História Bad Reputation - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), Black Pink, Got7, Monsta X
Personagens Hyung Won, Jackson, JB, Jennie, J-hope, Jimin, Jin, Jinyoung, Jisoo, Jungkook, Lisa, Mark, Min Hyuk, Personagens Originais, Rap Monster, Rosé, Show Nu, Suga, V, Won Ho, Yugyeom
Tags @queje, 2jae, 2won, 3some, Bad Reputation, Black Pink, Bts, Chaelisa, Comedia, Eu Shippo O Que Eu Quiser, Glee, Got7, Jark, Lisa Rainha, Markjin, Markson, Namjin, Queria (star) Morta, Respost, Sope, Taegi, Taekook, Tentativa De Humor, Vkook, Vmin, Vsuga, Yoonkook, Yoonmin, Yoonseok, Yugkook
Exibições 70
Palavras 2.096
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Bishoujo, Bishounen, Colegial, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Ecchi, Escolar, Famí­lia, Festa, Ficção, Fluffy, Lemon, Lírica, Musical (Songfic), Romance e Novela, Shonen-Ai, Shoujo (Romântico), Shoujo-Ai, Universo Alternativo, Yaoi, Yuri
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Spoilers
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Okay. Capítulo novo.
Boa leitura!
Perdoa os erros.
Até

Capítulo 4 - Irmão mais velho


Fanfic / Fanfiction Bad Reputation - Capítulo 4 - Irmão mais velho

Point of views Mark Tuan

Eu sabia que se eu fosse me oferecer Taehyung aceitaria, tirando o fato dele ser bissexual, ele também esta a uma posição abaixo de mim e é louco/cara de pau. Mas agora o Mozão Senpai Master Supremo se oferecer? Ah eu vou morrer.


Como estou nesse exato momento? Isso mesmo, jogado em minha cama com o rosto enterrado em meu travesseiro, quase sufocado para abafar os meus gritos.



— Vai rolar beijinhos? — pergunta Taehyung

— Se for preciso, sim...? — responde Jackson, incerto.


Eu To Tremendo E Não É Pouco.

Brinca comigo assim não, sou cardíaco.


Saio de meus devaneios com meu celular vibrando, era uma mensagem do crush.


Morena do Tchan

Eu estava pensando em te pedir em namoro na escola...

Estaria na cara que estamos chamando a atenção por causa da lista?

Eu:

Provavelmente sim

Talvez

Ñ sei

Morena do Tchan:

Aonde é que fui me meter mesmo?

Eu:

Aonde fomos*

Não ache que estou contente com isso.

Bom, agora tenho que vazar, vou ir trabalhar.


Após minhas mensagens me levanto da cama jogando o celular de qualquer jeito e entro no banheiro para me banhar, porque estou cheirando igual a um porquinho. Um porquinho bem saliente.

[...]

Aquele momento que não sei se simplesmente amo ou odeio meu trabalho.

Trabalhar em um loja de doces é simplesmente fantásticos, amo crianças e amo doces, sem contar que sempre encontramos uns gays aqui que vem comprar uns pirulitos e chupar na minha frente de uns jeitos bem pecaminosos; mas por outro lado o meu patrão, Kim Namjoon é um belo de um filho da puta que simplesmente precisa transar de vez em quando.


Hoje o movimento estava um pouco parado, o que era estranho, ja que o tempo todo tem crianças por aqui pulando de um lado pelo outro por causa do efeito do açúcar. Geralmente sou o único que fica aqui cuidando da loja, ja que Namjoon nunca contratou mais ninguém.


— Oppa? — ouço uma voz me chamar e logo olho para outro lado do balcão, aonde se encontrava os irmãos Hyuna e Kinhuyne, mas olhando para os lados não encontrei o babá deles no estabelecimento.

— Cadê o Jeongguk? — pergunto para as crianças em minha frente que tinham entre cinco e nove anos, sendo mais velho deles a menina Hyuna.

— A gente saiu correndo e o hyung ficou pra trás — responde o menor risonho e logo as duas crianças começam a andar sobre as prateleiras para escolher os doces.


— Seus capeta em formato de crianças — ouço alguém falando com a voz um pouco falha após o sininho da porta se abrindo suou no estabelecimento, logo encontrando um Jungkook e atrás dele um Taehyung com um sorrisinho bobo e retangular estampado em seus lábios — Eu não tenho disposição igual vocês dois para correr — ele fala tentando recuperar o fôlego — boa tarde Mark-ssi — ele me cumprimenta, em seguida girando o corpo em uma reverência, imito seu ato com um sorriso em meus lábios e em questão de segundos o garoto também escolhia os doces junto com a criançada.

