História Bad Girl - Capítulo 6


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Exibições 20
Palavras 2.032
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Luta, Magia, Romance e Novela, Sobrenatural, Violência
Avisos: Álcool, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Oiii, aqui estou eu de novo... Segunda eu entro em semana de provas, maaaaas... Eu geralmente não estudo muito (e as notas continuam boas), então vou diminuir bem pouco o ritmo.
Enfim, vamos à história...

Capítulo 6 - Você é Louca!


   Enquanto James e Kyle se preocupavam com o trânsito para sair da cidade, já que a polícia estava atrás da gente (graças às minhas habilidades com o revólver), eu revirava a mochila procurando coisas que podiam ajudar na recuperação de Jason.
   Eu pensava e procurava ao mesmo tempo... Por que o último corpo não havia desaparecido? Talvez não tivesse morrido... Isso me deixava um tanto encrencada. Na pressa, nem me certifiquei se a pessoa havia realmente morrido... Merda.
   Acabei com uma tigela e algumas ervas em mãos. Misturei tudo até que virasse uma pasta azul esquisita que se parecia com o que eles utilizavam no Acampamento quando alguém se feria nas batalhas.
   Jason já estava sem camisa, esqueci o que eu estava fazendo por um segundo - ele tinha o corpo definido, mas nada exagerado. - Que merda eu to pensando?!? Desviei meus pensamentos disso, eu tava parecendo a Elena.
   Retirei o curativo feito por James e comecei a aplicar a pasta pelo ferimento, com muito cuidado.
   Eu finalmente pude ver o machucado com calma. A situação era bem complicada, mas havia começado a melhorar.
   As cena de Jake com uma espada em minha garganta e depois em uma luta com Jason me vieram à cabeça. Parei um minuto e fechei os olhos com força mais uma vez, evitando as lágrimas de novo. O que eu fiz pra ele?
   Ouvi uma risada debochada muito familiar. Nem precisei olhar para saber que era Jason.
   - Quer dizer que Katherine Di Angeli tem sentimentos? - Provocou ele, com a voz fraca.
   - Seu idiota! Assim que isso acabar você ta mais que ferrado! - Disse para logo em seguida me jogar em seus braços, me lambuzando toda com a coisa azul.
   Ele abraçou de volta, contendo uma exclamação de dor e passando a mão por meu cabelo. Reduzi a força do abraço, aquilo devia ter doído pra caramba.
   - "Obrigada Jason, Jake teria me matado se você não ajudasse" - Ele tentou imitar minha voz e eu ri.
   Me soltei do abraço, lembrando da seringa.
   - Obrigada. - Agradeci com sinceridade. - Depois conversamos.
   Peguei a seringa.
   - Ah não, fala sério?!? - Jason perguntou.
   - Vai logo Kate. - Pediu James.
   - Não, não, chega de me furar por hoje. - Revirei os olhos.
   - Se você não fizer, eu faço. - Avisou James.
   - Jason, para de frescura, é só cetamina...
   - Tá, vai logo. - Bufou ele.
   Coloquei a agulha em seu braço e pressionei a seringa, injetando o líquido, depois puxei a seringa de volta.
   Terminei de aplicar a pasta azul esquisita e recoloquei o curativo. Depois apoiei as costas no banco, morta de cansaço.
   Estava quase dormindo quando senti minha cabeça pesar para o lado, no ombro de Jason, apaguei apoiada nele, que me puxou para mais perto. Caso as circunstâncias fossem outras, muito provavelmente ele teria levado um soco, mas não eram. E naquele momento era extremamente reconfortante saber que ele estava ali, do meu lado. Pelo menos uma coisa não havia mudado. Ainda éramos amigos. Então só dormi.
              
