História Bad Romance - Capítulo 12


Escrita por: ~

Postado
Categorias Naruto
Exibições 56
Palavras 6.214
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo
Avisos: Estupro, Heterossexualidade, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Bem, eu não iria postar esse capitulo hoje.
Na verdade eu iria postar apenas quando o capitulo 13 estivesse pronto, mas como viajei esse fds, e não sei quando o capitulo 13 ficará pronto, resolvi postar para vocês e não deixar esse fds sem um capitulo kkkk
Bem boa leitura.

Capítulo 12 - Curativo


CAPITULO 12

 

Don't give loneliness a chance

Baby listen to me when I say

I will love you more than that

 

(Não dê à solidão uma chance

Baby, me escute quando digo

Eu te amarei mais que isso)

 

Não havia nenhuma conversa apenas o silêncio da noite, apenas se ouvir o crispar da fogueira, o ronco de alguns homens que dormiam, e o ranger das algemas que prendia as seis mulheres, que estavam acordadas, e atentas em todos os movimentos dos homens.

Sabiam que não demoraria muito para que todos eles dormissem, apesar de terem colocado dois para vigia-las, mas tinham bebidos até àquela hora, então era questão de tempo para que adormecessem.

- Ino, você consegue pegar meu grampo? – Tenten disse para a Loira que ia se arrastando até amiga para pegar o grampo que segurava um dos coques dela.

- Certo, peguei, me de a sua mão. Lembrem-se de não fazerem barulho e cuidado para sair.

Enquanto ia dizendo isso, Ino ia abrindo com todo cuidado, as algemas de todas as garotas, que passavam as mãos sobre o pulso que tinha formas avermelhadas. Tendo conseguido se livrar das suas próprias algemas, com a ajuda de Temari, Ino colocou com cuidado as suas algemas no chão.

Todas olharam com cuidado para o caminho que a sua frente, homens caídos no chão, bêbados, as garrafas de runs estavam espalhadas em pontos diferentes da gruta. O homem que deveria estar as vigiando, dormia ao lado de Hinata, quase caindo em cima da mesma.

- Certo, vamos por aqui. Sigam-me.

Ino dizia apontando para um caminho que aparentava ser mais fácil de passar, assim começaram a caminhar, Temari ia logo atrás, sendo seguida por Hinata, Tenten, Sakura e Noelle. Tomavam todo cuidado que tinham, parando sempre que notavam que algum dos homens se mexia bruscamente.

Já estavam prestes a sair daquele lugar medonho, frio e cheio de bichos peçonhentos, até que sem nota Sakura chutava uma garrafa de rum que tinha ficado em um local não possível de ver. Foi o suficiente para fazer com que o homem que deveria estar vigilando elas acordasse em um pulo.

Demorou um pouco para ele entender, olhava fixamente para o local onde as seis garotas deveriam estar, porém só via apenas as algemas. Percebendo que elas estavam fugindo, o mesmo começava a gritar e balançar o sino, fazendo com que seus companheiros acordassem de imediato, e ficassem desorientados com que estivesse acontecendo.

- ELAS ESTÃO FUGINDO.

O homem gritava desesperadamente para os homens que começavam a entender o que estava acontecendo, as garotas notando que haviam sido descobertas, começaram a correr, saindo da gruta e entrando na floresta. Os homens de imediato começaram a correr atrás delas, gritando para pararem, ou iriam atirar, vendo que elas estavam alguns metros a distancia, resolverem que iriam se separar, três correria atrás delas, e outros pegariam caminho diferente, um atalho.

Elas corriam loucamente, não ousavam olhar para trás, e não sabiam para onde ir, não conheciam aquela área, só tinham noção de que eles estavam cada vez mais próximos delas. Então o som de um tiro pode se ouvir, o que as assustou, porém o tiro aceitou uma árvore na qual elas estavam passando, logo ouviram xingamentos, então depois veio mais um som de disparo, porém dessa vez não viram para onde a bala havia atingido.

Enquanto corriam, sentia os galhos secos, enroscar seus cabelos ou ferir alguma parte do seu corpo, principalmente seu rosto, vezes outra, acabavam tropeçando em algum tronco que sai da terra.

Ino corria na frente das meninas, sabia que não podiam parar e que não seria aquela chuva de tiros que fariam com aquelas parassem e voltassem sem lutar.  A loira deu uma rápida olhada para trás para ver se todas as garotas estavam ali e constatou que sim, e conseguia ver não muito longe da onde estavam os homens correndo, porém estavam em um grupo pegou, conseguiu contar apenas três, já que um carregava consigo uma tocha para iluminar o caminho, e um medo invadiu seu corpo, tinha certeza de que aqueles homens conheciam aquela área melhor que elas. Porém de repente eles param de correr e ficaram olhando para elas, Ino não sabia se era sua imaginação, mas os três homens pareciam estar sorrindo.

