História Bad Reputation - Capítulo 9


Escrita por: ~

Postado
Categorias Shawn Mendes
Personagens Personagens Originais, Shawn Mendes
Tags Bad Reputation, Colegial, Drama, Romance, Shawn Mendes
Visualizações 152
Palavras 1.200
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Colegial, Drama (Tragédia), Musical (Songfic), Romance e Novela
Avisos: Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


oiê
demorei pq eu tô escrevendo um cap delicadinho
e eu tô doente
e esse capítulo que eu tô postando é meio chatinho, mas relaxem, tudo o que aconteceu nele vai ser importante no futuro, ok?
muito obg pelos comentários
mto obg pelos 80 favs
SÉRIO
vcs são topper
Desculpa qualquer erro
boa leitura

Capítulo 9 - IX


Uma semana se passou e eu não recebi nada, absolutamente nada do meu "stalker", nenhuma mensagem de texto ou algo do tipo. Nem na minha sexta de filmes com Thomas, que é provavelmente o horário mais fácil de ficar me encarando e eu nem vou perceber. Então, quem quer que seja que está fazendo isso, simplesmente desistiu. Viu que suas brincadeiras não me afetavam tanto quanto gostaria, então parou. Isso é bom.

Mesmo a sensação de ser constantemente vigiada ter acabado, eu estava muito mais estressada que o normal, graças a nossa querida mãe natureza que faz todas as mulheres passarem por isso uma vez no mês.

Desci as escadas e vi apenas Dylan, na cozinha, procurando alguma coisa para comer antes de ir para a faculdade. Meu pai hoje saiu para o hospital mais cedo que o normal, acho que ouvi algo sobre um grande acidente de trânsito na madrugada, como um bom cirurgião geral, ele foi lá tirar alguns cacos de vidro de dentro do pessoal.

— Dylan, você podia ser um bom irmão e me dar carona. — Disse abrindo a geladeira e pegando suco, ele olhou bem pra minha cara, me encarando com tédio — Te faço um queijo quente. — franzi a testa.

— Com tomate, Olie. — ele sorriu e saiu da cozinha com um copo de suco.

Depois de cinco minutos, eu entreguei o sanduíche dele e enquanto comia o meu, joguei as chaves do carro nele.

No caminho nós fomos conversando, descobri que ele estava saindo com uma garota da faculdade que me pareceu completamente desinteressante e ele comentou também sobre mais alguns assuntos que eu guardei na caixinha de coisas que não iriam mudar em nada na minha vida.

Me despedi e assim que saí do carro, vi Shawn e Natalie, ela parecia muito nervosa e discutia com ele ao lado a um carro no estacionamento, ele parecia só escutar e as vezes fazia algum gesto tentando acalma-la, falhando completamente e voltando a apenas escutar.

(...)

Hoje a comida do colégio estava pior que normalmente é, então fui andando pelo corredor que liga algumas salas de aulas com o pátio onde lanchamos e parei na máquina de guloseimas mais próxima, que ficava ao lado da porta do banheiro feminino. Eu também nunca entendi.

Estava esticando meu dinheiro quando vi uma mão se abrindo, mostrando dois dólares e a voz de Shawn soando ao meu lado.

— Pega qualquer coisa salgada pra mim, Birdie. — Peguei o dinheiro dele e fiquei segurando enquanto colocava o meu na máquina, ele andou um pouco e se encostou na parede, ficando de frente para mim.

Era possível ver no seu rosto que ele estava claramente chateado, e infelizmente, eu provavelmente sabia o motivo. Mas decidi tentar fazê-lo falar qualquer coisa mesmo assim.

— Está tudo bem? — Falei bem baixinho, olhando pra ele de canto, tentando fingir interesse total na máquina.

— Guarda seu comentário sobre como eu sou falso pra amanhã, por favor, hoje eu não estou no clima. — Ele falou, mesmo sem ser grosso, senti uma pontadinha em meu peito.

— Não foi isso que eu quis dizer, mas mesmo assim, sua resposta respondeu a minha pergunta. — Peguei meu salgadinho e meu chocolate e segurei, enquanto colocava o dinheiro de Shawn.

— Me desculpe. — Ele abaixou o olhar.

— Não tem problema. — entreguei o pacote de salgadinhos que eu sabia que era o favorito dele — Vamos sentar ali. Você vai ter cinco minutos de paz, aí o pessoal vai terminar de comer e começar a vir pra cá.