                              ***

   - Gente, chegamos. - Ouvi a voz de James nos chamando.
   Abri os olhos, morrendo de sono e saí do carro, seguida por Jason.
   Meu cabelo provavelmente estava todo embolado, até vidro devia ter. Como consegue pensar nisso? Me censurei.
   Ainda estava com o pedaço da jaqueta de Jason amarrado na cintura, só que agora se encontrava completamente manchado de sangue, assim como o resto do meu corpo.
   James sem sombra de dúvida estava melhor que eu, enquanto Jason estava num estado mil vezes pior e Kyle estava intacto - além de muito curioso.
   O cheiro de mato tão familiar me tranquilizou um pouco. Estávamos quase no topo de uma colina bem alta, lá de cima eu podia ver a vegetação verde nas depressões abaixo.
   Com surpresa, percebi que eu sentia falta daquele lugar.
   O Acampamento era mais para o meio da montanha, nós estávamos no final de uma serra bem íngreme. Dali pra frente não havia estradas por questões de segurança. Teríamos que ir a pé.
   Pude ver uma figura se aproximando, ela segurava algo com firmeza. Estava muito escuro, só havia a iluminação do farol do carro, que iluminava a direção oposta.
   - Identifiquem-se! - Eu conhecia aquela voz.
   - Katherine Claire, James Dieckman, Jason Meyer e Kyle Belmonte. - Identifiquei.
   Logo Sarah veio até nós e pude ver que o objeto que ela segurava era uma faca. Bom saber que estão mantendo a guarda.
   - Os reforços chegaram? - Perguntou ela, preocupada.
   - Sim. - Respondi.
   - Aaron foi com eles... Ele está bem? - Perguntou ela, aflita.
   Eu estava a ponto de dizer que o garoto havia morrido, só para vez sua reação, mas achei melhor não brincar com Sarah, ela sabia se vingar.
   - Tá tudo certo. - Respondi, séria.
   Vi sua expressão relaxar e tive vontade de rir. Aquelas pessoas eram tão idiotas!
   Ela me olhou, preocupada, eu devia estar parecendo louca.
   - Ta tudo certo, Kate passou por muita coisa hoje. - James explicou e me fuzilou com olhar. Ele ainda estava bravo pelo problema com a polícia.
   - Se isso for muito pra você... - Sussurrei, de modo que ninguém ouviu.
   Começamos a andar na direção do Acampamento e cerca de meia hora depois começamos a ver luzes. Eu estava exausta.
   Logo chegamos, e Sarah não perguntou nada sobre Kyle.
   - Katherine, Jason e... Kyle, me acompanhem por favor. - Pediu ela.
   - Tudo bem. - Jason respondeu por todos nós.
   Enquanto andávamos até lá, fui observando cada milímetro daquele lugar. As cercas de arame farpado só estavam presentes na parte de nosso território na floresta, no restante , havia sido substituída por uma cerca de madeira branca. Ao longe, pude ver alguns chalés, todos com a pintura retocada.
   Parei de enrolar e apressei o passo. Por mais que ele não fosse dizer, Jason não aguentaria muito mais tempo.
   Depois de alguns minutos chegamos a um casarão de dois andares - antes branco, - agora pintado de marrom.
   Sarah abriu a porta e nós entramos. A sala estava fazia e ela pediu que sentássemos enquanto ela chamava os outros campistas da enfermaria. E assim fizemos.
   O sofá ainda era o mesmo que eu me lembrava: branco, de couro. O piso branco de cerâmica, também havia se mantido, assim como quase tudo lá dentro. Mas notei algo novo: agora, os "quartos hospitalares" estavam numerados, e, da posição em que eu estava, pude ver que no segundo andar, depois da escada, a organização havia melhorado. Havia uma placa com os dizeres: "Tantum Populo Licent", que eu rapidamente traduzi do latim: "Apenas Pessoas Autorizadas". Eu conhecia a enfermaria como a palma da minha mão, de tantas vezes que fui parar lá.
   Provavelmente lá em cima agora ficavam os arquivos de visitas. Bom saber.
   Logo outros campistas chegaram com garrafas com misturas estranhas.
   Um garoto subiu e voltou com um livro e uma caneta, veio até nós e nos perguntou nossos nomes. Respondemos e ele tomou nota no livro marrom, depois atravessou a sala e colocou-o na mesa atrás do balcão, onde estava a pessoa escalada como recepcionista: Maddison Hill, com a maior cara de tédio. Não suportava essa garota.
   Logo Sarah apareceu com dois copos plásticos cheios de um líquido parecido com cola para isopor.
   Ela entregou um para mim e outro para Jason e nos fez beber aquilo. Virei tudo de uma vez e surpreendentemente o gosto não era ruim.
   - O que o garoto é? - Perguntou ela, se referindo a Kyle.
   - Bruxo. - Respondeu ele.
   - Ele vai ficar com a gente? - Perguntou ela novamente.
   - Pode por favor parar de falar como se eu não estivesse aqui? - Retrucou Kyle.
