História Bad Boy - Capítulo 6


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), EXO
Personagens D.O, Jimin, Kai, Personagens Originais, V
Tags Bangtan Boys, Bts, Exo, Jimin, Kaisoo, Romance, Taehyung
Exibições 52
Palavras 2.040
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Crossover, Hentai, Romance e Novela, Yaoi
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


OLÁ MEU POVO! Olha só quem voltou. Como vocês estão? Espero que bem e possam ir ao show do BTS. Eu não vou, mas espero que quem vá consiga se divertir e tornar um ótimo show para os meninos! ❤️

Bom, eu finalmente entrei de férias — só da escola, mas ok —, então provavelmente vou conseguir escrever mais capítulos. Vou tentar me ocupar nessas férias, tanto com meus planos e compromissos quanto com a fanfic, ok? E caso alguém leia minha outra fanfic e não tenha visto o aviso, eu irei reescrevê-la, afim de trazer um conteúdo melhor para vocês, e pretendo trabalhar nela nas férias.

De qualquer modo, vamos lá! 🌷

Capítulo 6 - Kiss her


Fanfic / Fanfiction Bad Boy - Capítulo 6 - Kiss her

Ouço o pigarrear dele e logo vejo sua cabeleira acinzentada adentrar o quarto. Encerro a chamada assim que ouço a voz de Kyung me chamando. O encaro por alguns segundos, ainda cogitando sobre ele ter ouvido minha conversa, com medo do que ele possa falar ou fazer – principalmente à Taehyung.

— Precisa de algo? — Tento não vacilar. — Omma precisa de ajuda com o jantar?

— Oh, não.... Eu vou fazer o jantar hoje. — Ele sorri de canto. — Ela precisa descansar, anda sobrecarregada ultimamente. A vovó... — Ele se cala como se não tivesse certeza do que falar.

— Eu sei sobre ela, Yoongi. — Sussurro, desviando o olhar. — Não devemos pensar no que vai acontecer, não agora. Precisamos apoiar nossos pais.

Permanecemos em um silêncio constrangedor por alguns minutos.

— Vamos ter que conversar sério uma hora. Sobre nossa família e, principalmente, sobre você. ­— Ele fala, deixando-me um pouco aflita. Engulo em seco ao sentir seu olhar sobre mim. — Não quero brigar, Hee, espero que saiba disso.

— Tudo bem. — Suspiro, em derrota. — Podemos conversar sobre tudo que quiser. Só lhe peço para não controlar minha vida, como tenta fazer. Não vou aceitar isso.

Ele suspira pesado e encosta a cabeça na porta, fechando os olhos. Permanece em silêncio por alguns minutos, refletindo. Do jeito que o conheço, sei que vai ser difícil para ele, não proteger a irmã o tempo todo, mas ele deve tentar. Por mim.

— Eu não prometo, mas posso tentar, ok? – Ele vem até mim, puxando-me da cama para um abraço apertado. Quando ele se afasta, aperta minhas bochechas sorrindo largamente. — Que tal um pouco de kimbap? Sei que é sua comida favorita.

— Você não sabe fazer kimbap.

— Ya, não duvide das minhas habilidades! — Ele soa indignado, fazendo-me rir baixo. Seu sorriso some ao focar em meu celular, que acabara de começar a tocar, indicando o nome de Kyung na tela. — Você pode continuar sua conversa, irei preparar o jantar.

Antes que eu fale algo, ele se vira e caminha para fora do quarto, deixando-me aflita. Penso em ir atrás dele e perguntar o que isso quer dizer, mas não é preciso, sei o que ele ouviu tudo; que eu saí com Taehyung e que nos beijamos.

Rejeito a chamada de Kyung, não quero contar o que aconteceu agora.

Pego uma muda de roupas e caminho em direção ao banheiro. Tomo um banho rápido e quente, vestindo meu pijama.

Olho-me no espelho diversas vezes enquanto penteio meu cabelo, e tudo o que posso enxergar é uma garota simples, sem traços esplendorosos e que não é de boa família. Não trajo roupas extravagantes ou da melhor qualidade; não uso maquiagem pois são demasiadas caras; não possuo um dote.

O que Kim Taehyung e Park Jimin viram em mim?

[...]

Acordo em meu horário costumeiro, arrumando-me e tomando café com a família, mas decido ir para a escola um pouco mais tarde — o que deixa Yoongi um pouco desconfiado — na esperança de encontrar Kyungsoo pelo caminho. Ele é o único que pode me ajudar, além de saber tudo o que se passa nessa minha cabecinha.

As ruas estão desertas, exceto pela brisa fria da manhã, que joga meus cabelos de um lado para o outro. Como é outono, posso observar as folhas secas e amarelas caindo na calçada, embelezando o caminho por onde passo.

Começo a prestar atenção nos detalhes da manhã, distraída, até esbarrar em alguém; um garoto. Surpreendo-me quando vejo que é Kyung. Obrigada. Pulo em seu pescoço, abraçando-o e mostrando a quão desesperada estava para lhe encontrar. Estou pronta para lhe explicar tudo quando nos afastamos, mas percebo a presença de Taehyung ao seu lado.

