História Bad Girl - Capítulo 36


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Tags Drama, Revelaçao, Romance
Exibições 81
Palavras 1.349
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Escolar, Esporte, Famí­lia, Festa, Luta, Romance e Novela, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


Para o desespero de algumas pessoas em estou de volta.
Agradeço as pessoas que me entenderam e me ajudaram.
E para os leitores fiéis eu dedico este capítulo a vcs

Capítulo 36 - Brasil


Finalmente chegamos ao Brasil.
o Luke está dormindo, estou com uma certa pena de acorda-lo .
- Luke?- balanço ele freneticamente até ele acordar ,ele abre os olhos mas logo após os fecha novamente, ai meu Deus do céu.
- Acorda viado. - bato no braço dele e ele acorda em um pulo.
Começo a rir do seu jeito desesperado.
- o que foi isso?
Ele me olha atordoado.
Ainda estou a rir.
- Não faça isso com o meu namorado!
Aquela mesma garota de antes me repreende.
- Teu o quê?
Ele me observa sem entender e eu fuzilo a garota com o olhar.
- Meu namorado. -  fala ela como se isso fosse a coisa mais óbvia. - você está dando uma de cínico né amor?
- Quê?  Não. - ele olha para a garota espantado.
Ele se solta do aperto dela e vem para o meu lado.
-Você nem sabe o meu nome garota.
- Sei sim, é Luke.- ela faz uma pausa. -  Luke Patterson.
Olho para ela boquiaberta, como essa puta sabe o nome dele?
-De onde você me conhece?
- Da escola.
- Ahh, só podia ser uma daquelas putas. - me intrometo na discussão.
-elas não são putas.
-uhum, sei.
Me afasto dela e o Luke me segue.
Vou em busca das minhas malas e em busca do Dean.
Meia hora após em vejo minhas malas e a caixa de transporte do Luke.
Ele me lambe.
- Onde será que está o Ed e a Rafa?
- AQUI!! -  is dois gritam juntos.
-Aí caralho, vocês querem me deixar surda?
Reclamo e eles caem na gargalhada.
- Cadê o Luke??
- Sei lá, deve estar procurando as malas dele e do Miguel.
Alguns minutos depois e o Luke aparece com o Miguel e a mina que diz ser namorada dele.
Eu mereço.
-Hum...  Vamos amor?
Quando eu iria responder a garota se intromete.
-vamos baby.
-E quem falou contigo? - pergunta o Luke extremamente irritado.
-Você.
Ele nega e ela apenas faz uma cara de chocada.
- vamos porque minha avó não vai esperar pra sempre. - falo me levantando. - vamos amor?
Destaco a palavra "amor"  e a garota bufa.
Pego as malas e o Miguel faz questão de empurrar a caixa do Dean.
- quem era aquela louca? - pergunta o Ed.
- Uma garota que se diz ser namorada do Luke.
Todos rimos e vamos até o ponto de táxi.
E adivinhem...  A garota estava lá esperando o Luke.

