História Bad boy predestinado - Capítulo 21


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Romance
Visualizações 223
Palavras 1.329
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Esporte, Luta, Romance e Novela, Violência
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 21 - Capítulo XXI


Arthur tinha sido anunciado e os torcedores gritaram enlouquecidos a Valentina estava de pé em uma cadeira ao meu lado e pulava com os braços para cima. Ela estava usando luvas de boxe, era incrível como ela gostava daquilo.

Eu ia trazer o Noah mas ele preferiu ficar em casa estudando e lendo, então deixei ele com o Eric e minha mãe. Assim que chamei ele pra vim assistir, o menino fez uma careta ele já havia exposto sua opinião sobre lutas então eu não poderia obriga-lo a vir comigo. Se não fosse pela Valentina nem eu teria vindo, preferia ficar em casa tomando um bom vinho.

-Olha ele está acenando pra mim.- Valentina diz e aponta pro Arthur que já está dentro do octógono.

-Você acha que ele vai ganhar?- Pergunto e ela me olha de lado.

-É claro, meu papai nunca perde.- Espero que isso seja verdade.

A luta começa e em menos de dois minutos já tem respingos de sangue no local. A cada golpe mais violento eu viro o rosto e Valentina rir da minha cara e me chama de medrosa. Ser zoada por um pinguim de gente é humilhação demais.

No segundo round Arthur consegue finalizar o adversário dando uma chave de braço segundo Valentina, ela e eu nos abraçamos enquanto o técnico do Arthur entra no local e bota o cinturão atravessado no peito dele. Uai eu nunca tinha visto esse treco antes, vou precisar pedir pra da uma analisada.

-Você viu? Foi demais, meu pai é muito bom. O quatro olhos perdeu...- Ela arregala os olhos e bota as mãos pequeninas na boca. -Desculpa. Eu quis dizer Noah, ele perdeu.

-Está desculpada.- Falo e voltamos a comemorar a vitória de Arthur, no final das contas eu comecei a pular e gritar como uma louca.

Ele da um pronunciamento agradecendo, desce do octógono e se aproxima de nós duas pega a Valentina no colo abraça ela e depois me puxa pela nuca e me da o maior beijão.

Por um minuto eu ouvi um milhão de cliques de fotos, eu podia dizer que esse beijo com toda a certeza foi fotografado de todos os ângulos possíveis. Me afasto dele e a primeira coisa que faço é olhar pra Valentina que está com um meio sorriso no rosto.

-Parabéns.- Falo baixo e dou um meio sorriso, não era assim que eu planejava contar pro mundo que estamos juntos.

-Vamos.- Alec o técnico dele diz e nós seguimos por um longo corredor.

-Aquele beijo foi transmitido ao vivo no canal do UFC, e provavelmente algum lunático está gravando da tela da TV pra postar no YouTube nesse momento.- Alec diz e Arthur acena com a cabeça.

-Parece que deu certo. Já estava na hora de todos saberem que estamos juntos.- Ele diz e entra em uma sala.

-Pai você foi demais, quase quebrou o braço daquele fracote.- Valentina diz, é incrível a capacidade dela conseguir ser valentona mesmo sendo é a coisinha mais fofa do mundo. Mas o vocabulário dela faz com que ela pareça um pequeno chihuahua fofo e pequeno, porém brabo igual não sei o que.

-Pois é, vou te ensinar aquele golpe.

-Ebaa. Vou aplicar esse golpe no seu filho.- Ela diz e aponta pra mim.

-Não pode, ele nem sabe lutar.- Respondo.

-Tô brincando, eu só aplico em quem implica comigo. No colégio quando os meninos implicam comigo eu vou lá e bato neles.

-Muito bem.- Arthur diz e eu olho pra ele. Meu Deus o professor induzindo a menina a bater nos demais.

-Ah encontrei vocês.- A mulher do Arthur diz assim que entra no local.

-Mãeee.- Valentina diz, pula da cadeira e abraça a mulher que nem ao menos se abaixa pra abraçar a criança direito.

-O que diabos você faz aqui?- Arthur pergunta entre dentes.

-Eu vim ver com os meus próprios olhos. Sempre soube que você só estava esperando eu me distanciar pra meter os dentes no meu homem.- A louca da mulher diz e aponta pra mim.

-Vem Valentina, vou te ensinar o golpe que seu pai deu no adversário dele.- Alec diz tentando levar a menina pra fora.

