História Bad Boy - Capítulo 17


Escrita por: ~

Postado
Categorias Big Bang
Tags Bad Boy, Comedia, Drama, Drogas, Gayoon, Girl's Day, Hentai, Hiery, Ji Yong, Romance, Woosoo
Exibições 53
Palavras 2.951
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Festa, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Boa leitura❤

Capítulo 17 - Mais que na hora


Fanfic / Fanfiction Bad Boy - Capítulo 17 - Mais que na hora

Olhei atentamente pra ela que me encarava incrédula, eu queria muito, muito mesmo poder ficar com ele, e eu não hesitaria a lutar se não tivesse a vida de alguém em jogo, mas a partir do momento em que isso passou a ser um jogo perigoso não só para mim, mas para as pessoas que gosto, tudo mudou. Se eu continuar com isso, mais pessoas podem se ferir e eu estaria sendo egoísta demais, não tenho dúvida do que devo fazer

-Não tenho escolha! -digo e abaixo a cabeça-

-FALA SÉRIO THAY! VAI MESMO ENTREGAR ELE DE BANDEJA PRA GAYOON? CADÊ A GAROTA PERSISTENTE QUE CONHECI?

-Gayoon quase te matou Hiery! Qual é seu problema? Quer que eu coloque mais pessoas em perigo por causa de um romance que nem sei se vai dar certo?

-Sabe o que acho? -se levantou impaciente- acho que você esta sendo covarde!

-Que seja covardia então! Não vou discutir mais Hiery, já tomei minha decisão!

-Bom, mesmo assim, amanhã mesmo saio dessa cidade... realmente espero que reconsidere sua decisão, até porque, até quando você vai ficar sendo manipulada pela sua irmã?

-Não sou manipulada, ela me deixou sem escolha porra! -disse alterada e me levantei pegando minha bolsa- Se você vai embora, então acho que é a ultima vez que nos veremos certo? -me aproximei dela a abraçando-

-Provavelmente, mas eu te mando mensagem... só que sempre se lembre do que vou te dizer, eu não conheci G Dragon, mas eu ouvia muito as pessoas dizerem que ele sofria muito por conta de uma mulher que havia o abandonado, e descontava sua frustração nas drogas e bebidas, e depois que você chegou na vida dele isso mudou, ele é mais calmo e até mais feliz eu diria, agora imagine como ele vai ficar quando dizer a ele que não o quer mais...  vale mesmo a pena?

Eu não respondi, mas não nego que pensar nisso me partiu o coração, ela me soltou do seu abraço e me encarou, dei um último tchau pra ela antes de sair pela porta, fui andando a pé pelas ruas escuras, comecei a pensar na melhor forma de dispensa-lo sem que ele saísse muito machucado, se é que isso ia ser possível. Me sentei em um banco e apoiei a cabeça nas mãos e logo me permiti chorar. Me lembrei do nosso primeiro beijo naquela festa, da noite que ficamos fumando e rindo na piscina, das crises que ele dava mas sempre dizia que não era ciúmes, dele conversando com Pandora e depois me dizendo aquelas palavras enquanto pensava que eu dormia “Espero que dessa vez seja diferente... sem mentiras, traições, decepções... espero que você seja a garota que eu sempre sonhei encontrar!” dei sinal pra um táxi e dei o endereço de G Dragon pra ele, logo ele deu partida e fomos, fui olhando as paisagens pela janela, enquanto suas palavras ainda rondavam minha mente, eu ainda chorava por pensar que eu ia machuca-lo daquela forma, logo me lembrei de Hiery, talvez seja verdade, eu estou sendo covarde demais para lutar por ele, agora sim eu vejo o quanto o amo, sim eu amo Ji Yong mais do que eu imaginei, não sei quando começou mas sei que só de pensar em ficar sem ele meu coração se faz em mil pedaços. O motorista parou em frente aquele grande prédio, o paguei e desci.

Parei diante a porta de seu apartamento, respirei fundo e limpei o máximo minhas lágrimas, fiz menção de bater na porta, mas recuei ao ver a mesma ser aberta rapidamente, ele estava com uma cara de sono, o cabelo bagunçado e um meio sorriso enfeitava seus lábios, ele me puxou pra dentro do apartamento já que eu havia paralisado na porta olhando sua beleza. Ele fecha a porta e me beija calmamente, logo termina o beijo com pequenos selinhos e roça nossos narizes, estava me segurando o máximo pra não chorar ali na sua frente

-Você demorou! O que aconteceu com ela... -analisou meu rosto- Thay! Você está ferida, o que houve? -disse me puxando até o sofá onde Pandora dormia-

-É... eu... ham...-Não conseguia pensar em nada-

-Thay? O que houve?