Quando ela voltou a sua atenção para frente, não muito longe das onde elas estavam, viram um ponto de luz se movimentando em suas direções.  Ficando mais próximas do grupo, notará que se tratava de homens, mas não sabiam quem era, não conseguirá ver os seus rosto, e isso a amedrontava. E antes que pudesse parar ou fazer algo, já era muito tarde, a loira acabou trombando na pessoa que estava na frente do grupo, fazendo com que tanto ela quanto a pessoa fossem para o chão e rolassem umas três vezes, Ino ficou no chão e a pessoa ficou por cima dela.

- INO, você está bem?

Hinata gritava correndo em direção da moça, e vendo que não estavam sozinhas ali, não conseguiu saber quem eram as pessoas a sua frente.

-Hinata, é você? - Disse um homem saindo do meio do grupo de homens, e Hinata ficou feliz ao ver que se tratava de Naruto. Assim com a o iluminação das tochas, elas conseguiram ver que se tratava dos rapazes. – Meu deus, são vocês, como estão? Mas como diabos vocês conseguiriam fugir? – O loiro se aproximava de Hinata que chorava de aliviada, se agachando na frente da mesma e a puxando em abraço, que aceitou de bom grato.

-Hum... Será que você poderia sair de cima de mim... Mestre Gaara?

Ino pediu gentilmente ao notar a situação que ambos estavam, e isso estava a deixando constrangida. E Gaara notara isso e não deixou de um pequeno sorriso para a loira.

- Eu não imaginava que você estava tão louca assim por mim, para se jogar dessa maneira.

- O que? Não, você que estava na minha frente enquanto estávamos fugindo daqueles brutamontes... Por falar neles, onde eles estão?

Ino olhava para ambos os lados, tendo ver na escuridão da floresta, mas única que vinha, era apenas algumas árvores que estavam sendo iluminadas pelas tochas que Shikamaru e Neji seguravam. Gaara saiu de cima da loira, mesmo sendo contra isso, já que estava bastante confortável ali, ajudou a mesma a fazer o mesmo.

- Vocês não responderam a pergunta de Naruto, como conseguiram escapar?

Akito disse se aproximando do grupo, notara que Noelle estava mais atrás e estava apoiada contra uma árvore, e a mesma estava bastante ofegante.

- Ino conseguiu abrir as nossas algemas, e aproveitamos um momento de descuido deles. Mas eles estavam atrás de nós agora há pouco. Então tomem cuidados, estão armados com armas de fogo. 

Tenten respondeu a pergunta, e ao ouvirem o aviso da mesma, todos olhavam ao redor da onde estava, a procura de algo diferente, de alguma figura que não fizesse parte daquela floresta.

- Eles... Eles mataram Ryuu... Oh Ryuu.

Enquanto dizia isso Sakura caia de joelhos no chão gelado e cheio de galhos secos e pedras, ferindo levemente seus joelhos. Essas palavras fizeram com que o restante das garotas começasse a chorar.  E as lembranças do pequeno garotinho caído na rua, com uma grande poça de sangue se formando em volta de si voltavam a sua mente.

Sasuke olhava para rosada que chorava sem parar, suas mãos estavam fechadas com força, pois ele tentava se controlar, por mais que estivesse sentindo raiva delas, por acreditar que fora culpa delas o que aconteceu ao seu irmão, via que elas já se sentiam bastante culpa por isso.

- Ele não me ouviu, maldição... Porque ele não fugiu quando eu mandei. – Temari socava várias e várias vezes uma árvore ao seu lado, foi necessário Shikamaru segurar seu pulso, para que ela não piorasse os machucados em sua mão que estava ensanguentada e cheio de cortes, e alguns tinha lasca de madeira.

- Ryuu está vivo... Correndo risco, mas está vivo. - Shikamaru disse para Temari que o encarou com os olhos arregalados com a noticia, essas palavras foram o suficiente para que as garotas respirassem aliviadas, apesar do estado, mas apenas de saber que ele estava vivo, era algo. – Agora, pare de se machucar, não foi sua culpa o que aconteceu. – Ele continuava com o sermão na loira que ficava corada com aquilo, Shikamaru tirou do bolso da sua calça um lenço, bastante delicado para um homem carregar, mas Temari preferiu não comentar nada, já que ele usava o lenço para enrolar a sua mão machucada.

- Podemos deixar as explicações para depois. Vocês mulheres saiam daqui. Shikamaru e Naruto as acompanhem, vá que eles apareçam no caminho. Vocês dois sabem o que fazer.

Akito ordenava os dois rapazes concordaram com a cabeça, Shikamaru puxou Temari pelo pulso levemente, e a mesma deixou ser levada. Naruto ajudou Hinata a se levantar, e ambos começaram a caminhar logo atrás de Shikamaru e Temari. Hinata se sentia mais calma e pouco envergonhada com acontecido de minutos atrás.

