História Bad Love - Capítulo 20


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Amor, Charliehunnam, Romance, Sexo
Visualizações 76
Palavras 1.768
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Romance e Novela
Avisos: Bissexualidade, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Boa noite amores!
Capt ta muiito bom kkk
Espero que gostem!
Boa leitura.

Capítulo 20 - Eu abri os meus olhos!


Fanfic / Fanfiction Bad Love - Capítulo 20 - Eu abri os meus olhos!

Duas semanas e 1 dia

Charlie Hunnam


Estou secando meu cabelo com um sorriso que parece ser permanente em meu rosto. Acho que nada hoje pode acabar com minha alegria, o final de semana foi tão bom que eu queria que nunca tivesse acabado. Charlie me pediu em namoro e vai terminar com a Barbie, eu nem acredito que ele me escolheu!

Uma parte de mim, de minha consciência parecia saber que ele nunca me escolheria, que ele nunca iria abrir mão daquilo que almejou a vida toda. Ainda mais depois dele ter me contado sua história, eu já estava me conformando, memorizando cada momento desse final de semana para quando ele me deixasse, eu tivesse essas lembranças para me consolar. Mas ele me escolheu! Ele me quer!

- E isso é tudo pra mim!

Sussurro me olhando no espelho. Estou pronta para mais um dia de trabalho, estava vestindo um vestido azul escuro com bolinhas coloridas. Coloquei a correntinha que meu pai me deu de presente e prendi a franja para trás.

Saio de minha casa pisando em nuvens e entro em meu carro. Em minutos estou no prédio Proldesign andando em direção ao elevador com um monte de outras pessoas que trabalham aqui. Quando saio em meu andar eu ajeito minhas coisas em minha mesa e vou até a porta de Charlie. Bato duas vezes e entro na sala, estava vazia.

- Estranho!

Digo sussurrando, saio de sua sala com um mau pressentimento e vou até minha mesa. Me sento e ligo meu computador, começo com meu trabalho e a toda hora eu checo meu celular para ver se tem alguma mensagem, algum sinal de vida dele. E nada!

O telefone toca me dando um susto e eu atendo com o coração na mão.

- Alô, bom dia! Edifício Proldesign no que posso ajudar?

Uma voz de um homem de idade fala ao telefone e eu escuto atentamente.

- Bom dia! O senhor Charlie Hunnam marcou as onze para buscar uma entrega aqui na loja Royaly Jóias. Eu gostaria de confirmar com ele a entrega por favor.

Eu suspiro e sinto um sorrisinho se instalar em minha boca novamente.

- Ele confirmou sim. Ele pediu para eu ir buscar, sou sua secretária. Em minutos estarei aí!

- Ótimo. Até daqui a pouco.

- Obrigada!

Desligo o telefone e mordo minha bochecha. Eu vou pegar para ele e quando ele chegar eu já vou estar com o anel em meu dedo!

Pego minha bolsa e saio do prédio rapidamente. Pegando um táxi eu salto em frente a loja e entro ansiosa para ver o que ele escolheu pra mim. Era um lugar muito chic e um pouco antiquado, o lugar parecia ter saído do século dezoito. Eu me aproximo do balcão e falo com o senhor que estava muito bem vestido.

- Olá, sou Katherine Pierce. Secretária do senhor Charlie Hunnam, eu vim buscar sua encomenda.

O senhor me olha e sorri gentilmente pra mim. Ele disse com uma voz cansada.

- Olá minha querida! Vamos até lá dentro, vou pegar o anel.

- Ok.

Digo excitada. Eu sabia que era um anel!

Ele me guia até uma mesa de vidro e eu me sento na cadeira sorrindo. Ele pega uma caixinha de dentro de uma das gavetas e lê o fórmulario da jóia.

- Esse é o anel. De ouro com uma pedra de diamante de cinco quilates. É uma jóia e tanto, provavelmente é para sua noiva!

Eu sorrio e digo.

- Sim, sim. Eu posso ver?

- Claro senhorita Pierce.

Eu estendo a mão e pego aquela caixinha de veludo preta e abro. Eu suspiro quando vejo aquele anel lindo, era grande de mais!

Ostentava muito, não era muito o meu estilo.

- Aqui no papel diz que é para embrulhar para presente e colocar um cartão para a senhorita Sara.

Quando ele termina de falar eu sinto todo meu corpo gelar. Fecho a caixinha e coloco na mesa, um nó se forma em minha garganta e eu chingo.

- Seu filho da Puta!

Abaixo a cabeça e começo a chorar. Eu choro pra valer sentada ali naquela cadeira, eu estava me sentindo sufocada quando o senhor da joalheria chega perto de mim e toca meu ombro.

- Minha filha o que houve?!

Eu balanço a cabeça e digo tentando me recompor. Engulo o choro e pego a caixinha de cima da mesa. Me levanto e digo olhando para ele.

- Não foi nada! Eu só … abri os meus olhos!

Ele franze o cenho e eu digo.

- Obrigada!

Saio da loja as preças e resolvo andar até o prédio. Eu não acredito que ele fez isso comigo!

Foi tudo uma mentira, o final de semana, as palavras carinhosas que ele disse pra mim, o eu te amo !

Deus como eu fui cega! Ele vai casar com ela. Eu fui usada e enganada por ele!

Entro no prédio atordoada e pego o elevador, saio no meu andar e olho aquele espaço onde eu trabalho e sinto raiva. A mais pura raiva de tudo que já foi tocado por ele. Ando a passos largos até sua sala e escancaro a porta desejando vê-lo ali, para que eu possa dizer tudo que está engasgada em minha garganta.

