História Bad Things: Betrayed - Capítulo 25


Escrita por: ~

Postado
Categorias Ariana Grande, Camila Cabello, Halsey, Harry Styles, Hayley Kiyoko, Justin Bieber, Lana Del Rey, Louis Tomlinson, Melanie Martinez
Personagens Ariana Grande, Camila Cabello, Harry Styles, Hayley Kiyoko, Jaxon Bieber, Jazmyn Bieber, Justin Bieber, Lana Del Rey, Melanie Martinez
Tags Camila Cabello, Camren, Fifth Harmony, Harry Styles, Justin Bieber, Larry, Lauren Jauregui, Louis Tomlinson, Originais
Visualizações 12
Palavras 1.065
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Crossover, Drama (Tragédia), Festa, Ficção, Mistério, Romance e Novela, Sobrenatural, Suspense, Violência
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Sexo, Suicídio, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 25 - Shut Up, Lana!


- Sra. Del Rey - chamou a médica que iria fazer o exame de sangue em Lana - consultório três, por favor. 

Lana se levantou, se soltando da minha mão e então deu um risinho pra mim, indo em direção à médica. Lauren, Melanie, Justin e Halsey estavam sentados numa poltrona logo atrás de mim.

- Posso ir com ela? - perguntei, me levantando logo atrás de Lana.

- Claro. Somente você. - respondeu a doutora. Ela se virou e eu e Lana à seguimos até o consultório onde ela iria fazer os exames e, retirar o sangue para passar para Edward. 

Enquanto adentramos naquele corredor, com as luzes fracas e meio amareladas, Lana entrelaçou sua mão na minha, o que tinha me deixado vermelha bem na hora. Ela virou para mim e sorriu, e logo retribui o sorriso. 

- Aqui, garotas - disse a doutora, apontando para uma porta à nossa direita - entrem e sentem-se. 

- Obrigada - Lana respondeu. Eu simplesmente balancei a cabeça, e adentrei naquela minúscula sala. Lá dentro havia somente uma mesa, duas cadeiras brancas viradas para a mesa e a uma cadeira na frente de uma janela, virada para a mesa, em direção da porta. Também havia uma porta, do lado da mesa, da cor das paredes. Eu não sabia o que havia lá dentro, mas estava escrito em uma placa: "Entre somente com autorização." 

- Bom, você disse que não bebeu nas últimas vinte e quatro horas - começou a médica, fechando a porta e indo em direção à cadeira que ficava logo em frente daquela janela. - e que faz tempo que fez essas tatuagens. 

- Sim - Lana respondeu, e logo sentamos nas cadeiras e ficamos de frente para a médica. Ela estava anotando algumas coisas num papel, e vi que era uma ficha de Lana. 

- Você já doou sangue alguma outra vez? - Ela perguntou para Lana.

- Nunca - Lana respondeu, apertando ainda mais forte a minha mão.

- Ok... - a médica disse - você está pronta? 

- Claro que estou. - Lana concordou, então a médica se levantou e abriu aquela misteriosa porta. De onde eu estava sentada, deu para ver mínimos detalhes, mas vi que tinha uma maca, e uma estante, onde havia variados tipos de agulhas. Havia bolsas de sangue vazias, em uma das divisórias da estante, e cada uma tinha um tamanho diferente. 

Lana se levantou, então eu fiz o mesmo. 

Eu sussurei para ela:

- Está tudo bem? - ela só me respondeu com uma balançada de cabeça, o que me deixou um pouco preocupada. - Se quiser desistir, essa é a hora. 

- Não. Se isso te deixa feliz, eu vou fazer isso. - ela respondeu, o que me deixou uma certa dúvida, pois ela só estava fazendo aquilo por mim, não por Edward. Ou seja, se eu não estivesse ali, ela também não estaria.

- Faça o que acha melhor, não por mim - sussurrei, enquanto a médica já estava mandando Lana entrar naquela sala menor que seu escritório. 

- Entrem, e farei os exames e depois de quinze minutos mostraremos o resultado. - ordenou a médica. Adentramos naquema salinha, e então Lana se sentou na maca.



- Está se sentindo bem? - perguntei, saindo do consultório da doutora. 

- Eu já tirei sangue antes, Mila - Lana disse - não é motivo para se preocupar. 

- Só estava conferindo, vai que você esteja fraca demais ou sei lá - falei, enquanto caminhávamos até a sala de espera, na qual a médica havia mandado esperarmos. 

- Mila! - Lana exclamou - foi no máximo uns dez ml que ela tirou de mim. Agora é só um exame. - Ela tinha razão. Talvez eu só estava paranóica. 

- Tem razão... - abaixei a cabeça e continuei à caminhar naquele corredor estreito. 

Lana tentou puxar assunto, para não ficarmos naquele clima pesado:

- Bom... E o Harry? 

- Eu... - engasguei, mas não entendi porquê - Eu não sei.

- Engraçado... Passamos a noite inteira aqui preocupados com Harry e quando percebemos, estou doando sangue para seu ex-namorado.

- Engraçado? Isso não é nada divertido. 

- Foi modo de dizer, Camila. - Lana respondeu, meio brava pois não levei seu comentário no sarcásmo.

- Tanto faz - disse. - eu só estou mal. 

- Por que? - a gente parou perto de uma sala parecida com a da doutora que atendeu Lana - está dando tudo certo... 

- Eu sei Lana, mas você disse algo sem pensar... Aquilo me fez refletir bastante - respondi, voltando a andar, mas de um jeito bem mais lento.

- O que eu disse? 

- Você disse que só estava fazendo aquilo para me deixar feliz... 

- Por parte, é verdade - ela confirmou - mas eu não vou negar que preferiria deixá-lo morrer, pois ele passou quase toda a adolescência te amando, e eu morrendo de ciúmes. Mas aquilo te deixava feliz, o que também me deixava feliz. 

- Então não quer doar sangue pra um cara que me deixava feliz? 

- Não. Mas ele era seu namorado, e isso te deixava feliz. O que também me deixava aliviada. 

- Então não faça as coisas por mim, Lana! - gritei, o que pensei que foi muito alto.

- Eu faço, pois ainda sinto uma coisa fodida por você! - Ela gritou, entre dentes.

- Então pare! Eu tenho namorada, e você também tem um! 

- Cala a boca, Camila. - disse Lana - eu não desisti antes de você, e não vai ser por causa de uma puta que está te traindo, que vou desistir! 

- Traindo? Você não sabe o que fala, Lana! - gritei com ela, apertando meu passo e colocando minha mão na cabeça.

- Ah, não fode, Camila! - Lana gritou, me empurrando contra a parede - Por que Halsey chamaria Lauren de amor? Nós que somos amigas de infância nunca nos chamamos de amor! Pelo o amor de Deus, cresça! - Ela estava ofegante, de tanto gritar. Ela me fez pensar, e eu fiquei em dúvida. Será que era verdade mesmo aquilo que Lana estava dizendo? Não pode ser! Lauren me ama e eu amo Lauren. 

- Cala a boca, Lana! Você não sabe o que fala! - Gritei, a empurrando de cima de mim.

- Ok! Vai ser uma corna! - Gritou ela, enquanto eu a deixava para trás. 


Por que eu estava com tanto medo que aquilo fosse verdade?





Notas Finais


amoreeeecos, esse capítulo saiu atrasado meeeesmo, pq tô sem tempo :( desculpem? tentarei atualizar mais vezes <3
amo vocês
Twitter: @alwxbieber


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...