História Badass - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Magcon, Shawn Mendes
Personagens Personagens Originais, Shawn Mendes
Exibições 118
Palavras 2.614
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Crossover, Festa, Hentai, Romance e Novela, Violência
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


HEY EY EY EY!
DEMOROU MAS CHEGOU!
Obrigada a @BecNanda, que ajudou pacas com o cap também!
E, antes de vocês lerem esse capítulo, vou dar um aviso: haverá machismo no decorrer do capítulo, várias demonstrações, inclusive. Esteja ciente disso no decorrer da leitura, e se não for do seu agrado, sugiro que não prossiga. Longe de mim apoiar essas práticas, mas elas estão descritas durante o capítulo.
Boa leitura o/

Capítulo 4 - Nothing Personal


Fanfic / Fanfiction Badass - Capítulo 4 - Nothing Personal

Zoe move uma das pernas, me prendendo e me fazendo empurrar o quadril contra o dela. Sua boca é ágil até demais ao se movimentar contra a minha e me pergunto mentalmente se ela tenta me engolir, mas finjo não ligar, até porque não vai ser isso que vai me impedir de transar com a garota.

Suas mãos se desgrudam dos meus cabelos e ouço-a tatear a porta enquanto desço a boca para o seu pescoço, sugando sua pele e ouvindo-a arfar e me prender mais forte com a perna. Não vai ser nada legal se minha toalha cair no meio do corredor, e Zoe parece notar isso, já que finalmente consegue abrir a porta e caminha de costas para dentro, me arrastando junto. Bato a porta atrás da gente e mordo o lábio inferior ao me virar para ela, logo sendo surpreendido com Zoe já tirando as roupas.

Ela não demora nem meio minuto para arrancar os jeans e a camiseta, revelando a lingerie mais minúscula que já vi na vida. Acho que seria mais fácil se ela não estivesse usando, na verdade. Observo-a se livrar de uma maneira quase teatral do sutiã, não demorando para assumir uma expressão assustadora de atriz pornô e então atirando a peça para mim.

Ah não…

Até penso em fazer alguma coisa, mas Zoe parece tentar atrair minha atenção na hora de tirar a calcinha, já que rebola exageradamente com aquela cara assustadora enquanto abaixa o micro pedaço de tecido, girando-o por entre os dedos enquanto segue na minha direção. Ela parece até mesmo um bicho pronto para atacar, mas ignoro os pensamentos e decido tomar a dianteira, agarrando-a no caminho antes que chegue até mim.

Zoe parece surpresa, mas não demora a voltar a si e correr as mãos até a minha toalha. O tecido deixa o meu corpo e a trago para mim, com ela gemendo mais do que eu imaginava ser possível e logo pulando no meu colo.

E também nos fazendo cair no chão.

Qual é, cara, ta achando que eu sou o Super Homem pra conseguir pegar uma menina que pula em cima de mim do nada?

Minhas costas batem no piso com o impacto e faço uma careta para isso. Porém, isso sequer parece surtir efeito em Zoe, já que ela monta no meu quadril e volta a me beijar de uma maneira que mais parece um desentupidor. Sinto suas unhas subirem pelo meu peito, afundando e deslizando sobre mim de uma maneira nada legal.

Posso não ser o Super Homem, mas Zoe também parece bem longe de ser a Mulher Gato.

Seguro as mãos dela contra o meu peito, impedindo que suas unhas continuem a tentar arrancar a pele do meu corpo. Mal tenho tempo para comemorar essa pequena vitória, já que ela rebola com força em cima do meu pau, quase o deslocando.

— Aí, vadia. — xingo, só me dando conta depois que já saiu.

Aperto os olhos, com medo de como ela pode reagir.

Porra, Mendes!

Quer falar mais um pouco não?

Mas, para a minha surpresa, escuto uma risada.

Olho para Zoe na mesma hora, com ela me encarando de volta com mais malícia do que antes. Sua pose forçada de atriz pornô nunca parecera tão assustadora, aliás.