-Mestre Gaara, tome cuidado. - Ino disse antes de afastar do ruivo, que apenas deu um pequeno sorriso de lado para a loira.

- Esta preocupada comigo, loirinha?

- Sim estou então tome cuidado.

Aquelas palavras assustaram o ruivo, achou que fosse alguma brincadeira da mesma, mas verá pelo olhar e a maneira como ela dizia que tinha sido a mais pura verdade. Nesse instante o ruivo teve que conter o impulso de beija-la ali mesmo, apenas ficou vendo se distanciar de si.

 Com ajuda de Tenten, Sakura se levantou do chão, enxugou as ultimas lágrimas que teimavam escorrer, sabia que Ryuu iria precisar dos seus cuidados. E antes da rosada começar a caminhar, Sasuke segurou a mão da mesma, fazendo com que ela o encarasse.

- Quem foi o homem que atirou em meu irmão?

- Ele é o líder do bando, usa uma bandana na cabeça. Ele é o mais frio e assustador do bando. Você vai saber quem é. – Sakura respondeu, Sasuke anotava tudo mentalmente, todas as informações que ela havia lhe passado. O moreno soltou a mão da rosada, para que ela pudesse sair dali. – Sasuke... Mate-o.

Sasuke encarou a mulher por alguns segundos e balançou a cabeça positivamente. Sakura então começou a caminhar juntamente com Tenten. Porém bruscamente ao ver que Noelle não fazia mesmo. Olhou em direção para onde a amiga estava e verá que a mesma continuava apoiada na árvore e sua respiração estava ofegante, e suor escorria do seu rosto, sua mão direita estava sobre a sua cintura.

- Noelle, você está bem? - Sakura se aproximava da amiga com cautela. Noelle soltou um pequeno gemido de dor, assustando a rosa. – Noelle, o que foi?

- Eu... Eu... Desculpa-me... Sakura... Mas... Mas... Acho que fui... ferida. – Dizendo essa última parte Noelle mostrava sua mão ensanguentada para Sakura que olhava da mão para o rosto da amiga.

- Mas onde você foi... Ferida?  Não me diga... Noelle, você deveria ter nos dito. – Sakura se desesperada ao ver que amiga havia sido ferida pelo último tiro. Olhou para o local onde a mão ensanguentava dela estava antes e viu uma mancha de sangue ficando cada vez maior.  – MERDA, MERDA, MERDA, eu que faço, você está perdendo muito sangue.

- Ande logo vocês duas não devem ficar por mais tempo, saiam daqui. – Neji se aproximava das duas mulheres, mas parou bruscamente ao ver Noelle ferida. – CAPITÃO, temos um grande problema aqui.

- O que foi que acontece... – Akito parou de falar assim que viu o estado de Noelle. Ele sentiu seu coração falhar. E assim que os olhos de Noelle se encontraram com os dele, viu que a mesma dará um pequeno sorriso e em seguida, ela começava a cair, sendo amparada por Sakura.

- Noelle, Noelle, acorde... Ela desmaiou... Me ajudem aqui, rápido...Preciso controlar o sangue. – Sakura dizia enquanto com certa dificuldade tentava segurar amiga desmaiada. Logo Akito veio e segurou e colocou com toda cautela no chão. – Eu preciso de uma faca, rápido.

- Aqui, tome.

Sasuke aparecia ao lado da rosada, a mesma agradecia e voltava atenção para a sua amiga que mesmo estando desmaiada, gemia de dor. Respirando fundo, ela cortava a parte do vestido que estava manchado. Olhou para a ferida que saia sangue sem parar e com cuidado, virou a mesma de lado, e viu que na parte de trás também havia sangue.

- Certo... Lembre-se Sakura, ferimentos feitos à bala... Vamos sua idiota, se lembre... Isso, à bala atravessou isso significa que não esta no corpo, então não vou precisar abrir ela.  Certo, certo... Primeiro preciso estocar esse sangue.

A rosada ia falando consigo mesmo, fazendo que os rapazes que ficou ali não entendessem o que estava a dizer.

- O que está acontecendo?

Ino disse parando de andar e olhando para aonde o grupo socorria Noelle, seus amigos que estavam à frente pararam e se voltaram na mesma direção que a loira e viam o tumulto que tinham se formado.

E sem antes de falaram outra coisa, ela correu até o local. Ao chegar lá, a loira ficava em choque, colocando sobre as mãos sobre a sua boca. Não demorou muito para que o restante do grupo chegasse ali e do mesmo modo que Ino ficou, eles também ficaram em choque.

- O que aconteceu com Noelle?

Tenten perguntou para Neji que estava parado ao seu lado. O moreno a encarou e ponderou nas suas palavras.

- Ela levou um...

- Ora, ora que achamos aqui. Além de achar a nossas mercadorias, encontramos algo bastante interessante aqui. Quem são vocês?

