História Bad Roses - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Guns N' Roses, Originais
Personagens Axl Rose, Duff Mckagan, Izzy Stradlin, Personagens Originais, Slash, Steven Adler
Tags Alicia Silverstone, Drama, Guns N' Roses, Romance, Sexo
Exibições 20
Palavras 1.042
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Ficção, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Olá humanos!

Como início de fanfic, gostaria, primeiramente, de dar alguns avisos à vocês:

~Esta fanfic não é incesto, afinal, Alicia e Axl não são irmãos, não há ligação de sangue entre eles e, principalmente, não há nada de fraternal entre eles.
~Esta fanfic terá, inicialmente, cerca de vinte capítulos. Pode ser que aumente dependendo de como a história se desenrolar.

Espero que gostem, e obrigada por tirar um pouco do tempo de vocês para lerem a fanfic.
Boa leitura ~♥

(OBS: Apesar de eu ter revisado, é comum sair alguns erros. Então, desculpem qualquer erro.)

Capítulo 1 - Prólogo


 

 

Los Angeles, Califórnia

 

 

Axl acendeu mais um cigarro e o tragou lentamente, sentindo a nicotina passando pelo seu corpo e acalmando cada célula. Estava exausto, e uma garota nua estava deitada em sua cama. Apenas mais uma vadia, pensou ele com o tabaco entre os dentes.

Sua vida era um perfeito caos. Quando ele tinha seis anos de idade, seus pais se separaram o maldito de seu pai arrumou outra mulher em menos de seis meses. Grávida, ainda por cima. Como se o velho não pudesse arrumar qualquer outra que tivesse um bom corpo e lhe desse prazer. Tinha amargura do velho pai, e prometera para si mesmo que nunca se apaixonaria. Não depois de ver sua mãe sofrer.

Escorou-se na grade da sacada, apreciando o ar gelado do inverno da cidade dos anjos. Não estava exatamente frio, já que a Califórnia sempre era quente, mas estava fresco; o suficiente para que ele pudesse jogar um casaco por cima do corpo. O ar o deixava cada vez mais calmo; porém, sua paz fora interrompida ao sentir alguém o abraçando por trás, e ele suspirou pesaroso.

-Bom dia… - a voz manhosa e enjoada soou em seu ouvido esquerdo, ao mesmo tempo que sentia mexas de cabelo roçando em seu ombro. Esquivou-se do beijo da mulher e virou de frente para ela.

A garota roubou o cigarro dos dedos dele, deixando-o com raiva. Abruptamente, Axl empurrou a menina e voltou para o seu quarto, juntando todos os trapos dela e jogando sobre o seu corpo nu. Ela deixou o cigarro cair no chão com o susto e segurou suas roupas com firmeza, olhando confusa para ele.

-Saia já daqui. - Axl falou firme, gesticulando para a porta de seu quarto. Sem nem contestar, a menina correu para fora, carregando consigo o bolo de roupas.

Com um suspiro, Axl arrancou todos os travesseiros e lençóis da sua cama, jogando-os no chão sem cerimônia; retirando qualquer vestígio da noite anterior e deitou-se, jogando seu corpo sobre o colchão vazio. Quis gritar, quis quebrar tudo, mas apenas permaneceu deitado, olhando para o teto e repassando mentalmente todos os acordes de suas composições, afinal, era isso que faria da vida inteira. Era só o que queria: Vadias, drogas e música. Desde que terminara o ensino médio, se dedicara apenas à música, e fora fiel.

Passando-se algum tempo, resolveu descer para a cozinha e comer algo, dando de cara com sua mãe que mantinha uma caneca de café entre as mãos. Axl passou por ela e foi em direção ao armário, pegando uma de suas canecas que tinha os dizeres: ‘Fuck off, I'm out of this!' e a encheu de café puro. Pegou um pedaço de bolo e virou as costas, pronto para voltar para o seu quarto, porém, ao ouvir a voz de sua mãe que chamava por seu nome, voltou e sentou-se de frente para ela.

-Axl, gostaria de ter uma conversa com você. - ela suspirou, observando o semblante despreocupado do filho enquanto ele devorava o pedaço de bolo de chocolate que pegara.

-Sou todo ouvidos. - ele murmurou. Apesar de não respeitar nenhuma mulher, sua mãe era exceção. A amava e a considerava a melhor pessoa do mundo. Mas, ele conhecia aquela expressão, e significava problema.

Sharon respirou fundo antes de começar a colocar os fatos em ordem.

-Esta é a milésima vez que vejo uma garota fugindo às pressas do seu quarto, e acho que precisamos conversar sobre a maneira que as coisas estão funcionando por aqui. - ela olhou para a caneca. - Sinceramente, não consigo entender a maneira como você trata aquelas garotas, pois é a terceira menina que sai totalmente nua de seu quarto sem nem ter noção do que está acontecendo. Você está passando dos limites.

-Você entende os meus motivos.

-Basear-se em uma história infeliz da minha vida? Tive uma desilusão amorosa, isso não foi o fim da minha vida, e não deveria ser base para a sua vida. Somos pessoas diferentes, Axl.

Ele suspirou, largando a caneca na mesa. Colocou a cabeça entre as mãos e segurou os cabelos com força, bloqueando as memórias dolorosas.

-Não foi o fim, mas foi quase. Eu lembro de tudo. - ele murmurou com a voz embargada.

Sharon largou as mãos sobre o colo, derrotada. Já havia feito de tudo, mas nunca era o suficiente. Não com Axl. Ele não iria mudar sem disciplina, e ela era covarde o suficiente para não impor regras sobre seu filho. Só havia uma coisa que deveria fazer, e sabia que iria ser odiada.

… Mas era o necessário.

-Você vai para a casa de seu pai, William. - ela falou sem emoção, sentindo o olhar de seu filho a penetrando.

-Não vai fazer isso. - Axl murmurou calmo, apesar de estar confuso.

-Vou fazer isso. Isso é para o seu próprio bem.

Axl levantou-se bruscamente, fazendo a cadeira arranhar no chão de madeira. Colocou as mãos no rosto e andou de um lado para o outro, tentando pensar claramente.

-Não pode fazer isso. Sou maior de idade, eu faço o que bem quero da minha vida. - ele respondeu com raiva, trancando a língua entre os dentes logo após dito. Odiava discutir com sua mãe, mas ela estava maluca.

Sharon levantou-se com as pálpebras cerradas, tentando encontrar em si mesma algo que a acalmasse. Ao ter certeza que a voz sairia firme, falou em bom e alto som, arrependendo-se antes de pronunciar as palavras.

-Ou você vai morar com seu pai, ou nós dois vamos acabar com a sua banda e todo esse seu lazer e o colocarmos na linha. Já falei com seu pai, e nos decidimos. Ou você vai morar com ele, ou diga adeus ao seu sonho.

O silêncio que seguiu fora excruciante. Ambos estavam magoados e bravos por dentro, sem um apoio em que se segurar. Sharon bloqueou as lágrimas enquanto Axl bloqueou o grito em sua garganta.

-Por favor, filho. Pense muito antes de qualquer coisa que vá fazer. Eu te amo, e apenas quero seu bem. Mas entenda, que suas atitudes estão erradas.

Axl suspirou algumas vezes antes de finalmente decidir.

-Já sei o que farei. - falou firme antes de virar-se e correr para o seu quarto.

 


Notas Finais


O que acharam?

Obrigada novamente por lerem, significa muito para mim. Vou tentar postar um capítulo por semana ♥


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...