História Bad For Me - Nevra - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Eldarya
Personagens Erika, Ezarel, Miiko, Nevra, Valkyon
Tags Eldarya, Erika, Ezarel, Nevra, Valkyon
Visualizações 69
Palavras 1.651
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Aventura, Crossover, Fantasia, Ficção, Magia, Romance e Novela, Sobrenatural, Universo Alternativo
Avisos: Heterossexualidade, Linguagem Imprópria, Spoilers
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


E temos quase vinte favoritos na fanfic até agora, eeehhh!!! Queria deixar aqui os devidos agradecimentos de minha parte quanto à isso, porque, bem, como a fanfic começou agora, eu não esperava mais do que cinco favoritos, então muito obrigada! Obrigada também pelo incentivo com os comentários pedindo por uma continuação da história, porque isso me deixa muito feliz! Enfim, espero que gostem e boa leitura!

Capítulo 2 - Ele Ainda Está Aqui


- Você viu? - Pergunto para Valkyon assim que chego na sala das portas, notando que o mesmo olha de um lado para o outro, como se estivesse procurando algo, que eu imagino que seja a mesma coisa da qual estou em busca.

- Ela passou por você também? - Faço um movimento afirmativo lentamente, olhando diretamente nos olhos do platinado. - E como foi que ela escapou?

- Você está perguntando como ela escapou dos meus braços ou como ela escapou da cela? Porque, sabe, a sua pergunta não foi muito clara - Pergunto, fazendo-me de desentendido. Valkyon apenas tomba a cabeça para o lado, arqueando uma sobrancelha. - Certo, certo! Digamos que eu não estava muito atento e talvez tenha me distraído com a aparência da garota ao invés de tentar segurá-la e leva-la para a sala do cristal.

Mesmo sem olhar diretamente para ele, eu podia ter a certeza de que o platinado estava me julgando. Assim que passei a observá-lo, minhas suspeitas foram confirmadas.

- Não me olhe desse jeito! Ela passou por você logo depois e mesmo assim você não está com ela. Posso saber o porquê de tal coisa? - Cruzei os braços, alternando meu olhar entre Valk e os cantos da sala. Acho que tem algo estranho naquela pilastra ali...

- Eu não tinha ideia do que realmente estava acontecendo. Uma pessoa apenas passou correndo por mim e quando eu entendi o que estava acontecendo e que era a humana que deveria estar presa, ela já havia desaparecido.

- Acho que já podemos nos considerar como mortos quando Miiko ficar sabendo disso - Suspiro, jogando a cabeça para trás.

Uma merda não ser tão fácil abrir um portal para o mundo da humana e jogarmos ela lá. Todo mundo sairia bem mais feliz dessa história toda e a responsabilidade pelo que acontece com ela e para onde ela vai, não seria nossa. Um problema a menos na minha vida, eu não iria reclamar se isso acontecesse.

- Se ela ficar sabendo - Valkyon diz calmamente, fazendo com que minha atenção volte a ser direcionada para ele. - Afinal, podemos ir em busca da humana agora, se a acharmos, Miiko nunca precisará saber que em algum momento nós chegamos a perde-la de vista - A sugestão de Valkyon não era nada mal, nada mal mesmo. E de qualquer maneira, caso não encontrássemos a garota, como a kitsune poderia ao menos desconfiar que nós havíamos encontrado ela, mas não conseguimos capturá-la?

- Certo, vamos em busca dela. Acha melhor nós irmos juntos ou separados? - Arqueio a sobrancelha e ele dá de ombros em resposta à minha pergunta, dizendo logo depois que não se importa muito. Decidimos então irmos juntos, afinal, a parte externa ao QG é enorme, e com certeza, ela tentaria ir pelo lado de fora e atravessar o portal, em busca de alguma saída. Não que isso fosse muito inteligente, visto que se ela entrasse na floresta provavelmente iria morrer, mas digamos que seja a coisa mais óbvia de se passar pela cabeça de alguém que esteja fugindo.

Pude jurar que vi a porta da despensa sendo fechada logo depois de um vulto entrar, mas provavelmente eu estou imaginando coisas, e mesmo que alguém realmente tenha entrado lá, pode simplesmente ser o Karuto. Decidi, portanto, ignorar e continuar seguindo Valkyon pela grande escadaria, quase saindo em direção ao espaço do mercado.

Dois passos. Faltavam apenas dois passos para pisarmos do lado de fora. Apenas dois passos, até sermos interrompidos, escutando nossos nomes sendo chamados por uma voz furiosa logo atrás de nós.

- Seus dois incompetentes! - Virei-me, vendo Miiko na ponta da escada e chamas azuis por todos os lados. - Vocês são cegos ou o que?!

- Como? - Eu e o platinado perguntamos em uníssono. Não estávamos sendo cínicos ou nos fazendo de desentendidos, apenas não tínhamos ideia do que ela estava falando.

Ok, pensando bem, dava para imaginar que ela estava falando sobre o fato da humana ter passado por nós e não termos feito absolutamente nada, mas ela não teria como saber disso, certo?

- Não me olhem como se não soubessem do que eu estou falando! As notícias correm rápido por aqui. - Ah, ótimo, ela sabe...

Durante os próximos dos minutos a kitsune nos deu um sermão pelo fato de "não prestarmos atenção o suficiente" e por aparentemente "ignorarmos" as ordens dadas pela própria. Miiko teria continuado com a bronca, se não fosse por conta de um grito agudo logo atrás de nós, mais especificamente, vindo da despensa. Antes mesmo de pensarmos duas vezes, saímos às presas em direção ao local, abrindo a porta e entrando no local em passos rápidos.