Uma voz vinha da parte mais escura da floresta, a parte que não era iluminada pelas duas tochas do grupo. Mas não demorou muito para que a pessoa que dizia isso aparecesse e assim pudessem ver seu rosto. Era o homem que havia atirado em Ryuu e sequestrado às seis garotas, e logo atrás dele, o restante do seu grupo, todos estavam sorrindo.

- Então foram vocês que machucaram Ryuu.

Gaara se voltava na direção do grupo, e assim que os viu, notaram a tatuagem em todos eles, que era composta por um rosto em caveira que escorria lágrimas, e tanto embaixo quanto em cima, possuía dizeres desconhecidos. O ruivo conhecia muito bem aquele bando, e isso aumentava mais ainda a sua raiva.

- Ryuu, quem é esse, nunca ouvi falar. - O homem de bandana ria logo após dizer isso, sendo seguido por seus companheiros.

- Acredito chefe, que eles devem estar falando daquele pivete.

- Pivete? Que Pivete? – O homem dizia colocando a mão no queixo. – Ah acho que sei qual esta falando, bem, eu dei a oportunidade dele fugir, mas ele que não quis. Então eu o matei.

Aquelas palavras foram suficiente para fazer Sasuke perder a cabeça, mas ele foi contido por Akito que tinha se levantado do lado de Noelle e se colocado na frente do grupo. Suas estavam postas de lado e prontas para sacar sua espada e sua arma.

- Apenas uma curiosidade, o que vocês querem com essas mulheres?

 Akito disse encarando o grupo a sua frente, que ainda não tinham se dado conta de quem estariam enfrentando daqui alguns minutos.

- Acho que isso não interessa a vocês. Mas como vocês estão prestes a morrer, talvez eu deva contar.

O homem de bandana ficava a poucos metros de distancia de Akito, que ainda continuava a ficar parado. O ambiente começou a tomar um ar totalmente diferente, e aquilo estava amedrontando as garotas, Temari e Tenten seguravam as tochas que foram entregue a elas por Shikamaru e Neji, já que ambos se colocaram atrás de seu capitão, com suas armas postas. Sakura tremia enquanto fazia o possível para estocar o sangramento de Noelle, Ino vendo o estado de Sakura, se prontificou ajuda-la, elas sabiam que precisariam sair dali rápido, mas para isso teriam que cuidar de Noelle primeiro. Hinata estava atrás de Naruto que havia pedido para que ela ficasse ali até seu sinal.

- Então vai nos contar, ou não.

Akito dava um passo para frente, diminuindo mais ainda a distancia entre ele e o chefe do grupo.  A tensão aumentava cada vez mais.

- Bem, elas pertencem a um homem chamado Atsuko, que nos solicitou o retorno delas.

- Não pertencemos a ele, nunca. Aquele gordo, fedorento, nojento e covarde. – Ino gritou ouvindo as palavras do homem, que apenas riu.

- Querida, ele pagou uma fortuna por vocês, então quer vocês de volta, e é meu dever fazer isso.

- Oras, não pedimos para ele pagar uma fortuna por nós.

Agora foi a vez de Tenten dizer isso, ela sacudia a sua tocha, fazendo com que Temari se afastasse dela, com certo receoso de ser atingida pela amiga.

- Certo, chega de conversa. Peguem as garotas, agora.

O homem gritou essa última e imediatamente pulou em cima de Akito que desviou com facilidade. Logo atrás vinham os capangas do homem, Ino apenas viu um homem correndo em sua direção todo sorridente, e quando estava prestes encostar-se à mesma, viu lentamente um lamina afiada corta a mão do homem fora e Gaara se colocava na frente da mesma.

- Não, vocês não irão encostar um dedo sequer nessas garotas. Elas nos pertence.

Gaara se aproximava lentamente do homem caído, seu rosto possuía um semblante aterrorizador, o homem que teve a mão amputada sentia um grande medo e ia tentando se afastar, seu rosto possuía uma expressão de dor e medo, então, para acabar com agonia do mesmo, Gaara enfiou sua espada na garganta do homem, que morrerá no mesmo instante.

Ino via tudo aquilo com certo pavor, nunca verá Gaara agir daquela forma, era assustador, estava com medo dele, mas fora trazida a situação que acontecia, quando ouviu Sakura gritar e verá que um dos homens a pegará.

- SAKURA!!!

- Me solte seu idiota, eu preciso cuidar da minha amiga, ela vai morrer.

- Essa ai já está morta, uma pena, teremos um pequeno prejuízo por causa disso. Tudo por causa de um idiota que atirou.

O homem que pegará Sakura rirá da situação, a rosada se debatia em uma tentativa de se livrar dos braços dele, aos poucos via Noelle e Ino se distanciando. Mas de repente sentiu os braços do homem afrouxar e ao olhar para trás, verá que o homem estava sem cabeça e sangue jorrava para alto, e com pouca iluminação viu Sasuke atrás dele.