— Bom dia, garotos. — Sorrio, tentando contar meu entusiasmo.

— Alguém está de bom humor... — Kyung zomba, dando uma cotovelada em Tae. Vejo a bochecha do mesmo avermelhar de forma rude, mas ele logo sorri orgulhoso. — Ora, beije ela, rapazinho.

Encaro Kyung, agora com os olhos arregalados. Como ele tem coragem de dizer isso? Definitivamente quer nos envergonhar ou não tem vergonha na cara.

Volto a realidade ao sentir os lábios espessos e macios de Taehyung contra os meus. Sinto suas mãos em minha cintura, puxando-me para perto, intensificando o beijo. Acabo cedendo quando ele pede passagem com a língua, permitindo-me sentir a sensação por completo, apoiando meus braços em seu peitoral. É um beijo calmo e delicado, sem pressa por ambas as partes.

— Pombinhos, estamos no meio da rua caso não saibam. Ninguém é obrigado a ver a transa de vocês. — Kyung fala, afastando-nos bruscamente. Ele gruda em meu braço e me puxa para seu lado, mantendo Tae afastado. — Por precaução. Você pode querer agarrá-la novamente.

Olho sem graça para ele, mas a vergonha logo passa quando acabamos nos vingando dele. Começamos a conversar sobre o relacionamento Kaisoo, o que deixa Kyungsoo totalmente sem graça, porém feliz. Ele acaba por nos contar alguma coisa sobre seu amado, como o fato dele ser desastrado com objetos, porém um excelente dançarino.

Nos afastamos de Taehyung quando chegamos na escola, deixando-o com alguns garotos de sua sala com quem anda fazendo amizade, afirmando que precisamos conversar à sós. Puxo Kyung até o pátio, obrigando-o a se sentar comigo em um lugar mais afastado.

— Yoongi ouviu nossa conversa ao telefone. — Tento falar o mais baixo possível, mas ele não colabora.

— O QUÊ? — Tampo sua boca antes que ele grite algo a mais e atraia olhares. — Estamos ferrados. Bem, você está ferrada... Ele, com certeza, irá aprontar alguma.

— Sim, eu sei. — Bufo. Ele poderia ser mais óbvio? — Isso me preocupa. Não quero que ele faça mal à Taehyung. Mal nos conhecemos, ele não deve sofrer pelo ciúme doentio de meu irmão.

— Está preocupada com o seu namorado? Por favor, ele consegue dar umas surras no seu irmão, tenho certeza. — Ele ri ao falar isso, provavelmente imaginando a cena. Ouço sua voz, mas não entendo o que ele fala. Minha atenção está presa a Jimin, que acaba de passar pelo portão. Ele está demasiado provocante e.... sexy. — Min Tae Hee, eu não acredito! Está atraída por Park Jimin? O garoto que você odeia!

— O quê? Não estou atraída por ele, pare de falar bobeira. — Dou um tapa em seu braço.

— Você estava literalmente secando-o. — Sigo seu olhar, encarando Jimin mais uma vez. Quando vejo que ele me olha, sinto minhas bochechas corarem. — Gostas dele?

— Eu... — Perco-me novamente em seu maldito olhar. — Eu não sei, Kyung. Estou tão confusa, aish!

Ele não diz nada, apenas me abraça, tentando me reconfortar.

— Sei que é difícil, mas tudo vai se esclarecer com o tempo, ok? Não se preocupe tanto com isso, Hee. Se tem algo que precisa fazer, é conversar com Taehyung. Diga a ele que precisa de um tempo, apenas isso, mas não cite o Park. — Ele deixa um beijo no topo de minha cabeça. — Ele vai entender, afinal mal se conhecem. Por mais que adore vocês, como um casal, estão indo rápido demais. Vocês precisam se conhecer melhor.

— Está certo. Obrigada. — Sorrio quando nos afastamos. — Você é a melhor pessoa que eu poderia conhecer.

— Tenho certeza de que sou melhor. — Jimin se pronuncia enquanto se aproxima de nós. — Incluindo na cama.

Noto que Kyung está pronto para responde-lo, mas é interrompido pela aproximação de Taehyung.

— Vamos para a sala, huh? Eu lhe acompanho. — Ele fala ao grudar em minha mão, forçando-me a levantar.

— Nos vemos mais tarde, Tae Hee. — A forma como ele pronuncia meu nome deixa-me arrepiada. — Estou ansioso.

Engulo em seco ao ver o sorriso malicioso formando-se em seus lábios carnudos. Ele acena com a cabeça para Kyung, antes de se retirar, deixando-me extasiada. Pisco várias vezes para voltar à realidade, assim notando o olhar irritado de Taehyung sobre mim.

— O que ele quis dizer com “nos vemos mais tarde”?

Suspiro antes de conta-lo.

