História Bad boy and Good Girl - Capítulo 4


Escrita por: ~

Exibições 51
Palavras 1.102
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 4 - Chapter 03


Fanfic / Fanfiction Bad boy and Good Girl - Capítulo 4 - Chapter 03

Bad Boy and Good Girl

Chapter 04: Chapter 03

 

Eleanor Point of the view:

  Não estava acreditando no que estava vendo, aquele era o meu cordão, o mesmo cordão que ontem entreguei a Cameron, eu acreditei nele, confiei nele, e ele entregou meu bem mais precioso para outra pessoa.

-Oli quem te deu este cordão? – pergunto e ela sorri.

-Foi o Cameron – neste minuto eu estava com muita raiva, tudo estava queimando dentro de mim, eu estava irritada com Cameron, e com migo mesma por ter confiado nele tão cedo.

  Sai dali imediatamente fui até Cameron, o puxei e o levei até os armários, dei um chute lá de novo e ele me olhou sem entender, eu estava chorando.

-Eu confiei em você – digo e ele me olha com cara de dor.

-Porque fez isso? – ele pergunta e eu enxugo um pouco das lagrimas.

-Você entregou meu cordão a Oliver – digo e ele assentiu ainda com cara de dor – Sabe o que aquele cordão significa para mim? – ele negou – Não é só um cordão com um nome idiota, meu pai me deu antes de ir embora, foi o único presente que ele me deu – digo chorando muito.

-Elly eu não sabia – ele diz tentando se erguer.

-Mais agora sabe, olha Cameron eu te ajudo com a porra do Boletim, mas depois me deixa em paz – saio chorando muito, eu sou muito estupida.

-Elly para onde você vai? – pergunta Alison.

-Sair de perto de vocês – digo e sigo meu caminho para fora da escola, eu estava cheia daquele lugar.

(...)

-É temos uma criminosa aqui – diz Cameron entrando no meu quarto.

-Não quero falar com você – digo e ele sorri sem mostrar os dentes.

-Ok então – ele diz e eu volto a digitar no computador.

-Os dados? – digo seria e ele me entrega um pen drive.

-Arrumou outro cordão? – ele diz e pega meu cordão eu me viro ao computador e coloco o Pen Drive – Olha me Desculpa tá.

-Não quero conversar – digo concentrada no que fazia.

-Elly eu fui errado eu sei mais eu quero ser seu amigo – ele diz e eu o olho.

-Para que? Não acredito mais em você Dallas, você acabou com toda a minha confiança, vou mudar suas notas e me isolar.

-Mais e as meninas? – ele me pergunta e eu o olho seria.

-Elas nunca foram minhas amigas, então eu nunca tive amigas – digo e me viro novamente para o computador- quer suas notas todas para A?

(...)

  Mais uma noite mal dormida, eu olhava para o teto e lembrava de tudo que avia acontecido ontem, eu confiei tanto em Cameron e perdi meu bem mais precioso, uma lagrima escorreu pelo meu rosto, eu havia lembrado de papai, todos me enganam, quando eu tinha 10 anos ele prometeu voltar, e eu estou aqui sozinha, meu ex namorado morreu e me deixou, só tenho a mamãe.

  Pensar assim doe, doe muito, não tenho amigas como tinha em Miami, não tinha nada apenas minha mãe e eu mesma, novamente batidas na minha janela, continuei deitada, e novamente batidas, resolvi me levantar e fui ver o que era, me arrependo, Cameron jogava pedras na janela eu respirei fundo e sai de perto da mesma.

-ELLY ABRI AQUI! – Escutei o mesmo gritar, vou até a janela novamente e grito.

-NÃO DALLAS! VAI EMBORA! – digo e ele revira os olhos.

-PRESISO CONVERSAR COM VOCÊ! – Então resolvo abrir a janela, eu pareço boba mais gosto que as pessoas se expliquem, ele sobe na arvore e vai até a janela e se senta na mesma.

-Comece – digo e ele sorri.

-Bem eu não queria falar, queria te devolver isso – ele diz e estende meu cordão – É seu.

-A, eu...

-Senta ai – ele diz e eu olho para a janela – Vai eu te ajudo – ele diz e pega na minha mão eu me sento e pego o cordão – Não estava conseguindo dormir?

-Era eu tenho insônia – digo e ele sorri olhando para as estrelas, somos dois então – ele sorri e me olha.

-Eu estava pensando um pouco – digo e olho para as estrelas.

-Sobre? – eu sentia seu olhar sobre mim, me virei e o olhei.

-Sobre a vida – digo e ele sorri e olha para o céu;

-É a vida é bem difícil às vezes – ele diz e eu olho para o céu junto a ele.

-Você já teve complicações na vida?

-Tá brincando? Você sabe o que eu vou ser quando sair da escola? – Ele me pergunta e olha para mim eu nego – Um nada.

-Depende você pode falsificar um currículo – digo e ele ri.

-E viver com coisas falsas? Não – ele diz e eu ri olhando para o céu, ele me olha de cima para baixo e sorri – esse seu pijama é broxante – ele diz rindo e eu o olho seria.

-Tinha que ser, só reparou agora – digo e ele ri mais alto.

-Parece uma boneca Barbie

-Então não estou broxante – digo e ele ri mais alto.

-Acontece que ninguém além do Ken transa com a Barbie.

-Não fale isso para crianças, por favor – digo e nós começamos a rir juntos, um silêncio imenso se instalou ali e nós só escutávamos os grilos, então resolvi quebra-lo – Meu pai é Brasileiro, e conheceu a minha mãe que falava português, o ruim era que ele não falava nada em inglês, e eu ganhei esse cordão aos meus dez anos de idade – digo rindo, Justin me observava e eu olhava o cordão atenta – ele nem se quer sabia o que significava – digo e ele ri – Foi o único presente que ele me deu – eu o olho e Justin estava atento a mim.

-Meus pais também são separados, mas eles são amigos – ele diz e eu o olho calada – eu tenho uma irmã mais velha e a amo

-Eu tenho uma irmãzinha de três meses – digo e ele sorri.

-Sempre é difícil a separação dos pais, mas depois você se acostuma.

-É já faz 7 anos que eles se separaram e eu ainda não aceitei, eu amo o meu pai – digo e Cameron sorri.

-Você vai aceitar Elly – ele diz e escuto passos perto da porta.

-Elly? – Escuto a voz da minha mãe, olho para Cameron atordoada.

-Sai daqui é a minha mãe – digo empurrando Cameron que pula a janela – tchau – aceno e ele sorri.

-Elly? Você está acordada? – mamãe pergunta e eu corro até a porta e a abro.

-Estou – digo e ela sorri – Não consegui dormir – digo e ela beija minha testa.

-Ouvi vozes e então vim aqui, mas pelo visto não é nada – ela diz e eu sorri e assento- Ok boa noite.

Continua... 


Notas Finais




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...