- Vá, cuidar de sua amiga, agora.

Ele gritou para a mulher que estava assustada com toda aquela situação, seu vestido estava cheio de sangue, não sabia mais dizer de quem pertencia, se era de Noelle ou daquele homem. Balançou a cabeça e deu leves tapas em suas testas.

- Sakura agora não é hora de entrar em pânico, você precisa cuidar de Noelle.

Ela dizia para si mesmo, e voltava para onde Ino e Noelle estavam. A loira respirou aliviada ao ver a rosada de volta, mas assustada ao ver que a mesma estava praticamente cheia de sangue.

- Ino, segure Noelle de Lado, vou estocar o sangue dessa área.

A loira obedeceu e virou amiga com cuidado. Sakura cortava seu vestido e de Noelle para usar como faixas. Vendo que já tinha colocado o bastante, acenou para Ino abaixa-la com cuidado e voltou para a parte da frente.

Hinata estava atrás de uma árvore olhando para toda a batalha a sua frente, Naruto estava em uma luta difícil e complicado com um homem que possuía ter mais habilidade que ele na espada. E cada choque das espadas, a morena fechava o olho em desespero.

Assim que abriu novamente verá um homem escondido atrás de Naruto, esse parecia que estar esperado a oportunidade. Hinata gritava para Naruto desesperadamente, mas o mesmo parecia não ouvi-la, estava muito concentrado com a luta.

A morena olhou para os todos lados, e verá um galho, grande e grosso, acreditou que aquilo deveria ser suficiente, e sem pensar, pegou o mesmo, com dificuldade, já que era pesado, mais do que ela poderia suportar, mas naquele instante não poderia ser fraca.

E antes que o homem atacasse Naruto pelas costas, Hinata correu na direção acertando o homem na cabeça com toda a força que tinha, fazendo com que ele cambaleasse e caísse logo em seguida. Naruto aproveitando da distração do seu inimigo, o atingiu no peito,  que caiu morto logo em seguida.

- Hinata você está maluca, você poderia ter se ferido.

- Me desculpa Naruto, mas eu não podia simplesmente ficar olhando você ser atacado por trás.

O loiro apenas soltou um pequeno suspiro, pegou a mulher pelo braço e começou a caminhar, a deixando junto com Ino e Sakura, que finalmente haviam conseguido parar o sangramento de Noelle e partiu em direção ao som da batalha que continuava. As três mulheres ficaram ali paradas no escuro, já que Temari e Tenten haviam sumido assim que o conflito começou, nem a luz das tochas era mais vista.

Então de repente veio o silêncio, isso deixou as garotas desesperadas, mas não demorou muito para começarem ouvir sons apressados. Assim que as figuras surgiram, as três garotas gritaram.

- Vocês estão loucas, somos nós. Temari e Tenten.

Disse Temari colocando as mãos no ouvido e se aproximando mais perto das amigas, para verem que estava dizendo a verdade. As três garotas suspiraram aliviadas ao conseguirem verem o rosto das suas amigas.

- Como está Noelle?

- Conseguimos controlar o sangramento Tenten, mas precisamos leva-la logo para o navio para que eu possa cuidar melhor dos seus ferimentos.

- Bem, podemos leva-la para a clínica na qual Ryuu está.

Akito disse aparecendo para a surpresa das mulheres, e antes que Sakura ou alguém dissesse algo, ele passou os braços em volta do corpo de Noelle e sentiu que a mesma estava gelada e tremendo, retirou seu casado e colocou sobre o corpo da mulher e com todo cuidado, a levantou .

- Todos estão bem? Alguém ferido?

Akito perguntou se virando em direção aos seus imediatos e as cinco garotas, que balançaram a cabeça negativamente. Então começou a caminhar em direção a saída daquele inferno de floresta, sendo seguido pelo restante do grupo.

Ninguém ousava dizer nada durante todo o caminho, quando finalmente saíram da floresta, as garotas suspiraram aliviadas e sentiam mais livres, apesar de ainda continuarem sendo escravas.

E por incrível naquele horário não havia quase ninguém na rua, apenas pessoas caídas de tanto que tinha bebido, alguns bares ainda continuavam funcionando, e a maioria do som vinha de dentro deles.

- Temari, como está a sua mão?

Shikamaru perguntou enquanto pegava a mão ferida da loira, que fazia uma expressão de dor ao sentir o toque do mesmo.

- Um tanto dolorida, mas se você não tivesse me parado, com certeza eu teria quebrado ela. Obrigada, mestre Shikamaru. - Ela dava um pequeno para o rapaz que corava com aquilo, porém ele não soltava a mão ferida dela que ainda continuava coberta com o seu lenço. – Eu sinto muito pelo seu lenço, deve ser muito importante para você, eu lavarei.

- Não tudo bem, era apenas um pano. Existem outros iguais a esse.

