava com emorragia interna.

Chorei praticamente a noite toda enquanto ele se mantia sedado por causa da dor, o médico disse que ele estava estável e se tudo ocorresse bem em poucos dias vai receber alta, eu só conseguia pensar em quanto tempo vai demorar pra que isso aconteça e ela vá parar no hospital novamente. 

Quando mamãe e Candice apareceram hoje de manhã acompanhadas de Charlotte e alguns amigos de Justin eu dei graças a Deus pois não aguentava mais ficar naquele quarto com ele e não chorar.

Abri a porta do meu quarto jogando o celular em cima da pentiadeira em seguida e tirando o casaco. Me virei e quase que meu coração saltou do peito com o susto.

- Eu não queria te assustar. Desculpa. - Jensen estava totalmente acabado. Estava com olheiras profundas e os olhos vermelhos.

- O que você está fazendo aqui? - ele suspirou e se levantou da minha cama me fazendo engolir seco, ele vestia apenas uma calça de moleton preta deixando seu peitoral perfeito a mostra.

- Como ele está? - Franzi a sobrancelha confusa, mamãe veio pra casa sabendo do estado de Justin.  - Sua mãe me ignorou enquanto esteve aqui e eu não achei certo perguntar pra Candice, ela estave bem assustada.  - Assenti ainda confusa.

Uma parte minha queria gritar com ele, dizer qye ele é um monstro, que não quero mais o ver. Outra parte, a maior, queria sentar na cama e fazer carinho nos seus cabelos e dizer que a culpa não era dele. Queria o abraçar e deixar ele fazer o que quiser comigo por que eu sou dele e já me conformei com isso.

- Ele teve duas costelas quebradas e o braço, teve que passar por uma cerurgia por que estava com uma emorragia interna. O médico disse que o estado dele é estável e que em breve terá alta. - ele engoliu em seco e levou as mãos aos cabelos totalmente desolado. 

- Meu Deus, o que eu fiz? - suspirei e me aproximei dele envolvendo meus braços em sua cintura. Ele ficou totalmente surpreso mais logo retribuiu o abraço. 

- Ele vai ficar bem. - sussurrei enquanto encostava minha cabeça em seu peito. Ele beijou o topo da minha cabeça e suspirou enquanto aspirava meu perfume me deixando totalmente arrepiada.

- O que seria de mim sem você? - me afastei um pouco dele mais tomando cuidado pra permanecer em seus braços. 

- Eu deveria fazer essa pergunta. - ele sorriu e colou seus lábios no meu.

Eu sei que deveria estar puta com ele, deveria gritar, xingar, bater e falar tudo o que eu estou pensando mais por Deus, eu simplesmente não consigo.

Ele mordeu meu lábio inferior e me jogou na cama subindo em cima de mim em seguida. Minhas pernas envolveram a cintura dele enquanto eu o puxava pra mim.

Eu simplesmente perdi toda a sanidade que me restava e me deixei levar por seus toques e os beijos me entragando completamente há ele.

Em questão de minutos já estávamos sem roupa e nossos corpos insistiam em ficar cada vez mais próximos um do outro.

Seus lábios deslizaram pelo meu queixo e em seguida foram para meu pescoço deixando uma trilha de beijos e mordidas ali me fazendo arfar.

Ele sorriu ao me ouvir gemer baixinho assim que suas mãos apertaram meus seios acariciando os dois e me deixando sem chão.

O puxei novamente para mim e o beijei, deixei que ele comandasse o beijo e segui seu ritmo, seu gosto dd uísque e menta quase me dez delirar enquanto sua língua explorava cada canto da minha boca me deixando ainda mais louca por ele, se é que isso é possível. 

- Eu preciso de você, agora. - ele sorriu e então entrou em mim com uma estocada forte e bruta fazendo ambos gemer.

Ele começou a se movimentar dentro da mim enquanto eu sentia meu corpo inteiro queimar, minhas unhas se cravaram em suas costas enquanto ele entrava e saia de mim cada vez mais rápido. 

Ele enterrou sua cabeça no meu pescoço arfando e gemendo baixinho me fazendo enlouquecer. O puxei mais pra mim enquanto mordia e beijava seu pescoço, eu sabia que ele estava sorrindo se divertindo com a minha falta de controle.

- Goza pra mim princesa. - seus olhos se fixaram nos meus e sua voz totalmente rouca me deixou em êxtase.  Eu simplesmente fiz o que ele pediu e explodi em um orgasmo maravilhoso em baixo dele.

- Jensen. - ele sorriu e com mais algumas estocadas chegou ao limite e se derramou dentro de mim caindo totalmente ofegante em cima do meu corpo.