Jungkook é uma criança preciosa pra mim, assim que me mudei da China pra cá passei a ser seu vizinho e nos tornamos amigos, mesmo com os nossos três anos de diferença de idade, até que entrei no ensino médio, me mudando de escola e como se não fosse o bastante, passei a morar no outro lado da cidade, me distanciando dele. Ele entrou esse ano na minha escola, mas mesmo assim não voltamos a ser amigos como éramos antigamente, Jeon é da sala de Yugyeom, este qual conheci por meio de Taehyung por serem primos, porquê se não, eu não teria feito amizado com um garoto do primeiro ano.


Olho para o meu lado e vejo que o Taetae estava perdido em seus próprios devaneios, assim como eu tava a segundos atrás, até que vejo sua mão boba adentrando no cubículo de vidro transparente aonde tinha pirulitos, balas e chicletes.


— Hey. Você sabe que vai ter que pagar por isso, né Taehyung? — chamo sua atenção que antes estava em um pirulito da aqueles que pinta a língua -da qual ele sempre me rouba- e ouço ele murmura um "chato" — respeite seu hyung, peste!

—Ashi. Perdão, Huyng! — ouço murmura e dou de ombros, até que mais alguém entra na loja e o meu olhar é direcionado na porta, aonde estava o Jackson.


Sempre que vejo Jackson entrando por ai, o imagino montado em um cavalo branco, rosas azuis em mãos com um terno da cor creme e chapéu do lado no mesmo cor com um seu belo sorriso estabando em seus rosto e os olhos vermelhos pelas lágrimas de felicidade.

Eu tenho uma imaginação muito fértil!

Com um bolo maravilhoso da aqueles que o senhora Lee fez hoje, o trouxa vem aqui comprar doces superficiais. Otário.


— Aigoo, vai ficar me encarando? — Jackson pergunta e eu afirmo com a cabeça, sem desviar os olhos dele. Sim, sou cara de pau mesmo. Até que ele ri e revira os olhos, então desvio o olhar.


Direciono o olhar para o Jeon que estava com o Kinhuyne no colo, suas bochechas estavam vermelhas de mais, ele tinha um olhar apavorado estampado em sua face enquanto seus lábios inferior cheinho estava sendo maltratado pelos próprios dentes. Não estava entendo nada, até que olhei pra Taehyung que estava segurando o cabo do pirulito nas mãos, o doce entre os lábios quadrado e um sorrisinho vitorioso enquanto olhava para a pélvis de Jeon.

Ja entendi tudo!

Mas gente, o Kookie é uma criança inocente e era pra ser hetero. Não 'to 'tendendo mais nada.

Passei os chocolates, pacotes de marshmallow e as balas de gelatina, falei um "volte sempre" —algo inútil pra ter dito, porque sei que no outro dia, os três vão voltar, como sempre— e me despedi dos três com um beijo na bochecha de cada um, sendo observados por um Jackson e Taehyung, talvez por não saber da nossa antiga amizade, sem contar que sempre me despido deles três assim. Assim que eles passaram pela porta encarei o Tae com o minha melhor cara de quem esta prestes a matar alguém enquanto ele continuava com aquele sorriso dele.


— O que você fez com o menino Jeon? Você viu o jeito que ele saiu da aqui?

— Eu só estava brincando com o meu pirulito.

Desnecessário. Muito desnecessário.— Gente, vocês sabiam que o Jimin ainda é BV? — Jackson pergunta do nada, enquanto os olhos do Tae quase sairam de seus rosto e eu dei de ombros.

— Sim.. — respondo, não ligando muito pra isso. O próprio Park disse pra mim uma vez que nunca sentiu vontade de beijar alguém e que nunca sentiu uma atração por ninguém.

— Sério? — Taehyung realmente estava espantado por saber disso — ele tem dezessete anos, tipo..

— Eu te entendo, amigo. Eu te entendo como você tá, também fiquei assim quando descobri — Jackson dá uns tapinhas nas costa do Kim depois de ter o cortado — mas enfim, tem mais alguém aqui me escondendo alguma coisa?


Pelo tom de voz, Jackson realmente parecia esta decepcionado, talvez por achar que não confiamos nele para contar algo. Só sei que me partiu o coração e me deu vontade de contar tudo pra ele.


Eu sou gay — eu e Taehyung falamos em uníssono e logo meu coração acelerou em questão de segundo, parecia que ele estava sambando e a cara do Taehyung não era uma das melhores, assim como provavelmente a minha. Nenhum de nós dois assumimos para ninguém com medo do modo que reagiram, mas parece que nos dois nos sentimos culpados pelo olhar triste que Jackson tinha em seus olhos, por isso contamos, do nada.

Observando a feição de Jackson mudar de triste, para surpreso e em questão de minutos ele estava sério, até que ele dá um meio sorriso, o que me fez soltar o ar que eu nem sabia que tinha prendido.

— Enfim.. tenho que ir. Tchau! — se despede Taehyung após ficar um tempo em silêncio, logo se levantado no banco do balcão e passando pela porta.

Hey.

Espera.