Dizendo isso o rapaz soltava a mão da mesma e se afastava dela, Temari levou a sua machucada até seu peito e tocava com carinho o lenço, até que um pequeno detalhe lhe chamou atenção, duas letras “T.M.”, entenderá que deveria ser o nome de alguém. Balançou a cabeça não era hora de pensar naquilo, na verdade não tinha porque de pensar naquilo.

- AKITO, onde você esteve... E espere quem é essa dai? - Kaila gritava enquanto sai do bar na qual os rapazes estavam horas antes, a mesma parara na frente do homem e apontava para Noelle adormecida. – Você me abandonou por causa dessa ai?

- Kaila, agora não, sai da minha frente.

Akito pediu educadamente para a mulher a sua frente, que pareceu não ouvir sua pedido, já que continuava parada, batendo o pé no chão, esperando uma explicação do capitão.

- Olha aqui sua pirua de quinta categoria, veja bem como você fala da minha amiga. Você é surda ou o que. Ele mandou você sair da frente, então cai fora.

Ino se colocava ao lado de Akito e pontava o dedo para a mulher a frente que ficava em choque com aqueles palavreados, mas ainda em ver que havia mais mulheres com ele. Hinata juntamente com Tenten tentavam puxar Ino para trás e calar a boca da loira, mas já era tarde, o estrago fora feito.

- Akito o que é isso? Quem são essas vagabundas.

-CALADOS, ninguém vai dizer mais nada. KAILA SAI DA MINHA FRENTE AGORA.

A mulher olhou assustada para o homem, e sem mais perguntas, obedeceu à ordem do mesmo, saindo da frente. Akito olhou para a mulher em seus braços ou ver que pequenos gemidos saiam de seus lábios.

Antes que pude ser tarde demais, o rapaz apressou seus passos até a clinica onde Ryuu estava sendo cuidado. E sem nenhum cuidado, Akito chutava a porta e adentrava no recinto, assustando o médico, a enfermeira, Kazuo, Takashi e Iori, que estavam dormindo no momento.

- Mas... O que está acontecendo aqui? - Disse o médico saindo do quarto onde dormia, ao ver Akito segurando o corpo de Noelle, entendeu de imediato que algo tinha acontecido. – Traga ela aqui, rápido.

Akito obedeceu o médico, e levou apressadamente a mulher até o quarto que estava sendo ocupado pelo médico, e com todo cuidado que tinha colocou a mulher sobre a cama confortável.

- O que aconteceu com ela?

- Ela levou um tiro e perdeu muito sangue.

- Certo, entendi... Agora saia daqui, me deixe tomar conta dela. Farei o possível para salvar a vida.  REINA! Venha já aqui, temos uma paciente em estado crítico.

Não demorou muito para que a enfermeira chamada Reina parece no quarto e começava a tirar do quarto Akito que continuava a olhar para o corpo imóvel de Noelle, soltou um pequeno suspiro e quando estava saindo deu cara com Sakura.

- Eu posso ajudar.

Sakura disse adentrando no local, o médico olhou para ela surpreso e depois para a enfermeira que apenas deu o ombro. O homem então pediu para que ela se aproximasse e ambos começaram a conversar, Sakura informando os procedimentos que havia feito em Noelle, o que deixava o homem bastante surpreso.

Assim que Akito chegou à sala que acreditava ser de esperava, podia escutar Naruto explicando para Kazuo, Takashi e Iori, tudo que havia acontecido naquela noite. Sentou em um dos bancos mais afastados de todos, apoio seus cotovelos sobre as pernas e abaixou a cabeça.

- Capitão... Noelle vai ficar não é?

Akito levantou a sua cabeça e deu de cara com Kazuo que o olhava com certa ansiedade pela a resposta. O capitão baixou a cabeça novamente, pois nem ele sabia a resposta para aquela pergunta, esperava que sim, algo dentro de si, lhe dizia que não conseguiria suportar ficar sem seus belos sorrisos de manhã, apesar de ter feito o possível para ficar longe dela, mas tinha algo nela que fazia com que ele se aproximasse novamente.

Kazuo vendo que não teria sua resposta, achou melhor deixar seu capitão sozinho, não gostaria de ser mais uma das suas vitimas, voltou ao seu lugar, ao lado de Temari, que continuava a olhar para o lenço, e ele sabia que aquele lenço pertencia a Shikamaru.

Ino vendo e sentido todo aquele clima de tensão, desespero, esperança, não aguentava mais aquilo, sabia que precisava sair dali. Levantou-se da onde estava sentada e caminhou em direção a porta, sendo impedida por Gaara.

- Onde pensa que vai loirinha?

- Eu... Eu... Gaara, por favor, eu preciso sair daqui.

- Mas sua amiga...

- Eu sei do estado de Noelle, mas preciso de ar, por favor, ficarei ali fora.

- Vou com você.