-Bom, lembra que Hiery me ligou? Então... -pensa Thay- ela se meteu em uma briga e acabei entrando no meio pra ela não apanhar...

-Não acredito nisso... bom, vou cuidar desses ferimentos

Se levantou e foi no banheiro buscar a caixinha de primeiro socorros que ele havia usado a primeira vez que estive aqui, eu fiquei olhando aquele apartamento pela última vez, senti uma lágrima descer queimando meu rosto, a qual limpei rapidamente ao vê-lo se aproximar de mim com um olhar preocupado, não sei se ele acreditou no que disse, molhou um algodão no álcool e limpou a beirada de minha boca, logo após um corte em minha testa, em minutos eu estava totalmente cuidada por ele, ele me olhou ao terminar e segurou minha mão, eu tentei não olhá-lo nos olhos nesse momento, mas ele pegou em meu queixo me fazendo o encarar

-Você estava chorando não é? Me diga porque? -disse carinhosamente-

-É que eu nunca mais vou ver Hiery, ela vai embora da cidade por causa daquela va...-ele arregalou os olhos- vaca que brigou com ela...

-Aa baby, não fique assim, afinal vocês ainda vão se falar não é? -disse tentando me confortar-

-Eu acho que sim...

-Você deve estar cansada, vamos dormir, amanhã é um longo dia na empresa!
Ele me puxou até o quarto, eu fui para a suíte e tomei um banho antes de me deitar, assim que coloquei meu pijama, me deitei na cama e ele envolveu seus braços ao meu redor me apertando, e eu tinha certeza que essa era a nossa última noite juntos dessa forma, então deixei uma lágrima fugir e assim acabei dormindo.

(...)

-Thay preste mais atenção, você está errando muito!-disse pela milésima vez o coreógrafo-

Eu estava mesmo desatenta e acabava errando muito por conta disso, eu ia dizer hoje a Ji Yong que tínhamos que acabar com tudo, mas não pude falar, faltou coragem... ele me observava preocupado enquanto também ensaiava, vi ele sair da sala com Daesung e logo após, apenas Daesung voltou me dando um sorriso leve, fiquei curiosa onde ele pode ter ido na hora do treino, acabei errando mais uma vez o passo e recebi um olhar de reprovação do homem a minha frente, eu preciso mesmo parar de me perder nos pensamentos, isso está prejudicando meu rendimento no trabalho.

E assim passou o dia, eu devo ter recebido umas mil repreensões hoje por falta de atenção, a verdade é que hoje a única coisa que fiz foi pensar na melhor forma de dizer a ele que não da mais sem machucá-lo, nem comi nada e pra falar a verdade nem com fome estou, depois que Ji Yong sumiu ele não havia mais voltado, o que me fez ficar em dúvida sobre esperar ou não ele para ir embora, logo vejo Dae vir em minha direção com um grande sorriso nos lábios

-Ji Yong disse para mim te levar pra casa hoje!

-Ah, ok, obrigado Dae!

Ele me guia até seu carro e assim que entramos ele da a partida e saímos, ele me olhava de relance, parecia querer perguntar algo, mas como não estou afim de perguntas hoje, me apoiei na janela e coloquei meus fones para não dar chance nenhuma pra ele começar um interrogatório, o caminho foi rápido já que a casa de Ji Yong não era muito longe da empresa, desci do carro e agradeci, entrei no prédio e peguei o elevador

-Ok Thay! Você vai entrar lá, e simplesmente dizer que não quer mais nada com ele... é fácil se você não der muito espaços para perguntas, então faça direito! -disse a mim mesma-

A porta de abriu e eu engoli em seco ao ver que o apartamento dele estava aberto, fui a passos lentos e adentrei o mesmo, estava tudo escuro se não fosse pelas velas que deixavam o local mal iluminado, havia um champanhe em um balde de gelo, fui andando mais e meus olhos brilharam ao ver em cima da mesa uma caixinha aveludada, olhei mais a frente e tinha um caminho de pétalas de rosas que levavam até seu quarto, ia seguindo até lá mas sinto suas mãos rodearem minha cintura e logo ele beija meu pescoço e me vira pra ele me beijando

-Gostou da surpresa? -disse roçando nossas bocas-

-Sim! Eu adorei! -disse o abraçando, escondi o rosto na curvatura de seu pescoço e dei um longo suspiro ao me lembrar do porque eu tinha vindo aqui- Ji Yong, precisamos com...

