História Bad Girl - Capítulo 25


Escrita por: ~

Postado
Categorias Michael Jackson
Personagens Michael Jackson, Personagens Originais
Tags Michael Jackson, New York, Prostituição
Visualizações 66
Palavras 1.566
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Crossover, Drama (Tragédia), Escolar, Ficção, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência, Visual Novel
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oie meninas, tudo bem?
Boa leitura ♥

Capítulo 25 - Por favor, me perdoa?


Acordei no dia seguinte, sem acreditar muito no que havia acontecido. Todo o meu corpo doía, e principalmente minha alma doía. Giovanni, havia me machucado da pior forma possível, tanto emocionalmente tanto fisicamente. Só tentava pensar em Michael. Tentava pensar em tudo o que ele me diria, se caso eu contasse isso á ele. Ele com toda a certeza irá ficar ao meu lado, mas com certeza irá matar Giovanni. Neste momento estou pensando em ligar para ele, e contar tudo ao meu amado, mas o medo toma conta de mim, e eu não sei bem, o que fazer. Por fim, resolvi somente ligar para ele, para pelo menos dar um "bom dia".

— Alô, meu amor? — disse á Michael, tentando parecer sorrir.

— Meu anjo, que bom que você me ligou. Estava pensando em fazer isso, agora mesmo.

— Como estão as coisas por aí? — disse sorrindo fraco.

— Estão bem… mas seria bem melhor, se você estivesse aqui comigo. — ele parecia sorrir.

— Digo o mesmo… — disse já deixando uma lágrima solitária escapar.

— Eu fiquei extremamente preucupado contigo, meu amor... Você não me contou o que aconteceu com você.

— Não aconteceu nada. Estou bem. Estou feliz. Apenas estou morrendo de saudades. — disse segurando o choro, ao mentir que estava bem.

— Nada mesmo? Você não me parece bem... — pelo o tom de sua voz, percebi que ele estava muito preucupado mesmo.

— Eu estou bem, de verdade. — disse novamente tentando sorrir.

— Vou tentar acreditar…

— Bom, eu já vou ter que desligar. Hoje, irei fazer mais uma sessão de fotos, e ainda tenho que tomar café.

— Tudo bem, meu amor. Tenha um bom dia. E nunca se esqueça, eu te amo! — ele disse parecendo sorrir.

— Tenha um bom dia também. E eu também te amo. — disse sorrindo, e em seguida desligando o celular.

— Hummmm, estava falando com o namorado é? — Elize disse me assustando ao entrar no quarto.

— Que susto, Elize! — disse rindo um pouco e colocando a mão em meu coração.

— Me desculpe. Mas você ainda não respondeu a minha pergunta. — ela disse se sentando ao meu lado na cama.

— Sim, eu estava falando com meu namorado. — disse rindo.

— Você tem alguma foto dele aí, para me mostrar? — ela disse sorrindo maliciosa.

— Tenho, sim. Tenho uma foto de nós dois juntos. — disse já entrando em minha galeria e mostrando a foto á ela. Elize apenas sorriu.

— Vocês dois formam um casal lindo. — ela disse sorrindo.

— Obrigada! — disse sorrindo tímida.

— Já sabe da novidade? — Elize disse parecendo estar anciosa com alguma coisa.

— Da sessão de fotos? Sim, eu já sei disso.

— Como você sabe, se você chegou aqui ontem? — ela disse estranhando. — Giovanni, já te falou sobre o ensaio?

— Ontem á noite, o encontrei no corredor e ele me disse. — disse tentando disfarçar minha expressão de medo e de tristeza.

— Ah, entendi. Você não parece bem. — ela disse acariciando meu cabelo.

— Estou bem, sim. Só estou com um pouco de medo da sessão de fotos. — disse desfarçando, juntamente com um sorriso.

— Hum, entendi. Bom, para mim você me pareceu estranha quando falei de Giovanni. Ele te fez alguma coisa?

Naquele instante tive vontade de falar á Elize, tudo o que Giovanni fez comigo, para ela ficar esperta também. O problema, é a ameaça que ele me fez, quando ele disse que se eu abrisse minha boca, ele faria tudo aquilo novamente. Aquilo me deixou com medo, qualquer pessoa no meu lugar ficaria. Mas, o quê levou ela a pensar, que Giovanni teria feito algo comigo? Será que Giovanni, já fez algo do tipo com alguma outra garota daqui?

— Não, ele não fez nada. — disse mentindo. — Mas… por que, a pergunta? Giovanni já fez algo com alguém daqui?

— Bom, eu não sei ao certo se ele já fez algo com alguém, mas em uma noite que eu passava em frente da porta do quarto dele, eu ouvi uns barulhos estranhos, como os de uma menina gritando. Sabe, ás vezes Giovanni, tem o costume de beber muito antes de dormir e acaba ficando fora de si. — ela disse um pouco séria, e sua expressão me assustou um pouco.

— Ah, eu entendi. Bom, é melhor nós irmos descendo para tomar café! — disse me levantando da cama, e indo até o banheiro fazer minhas higienes pessoais.