Dizendo isso o ruivo abria a porta dando passagem para que Ino passasse e logo em seguida saiu. Ambos ficaram parados na porta sem dizer nada. Gaara olhou para os lados a procura de algo para se sentar, viu um banco não muito longe da onde estavam, ocupado por bêbado.

Pegou na mão de Ino e começou a caminhar em direção  esse banco, chegando lá ele empurrava o rapaz que estava dormindo tranquilamente no banco, fazendo com que ele caísse no chão, acordando em logo em seguida.

- Suma daqui, antes que eu roube as suas coisas.

Aquelas palavras foram suficientes para assustar o rapaz e o fazer sumir dali. Ofereceu o banco para Ino que aceitou de bom grato. Ambos ficaram sentados olhando para o nada, necessário para o horizonte, onde o oceano se estendia como não houve fim. Podiam ver que aos poucos, a noite começava a dar a lugar para o dia.

- Esse lugar por incrível que me pareça esse lugar me dá uma paz, algo nostálgico sabe. Não sei por quê.

Ino dizia enquanto balançava seus pés para frente e para trás, existia uma grande necessidade por parte dela de quebrar o silêncio, estava começando a incomoda-la.

- Isso é meio estranho, um lugar agitado e bem... Sem muitas regras ser tão calmo.

- Devo concordar com o senhor mestre Gaara. – A loira ria logo em seguida, fazendo com que o ruivo desse um pequeno sorriso de lado. Gostava de vê-la assim tão a vontade ao seu lado, mesmo depois de ter visto um lado tão assustador seu.

- Ino?

- Sim?

- Você não está com medo de mim?

- Por que eu deveria estar com medo?

- Bem, vejamos que sua expressão de quando te salvei algumas horas atrás não era muito agradável, na verdade um rosto que vejo sempre quando a pessoa sabe que esta prestes a morrer. Você tinha uma igual.

Ino ficará completamente surpresa com aquelas palavras, por mais que ele estivesse certo em relação ao seu medo, não estava agora, porque sabia o que ele tinha feito foi para salva-la.

- Mestre Gaara, desculpa pela minha expressão, realmente fiquei bastante assustada e com medo ao ver a maneira como você está agindo, friamente, como se não houvesse nenhum emoção em seu corpo. Mas... Eu entendo que agiu porque eles feriram Ryuu e além do que você me salvou.

Gaara encarou a loira novamente em busca de algum traço de brincadeira em suas palavras, aquela mulher o estava surpreendendo demais naquela noite.

- Você é uma mulher muito estranha, Ino.

A loira não aguentou e começou a rir, não fora a primeira vez que alguém lhe dizia aquilo, ouvirá tanto das outras garotas que conviverá na mansão de Ami.

- Oras, muito obrigada pelo elogio mestre Gaara.

- Gaara.

- O que?

- Me deixe apenas de Gaara, é meio irritante ouvir você me chamando de mestre, não sou seu dono, Ino.

- Oh! Entendo bem então te chamarei apenas de Gaara.

- Ótimo!

- Ótimo!

Gaara arqueou a sobrancelha direita ao ver que a loira ao seu lado o estava imitando. Ela estava olhando para frente e tentava não rir, pois podia sentir o olhar dele sobre si. E pela primeira vez desde que se conheceram, Ino podia ouvir o som da risada que vinha de Gaara.

- Mas veja só, o senhor imediato Gaara ranzinza pode rir.

- Ranzinza? Como assim?

- Ops! Acho que falei demais.

- Eu não sou ranzinza.

-Claro que não. Você é um amor de pessoa.

- Obrigado.

E novamente o silêncio se fez presente entre os dois, dessa vez ambos estavam olhando para o céu estrelado que lentamente começava a sumir e dar lugar para o céu azul.

- Gaara?

- Sim?

- Eu não pude deixar de notar que você ficou bastante nervoso ao ver o grupo que tinha nos sequestrados e atirado no Ryuu.

Gaara continuou olhando para as estrelas vendo elas sumindo lentamente. Ino começava a se sentir incomoda com aquilo e acreditava que tivesse sido melhor não ter perguntado.

- Na verdade, ele homens, pertence ao um grupo de mercenário...

- Mercenários?

- Sim, mercenários, pessoas que não foram capazes de serem piratas ou fazer parte da marinha. São os excluídos do mar.

- Nossa, e existe isso?’

- Com certeza, loirinha. Mas continuando, eles pertencem ao um grupo chamado de “Black Wings”, eles fazem o mais tipo de serviço sujo que você, desde sequestrar pessoas até mata-las da forma que outra desejar. Então um dia alguns homens que pertenciam a esse grupo foram para minha cidade, era uma cidadezinha pequena, de interior. O que você acha que nasci em uma ilha portuária? – Gaara questionou ao ver a reação da loira ao informar da onde nascerá, e acha graça naquilo.

- Sim, eu achei que você fosse um garoto que nasceu perto do mar.