Mas está vazio. Imediatamente eu sei, que ele não virá hoje, ele não quer me encarar. Coloco a caixinha com o anel em cima de sua mesa e pego um pedaço de papel, apoio e escrevo.


“  você foi a pior coisa que aconteceu em minha vida “


Saio de sua sala às pressas, sentindo meu peito doer. Arrumo minhas coisas em minha bolsa e entro no elevador. Desço até o hall e saio quase que correndo daquele lugar. Resolvi pegar um táxi, não me sentindo bem para dirigir. Eu indico um endereço que não me pertencia fazia anos. Em minutos o carro para de frente para casa de meus pais. Eu saio e corro até a porta. Depois de tocar três vezes a campainha Anne abre a porta com uma expressão de preocupação.

- Anne, tudo bem?

Ela sorri meio estranho e diz tentando me enrolar.

- Tudo querida! E você, o que faz aqui?

- Eu vim ver meus pais. Eles estão?

Pergunto entrando na casa e ouço vozes alteradas ao fundo. Franzo a testa e Anne tenta me puxar pela mão mas eu me desvencilho dela. Ando bem devagar e paro ao lado da porta do escritório. Ouço minha mãe alterada falando com meu pai.

- Isso tudo é culpa sua, se você não tivesse se enrabichado por aquela secretariazinha isso não estaria acontecendo!

Arregalo os olhos e não acredito que eu tinha entendido direito. Meu pai traiu minha mãe!

- Corine, eu… eu já te pedi perdão umas milhões de vezes! Você aceitou criar minha filha como se fosse sua! Eu não pedi nada a você, você se ofereceu para criá-la!

- Sim! Eu me ofereci e eu fiz o melhor que eu pude, mas conforme ela foi crescendo ela foi se parecendo cada vez mais com a mãe dela, e isso me faz ver o tamanho do seu erro todos os dias!

Eu não vejo mais nada em minha frente quando ouço isso. Eu não era filha biológica dela. Eu sinto meu corpo ficar leve e depois pesado, eu caio contra o chão perdida dentro de minha própria consciência.



Acordo horas depois com uma dor de cabeça forte. Olho ao redor abrindo meus olhos lentamente e vejo que estou em meu antigo quarto, na minha antiga casa. Me lembro de toda a discussão que ouvi de meus pais e gemo.

- Deus o que tá acontecendo com minha vida?!

Sussurro e ouço a voz da mulher que eu acreditei ser minha mãe durante vinte e dois anos.

- Eu não sei minha querida. Eu sinto muito por tudo o que você ouviu!

Eu olho pra ela assustada, eu não tinha percebido a presença dela ali. Ela estava sentada em minha cadeira que ficava de frente para minha penteadeira. Ela tinha minha boneca preferida em sua mão, ela havia me dado quando eu fiz cinco anos de idade.

- Você se lembra dessa boneca? Eu te dei quando você fez cinco anos, eu lembro que você sentia medo de dormir sozinha em seu quarto. Então eu disse quando te entreguei ela. “ Essa é sua guardiã, você pode mantê-la perto de você todas as noites e ela não vai deixar que mal algum chegue até você!”

Ela ri olhando para a boneca e depois diz olhando em meus olhos.

- O que você escutou, não tem importância alguma Katherine. Quando seu pai trouxe você, tão pequenina… quando eu peguei você nos meus braços eu me apaixonei por você. Você trouxe alegria a esta casa, você reflete tantas coisas pra mim. Você não pode ser minha filha de sangue mas é de coração, você se parece comigo nas suas ações. Você é forte e teimosa, e muito inteligente! Eu quero que você saiba que eu amo você filha!

Vejo aqueles olhos azuis marejarem e escorrer lágrimas em seu rosto. Eu tento conter minhas lágrimas mas eu não consigo. Ela vem até minha cama e me abraça, ela me nina até eu pegar no sono novamente.


Charlie Hunnam


Passo o dia todo pensando no que ia fazer com minha vida. Não sei como fazer com o que prometi a Katherine se cumpra, eu a pedi em namoro e agora não sei como fazer para desfazer meu noivado com Sara. Eu já pesei tanto os prós e contras disso tudo e não sei se consigo abrir mão de meu casamento com Sara, junto dela vem um pacote muito precioso que eu lutei muito para conseguir.

- Merda!

Levanto de minha cadeira e saio de meu escritório. Encontro Sara com uma revista de decoração em sua mão e digo.

- Vou até a empresa, jaja volto.

Ela olha pra mim e diz sorrindo.

- Vou começar a planejar o casamento, a lista de convidados também!

Eu paro perto da porta com a mão na maçaneta e digo exasperado.

- Já?!

- Claro querido! Eu quero que seja o mais rápido possível.

Ela diz com um sorriso enorme e eu suspiro. Balanço a cabeça e saio de casa com a cabeça quente. Tudo tava acontecendo tão rápido, porra o que eu ia fazer?!

Chego em minha empresa imerso em pensamentos e subo direto para meu andar. Chego lá e não vejo ninguém, eu esperava ver Katherine. Mas a mesa dela estava vazia, ando até minha sala e abro a porta. Não tem ninguém, merda!

Vejo uma caixinha em cima de minha mesa e pego ela, abro e vejo o anel que eu havia escolhido antes do final de semana para dar a Sara. Vejo um bilhete e pego. Leio umas mil vezes e sinto meu peito doer, ela havia descoberto tudo!

Sento em uma cadeira e sinto todo o meu mundo desabar em minha cabeça!



Notas Finais


Gostaram?
O que vocês acham que vai acontecer com esses dois?
Obgda por acompanharem!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...