Sorri e fechei os olhos enquanto sentia ele abraçar minha cintura e beijar meu pescoço.  Levei minhas mãos até seu cabelo e não hesitei em começar a acariciar seu couro cabeludo. 

- Você é minha? - ao contrário de todas as outras vezes eu percebi o tom de medo e pergunta em sua voz, ele estava com medo e eu sabia disso.

- Eu sempre fui sua. - ele sorriu e colou nossos lábios em um selinho demorado me fazendo sorrir. 

Eu sabia que nunca mais o veria assim novamente, eu nunca mais veria esse Jensen, com medo e totalmente carinhoso, desesperado pra ouvir de mim que eu não o abandonaria, eu sei que ele esta assim pela culpa do que ele fez com Justin mais não me impede de aproveitar enquanto posso.

                        ***

Pra minha total surpresa quando Candice apareceu em casa essa tarde estava acompanhada dos amigos de Justin e de Charlotte.

Jensen ficou totalmente tenso ao ver ele passarem pela porta, e seus braços rapidamente se afastaram de mim assim como o resto dele.

- Sr. Ackles. - eles cumprimentaram totalmente sem graça, era evidente o medo na voz dos três garotos e ao contrário do que eu pensava meu pai ficou totalmente desconfortável com isso.

- Eu vou subir. - ele falou enquanto me olhava. Em questão de segundos ele desapareceu escada acima me fazendo suspirar.

- Está tudo bem? - Char perguntou enquanto se sentava ao meu lado e sorria. 

- Não.  - suspirei e levei a mão ao cabelo nervosa. - ele está um caco, e eu não sei o que fazer. - ele revirou os olhos me fazendo levantar.

- Sem querer ofender Emma mais ele merece. - olhei pra ela totalmente incrédula assim como Candice.  - olha o estado que ele deixou o Jus, estar se sentindo horrível é pouco.

- Você não sabe o que aconteceu, talvez Justin tenha merecido.  - Candice tratou de responder antes mesmo que eu, me deixando surpresa.

- Você não os conhece, está aqui a dois dias fofa. - Charlotte rebateu totalmente irônica e seca me deixando com raiva. 

- e você por acaso os conhece? - ela me encarou surpresa.  - Se liga Charlotte você é só mais uma que esta dando pro meu irmão então não haja como se conhecesse minha família por que não conhece.  - ele engoliu em seco enquanto eu ia em direção as escadas.

- Você sabe que ele está errado. - ela falou alto o suficiente pra chamar atenção de alguns seguranças do lado de fora e com certeza do meu pai no andar de cima.

- Eu não sei e você também não.  Os únicos que sabem o que aconteceu naquele escritório e Justin e ele então cale a porra da boca e sai da minha casa.  - ela riu debochada.

- Eu estou na casa do meu namorado fofa, se liga Emma você não passa de uma vadia tentando ser superior ao outros mais nós duas sabemos que você não é.  - os passos de papai na escada chamaram a atenção de todos nós. 
Ele terminou de descer as escadas e me encarou suspirando em seguida e então se virou pra Charlotte. 

- Correção, você esta na minha casa, isso aqui esta longe de ser do Justin algum dia então se minha filha pediu pra você sair recomendo que faça isso, você viu o que eu fiz com meu filho imagina o que eu farei com você.  - a voz totalmente calma dele conseguia deixar as coisas ainda mais assustadoras do que o normal.

Todos ficaram quietos e sem reação. Ele conseguia ser bem assustador quando queria e acredite você não vai querer ver.

Charlotte se levantou do sofá bufando e saiu batendo a porta com força.  Ele se aproximou de mim e acariciou meu rosto.

- Você está bem? - assenti com a cabeça e ele sorriu. - fiquem a vontade.  - e então subiu as escadas novamente com uma velocidade que deveria ser proibida.

Eu entendo que Charlotte vai ficar do lado de Justin mais ela não o conhece. Jus pode ser um amor mais eu sei que ele é uma praga quando quer ainda mais quando se trata do meu pai, nenhum dos dois estava certo nessa história mais ela não tem o direito de falar essas besteiras e nem se dar ao trabalho de escutar os dois lados, ainda mais quando nenhum dos lados contou o motivo da briga.

Eu sei que estou envolvida nisso, as palavras dos dois depois da briga só me provam isso e eu também sei que não é coisa boa.  Eu vou descobrir, custe o que custar eu vou descobrir.


Notas Finais


Me desculpem pelo hot totalmente sem graça, sou péssima nisso.
Enfim, o próximo capitulo vai estar cheio de surpresas e briga, as coisas vão começar a esquentar entre Justin e Emma.
Enfim é isso. Até o próximo capitulo.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...