-Eu quero ficar aqui.- Ela diz ainda agarrada na perna da mãe.

-Valentina vai com ele, agora.- Olívia diz grosseiramente e eu fico com uma grande vontade de cortar a língua dela.

Como pode, ficar tempos longe da filha e agora que voltou ela a trata dessa maneira? Ela devia abraçar a criança e matar a saudade e não mandar ela sair de perto.

Valentina só aceitar ir depois que o Arthur se abaixa e sussurra algo no ouvido dela, aí ela abre um sorriso concorda com a cabeça e sai de mãos dadas com Alec.

-E aí o que você tem para dizer?- Ela pergunta olhando pra mim.

-Ótimo que você perguntou. Tenho a dizer que você é uma vaca egoísta por tratar sua própria filha daquele jeito. Se eu fosse você teria vergonha de voltar e tentar algo com ele - aponto pro Arthur - Largou sua filha seu casamento por algo sem sentido, e agora volta como se tivesse o direito de julgar alguém. Eu não queria falar mas já que você perguntou é isso que eu acho de você, sua nojenta de merda.

-Você não sabe nada sobre minha vida eu amo minha filha.

-Se amasse não teria abandonado ela.- Arthur diz.

-Eu estou falando com a sua puta então cala a boca.- Sinto meu rosto queimar de tanta raiva. -Esperou que desse um tempo para tomar meu lugar...

-Ainda bem que eu esperei não acha? Já você nem isso, não merece o mínimo de respeito. É uma mulher tão baixa e vazia.- Ela tenta me atacar mas o Arthur segura ela antes disso.

-Vou acabar com sua raça. Vem eu quero ver se você é mulher.

-Sou mulher sim, mas jamais irei bater em você. Isso é coisa de mulher baixa e desesperada e eu estou bem acima disso. Agora se me der licença eu tenho coisas mais produtivas a fazer.- Vou sair da sala mas o Arthur me para.

-Você fica, ela é quem vai sair.- Ele diz.

-Quem vai me tirar?

-Eles.- Ele aponta pra trás e tem dois homens enormes prontos pra agarrar ela, e quando Olívia mostra resistência eles seguram ela pelos braços e pernas e a retiram do local.

-Porra.- Arthur diz e da o maior soco em um saco de pancadas.

-Calma.

-Não da, você viu como ela tratou a Valentina? Como eu pude ficar sete malditos anos com essa mulher? Usou máscara esse tempo todo essa desgraçada.- Me aproximo e abraço ele.

-Ela só está tomada pela raiva por ter perdido você.

-Mas aí desconta na filha?

-Basicamente isso.- Ele encosta a cabeça em meu ombro e respira fundo.

-Cadê a mamãe?- Valentina diz e entra na sala sendo seguida por Alec.

-Foi embora.

-Já? E nem falou comigo.- Consigo perceber a tristeza na voz dela e me abaixo pra ficar na mesma altura.

-Acho que ela tinha algo importante pra fazer. Mas mandou um beijo.- Ela respira fundo e da de ombros.

-Acho que ela estava com raiva de mim, pois gritou comigo e nem se despediu.

-Valentina não liga pras coisas que aquela maluca diz.

-Ela não gosta mais de mim.- Abraço a menina e passo minha mão pelo seu cabelo.

-Claro que gosta, é impossível ninguém gostar de você.- Ela se afasta e bota a mãozinha pequena no meu ombro.

-Você gosta de mim?

-Obvio, você é a menina mais legal que conheço. Agora vamos embora? Minha sobrinha está louca para te conhecer, ela tem a sua idade.

-Sério? Ebaaaa, pai eu posso ir com a Camila?

-Pode sim, me da um abraço aqui.- Ele diz e se abaixa pra pegar a menina no colo. -Eu te amo.

-Também te amo.- Ela sai do colo dele e corre pegando em minha mão. Saímos por longo corredor.

-Você vai adorar ela.

-Qual o nome?

-Melinda.

-Nome muito legal.- Ela para de repente e abraça minha perna. -Eu também gosto de você.

Ah Deusss será que posso roubar ela da mãe e por no meu nome? Isso não seria crime né? Droga, por que eu tenho que me apegar tão rápido nessas crianças?


Notas Finais


Presente de sexta-feira, beijos e aproveitem esse momento fofura.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...