História Bad Girl - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Cameron Dallas, Jack & Jack, Magcon, Matthew Espinosa, Nash Grier, Shawn Mendes
Personagens Cameron Dallas, Hayes Grier, Jack Gilinsky, Jack Johnson, Matthew Espinosa, Nash Grier, Shawn Mendes
Tags Drama, Nash Grier, Romance, Shawn Mendes
Exibições 80
Palavras 1.440
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Festa, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


heeey guys, essa é a primeira fic que escrevo, então espero que curtam :) O cap não ta muito grande, nem muito pequeno, então acho que ta bom rsrs. bjs e boa leitura.

Capítulo 1 - Uma flor, como sempre


Fanfic / Fanfiction Bad Girl - Capítulo 1 - Uma flor, como sempre

As ondas do mar batiam levemente em meus pés, era uma sensação de alívio, que logo foi cortado por uma voz conhecida.

- Lana, a cerimônia já vai começar! Venha logo ou irá se atrasar, querida.

- Já vou mãe.

Me afastei do mar e segui em direção ao aglomerado de pessoas que de encontravam ao redor da minha irmã.

- Ah, eu não estava aguentando mais tanta gente em cima de mim, obrigada sis. - ela falou assim que a puxei daquela roda.

- Você tem certeza que é isso que você quer?

- Nunca estive tão certa na minha vida - falou com uma certa animação exagerada.

- Pense bem Louise, você é muito jovem, e não precisa se sacrificar por um capricho dos nossos pais!

- Eu já estou decidida! Agora pare com essa conversa e vá falar com os convidados.

Bufei e fui para o buffet, melhor parte de tudo aquilo. Peguei uns doces e salgados escondida e fui para um canto bem longe dali. Achei um banquinho e me sentei, minha mente estava uma bagunça. Eu realmente não entendia, como meus pais foram capazes de casar minha irmã por dinheiro? Eu me recusava a acreditar que tudo aquilo estava acontecendo. Tentei olhar pelo lado bom, mas percebi que ele não existe! Deitei no banquinho e esperei acordar em outro mundo, um mundo onde não existisse essas pessoas.

- Ei, oque você tá fazendo aí?

Abri os olhos aos poucos e vi um menino parado na minha frente. "Deve ser só mais um desses riquinhos babacas", pensei e fechei novamente meus olhos.

- A cerimônia já vai começar, acho melhor você levantar.

- E eu acho melhor você me deixar em paz - falei com a maior paciência.

- Droga, se você ficar aí não vou ter onde ficar! - Falou com um tom de desgosto.

Me sentei e olhei em seus olhos pela primeira vez, e que lindos olhos.

- Por que você não tá na cerimônia? - Falei o 'cerimonia' imitando a voz dele.

- Não to afim de participar dessa palhaçada - Falou revirando os olhos.

- Hum.. E quem é você? Algum peguete iludido da noiva? (Pode crer, ela tem muitos).

- Que? Sou irmão do noivo - Falou se sentando do meu lado.

- Quem deixou você sentar aqui? - Falei o empurrando. - Sai daqui, vai acompanhar seu irmãozinho.

- Vai continuar com essa criancisse? - disse ele sentando novamente no banco.

- Já mandei você sair - O empurrei novamente, dessa vez fazendo o mesmo cair do banco. Cai na gargalhada.

- Nossa, quantos anos você tem? 5? - Falou se levantado de se limpando.

- Olha quem fala

- Que? Você é quem tá agindo como uma criança - Falou e cruzou os braços. 

- Por que você é contra o casamento? - Falei mudando de assunto.

- Todo mundo sabe que isso ai é uma farsa! Eles nem se amam - Ele se sentou e o olhei - Nem pense em me empurrar de novo, louca.

- Quem você tá chamando de louca? - Falei me aproximando.

- Você, quem mais? - ele riu

Ah é? - Comecei a bater nele o empurrando. Ele segurou meu braço e acabou que eu caí por cima dele. Nossos olhos se encontraram e senti como se tivesse sendo levada para outro mundo, mas os gritos eufóricos dos convidados me fez despertar.

Sai de cima dele um pouco envergonhada, não muito diferente dele. A gente se sentou e ficou  olhando para direções diferentes. O silêncio reinou, um silêncio constrangedor… Até que ele o quebrou.

- Então... Você é irmã da noiva né? - Falou olhando para mim.

- É… Como você sabe? - Olhei para o mesmo.

- Já te vi antes em uma foto de família.

- Você andou me stalkeando?

- Não, não, é que.. eu só vi a foto, sabe? - Respondeu um pouco embaraçado.

- Não, não sei… - A cara dele me fazia querer rir, mas me segurei.

- Ah… eh, quantos anos você tem? - Falou mudando de assunto.