Meu Deus, o que eu fiz?

A garota diminui a força com a qual rebola em cima de mim e se inclina sobre o meu tronco, mordendo a minha orelha e a puxando entre os dentes.

— Me xinga, Mendes.

 Em que porra eu fui me meter?

— Me xinga, Shawn. — Zoe diz, forçando uma voz manhosa no meu ouvido e então voltando a rebolar no meu pau, me deixando dolorido.

— Vadia. — sussurro, só sendo impedido de rir porque ela volta a me beijar.

Ah não!

Zoe morde meus lábios, roda a língua na minha boca e cara, eu deveria ganhar um prêmio por ainda estar duro!

Ou ela deveria ganhar um prêmio por ainda conseguir transar beijando desse jeito.

— Me xinga de novo!

— Cachorra.

Zoe geme e rebola com mais velocidade em cima de mim.

Vai me deslocar, tenho certeza.

— Me bate, Shawn.

Merda, o que eu faço agora?

Bom, não rir já seria um começo, mas os risos parecem cada vez mais incontroláveis.

Acerto um tapa fraco na bunda de Zoe, até com um pouco de medo de colocar força e desmontar a menina. É, não é lá tão avantajada quanto parecia.

— Mais forte. — ela morde o lábio, empinando a bunda contra a minha mão. Acerto um novo tapa em Zoe, dessa vez um tanto mais forte, fazendo-a sorrir e se inclinar, sugando minha boca de novo. — Mais forte.

E isso se repete por mais três vezes até eu me enfezar e acertar um tapa que faz minha mão arder.

Chego até a me sentir mal, mas o gemido de atriz pornô ecoa nos meus ouvidos de novo.

Zoe pende a cabeça para trás, voltando a me encarar logo em seguida e jogando os cabelos para o lado.

— Vou te chupar até você esquecer seu nome. — diz ela.

Ah, claro que vai.

Se Zoe fizer um boquete tão bom quanto o beijo, é capaz que sugue até a minha alma. As memórias seriam fichinha.

Isso se ela não arrancar meu pau com os dentes!

Até parece que vou deixar essa boca chegar perto dele.

Empurro Zoe no chão, subindo por cima dela para disfarçar. Ela mal parece notar, já que apenas abre as pernas e então as aperta ao meu redor.

Pelo amor de Deus, isso tem que acabar.

Pelo bem do Mendezão aqui embaixo, isso tem que acabar!

— Rapidinho você hein… — ela murmura, deslizando as unhas pelo meu peito.

De novo não, cara.

— Você tem camisinha? — digo, varrendo o quarto com o olhar atrás da sacola de roupas.

Deus sabe onde essa porra foi parar!

Zoe indica a cama.

— Tem uma bolsinha ai.

Enxergo a bolsa cor de rosa sobre a cama e pego a mesma como se fosse uma garrafa d’água no deserto, tudo para terminar isso o mais rápido possível. Encontro o pacote em meio as maquiagens e respiro fundo, tendo em mente que a situação não tem como piorar. Atiro a bolsa sobre a cama e rasgo o pacote, arrumando o preservativo no pau e voltando a me arrumar sobre Zoe.

Para a minha surpresa, a garota consegue gemer ainda mais alto do que antes, mas não fico muito atrás.

Agora sim as coisas estão melhorando!

Meu quadril se move contra o dela, me fazendo entrar e sair de Zoe de forma rápida e contínua. Ela tenta esticar as unhas até os meus ombros e instintivamente seguro suas mãos, as prendendo com as minhas acima de sua cabeça. Se Zoe nota minha real intenção, acaba fingindo que não, já que apenas abre um sorriso malicioso e arqueia as costas, forçando um novo gemido.

Bem que disseram que alegria dura pouco.

Tento evitar uma careta por conta da limitação dos movimentos, já que não posso soltar as mãos de Zoe para não correr o risco de sair daqui parecendo que estava sendo torturado, e foco minha atenção no meu quadril, tentando fazer isso acabar o mais rápido possível.