A primeira coisa que vejo assim que consigo entrar e ficar em um lugar sem que ninguém atrapalhe a minha visão é Ezarel segurando o pulso da humana e a mesma o empurrando para o lado oposto ao dela, tentando fazer com que ele se afaste e solte o braço dela.

- O que você está fazendo aqui e como escapou da cela? - A partir dessa fala de Miiko, uma discussão começou. O assunto central, como previsto, era a chegada repentina da humana em Eldarya e o fato de ela ter surgido logo em frente ao cristal, o que de fato, era realmente algo muito estranho e suspeito.

O que poderia ser uma conversa normal, em que a garota tivesse a chance de explicar seu lado da história se tornou um caos. Eu estava decidido desde o começo a não me meter no meio da briga, mas não consegui manter a boca fechada quando começaram a acusa-la de certas coisas, principalmente de roubo, sem fundamento algum.

- Não foi ela - Disse calmamente, depois de escutar alguém falando sobre as comidas que sumiram da despensa. - Eu sei quem foi e já disse que a pessoa não deveria ter feito isso, então relaxem. Por que não deixam ela respirar e explicar o que aconteceu e fez com que ela chegasse até aqui? - Sugeri e em troca, recebi olhares confusos e surpresos.

Não era como se eu estivesse defendendo a humana ou não concordasse que era estranho ela ter aparecido por aqui do nada, mas não é só porque humanos não são bem vistos em Eldarya que devemos trata-la quase como uma criminosa.

- Eu também acho que ela deveria ter a sua chance de se explicar, Miiko. Talvez algumas informações sejam tão úteis para nós quanto para ela entender o porquê de ter chegado aqui. - Kero diz, reforçando o que eu disse, e como ele é uma pessoa confiável e em quem Miiko confia, ela acabou por ceder, dando um suspiro pesado.

- Certo. Diga-nos então, humana, o que te trouxe até aqui - A kitsune disse, com a impaciência aparente em sua voz, mas ainda assim, tentando disfarçar.

- E-Eu... - A humana finalmente abriu a boca. Ela parecia completamente perdida e assustada com o que estava acontecendo. Talvez todos nós estarmos olhando fixamente para ela apenas a deixasse ainda mais nervosa e envergonhada. - E-Eu estava andando pela floresta quando vi um círculo de cogumelos e... Quando eu fiquei no meio dele tudo ficou branco e de repente eu estava em frente àquele cristal azul...

As palavras saíram em um ritmo acelerado e às vezes ela se embolava para terminar o que estava dizendo, então sim, ela estava completamente nervosa, o que já era óbvio de ter uma noção apenas ao olhar para a expressão em seu rosto e ouvir as batidas aceleradas de seu coração.

- Era um círculo de uma feiticeira - Ezarel constatou, parecendo estar falando mais para si do que para algum de nós que se fazia presente no local.

- Como é que você conseguiu sair da cela? - Foi a vez de Valkyon dizer algo enquanto franzia suas sobrancelhas.

Provavelmente ela realmente não conseguiria abrir aquilo sozinha, então teve a ajuda de alguém... Mas de quem? Dele?

- Foi um homem, ou pelo menos aparentava ser... Ele vestia uma roupa toda preta e uma máscara semelhante à um dragão - Assim que ela terminou a frase, um suspiro surpreso foi emitido por nós cinco. Miiko estava certa, ele estava de volta, se é que em algum momento chegou a ir embora ou cogitar a ideia de nos deixar em paz.

Mas ele já não havia conseguido o que tanto desejava por aqui? Já despedaçou o cristal e deixou os devidos pedaços desaparecidos, então o que mais ele queria?

E principalmente: Por qual motivo tirou a humana da prisão? Ela é de seu interesse? Por qual motivo?

Foi tolice de nossa parte imaginar que em algum momento ele realmente não nos causaria mais nenhum problema...

Enquanto nós estávamos pasmos, a morena em nossa frente estava ainda mais perdida e confusa do que anteriormente. Com certeza ela não tinha nenhuma ideia do quão complicada e frustrante era a situação para nós.

A expressão de preocupação e ódio no rosto de Miiko já fazia com que eu já tivesse uma ideia do que ela diria para nós três, os chefes da guarda, fazer. Também dava para imaginar o que se passava pela mente dela e o quão perturbada ela ficava com a ideia de uma possível guerra acontecendo em Eldarya.

- Ezarel, Nevra e Valkyon, façam o favor de se separarem e inspecionarem toda a área do lado de fora. Vou em busca de Leiftan e Jamon para que assim possamos olhar aqui. - Concordei com a cabeça, notando que Ez e Valkyon fizeram o mesmo, logo saindo da despensa. Eu fui logo atrás.

A última coisa que fui capaz de ouvir, antes de sair em busca de alguma pista sobre o sujeito que só faz estragos, foi Miiko falando com Kero:

- E Kero, deixo em suas mãos a escolha do que fazer com a humana...


Notas Finais


Eu sei que esse começo tá meio chato, mas prometo que logo logo melhora, provavelmente depois do próximo capítulo ou depois que a Erika for para alguma guarda. Então peço que ainda não desistam da fanfic. De qualquer forma, espero que estejam gostando, pelo menos um pouquinho!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...