História Bad Reputation - Camren - Capítulo 11


Escrita por: ~

Postado
Categorias Camila Cabello, Fifth Harmony, Justin Bieber
Personagens Ally Brooke, Camila Cabello, Dinah Jane Hansen, Jaxon Bieber, Jazmyn Bieber, Jeremy Bieber, Justin Bieber, Lauren Jauregui, Normani Hamilton, Personagens Originais
Tags Camila Cabello, Camren, Fifth Harmony, Hot, Lauren Jauregui, Norminah, Novela, Romance
Visualizações 485
Palavras 1.751
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Famí­lia, Festa, Romance e Novela, Saga, Shoujo (Romântico), Suspense, Universo Alternativo
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Que bom que gostaram do cap anterior ❤


Boa leitura. E perdoem os erros

Capítulo 11 - Eleven


Lauren Jauregui

Acordei, sentindo algo tocando meu rosto, e abri os olhos lentamente vendo Camila sorrindo enquanto me olhava e fazia carinho em meu rosto. Sorri e beijei a palma de sua mão, antes de lhe abraçar com cuidado. 

Depois que Camila me contou tudo, ficamos conversando sobre nosso filho. Não sei em que momento dormi, a última coisa que me lembro é de Camila acariciando meus cabelos e cantando pra mim dormir.

— Camz ? — A chamei, e ela me olhou. — Você não sente falta dos seus pais e da sua irmã ?

Camila suspirou, e pegou minha mão e entrelaçou nossos dedos enquanto olhava para qualquer lugar, menos para mim.

— Sinto, Lolo. Mas eles parecem não sentir a minha. — Camila sorriu triste, e me olhou.

— Por que não vamos visitar eles ? — A encaro.

— Como assim ? A gente, tipo, nós duas ? — Assinto com a cabeça. — Não, Lolo. Talvez eles nem queiram me ver.

— Você nunca vai saber, se não tentar, amor. — Acaricio o rosto de Camila, e sorrio. — Vamos fazer assim, quando você sentir vontade, nós iremos lá. Tudo bem ?

— Tudo bem, Lolo. — Ela sorriu.

—  Quando é a próxima consulta ? — Pergunto animada, e acaricio a barriga de Camila.

— No próximo mês, amor. — Camila sorriu. 

— Vai demorar pra ele nascer ? Eu tô ansiosa pra ver ele e o pegar no colo. — Suspiro. 

— Não, Lolo. Faltam só quatro meses. Logo logo ele vai estar com a gente. — Assenti e beijei os lábios de Camila. — Amor, eu tô com desejo de comer comida japonesa e italiana. 

— Juntas ? — Pergunto fazendo careta. 

— Sim, amor. Juntas. — Ela sorriu. 

— Tudo bem. Eu vou ligar e pedir. 

Camila assentiu e sentei na cama, pegando meu celular. Procurei um restaurante Delivery na internet e logo liguei, fiz os pedidos e em meia hora os pedidos chegariam. Desliguei e olhei para Camila, que estava distraída acariciando sua barriga. Sorri.

— Pronto. Daqui a pouco chega, amor. 

Ela assentiu, e suspirou. Arqueio as sobrancelhas, e ela me olha. 

— Lolo... Você acha que eu estou gorda ? — Camila perguntou, e eu puder ver seus olhos marejados.

— Não, amor. Você está maravilhosa assim. — Sorri para ela.

— Mentira!! — Ela bufou, e as lágrimas começaram a descer pelo seu rosto. — Você só tá falando isso pra me agradar.

— Amor, eu tô falando a verdade. — Suspiro. — Não chora.

Puxei Camila para meu colo, e a abracei. Camila abraçou meu pescoço com seus braços e deitou a cabeça no meu ombro, enquanto continuava chorando.

— Lolo, promete que não vai atrás de outras mulheres ? — Ela fungou.

— Por que eu iria atrás de outras mulheres, quando eu tenho a mais linda de todas na minha casa ? 

Camila deu um tapa no meu braço, me arrancando um gemido de dor e depois me olhou.