Cara, a pior foda da minha vida!

As pernas de Zoe tremem ao meu redor e ela relaxa sobre o chão, ficando imóvel por alguns instantes, o que me permite soltar suas mãos e segurar seu quadril, erguendo-o conforme estoco. Com alguma força divina consigo chegar ao ápice, e preciso de uns minutos para fazer minha respiração voltar ao normal.

— Uau… — Zoe diz, ofegante.

Abaixo o olhar para ela, vendo-a sorrir estirada no chão. Seus cabelos escuros grudam no rosto e seu peito sobe e desce, anulando qualquer evidência de que ela era uma louca ninfomaníaca há minutos atrás.

— Pronto para outra? — Zoe apoia os cotovelos no chão e se inclina na minha direção, me dando um selinho antes que eu possa me esquivar.

Rapidamente me coloco de pé, tirando o preservativo só pra disfarçar.

Tá louca, caralho?!

— Ér… — coço a nuca, procurando por alguma desculpa.

Pensa, Mendes!

— Eu… — engulo em seco, finalmente conseguindo visualizar a sacola jogada no chão do quarto. — Tenho que resolver uma parada com o Cameron.

Forço um sorriso e sigo até a sacola, tirando minhas roupas de lá e as vestindo na velocidade da luz.

Saia do quarto, Mendes!

Zona perigosa!

Passo a camiseta pela cabeça e resolvo até desistir dos sapatos para ir mais rápido.

— Te vejo depois? — digo, apenas para quebrar o clima tenso.

Zoe se senta no chão e arqueia a sobrancelha, então abrindo um sorrisinho malicioso.

— Com certeza. — ela pisca devagar.

Forço um sorriso e aceno com a cabeça, seguindo para fora mais rápido do que o diabo fugindo da cruz.

Chego ao corredor com os olhos arregalados, tentando digerir tudo o que aconteceu dentro desse quarto. Também é impossível olhar para a porta e não dar dois passos para trás, só por garantia.

Dois passos seguidos de vários outros bem apressados até o elevador.

Que porra de faculdade é essa?

Pisco atordoado várias vezes durante a minha subida até o andar dos dormitórios masculinos, e assim que piso para fora, encontro alguns caras conversando amontoados numa porta. Franzo o cenho para isso e eles fazem o mesmo para mim, parando a conversa no mesmo instante como se estivessem falando da próxima missão do FBI. Finjo ignorar e sigo meu caminho até o 502-B tranquilamente, ouvindo o burburinho ser reinstalado assim que viro as costas.

Que lugar é esse?

Adentro no quarto, decidindo que já tenho problemas demais pra ter que me importar com o que um bando de marmanjos tá aprontando essa hora. Encontro Cameron dormindo de bruços, babando na lateral da cama enquanto um braço pende para fora, segurando uma garrafa de cerveja pela metade. Reprimo o riso e até penso em sacaneá-lo, mas me lembro das minhas horas traumáticas com Zoe e noto que meu dia já teve sacanagem demais. Atiro a sacola vazia sobre o criado mudo e me jogo na cama do jeito que estou, não demorando a pegar no sono.

 

(...)

 

— Mendes!

Resmungo e me viro para o outro lado, tentando me livrar de quem quer que seja o babaca que quer me encher o saco.

— Acorda, caralho!

— Vai se foder… — resmungo baixo.

Alguém acerta minha nuca e eu abro os olhos no mesmo instante, olhando para trás e vendo Cameron.

O cara parece um defunto de tão pálido, sem contar as olheiras.

— Acorda, tá quase na hora do discurso do reitor. — ele balbucia, bebendo quase metade de uma garrafa d’água.

Ressaca na certa!

— E dai? — volto a me arrumar na cama, colocando o travesseiro na cabeça.

— E dai que essa porra é obrigatória, e tu vai começar o semestre com falta se não for.

Tiro o travesseiro, arqueando a sobrancelha para ele.

— Mas é domingo. — franzo o cenho, com Cameron dando de ombros.