Ele assentiu e fomos andando para o banco que ficava exatamente na outra parede do corredor.

Nós ficamos ali apenas comendo e aproveitando a presença um do outro, por mais simples que pareça, ajuda muito, em alguns casos, é até melhor que um longo discurso com um conselho no final. Era isso o que eu e Thomas fazemos toda sexta-feira, e por ser uma coisa tão boa é provavelmente o motivo de prezarmos tanto para não deixar de fazer isso.

Nós terminamos de comer e eu fiquei brincando com meu saquinho, ele se esticou para o lado, jogou na lixeira e quando voltou, deitou a cabeça em meu ombro. E então, pude ver algumas pessoas vindo no corredor.

— Eu já vou indo. — Falei, ele desencostou a cabeça de meu ombro, mas quando eu ia me levantando, Shawn segurou meu pulso e indicou com a cabeça para que eu me sentasse novamente.

— Por favor. Fica. Você foi o ponto alto do seu dia. — ele falou bem baixinho, deixando sua voz mais grossa.

— Se Natalie... — comecei, mas fui interrompida.

— Ela está brigando comigo por qualquer coisinha, mais uma discussão hoje, pra mim, não vai fazer diferença. — o tom de sua voz era tão magoado que a minha vontade era de passar o resto do dia fazendo cafuné nele, até que se sentisse melhor. Eliminei essa idéia bem rapido, uma coisa era uma discussão com a namorada por algum ciúmes besta, outra coisa era ela brigar comigo achando que quero lhe roubar o namorado.

(...)

Hoje meu pai saiu do hospital na mesma hora em que meu turno na loja acabava. Então ele passou aqui pra me buscar e estávamos indo pra casa, no meio do caminho, várias ambulâncias passaram por nós, com as sirenes ligadas, e mais na frente, conseguia-se ver uma casa envolta por chamas, meu pai se ajeitou no banco do motorista, demonstrando um certo interesse, então seu pager começou a apitar no banco de trás.

— Tem outro cirurgião de plantão. Hoje eu vou passar a noite com meus filhos. — falou para si mesmo, eu só fiquei lhe encarando e contando mentalmente os segundos que ele iria aguentar.

— Que pena, imagine quantas pessoas nesse momento estão precisando de um cirurgião geral. Será que o cara que está de plantão vai aguentar? — Eu seria uma ótima atriz.

— Você pode desligar o pager, por favor? — meu pai perguntou, agora nós estávamos tão próximos do incêndio que podíamos sentir o ar mais quente.

— "Incêndio em uma festa" — li o que estava escrito no pager — nossa, acidente com múltiplas vítimas. Quem será que está fazendo a triagem lá? — falei apontando para a casa — Internos?

— Eu preciso ir. — Meu pai ligou a seta e foi indo em direção a casa. Ele parou ao lado de algumas ambulâncias, me olhando — Olie, tem algum problema?

— Não. Pode ir. — falei, sincera, a melhor parte de quando meu pai voltava do trabalho eram as histórias que ele contava, mas não podia fazer isso se não tivesse ido — Mas, com uma condição. — disse.

— Okay. Pode falar. — ele tirou o cinto, pegou seu jaleco no banco de trás e eu lhe entreguei o pager. Bati o dedo duas vezes na minha bochecha, ele deu um beijinho, me jogou as chaves e saiu.

Passei para o banco do motorista, liguei o carro e segui o caminho de casa. Quando faltava apenas uma quadra, parei em um sinal vermelho.

Um carro preto parou ao meu lado, e o motorista abaixou o vidro, olhei de canto, curiosa para ver quem dirigia, mas a pessoa se abaixou no banco, deixando apenas a mão pra fora, e então, acenou para mim.


Notas Finais


eita carai hein
mas que coisa hein
hein hein hein
sintam-se livres pra comentarem o que quiser 💜
quem quiser conversar comigo, sobre a fic ou qualquer outra coisa, pode ser até sobre pão de alho, pode me chamar lá no twitter viu galero @anycoolbae
se n usam Twitter podem me chamar no IG, mas peçam nas mensagens pra eu seguir vcs pq lá eu n tenho uma noção de quem é leitora/quem é do colégio etc
xoxo


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...