— Eu não estou linda, Lauren. — Bufou. — Estou gorda, que é bem diferente de linda. E eu mando a Dinah cortar seus dedos, se você for procurar mulher na rua.

Arregalo os olhos, e Camila abriu um sorrisinho cínico, enquanto me olhava. Por Deus, eu não fiz nada. O que deu nela ? Se Camila continuar assim, vou enlouquecer.

— Você não vai falar nada, Jauregui ? — Ela cruzou os braços, e eu a olhei. — O gato comeu sua língua, ou será que foram as putas que comeram ?

— Camila...

— Cala a boca! — Ela me interrompeu. — Você é uma covarde, Jauregui.

Camila levantou do meu colo, e foi para o closet. Me levantei rapidamente da cama, e saí do quarto, desci as escadas e fui para a cozinha. O que deu em Camila ? Primeiro ela quer que eu fale, depois me manda cala a boca. Socorro! Eu vou enlouquecer desse jeito.

Peguei um pouco de água na geladeira, e tomei enquanto me encostava na pia. Lembrei da consulta de Camila, quando ela fez 4 meses. O doutor chão, ops... Shawn me disse que Camila começaria a ter mudança de humor e desejos estranhos ou normais. No caso de Camila, foram desejos estranhos. 

Teve uma vez que ela me acordou 4 da manhã, porque ela queria comer tacos com Nutella. Quem come tacos com Nutella ? Só Camila mesmo. Procurei por Miami toda, esses malditos tacos e só achei quando estava quase desistindo. Quando voltei para casa, Camila estava chorando, achando que eu estava à traindo com outra. Teria sido engraçado, se ela não tivesse me botado para dormir no sofá.

Saio de meus pensamentos quando ouço o interfone tocar, o atendo e autorizo o entregador a subir. Vou até a sala e me sento no sofá esperando. Alguns minutos depois, ouço a campainha e me levanto, vou até a porta a abrindo. Paguei o entregador e peguei as sacolas com a comida. Fechei a porta, e fui pra cozinha, deixei as sacolas na mesa e subi para o quarto.

Assim que entrei no quarto, vi Camila deitada na cama mexendo algo no meu celular. Engoli em seco, e me aproximei da cama. 

— Camz, amor, a comida chegou. — Disse à olhando.

— Que bom. Estou morrendo de fome. 

Camila levantou da cama, mas não largou meu celular. Peguei a mão dela e saí do quarto com Camila, descemos as escadas com cuidado e fomos para a cozinha. Camila se sentou na mesa enquanto mexia no meu celular, já estava ficando incomodada com aquilo.

— Camz, o que você está mexendo aí no meu celular ? — Perguntei, enquanto colocava dois pratos e talheres na mesa.

— Está preocupada por que ? — Ela me fitou. — Está escondendo algo ?

Ri, e neguei com a cabeça. Sentei ao seu lado e coloquei um pouco das duas comidas no prato de Camila.

— Come, amor. — Empurrei o prato para perto dela.

— Me dá na boca, Lolo ? — Camila pediu manhosa, fazendo bico.

— Me diz o que eu não faço por você, Cabello. — Rio, e ela me mostrou a língua. — Senta aqui comigo.

Camila largou o celular na mesa e se levantou e sentou de lado em meu colo. Ok, Camila está ficando pesada demais.

— Você tá pesada, Camz. — Falei, ela abraçou meu pescoço.

— Está me chamando de gorda, Lauren ? 

— O que ? Não, amor. Nem disse nada — Suspirei. — Vamos comer.

Camila assentiu e eu comecei a dá comida em sua boca. Um pouco de cada. Cada garfada, Camila revirava os olhos dizendo que aquilo era maravilhoso. Ela até tentou me fazer comer, mas eu neguei. Camila comeu quase tudo. Tudo mesmo, se não fosse eu ter separado para mim, teria ficado com fome.

— Amor, acho que o bebê mexeu! — Camila disse animada, com a mão na barriga.

— Aonde ? Eu também quero sentir. — Coloquei a mão na barriga de Camila, e não senti nada. Bufei. — Acho que ele não gosta de mim.