— 'CE NÃO PAGOU PELO PIRULITO, NÉ FILHO DA PUTA? — grito, mesmo sendo em vão já que aquele desgraçado ja deveria estar longe — e você? Não vai comprar nada? — pergunto e Jackson nega.

— Vim pra te esperar dá a hora de seu expediente acabar. Meus pais chegaram de viagem e parece que eles vão ficar essa semana em casa e bom, simplesmente não quero ficar la — ele diz, adentrando no caixa e ficando ao meu lado, puxando o dinheiro que o Gukkie me pagou que nem lembrava que ainda estava em minha mão, logo contado o dinheiro e guardando tudo na caixa registradora, menos uma nota de dois reais — é impressão minha, ou o Jeon pagou pelo pirulito do Taehyung?


Sim, o Taehyung pegou um pirulito que custa dois reais, feito de ouro? Não sei, mas enfim, caro para um pirulito. E realmente tinha dois reais a mais e eu nem tinha percebido, tanto que nem devolvi o troco e ele nem retrucou.

Ué.

[...]

— Ja esta na hora de fechar — falo depois que chequei as horas vendo que já cumpri com meu horário e Jackson apenas afirmou com a cabeça e se retirou da doceria, provavelmente me esperando a terminar de arrumar as minhas coisas, a checar a caixa registradora, apagar todas as luzes, verificar pra ver se as câmeras de seguranças estão ligadas e os alarmes também. Tudo okay.

Saindo da loja vejo que Jackson estava na esquina, um pouco longe de mim com o celular no ouvido, provavelmente falando com alguém. Enquanto caminhava em sua direção para ir pra casa, resolvi dá a ele privacidade pondo o meus fones de ouvidos e caminhando um pouco a frente do Jackson, assim que passei por ele.

— Era meu pai...— Jackson disse suspirando, assim que tirou um lado de meu fone, logo desliguei o celular para prestar mais atenção em seja la o que o seu pai o falou — ele ainda quer me obrigar a fazer medicina.

Sim, isso mesmo, a família Wang é o tão famoso clichê, aonde todos são médicos, atuando em áreas diferentes e eles querem empurrar o Jackson também, mesmo ele não querendo. Clichezão, não?

Suspirei abrindo a porta de casa, sendo acompanhado pelo Jackson que assim que tirou os sapatos subiu correndo pro meu quarto e eu fui a cozinha pegar uma garrafinha d'água e biscoito salgado, Jack passou o dia todo comendo doces.

Assim que entrei em meu quarto vi a cena que me despedaçou, Jackson estava agarrado ao meu ursinho panda, Jark -que ganhei dele ano passado e o nome foi escolhido pelo mesmo e era a junção de nossos nomes- enquanto chorava. Jackson era uma criança dentro de um corpo de um homem, quem olha pra ele acha que o mesmo tem uns seus vinte anos pelo seu físico definido, mas a verdade é que ele é tão choroso quanto uma garotinha de doze anos. Esse cena me partiu o coração, por isso me aproximei de minha cama, colocando as coisas que trouxe na cômoda e me sentei ao seu lado o abraçado.

Ele é um cara frágil e carente.

Eu sou um cara que tem um monte de amor para dá pra ele e consertar todos os pedacinhos de seu frágil coração.

Somos tão perfeitos um para o outro, pena que ele é hetero.


— Pronto? — pergunto pra vê se ele parou de chorar, já que ele não estava mais soluçando e nem tremia.

— Pronto! — ele responde, tirando o rosto do pescoço do Jark dando um sorriso pra mim, um qual eu correspondi, em seguida ele se solta de mim e se deita em minha cama e eu o acompanho — eu gosto de ter você por perto, você me acalma.

— Mas você vai continuar me ter por perto, não? Mesmo sabendo que eu sou.. han..

— Gay? Sim, sempre. Ninguém nunca irá nos separar. Sem contar que me sinto ofendido por achar que sou homofobico.

— Desculpas, eu só achava que você iria me tratar diferente, sabe? Ficaria com medo de mim por achar que eu quero te estuprar, iria parar de me abraçar... — assim que eu terminei de falar a palavra "abraçar" o mesmo enrosca seus braços e pernas em mim —... e me tratar com carinho.

— Somos irmãos de outra mãe, hyung. Eu nunca deixarei de ser assim com você. Nunca! Eu prometo.

"Somos irmãos de outra mãe"

Friendzone.

"Somos irmãos"

— Não conta pra ninguém sobre o Taehyung por enquanto, okay? Eu sei que ele ainda tem medo, assim como eu — peço e ele concordo com a cabeça, me apertando mais contra si e encaixando seu rosto em meu pescoço.

》Irmão mais Velho《


Notas Finais


Panfletando outra fanfic da 6aigoo1 (Vkook/texting): https://spiritfanfics.com/historia/maybe-not-a-stranger-texting-9003203

Espero que tenham gostados.
Comentários são sempre bem vindos, é a única forma de saber a opinião de vocês.
Obg por ter lido até aqui.
Flw!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...