Assim que descemos, descobri que podíamos tomar café em qualquer canto daquela imensa casa. Elize e eu, decidimos comer em um jardim que a casa possuía e que nele continham mesas, bancos de madeira e etc... Era um lugar extremamente confortável, e gostoso para ficar em uma manhã, com um clima agradável.

Eu não conseguia andar direito por conta das dores que eram latentes em mim, inclusive na minha parte íntima. Eu andava como se eu estivesse mancando ou algo do tipo. Estava sendo realmente muito difícel de andar. Não demorou muito para Elize perceber.

— Angel, por que está andando assim? — ela disse mordendo suas torradas enquanto andava, e apontou para o meu jeito estranho de andar.

— Ah, não é nada. Só bati o meu pai ontem, na quina da cama, e está doendo um pouco ainda. — disse mentindo.

— Ahan, sei… — Elize disse se sentando comigo em um banco de madeira que havia no jardim.

— É sério... Está doendo um pouco ainda. — disse sorrindo fraco.

A verdade, era que estava doendo demais. Eu tinha medo de contar toda a verdade para Elize. Tinha medo, de que ela não acreditasse em mim. Só queria ver, como eu irei tirar essas fotos hoje…

— Bom, está anciosa para o ensaio? — Elize disse bebericando um pouco do suco de uva.

— Um pouco... — disse mordendo a minha torrada.

— As fotos de Giovanni, costumam ficar muito boas. — Elize disse sorrindo.

— Eu sei… já fiz um book com ele.

Enquanto conversávamos sobre as fotos, sobre namorados e outras amenidades, avistei Giovanni se aproximar de nós duas. Comecei a tremer no mesmo instante, e a vontade que eu tinha de chorar era muita. Pelo menos agora, ele não estava bêbado.

— Bom dia, meninas! — ele disse com suas mãos dentro do bolso da calça, e nos lançando um sorriso, como se nada tivesse acontecido.

— Bom dia! — Elize retribuiu, enquanto eu apenas fitava o chão.

— Está tudo bem, Angel? — Giovanni disse pousando uma de suas mãos em meu ombro. Senti nojo, ao sentir o toque dele.

— Sim, estou. — disse retirando a mão dele de meu ombro.

— Você não me parece bem… — ele disse se sentando ao meu lado no banco.

— Mas eu estou. Só estou nervosa por conta do ensaio. Só isso. — disse mudando meu olhar, que antes estava no fundo dos olhos dele.

Eu não sei, se Giovanni estava se fazendo de bobo, ou então se ele realmente não se lembrava do que ele me fez. Pelo o seu olhar, eu realmente acho que ele não se lembra.

— Bom, você não me parece bem... Quer conversar? — ele disse se levantando me fazendo levantar também. Então, eu concordei com a idéia.

— Tudo bem… vamos conversar. — disse seguindo ele, para um local mais reservado.

Ele me levou para um outro banco de madeira, que ficava em baixo de uma árvore enorme, com folhas caindo. Me sentei receosa, e ele fez o mesmo. Mas ao contrário de mim, ele estava bem e estava feliz. Acho que ele realmente não se lembra.

— Conte-me, Angel. O que aconteceu? — ele disse tomando toda a sua atenção para mim.

— Você não se lembra de nada, da noite passada? — eu disse já deixando algumas lágrimas rolarem.

— Da noite passada? Não, eu não me lembro de nada. — ele disse parecendo estar tentando se lembrar de algo.

— Giovanni, eu vou ser bem direta. — respirei fundo. — Você estava bêbado, e me estuprou.

Ao dizer aquilo, percebi, que Giovanni me olhou incrédulo, como se não acreditasse no que eu tinha acabado de falar. Lágrimas já rolavam por todo o meu rosto.

 — Angel, você só pode estar de brincadeira! Eu jamais faria uma coisa dessas. Sempre fui contra á qualquer tipo de violência contra uma mulher, e principalmente á sexual. Eu estava muito bêbado, muito mesmo. Tenho problemas com bebidas, e quando as bebo, saio fora de mim. Por tudo o que é mais sagrado do mundo, me perdoa? — ele disse chorando apavorado e pegando na minha mão. — Angel, eu não consigo me lembrar de nada. De nada mesmo. Mas de qualquer forma me perdoe, por favor. — mais lágrimas rolaram do rosto dele.

 — Giovanni, isso não tem perdão. Eu jamais aceitaria o perdão, de alguém que fizesse isso comigo. Entendo que você estava bêbado e que estava fora de si. Mas o trauma que você deixou na minha vida, e na minha alma… isso eu jamais vou esquecer. — disse chorando. — Eu não quero participar do ensaio hoje. — disse levantando do banco de madeira aos prantos e seguindo para dentro da casa, o deixando ele falar sozinho.


Notas Finais


Eita que o clima tá tenso, hein?
Será que Giovanni realmente não se lembra, e está arrependido? Veremos no próximo cap!
Obrigada por ler!
Beijinhos 😘😘♥♥


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...