— Aqui, amor. Sente. — Camila pegou minha mão, e colocou do lado esquerdo da sua barriga.

— Ele não mexe, amor. — Fiz bico, e na mesma hora senti o bebê chutar minha mão. — Mexeu, Camz!! Mexeu!!

Camila gargalhou, e eu sorri sentindo o beber mexer mais uma vez. Porra. É uma das melhores sensações do mundo. Acariciei a barriga de Camila, enquanto meu sorriso parece que iria rasgar meu rosto.

— Eu te amo, pequeno. — Beijei a barriga de Camila, e senti seus dedos acariciando meus cabelos. A olhei e beijei seus lábios. — Amo você também.

— Eu amo você, Lolo. — Ela sorriu. 

Camila disse de um jeito tão sincero que meu coração errou uma batida. Segurei seu rosto e a beijei transmitindo todo amor que eu sentia por ela.

Chega até ser engraçado, porque nunca me imaginei em um "relacionamento". Embora, Camila e eu não estejamos namorando, nós estamos em um relacionamento. E, eu estou muito feliz com isso. 

(...)

— Vocês demoraram! 

Ally disse, após Camila e eu entrarmos em sua casa. Ela havia nos convidado para jantar na casa dela hoje. Iria nos apresentar seu namorado, Troy.

— Desculpa, Ally. — A abracei. 

— Estávamos transando. Não temos culpa se vocês não transam. — Camila disse, na maior cara de pau.

— Camila!!! — Corei, e ela riu. — Não tem graça. 

— Na hora de me chupar, você não tava com vergonha, Jauregui. 

— Opa, continuem. — Ouvimos a voz de Dinah, e olhamos pra ela.  

— Cala a boca, Dinah. — Bufei. — Pelo menos eu sou ativa, né, Jane ? — Ri debochada. 

— Eu também sou ativa, tá ?! — Ela bufou. 

— Uma vez em cada dez anos, né, amor ? — Normani riu.

— Normani!! — Dinah corou, e todas gargalhamos.

— Nossa, Cheechee, achei que você fosse ativa. — Camila riu. 

— Cala a boca, Cabello. Você também é passiva. — Camila bufou, e Dinah riu.

— É porque a Lauren faz um ótimo trabalho com a boca e com os dedos. — Camila disse me olhando, e sorriu safada.

— A Normani também, né, amor ? — Dinah sorriu do mesmo jeito pra Normani, que corou na hora.

— Gente! — Ally chamou nossa atenção e riu. — Parem de falar essas coisas, pelo amor de Deus. O Troy tá chegando, se comportem.

— Ally, o Troy é bom de cama ? — Dinah perguntou na cara de pau.

Ally corou fortemente e tossiu várias vezes, nos fazendo ri.

— Acho que isso é um sim. — Normani disse, e riu.

— Parem com isso. — Ally disse, e a campainha tocou. — Ele chegou. Se comportem. 

Assentimos, e Ally foi até a porta. Camila e eu estrelaçamos nossos dedos, e Dinah e Mani deram um beijo rápido, me fazendo revirar os olhos. Peguei uma almofada e joguei nelas, acertando em cheio. Dinah me olhou e me mostrou o dedo do meio. Rimos e logo Ally apareceu na sala com um poste ao seu lado, ops... Era Troy.

Ally nos apresentou e Dinah como sempre, fez piadinhas com a altura de Ally e de Troy. Jantamos em meio a conversas e brincadeiras, Dinah e Ally só sabiam falar do bebê e no quanto estavam ansiosas para ver ele. Contamos que era menino e as três gritaram de alegria, nos fazendo rir.

No final, tivemos uma noite agradável e feliz. Meu filho nascerá em quatro meses, e eu estou contando os minutos para isso, e Camila também. O filho de Camila é meu filho também, falem o que quiser, enquanto eu existir, Camila e o nosso filho jamais estarão sozinhos. 


Notas Finais


Eu espero que tenham gostado, e me perdoem se ficou pequeno ou se ficou chato.


Até o próximo. Cometem. Se der ❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...