- Você deveria saber, que stalker ruim. - Ele riu, e que sorriso lindo, meu deus. Ele ia falar algo, quando alguém chegou me gritando.

- LANA, VOCÊ ESTÁ PERDENDO, CADE VOCÊ?

- Ótimo, descobriram meu esconderijo.

- Pelo menos agora eu sei seu nome, grande avanço.

- Anota aí ele, pra você stalkear depois - Dei dois tapinhas de leve no ombro dele e fui em direção ao casamento.

- Onde você estava, menina? - Perguntou minha prima quando me aproximei dela.

- Por aí, mas então, oque teve? - Falei nem um pouco interessada.

- O casamento da sua irmã, talvez?

- Haha, é mesmo? não me diga… - Falei irônica.

- Deixa de coisa e vamos logo, você vai perder ela jogando o buquê.

- Nossa, que empolgante.

Ela me puxou entre as mesas e me levou até as mulheres solteironas, loucas pra casar. Nada contra, mas por que essa vontade louca de casar? Oque tem de tão legal nisso? Fiquei parada entre elas, quando a Lou jogou o buquê e as mulheres que estavam ao meu lado me empurraram bruscamente, me fazendo ir em direção ao chão, mas então alguém me segura. Olho pra esse alguem e me deparo com um menino de olhos lindos, meu deus, estou sendo perseguida por meninos com olhos encantadores? Ele me ajuda a me recompor.

- Foi por pouco, hein - Falou dando um sorrisinho simpático.

- Ah, é, obrigada - Retribui a simpatia, afinal graças à ele não virei um arbusto amassado.

- Como é o seu nome?

- Só porque me ajudou acha que pode exigir informações? - Falei cruzando os braços.

- Hahaha, você é sempre marrentinha assim?

- Digamos que só quando sou obrigada a  comparecer à casamentos, fora isso, sou bem pior - Falei o fazendo rir.

- Oh, que medinho.

- Melhor ter mesmo - Falei fingindo dar um soco nele.

- Meu nome é Jack - Falou mostrando sua mão.

- Lana - Apertei sua mão macucando-a.

- Ai, que agressividade - Falou rindo e massageando a mão.

- Ah, qual foi loirinho, eu nem apertei tanto assim.

Percebi um menino se aproximando.

- Ei Jack, você viu o Nash por aí?

- Ele saiu faz um tempo, falou que ia pegar um ar.

- Hum.. Não vai me apresentar sua nova amiga - Falou olhando pra mim.

- Amiga não, conhecida.

- Magoou, pensei que tivéssemos estabelecido um laço. - Falou fingindo estar triste fazendo uma cara de cachorro abandonado.

- Ah… não vale fazer essa cara. - Falei dando um tapa de leve em seu ombro.

- Então galera, eu ainda estou aqui - Falou o menino que estava ao meu lado.

- Ah sim - falou o Jack - Cameron, essa é a Lana, Lana, esse é o Cameron.

- Lindo nome, Lana - Falou o Cameron com um sorrisinho malicioso.

- Nem vem que não tem

- Crushei - Falou o garoto.

- Ei, bro, olha o Nash vindo ali - disse o loirinho

- Então quer dizer que o nome dele é Nash… - Pensei alto.

- Vocês já se conhecem?

- Quase isso

- Vou lá falar com ele - Falou o Cameron.

- E eu vou procurar minha irmã, bye - Falei saindo dali e indo em busca da minha família.

Enquanto os procurava pela areia, sim o casamento é na praia, senti alguns passos atrás de mim. Me viro e quando olho era aquele garoto de antes, Nash, milagre eu ter lembrado seu nome.

- Procurando alguém?

- Você que não é - Falei

- Uma flor, como sempre

Ri com seu comentário

- Viu os "pombinhos" por aí? - Perguntei me referindo aos noivos.

- Cumprimentando os convidados, logo ali - Ele me mostrou onde eles estavam - Agora você tá me devendo uma.

- QUE? Só por causa de uma informaçãozinha?

- São as regras do jogo, querida.

- Que jogo? Hahaha, Não me faça rir.

- Tenho que ir agora, até a próxima - Ele disse é saiu logo após.

Desisti de ir atrás da minha irmã, pois as ondas do mar me chamavam. Sabia que não podia entrar, mas estar em contato com o mar fazia com que me sentisse mais leve, era uma ótima sensação. Fiquei ali dentada na beirinha, para que molhasse somente meus pés.

Quando voltei para a festa, todos já haviam ido embora e só restou meus pais. Nós fomos embora também. Assim que cheguei, apaguei na cama, tinha sido um dia cansativo…


 


Notas Finais


Então... O que acharam? Pode escrever nos comentários, irei amar ler e responder todos. Caso haja algum erro, me desculpem, alguns passam despercebidos hehe. até a proxima fofuxos :)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...