História Bad Decisions - Capítulo 27


Escrita por: ~

Postado
Categorias Como Treinar o seu Dragão
Exibições 295
Palavras 973
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Drama (Tragédia), Ecchi, Famí­lia, Fantasia, Ficção, Harem, Hentai, Luta, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Violência
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Oi oi gente.

Mais um capítulo para vocês.

PEGUEM SEUS CALMANTES.

Esse capítulo foi feito com a grande ajuda da minha gêmea, Pam EU TE AMO PRA CARALHO ♡♡

Anyway '-' espero que gostem.

Boa leitura meus amores ♡.

Capítulo 27 - Traição


"You don't have to say, what you did,
I already know, I found out from her,
Now there's just no chance, for you and me,  there'll never be
And don't it make you sad about it? 
You told me you loved me
Why did you leave me all alone?
Now you tell me you need me
When you call me on the phone
But boy I refuse, you must have me confused
With some other girl
Bridges are burned, now it's your turn to cry 
Cry me a river"
- Alexa Goddard, Cry Me A River.

As ruas estavam vazias por ser à noite, uma densa e gélida neblina pairava fazendo com que Florença apertasse seu casaco. Não se importava com o tempo que havia perdido, a felicidade e seu sonho iriam se realizar, estivera  planejando com Astrid os últimos ajustes para o casamento e nada poderia arruinar isso.

Ela caminhava lentamente, idealizando como Berk estaria daqui a dois dias, sorria só de imaginar.

-A promessa de que viveremos juntos  e seremos felizes, finalmente aconteceria. Há alguns meses parecia somente um sonho juvenil, mas agora... Agora é tudo tão real.

Era possível ver um casal perto da Casa dos Hoffersons, ao se aproximar Florença desejaria boa noite como de costume, mas, sentiu como se fosse interromper as promessas de amor dele à ela, eram lindas, se não fosse por ele ser...

-Você sempre será minha viking, independente se eu tiver que me casar com a estrangeira.

Seus corpos estavam próximos e ele levantava a cabeça dela com sua mão, fazendo-a olhar para ele.

-Case-se com ela e me esqueça. Te esperei todos esses anos, não aguentarei te ver todos os dias com aquela estrangeira morando em Berk!

-Deixarei ela no altar, por você. - Ele sussurrou, mas Florença ainda fora capaz de ouvir.

-A…- Ele a beijou, impedindo que ela pronunciasse seu nome.

-Iremos sair dessa ilha, e ir morar numa província que estive nesse período, nós escreveremos nosso destino e seremos felizes, eu, você e nosso filho. - Ele disse assim que separou os lábios dos dela.

Florença pressionava a mão contra seus lábios, ela tinha certeza que era ele,  lágrimas escorriam de seu rosto, seu corpo paralisado, não queria acreditar em nada.

-Se sua família descobrir disso, estarei morta, eles são muito poderosos.

-Ninguém ousará machuca lá. Encontre-me amanhã, conversarei com Soluço para avisar sobre uma mudança de planos…

Ao dar um passo para trás, Florença pisou num galho quebrando-o e atraindo atenção para ela.

-Ouviu isso?- A garota disse.

Ele forçou a visão, e em sua voz soou um “Florença”.

Florença corria sem rumo, sua vista continuava embaçada por conta das lágrimas e da neblina, ela não sentia ódio por isso, era capaz apenas de sentir tristeza, desejava que a matasse para que aquela dor pudesse parar. Tudo que haviam passado era um capricho? Ou, ele fazia isso com todas que caíssem em suas doces palavras? Cada pensamento a torturava cada vez mais.

Não queria ver nenhum Hofferson ou qualquer coisa que lembrasse um Viking, correu para o quarto da pensão que sua irmã se hospedara e não perdeu tempo em bater na porta, apenas a abriu, encontrando Valentina se preparando para dormir.

-Florença, que surpresa! -Ela abria os braços para recebe-la.

-Eu te imploro, me tire desse lugar, - Valentina conseguiu dizer apesar das lágrimas incessantes - me casarei com qualquer Lorde de Roma, mas me tire de Berk, Valentina! - Ela implorava, fazendo a irmã a olhar confusa.

-Flor… O que houve? Seu casamento será daqui a dois dias…

-Ele...Tem outra. - Florença respondeu, fazendo Valentina saltar em surpresa. - Como você disse, Vikings pode ter quantas mulheres quiserem, e eu seria só mais uma. - Valentina abriu os braços para a irmã, que correu para eles e enterrou a cabeça em seu peito, chorando alto, molhando todo o fino pijama que a irmã usava, mas Valentina não se importava. Naquele momento tudo o que importava era sua irmãzinha e Valentina não deixou de se amaldiçoar por ter estado certa o tempo todo.

- O destino às vezes brinca com as pessoas, como queira  voltaremos amanhã para Roma. - Ela disse, acariciando os cabelos de Florença, esperando que ela se acalmasse.

-Não!  Eu quero voltar agora, eu não quero passar sequer mais um momento nessa maldita ilha!

Valentina apenas assentiu.

-Como quiser. Flor, vá acordar o capitão do navio enquanto eu me visto para irmos.

Florença assentiu antes de sair do quarto e Valentina suspirou. Ela deveria estar feliz, ela sempre quis que Florença desistisse do casamento, mas não desse jeito, não com ela sofrendo tanto. Às vezes podia parecer que Valentina não gostava muito da irmã, mas ela a amava demais, apenas havia aprendido muito cedo o quão duro o mundo era. Desde os oito anos ela precisou criar a irmã e nenhuma dama tem uma boa criação se for cercada de mimos, ela deveria ser rígida e séria, como uma dama deveria ser, mas ela fazia tudo isso para protegera irmã.

Ela sabia que Florença era muito doce e gentil e sabia o que o mundo fazia com mulheres assim, por isso ela precisava proteger a irmã, nem que para isso precisasse ser a vilã.

Valentina terminou de se vestir e Florença entrou no quarto outra vez, a avisando que o capitão etava pronto para zarpar. Valentina pegou suas coisas e as duas sairam da pensão, indo em duração às docas.

Valentina parou quando as duas estavam perto do barco e olhou a irmã nos olhos.

-Flor, você tem certeza de que quer ir embora?

Florença assentiu.

-Vamos embora, por favor, Tina. - Florença pediu mais uma vez e Valentina assentiu. As duas entraram no barco.

-Vamos zarpar. - Valentina disse ao capitão, que assentiu e tirou o barco das docas, indo em direção à Roma.


Notas Finais


Então amores, gostaram?
Comentem expectativas.
See Ya 😘


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...