História Bad Girl - Capítulo 46


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Tags Drama, Revelaçao, Romance
Exibições 41
Palavras 1.064
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Escolar, Esporte, Famí­lia, Festa, Luta, Romance e Novela, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


Hey, me desculpem a demora... Eu estou desmotivada... Sim e muito mas uma pessoa me ensinou de que eu não posso desistir.
Que eu tenho que ir atrás do que eu quero e é isso que eu irei fazer.

Capítulo 46 - Lágrimas de dor ou lágrimas de amor?


POV LUKE.

Minha perna dói muito.

Já anoiteceu e eu estou esperando ficar tarde o suficiente para o pai da Bella ir embora com os seguranças dele.

Jamilly já não fica aqui a esta hora... o Will é o capanga mais desastrado da gangue deles.

- Não faça nenhuma palhaçada Luke. - ele fala tentando me ameaçar.

Olho a chuva à cair e penso na Bella, logo estarei ao lado dela.

Minutos após o Will dorme tranquilamente e eu começo a desatar o nó da corda, finalmente consigo me soltar, passo a mão por cima do local onde a corda estava prendendo, tento me levantar sem fazer barulho e minhas pernas doem, me arrasto pelo quarto e pego uma arma, dois canivetes e balas extras.

Volto para a cadeira e coloco as cordas no mesmo lugar de antes apenas para enganar o Will.

- Ei... Ei... - tento chamar a sua atenção e ele aparece na pequena janela.

- o que é?

- Me trás um pouco de água?

Ele sai e destranca a porta que me isolava da realidade, ele se aproxima com um copo e eu me levanto bruscamente, ele cai no chão e eu pego as cordas que estavam nas minhas mãos, amarro uma delas no pescoço dele e o mato.

Vou ter que apelar para a morte silenciosa, não posso alarmar os outros membros da gangue.

Saio do quarto me segurando nas paredes, arrasto minha perna e tento ignorar a dor.

Desço as escadas e na sala tem 2 caras tomando cerveja... Pego a arma e miro na cabeça de um deles, atiro e o outro procura de onde veio o disparo.

Sorte que a arma está com silenciador e não faz muito barulho, Ele anda lentamente pela sala, ele tira da cintura uma pistola e aponta para as escadas.

Miro novamente mas dessa vez nos testículos dele,ele cai no chão urrando de dor, saio do lugar onde estava escondido e ele me olha espantado.

- Diz ao diabo que eu mandei lembranças.

Atiro no coração dele e o mesmo fica no chão sangrando até morrer, continuo me arrastando até sair da cabana... ótimo,terei que atravessar uma floresta inteira.

Eu tenho que esquecer a dor e tentar correr ou irão me capturar, começo a correr sem destino entre as árvores, alguns galhos se chocam contra o meu rosto e e eu tropeço em algumas pedras e galhos, a falta de ar me deixa desnorteado mas eu não posso parar... não agora.

A chuva caí pelo meu corpo e os meus pelos do corpo se arrepiam, meus cortes ardem quando entram em contato com a água, a escuridão que cerca a floresta é assustadora mas eu tenho que ignorar isto, continuo correndo em busca da estrada mas não acho nada, não posso desistir agora... se eu cheguei aqui eu vou continuar e acabar logo com isto.

Um pouco distante eu posso ver a estrada e carros passando por ela.

Acelero os paços e finalmente chego perto da margem.

Paro no meio da pista e vejo um carro se aproximando, ele para bruscamente na minha frente e eu caio no chão, não tenho mais forças para me manter em pé, minhas pálpebras pesam e eu apago... a última coisa que vejo é a Bella gritando desesperadamente ao meu lado.

POV BELLA.

O Ed disse que iríamos na casa dele para pegar roupas mas antes de chegarmos a casa dele a gente vai abastecer o tanque do carro porque a gasolina está acabando, o posto está um pouco longe da cidade então levaremos meia hora para chegar lá, ao lado direito tem grandes árvores que devem ter no mínimo 15 metros, olho para as árvores a balançarem em sintonia com o vento, vejo uma sombra entre a escuridão da floresta e eu penso ter visto o Luke mas deve ser algo da minha cabeça.

continuamos o caminho até algo fazer o carro parar bruscamente, não consigo ver pois caiu ao chão.

Eu tento abrir a porta mas ela está trancada.

- Não Bella, você está grávida... não pode ficar se desesperando a toa.

- Abre a porta por favor... Eu só quero ver se ele precisa de ajuda.

Na mesma hora que eu saio o Ed e a Rafa me acompanham e eu não acredito no que meus olhos vêm, a perna dele está totalmente cortada e ele está muito machucado.

Ele gemia de dor.

- Me ajuda a colocar ele no carro. - o Ed chamou a Rafa e ela levou o Luke para o banco de trás.

Porque ele saiu de uma floresta totalmente machucado?

Ele faria isso a si mesmo apenas para vir me pedir desculpas e dizer que aqueles arranhões foram porque ele estava "sequestrado" ?

Não sei

Fiquei parada na frente do carro até o Ed buzinar e mandar eu entrar no veículo.

Entro no carro ao lado do Luke mas eu não encosto nele... Eu gosto dele mas ele me deixou sozinha para poder ficar com outra.

Ed sai em dispara para o hospital, quando chegamos lá dois enfermeiros pegam uma maca e colocam o Luke lá e eles saem em dispara entre os corredores daquele lugar.

As lágrimas finalmente caem pelo meu rosto e eu percebo que eu não gosto do Luke eu o amo e isso é mais forte do que eu, é mais forte do que nós.

Ed e Rafa me abraçam e tentam me confortar.

- Ele vai ficar bem?- sussurra a Rafa.

- Sabe quantas vezes eu ouvi isso? - pergunto olhando para eles. - Muitas... e em todas elas nada deu certo.

As lágrimas não param e eu abraço meus amigos com todas as forças

- Eu tenho medo de perder ele também, tenho medo de que tudo desabe e que eu perceba que daqui para será apenas eu, eu tenho medo do que pode acontecer... eu tenho medo do que o futuro nos reserva.

-Ei... Você não estará só, terá eu e a Rafa ao teu lado e o Luke ficará bem, acredite nisso e tudo dará certo.

Eu não consigo parar de chorar, meu corpo falha e eu me sento em uma cadeira que estava vaga, a Rafa me trouxe um copo de água e me deu, eu bebo todo o copo de água e finalmente meus nervos acalmam.

Eu fico lá, sentada olhando para as grandes portas daquele hospital esperando que o médico venha nos dar notícias.

" paciência é tudo o que precisamos para dias ruins... enfrente o medo de cabeça erguida e tudo dará certo.

Lute pelo o que você quer e não desista... apenas os fracos desistem e você não é um deles."


Notas Finais


Minhas frases voltaram 😂😂
Enfim
Gente... Finalmente ajeitaram o app
Ainda bem, agradeço imensamente.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...