-shiiiiu! -disse pondo o dedo na minha boca- agora não! Vamos jantar, já sei que você não comeu nada hoje.

Ele me leva até a mesa, que estava impecável, puxa a cadeira pra mim e se senta logo a minha frente, nós jantamos e bebemos champanhe, rimos a noite toda, conversamos sobre tudo, por um momento me esqueci de todos meus problemas, ele tinha esse efeito em mim, me fazia sonhar, quando eu estava com ele me esquecia de todo o mundo a minha volta... de repente ele se levanta e me puxa pela mão me pondo em pé, pega a caixinha aveludada a abrindo, ainda segurando minha mão diz

-Thay... eu fiz isso tudo aqui por você, pra te mostrar o quanto você é especial pra mim, o quanto você me faz bem -não faz isso comigo- por muitos anos fiquei com uma barreira que impedia qualquer um de se aproximar de mim, e você conseguiu me desarmar facilmente, e hoje não vejo minha vida sem você! Se antes eu tinha dúvidas de meus sentimentos sobre você, hoje posso afirmar com toda certeza do mundo, eu. amo. você. Por isso quero perguntar, você aceita namorar comigo? -o que eu faço? Vim aqui decidida a acabar com tudo...-

-Eu... eu... -pensei um pouco antes de falar- eu aceito ser sua namorada Ji Yong! -digo e o beijo-

Ele me coloca em seu colo enquanto me beija suavemente, vamos para seu quarto e lá pela primeira vez, não foi só sexo, tinha algo muito maior envolvido ali, nos amávamos, e naquele momento eu percebi, não importa o que aconteça eu nunca vou desistir dele, independente de qualquer coisa, se Gayoon quer jogar sujo então vamos jogar as duas! Eu não me importo com mais nada, talvez eu esteja sendo egoísta demais arriscando mais pessoas pra poder seguir em frente com esse amor, mas vale a pena tudo que vou fazer.

Acordamos no outro dia e hoje seria o primeiro show oficial do BigBang, nem preciso falar o quanto Ji Yong estava eufórico, eu continuava sentada debaixo das cobertas o vendo andar de um lado pro outro procurando sua carteira que provavelmente estaria no bolso da calça que ele usava ontem que deve estar jogada em algum lugar do quarto, não contive o riso ao vê-lo praguejar alguns nomes feios diante da frustração de não encontrá-la, me levantei e fui procurar sua calça enquanto ele foi nervoso para a sala, encontrei sua calça em baixo do guarda-roupas, e como previ, lá estava a bendita carteira! Coloquei uma blusa dele e fui até ele na sala que estava tomando café.

-Era isso que estava procurando? -ergui a carteira-

-Onde estava? -disse suspirando aliviado-

-Na sua calça baby! -disse e me sentei em seu colo-

-Você vai mais tarde pro local do show né? -disse cheirando meu pescoço-
-Sim, eles querem fazer um último ensaio comigo antes por causa que eu estava um pouco distraída ontem...

-E aliás, ontem disse que nós precisávamos conversar? O que houve?

-Não era nada importante! -olho no relógio- acho melhor você ir pra não se atrasar baby!

-Está me expulsando da minha própria casa? -diz fingindo indignação-
-Sim eu estou! -disse e ele me mordeu o que me fez soltar um leve grito- vai logo!

Ele me deu um beijo demorado antes de passar pela porta e ir ao encontro dos outros bangs, eu podia ficar um pouco mais então tomei um belo café da manhã e fico um tempo assistindo tv, mas como não estava passando nada legal, fui tomar um banho, me arrumo com roupa de treino, trato de Pandora e vou pra empresa, chegando lá, já fui direto pra sala de dança onde o coreógrafo já estava a minha espera, assim que entrei começamos, o ensaio durou pouco mais de duas horas e eu havia concluído ele de forma impecável

-Acho que hoje você compensou a falta de atenção de ontem, parabéns! Agora vai pro camarim se arrumar, o show começa em três horas!