- Loirinha, devo confessar que nunca fui muito fã de água, na verdade, tinha muito medo do mar...

E o ruivo foi interrompido pela risada alta de Ino, que não acreditava naquilo, como um homem que era imediato de um navio pirata, muito conhecido, ter tido medo da água.

- HAHAHAHA....Desculpa Gaara, mas é meio difícil acreditar nisso.

- Eu sei, eu sei, mas é verdade, mas continuando com a minha história. Esses homens foram para a minha cidade, de inicio não fizeram nada, na verdade, eles se entrosado com todos, tinham conseguido o que queriam. Ganharam a confiança de todos. Então em uma noite, enquanto todos dormiam, eles levaram as crianças que achavam valiosas, crianças que poderiam usar para ganhar dinheiro...

- E sequestraram você?

-HAHAHAHA... Era o que eu gostaria que tivesse acontecido.

- Mas então o que aconteceu?

- Se você me deixar terminar de contar a história, talvez então um pouco.

- Ok, me desculpa, Gaara... Chato.

- Então loirinha, continuando, naquela noite muitas crianças desapareceram. Mas ninguém desconfiou do grupo, então na última noite, levaram mais algumas crianças, e dentre elas, a minha irmã. Eu acordei com alguém entrando na nossa casa, meus pais eram bem pobres, então morávamos um pouco mais distante da cidade. Mas enfim, então vi dois homens encapuzados, um segurava a minha irmã e outro estava vasculhando para encontrar algo de valor. Eu vendo que estavam levando minha irmã, não pude me segurar, ai eu avancei para cima deles. Gritando, o suficiente para acordar meu irmão mais velho e meus pais, mas já era tarde, o cara que estava com ela conseguiu fugir, o outro também, mas antes, ele me feriu, o suficiente para deixar uma cicatriz enorme do lado esquerdo da minha testa.

- Ou seja, você usa essa tatuagem com uma linguagem estranha para cobrir ela?

- Sim, para que eu não me lembre do meu fracasso de não ter consigo salvar minha irmã.

- Ela era mais nova que você?

- Não, era um ano mais velha que eu. Mas éramos bastante apegados.

- Entendi, então você está igual o Neji, atrás da sua irmã.

- Mais ou menos, porque eu sei que jamais conseguirei encontrar ela. Mas estou pela vingança.

- Eu acho que você não deveria desistir Gaara, talvez sua irmã esteja mais perto de você.

Gaara a encarou, aquela loira, chocado com as palavras dela, palavras que ele não ouvirá por muito tempo, a última vez que alguém havia lhe dito isso foi seu antigo capitão. O que o deixava mais surpreso era o fato dela saber dizer as coisas certas.

- Talvez, você esteja certa. Mas acho melhor voltarmos para clinica, provavelmente já podemos ter noticia de Noelle.

- Eu não sei se gostaria de estar lá... Tenho medo que as coisas sejam ruim.

- Bem, loira, você precisa encarar, às vezes não seja tão ruim. Venha, ficarei ao seu lado, se não importar com isso.

- Tudo bem, se você ficar ao meu lado... Obrigada, Gaara.

Ino se levantou, parou na frente de Gaara e antes que ele pudesse entender o que ela iria fazer, já era tarde demais. A loira havia lhe dado um beijo delicado e rápido, deixando o ruivo desorientado.

Ela vendo a expressão que ele fazia, não pode deixar de sorrir e logo começou a caminhar em direção a clínica, onde todos estavam, apenas parando no meio do caminho e virando para o ruivo que ainda continuava sentado e parado como um estatua no lugar.

- Vamos, Gaara ou vai ficar parado que nem tonto ai.

Gaara balançou a cabeça ao ouvir as palavras dela e não pode deixar de dar um pequeno sorriso de lado. Ainda podia sentir os lábios macios dela sobre os seus, virou na direção da mulher que continuava parada e o encarando com um belo sorriso, um sorriso que podia fazer qualquer homem se derreter.

Levantou-se e caminhou até ela, parando ao lado dela. Ambos se olharam mais uma vez e trocaram sorrisos e finalmente resolveram voltar para dentro da clínica. Ao chegarem lá, viram um clima de tensão mais forte do que saíram e todos olhavam angustiados para Sakura e o médico que estavam parados na porta do quarto onde Akito havia deixado Noelle.

- Então... Como está Noelle?

Akito foi o primeiro a perguntar, ficando na frente de Sakura e o médico que se entreolharam, e Sakura resolveu falar primeiro.

- Ela está...

 

Continua...


Notas Finais


Espero que tenham curtido esse capitulo.
E foi um que mais gostei de escrever.
Bem, chega de papo e me deixe voltar a escrever o capitulo 13...E assim que o capitulo 14 estiver pronto eu postarei o 13... Estou com uma ideia de postar apenas quando tiver dois capítulos prontos. Pois assim não deixarei vocês na mão kkkk

Beijos, até a próxima.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...