-Garota tu não cansa não?
Ela balança a cabeça negativamente.
-beleza...  Então, apenas observe.
Me viro para o Luke e ele me encara sem entender.
Sorrio marota.
- me beije.
Ele nada fala apenas direciona suas mãos para a minha cintura e cola nossos corpos, coloco as mãos em seu pescoço, nossas respirações se chocam, acabo com a distância e selo os nossos lábios, primeiramente era um beijo calmo e cheio de carinho mas logo após o beijo se intensifica e todo o sentimento eminente é a pura luxúria.
Ele aperta minha cintura e eu gemo mas sua boca abafa o som.
O beijo vai ficando mais calmo e nós nos separamos.
Ele sorri, e logo após eu me toco que estamos no aeroporto, ops...
Eu me viro e encaro a garota que nos observa perplexa, Luke me abraça e coloca a cabeça entre o meu pescoço e sussurra.
- Eu te amo, baby! - ele sussurrou mas foi alto o suficiente para a pobre garota ouvir, coitada.
- Também te amo, baby!
Ele sela novamente os nossos lábios mas em um beijo rápido.
-wow, que facada. - fala a Rafa apenas observando a cena.
- Bom, se já acabaram com isso eu queria saber se já posso chamar o táxi. - diz o Ed ainda estático.
Eu concordo e ele sai de perto da gente.
- Eu...  Eu já estou indo.
A garota sai e segue o rumo dela.
- Já vai tarde. - fala a Rafa e o clima tenso vai embora.
-Hey, vocês vem? 
O taxi tem um porta-malas razoável mas cabia as nossas malas, para a nossa sorte nós sabemos falar português por que se não estaríamos perdidos.
As ruas cheias de carros, pessoas andando de um lado para o outro, enfim, até que não tem tantas diferenças.
Dou o endereço ao taxista e ele nos leva para a casa da minha avó.
A casa dela é considerável grande em comparação com as casas dos vizinhos, minha avó não é tão rica mas a sua casa é a mais luxuosa do bairro.
Tiro minhas malas do táxi e coloco as mesmas no chão.
Abro a caixa de transporte e tiro o Dean de lá.
- Bellinha!! -  aparece minha avó na porta.
-Vó, que saudades.
Abraço ela.
-porque não me avisaram que viriam hoje? - pergunta ela. - aí meu Deus eu nem fiz o almoço.
Ela entra e eu acompanho a mesma.
O cheiro da lasanha me chama a atenção e eu vou em direção da cozinha, a mesa está farta, com bolos, sucos, lasanha, pudim e outras coisas que eu desconheço.
- Dona Ana! - fala o Ed entrando na cozinha.
Ela corre e abraça ele.
- eu ainda não preparei o almoço então vocês irão se contentar com isso. - fala ela apontando para a mesa cheia.
-eu fico feliz por você ter feito lasanha,eu amo lasanha.
-Eu sei meu querido Ed. - ela finalmente nota que eu e o Ed não estamos a sós. - Hey, e vocês devem ser as pessoas que roubaram o coração dos meus netos.
Eles riem e concordam.
Minha avó sempre considerou o Ed como um neto pego qual ela nunca teve, então eu e o Ed somos como irmãos, nos tratamos como irmãos e a minha querida avó o trata como neto.
Antes eu tinha um certo ciúmes mas depois acabei gostando da coisa.
- Eita, agora eu tenho novos netos.
Minha avó pula e bate palmas.
- hey, quem é você? - ela se aproxima do Miguel.
-Miguel.
-Oi Miguel, quer pudim?
Ele concorda e minha avó sorri satisfeita, meia hora depois e todos estamos satisfeitos.
- Querem pizza?
Meu Deus!!
Ela vai nos matar.
-Eu quero. - fala o Ed e o Luke.
-vocês são gulosos de mais. - falo e a Rafa concorda.
-enfim, eu vou subir pois irei escolher o meu quarto e o do Luke, bye.

Subo as escadas e entro no primeiro quarto que eu vi, vejo que é o quarto da minha querida avó, fecho a porta e ando até o mais distante, abro a porta e vejo um quarto enorme, com uma cama de casal, um guarda roupas e uma estante de livros, wow, e tem uma sacada.
Gostei desse, desço novamente e pego minhas malas, entro no quarto e guardo minhas roupas.
Olho para  um porta e percebo que ainda não vasculhei ela, ando até a mesma e me deparo com um banheiro totalmente arrumado e espaçoso.
Instantaneamente pensamentos maliciosos tomam conta de mim, o que que está acontecendo comigo?
Balanço a cabeça de um lado para o outro mas os pensamentos continuam, penso no Luke me imprensando na parede do box, aí meu Deus.
Me jogo na cama e fecho os olhos e finalmente eu paro de pensar no corpo despido do Luke.

Ouço o som da porta abrindo e logo após sendo trancada, alguém se deita ao meu lado e suspira.
-Quase que eu não te achava. - a voz do Luke ecoa pelo quarto eu lembro dele gemendo o meu nome no meu pensamento.
Argh!!
Que raiva de mim por estar a pensar isso dele.
- Agora achou. -  falo e me viro para ficar apreciando a sua beleza.
- Estou morrendo de tão cansado que eu estou.
-Então...  Eu já estou morta. - falo e fecho meus olhos novamente.
Meus pensamentos maliciosos voltam e eu caio em total escuridão...
Mas não antes de ouvir o Luke sussurrando.
-Eu te amo, baby. - ele deposita um beijo na minha testa e eu acabo dormindo.


Notas Finais


Vou dormir estou morrendo de tão cansada que estou.
Ahhhhh
Até mais.
Me desculpem pelos erros


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...