— O professor pediu que eu desse aulas à Jimin, para ajudá-lo a melhorar a nota, não é nada de mais. Eu também vou ganhar com isso, o....

— Nada de mais? Vais passar a tarde toda, trancada em uma sala, com ele! Não posso acreditar nisso, pensei que o odiava. — A raiva é clara em sua voz quando ele me interrompe. — E o que você vai ganhar? A fama de mais nova puta de Park Jimin?

— Taehyung! — Kyung entra no meio, empurrando-o.

Assim que ele percebe o baque do empurrão, parece voltar a realidade, olhando-me arrependido. Quando tenta se aproximar, Kyung cria uma barreira entre nós mais uma vez, antes de arrastar-me com ele até a minha sala. Seus braços me envolvem pela última vez, em um abraço apertado, antes do sinal tocar. Ele me dá um sorriso acolhedor antes de correr para o segundo andar.

Sento em meu lugar, esperando que a professora chegue, mas ela demora o suficiente para que alunos atrasados entrem na sala. Jungkook é um deles, e para a minha surpresa, ele senta-se à minha frente desta vez. Todos na sala nos encaram por alguns segundos quando ele se vira para mim e começa a falar, cochichando sobre isso.

— Meu lugar foi ocupado antes que pergunte porque sentei aqui. — Ele sorri, apontando para seu lugar. HyeJin, a garota com quem Jimin estava ontem, ocupa seu lugar e descaradamente dá em cima do mesmo. — Não gosto daquela garota.

— Uh, não? Ela é bonita e vem de boa família.

— Ela não é tão bonita, além de que esses dois itens não são essenciais. — Ele fala, encarando a garota por alguns segundos. — Amor é amor. Não é baseado na aparência ou na situação financeira de alguém.... Por mais que não pareça, Jimin-hyung não liga para essas coisas. Eu acredito que o hyung esteja apaixonado por você.

— J-Jungguk, não fale bobeiras!

— Aish, você é uma garota complicada. — Ele ri.

Paramos de conversar assim que a professora entra, esbanjando seu bom humor enquanto cantarola uma música desconhecida. Algo aconteceu, visto que ela nunca aparece desse jeito; alegre, radiante. Ela passa poucos exercícios, causando surpresa e euforia em alguns alunos, deixando-nos livres logo em seguida.

Estou quase a dormir na sala, quando Jungkook pede-me ajuda.

— Hee, você precisa me ajudar! — Ele praticamente suplica. — Eu odeio química!

— E qual matéria você não odeia? — Rio baixo, vendo-o inflar as bochechas e olhar-me bravo. — Aigo, está bem. Vamos lá.

Pego meu caderno e começo a lhe explicar a matéria, parte por parte, para que ele consiga entender de forma simples. Acabo distraindo-me, ao sentir o olhar de Jimin em nós dois, focando na mão de Jungkook que às vezes, sem querer, encosta na minha.

Para a minha sorte, ele pega as coisas rápido. Termino de explicar a matéria e vejo-o terminar os exercícios em menos de 5 minutos. Ele leva para a professora, e sua euforia torna-se notável ao ouvi-la falar um parabéns por ter acertado todas as questões.

— Eu acertei todas! Não é incrível? — Ele não para de sorrir um minuto sequer. — Muito obrigado, Hee.

— Sem problemas. Pode me pedir ajuda, se precisar.

— Desse jeito vou lhe contratar para ser a minha professora particular.

— Ela já tem um aluno. — Ouço a voz de Jimin. — Pare de dar em cima dela, Jungkook. Tantas garotas gostosas aos seus pés.

— Qual o problema? A Hee é linda e inteligente. — O tom em sua voz é provocador; ele só está brincando com Jimin.

— Hee? — Jimin soa ríspido.

— Já nos conhecemos há um bom tempo, não é? — Jungkook sorri para mim. — Eu não me importaria de namora-la, hyung.

Jungkook caí em uma crise de risos assim que Jimin se afasta, bufando e sem dar-lhe uma resposta. Não aguento e acabo rindo com Jeon, ao ouvir sua risada contagiante e perceber que de fato, foi engraçado.

[...]

Quando saímos para o intervalo, encontro Taehyung e Kyung no fim do corredor. O mesmo me dá uma bandeja com o almoço de hoje, antes de me deixar à sós com Tae, que pela cara do mesmo, levou uma bronca. Puxo ele até uma mesa afastada, onde possamos conversar em paz.

— Antes de tudo, me perdoe. Eu não sei o que deu em mim.  — Ele fala, e posso ver em seu olhar que está realmente arrependido. — Eu não gosto da ideia de vocês ficarem juntos e sozinhos.... Não acho que seja ciúmes, honestamente, quero te proteger.

— Está tudo bem, de verdade. — Suspiro, preparando-me. — Precisamos conversar sobre outra coisa.

— O quê?

— Nós.


Notas Finais


O que acharam? Comentem! Quero saber a opinião de cada um :)

Até o próximo 💕


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...