Assenti e fui, o figurino era um tipo de vestido rodado com bastante decote, ele era revestido com brilho vermelho o que me fazia pensar no quão chamativo ele era, ignorei o fato de me sentir uma palhaça ao usar aquilo, e fui fazer a maquiagem, o que não faltou foi brilho! Estava pronta e entramos na van que nos levaria até o local do show, assim que chegamos vimos uma multidão de pessoas esperando pra entrar no estabelecimento, fiquei boquiaberta com a quantidade de pessoas que estavam ali, assim que entramos no local, descemos e fomos direto em posição, peguei o celular e vi que tinha uma mensagem

~Mensagem on~

-Você vai me pagar por não ter cumprido com o combinado!

~Mensagem off~

Joguei o celular na bolsa de novo assim que ouvi os staffs avisando que faltavam três minutos para iniciar o show, as pessoas já haviam entrado e estava uma gritaria só lá fora, as cortinas se abriram e a música começou a tocar, assim que eles entraram eu poderia ficar surda de tanto que aquelas pessoas gritaram.

O show foi um sucesso, e no seus momentos finais eu já estava suando como louca, porém estava gostando daquele cansaço, principalmente pelo sorriso de todos os garotos por ver aquela multidão de pessoas gritando por eles. Eles agradeceram e encerraram o show, assim que as luzes se apagaram e todos saíram do palco em direção a parte interna do local, GD veio correndo em minha direção me dando um grande abraço, era tão bom ver ele feliz daquela forma!

-Isso foi incrível! -disse Seungri-

-Eu com certeza nunca vou me esquecer desse dia! -disse Dae-
-Vocês viram todas aquelas pessoas gritando por nós? -GD disse eufórico me abraçando por trás-

-Enfim o reconhecimento que merecemos depois de anos lutando pra tornar real! -T.O.P disse rindo-

Taeyang pegou taças com whisky e entregou pra todos ali com um sorriso enorme no rosto

-Um brinde ao nosso sucesso! -gritou-

Assim que saímos de lá fomos pra um restaurante comemorar só entre nós, e lá GD disse a eles que estávamos namorando e todos ali fizeram piadinhas do tipo “Estava na cara, não precisava falar”. Saíram do restaurante todos bêbados, a única sóbria ali era eu, não tinha nem como dirigir então fomos todos embora de táxi mesmo, deixando o carro ali pra pegar amanhã, Ji Yong queria que eu ficasse na casa dele, mas eu precisava arrumar meu apartamento, então não pude ir. Ele foi no mesmo táxi que eu só pra me levar até em casa, assim que cheguei subi direto pois estava bem cansada.

Assim que o elevador se abriu, fui até meu apartamento o abrindo, assim que entrei dei de cara com Gayoon que me encarou com ódio, entrei e ela se levantou a passos rápidos em minha direção me acertando um tapa forte no rosto o que me fez cambalear pra trás, ela me pegou pela gola da camisa e me jogou contra a parede, quando ia me golpear com um soco segurei sua mão a empurrando pra trás

-Você não devia ter me traído! -gritou zangada- eu vou acabar com você!

-Quero ver!

Ela veio em minha direção e tentou me golpear novamente só que dessa vez eu a acertei com um soco na cara que a fez cuspir sangue, ela passou a mão no local e me olhou com ódio e me acertou com um chute, me irritei e a empurrei a derrubando no chão, subi em cima dela e dei vários socos em sua cara, ela inverteu a situação e me golpeou também, aproveitei que estava por baixo a acertando um soco no queixo, que a deixou fora do ar um pouco, puxei seu cabelo arrancando um tanto na mão, a empurrei pra trás que caiu de costas e eu a agarrei pelo pescoço a colocando contra a parede, ficando a centímetros dela

-Você não devia em momento algum ter mexido com meus amigos!-disse entredentes-

-Eu vou matar aquela garota e a culpa vai ser sua! -a bati contra a parede-

-Você diz que eu não te conheço, mas você também não me conhece Gayoon! Tenta alguma coisa e eu vou me certificar de te mandar pro inferno sua vadia! Agora sai da minha casa!

A levantei com brutalidade do chão a jogando pra fora do meu apartamento, ouvindo ela gritar e socar a porta “isso não vai ficar assim” ela disse, tranquei a porta e fui pro banheiro ver meu rosto, estava com alguns cortes mas ela saiu bem pior, já estava na hora de mostrar a ela que não pode voltar depois de anos e querer mandar em mim! Eu não sou mais a garotinha indefesa que ela abandonou aqui, a partir de agora, tudo que ela me fazer eu vou devolver em dobro!



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...