   Deixei escapar uma risada baixa e como resposta recebi um tapa na mão por parte de Jason. Revirei os olhos para ele e calei a boca.
   - Ótimo, mais um pro clube dos irritantes. - Ela disse olhando para mim e para Jason.
   - Acho que vou ficar. - Enfim respondeu Kyle.
   - Está ferido? - Perguntou Sarah.
   - Não. - Respondeu ele.
   - Jason, quarto 1, você deve melhorar rápido depois que limparmos as feridas.
   Jason se levantou e o garoto do caderno de registros e uma garota morena que me parecia familiar o acompanharam até o quarto.
   - Maddie, preciso de você aqui. Limpeza e curativos de Kate Claire. - Chamou Sarah.
   Droga, ela não.
   - Sei me cuidar. - Disse me levantando e indo até uma das salas de remédios.
   Comecei a olhar as prateleiras em busca de um analgésico.
   Maddie entrou, já irritada, e me mandou parar:
   - Você não pode mexer aí! Cai fora!
   Apenas ignorei e continuei procurando. Quando finalmente achei peguei o frasco.
   - Me dá a merda do remédio! - Irritou-se ela
   - Tá bom. - Respondi.
   Peguei dois comprimidos e lhe entreguei o frasco, depois saí da salinha.
   Quando Maddie saiu da sala, estava vermelha de raiva.
   - Você não vai tomar isso! - Exigiu ela.
   - Vai fazer o que? - Perguntei, sarcástica.
   Kyle assistia à cena rindo. Sarah já não estava maia lá.
   Maddison estava irada. Eu teria achado engraçado, mas ela atirou um dos vasos de flor do balcão em mim. Por sorte, ela acertou minha perna. O vidro me cortou, mas somente onde a calça estava rasgada, foi o suficiente para me fazer gritar. Eu sentia muita dor.
   Aquela garota estava morta.
   - Ardentes intrinsecus. - Com apenas duas palavras minhas ela caiu de joelhos enquanto gritava. Eu estava queimando-a por dentro. Bem, não exatamente, era apenas a sensação de estar queimando por dentro.
   Apreciei o momento por alguns instantes e depois cortei o feitiço.
   Ela respirou fundo desesperadamente algumas vezes, depois olhou para mim com ódio nos olhos.
   - Você é louca! - Berrou ela, se levantando. Ah, eu sei que sou...
   Sarah desceu, para ver o que tinha acontecido, mas meu showzinho já estava planejado. Tchau Maddie. Disse mentalmente.
   - Eu?!? - Levei a mão ao local onde ela havia me atingido. - Foi você quem jogou um vaso em mim!
   - Maddison! - Ela olhou ao redor e viu a prova do crime: vidro, sangue, minha perna. - Acho melhor você ir para a sala da direção!
   - Espera! Não foi bem assim, ela também me atacou!
   - Para de ser ridícula, menina! Aprende a admitir a culpa! - Fingi estar irritada, mas na verdade a perna era só um mero detalhe, apesar da dor.
   - Maddison, eu não quero chamar alguém da diretoria aqui... - Sarah disse.
   Maddie Hill deixou a enfermaria, não sem antes me lançar um olhar mortal. Finalmente ela teve o que mereceu por essas e outras vezes que ela havia me ferrado - ou tentado.
   - Me desculpe, eu não sei o que houve com ela hoje... - Sussurrou Sarah.
   - Nós duas sabemos que ela é assim, deixa pra lá. - Respondi. Vinha vingança ainda não tinha terminado.
   - Vem. - Sarah me levou ao quarto 2, joguei os comprimidos fora discretamente na lixeira que havia perto da porta dentro do quarto.
   Sentei em uma cadeira próxima à cama e Sarah desamarrou a ex jaqueta de Jason da minha cintura e começou a limpar o ferimento com alguns remédios que ela pegou em uma das gavetas do criado-mudo que estava ao meu lado.
   Apertei o braço da cadeira para controlar o desconforto da sensação de ardência do remédio.
   Depois, ela pegou gaze e esparadrapo e fez um curativo no lugar do corte.
   Ela fez o mesmo com minha perna.
   - Obrigada. - Agradeci.
   - Eu ofereceria um banho, mas acho que você quer ir ver como Jason está, né? - Adivinhou ela.
   - É... - Respondi.
   - Sua roupa vai estar aqui quando voltar.
   - Obrigada.
   Abri a porta do quarto e corri em direção à porta ao lado.
   Girei a maçaneta devagar e abri a porta com calma, tentando não fazer barulho.
   Assim que Fechei a porta do quarto o alarme de emergência tocou e surgiu a temida luz vermelha em um aparelho instalado no teto: estávamos sob ataque. Sempre dá pra piorar...

                              ***

  


Notas Finais


Ta aí... Espero que tenha ficado bom... O próximo vai ser interessante, vou tentar postar rápido.
Pra quem chegou agora, comenta e favorita por favor, vou ficar muuuuito feliz.
Me digam o que estão achando e nos vemos nos comentários...
Beijossssss


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...