— Acorda logo, vamos descer para a lanchonete e tomar café. — suas bochechas se inflam e ele tapa a boca no mesmo instante. — Levanta logo dessa cama, cara.

E então sai correndo porta afora, esbarrando com dois caras que o xingam muito enquanto ele apenas se levanta e volta a correr. Rio e nego com a cabeça, arrumando a cama e as minhas coisas, logo seguindo para os chuveiros.

Dessa vez não há nenhuma ocorrência estranha, e consigo tomar um banho rápido sem problemas. Encontro Cameron na saída dos chuveiros, sua pele oscilando entre a palidez e um tom esverdeado meio estranho. Ele não comenta nada, e seguimos até o térreo com ele colocando um óculos escuro e arrumando o cabelo no espelho do elevador.

— E ai, comeu quem ontem? — Cameron dispara, atraindo minha atenção. Arqueio a sobrancelha e ele abre um sorriso babaca. — Qual é, ninguém some por tanto tempo em Juilliard sem pegar ninguém. Vai, fala ai.

Rio baixo e me apoio no espelho.

— Zoe Singh. — dou de ombros.

— Zoe Singh?! — ele ri alto. — Você ainda tem pau?

Resisto ao impulso de conferir, até porque depois de ontem…

— A garota é um trator. — é impossível não rir. — Você vai pro céu, meu amigo.

A porta do elevador se abre, com algumas garotas esperando para entrar.

— Cam! — uma delas grita, se atirando nos braços de Cameron enquanto as outras parecem prontas para fazer o mesmo.

Garotas de Juilliard…

Faço uma careta ao me lembrar da minha experiência com a última.

Cameron cumprimenta seu batalhão e então finalmente retornamos ao nosso caminho até a cafeteria, onde há uma certa concentração de alunos. Sigo até a fila para pegar um café, com Cameron no meu encalço.

— Cam! — uma nova garota grita, com ele se virando para ela.

— Row! — olho de rabo de olho, vendo-o passar o braço sobre os ombros dela.

A garota tem o cabelo azul, um gorro com uma paródia do logotipo da Chanel, com o C da palavra “fuck” sendo formado por ele, e os braços todos tatuados.

— Quem é o peixinho? — diz ela, meneando na minha direção com a cabeça. Não demora nem dois minutos até que seus olhos se arregalem e ela abra a boca em um “o”. — Porra, você é aquele cantor não é? Shawn Mendes?

— Em carne e osso. — Cameron responde por mim enquanto pego o meu café, me voltando para ela com um sorriso.

— Eu sei que é chato mas posso tirar uma foto? — ela parece uma criança que acabou de ganhar um doce. — Aliás, me chamo Rowenna mas você não se importa, e eu espero você terminar de comer…

— Row! — Cameron chama a atenção dela, fazendo-a parar de falar repentinamente.

A menina pisca atordoada e sorri envergonhada, voltando-se então para Cameron.

— Jordan sabe dele? — ela cochicha conforme caminhamos até uma mesa vazia.

Cameron fica verde de novo e aperta os olhos.

— Quem é Jordan? — pergunto, atraindo a atenção de ambos.

— Vai levar ele a JFA? — Row pergunta novamente, com Cameron pressionando as têmporas.

— Cala a boca, Rowenna. — a garota faz uma careta e acerta um tapa nele, o que me faz baixar o olhar para o meu café.

Primeiro quase tenho o pau arrancado e agora estou sendo vela.

Que faculdade maravilhosa.

Eles começam a falar sobre qualquer coisa enquanto termino de comer, e então seguimos para o auditório principal do campus. O palco está vazio e as cadeiras estão parcialmente ocupadas, com Cameron reconhecendo o grupo de amigos no início da fileira central. Seguimos até lá, sentando no meio da platéia.

— Esse é o novato? — um rapaz indaga após nos cumprimentarmos.

— Shawn. — aceno com a cabeça.

— Jack Gilinsky. — ele sorri. — Aquilo do trote não foi nada pessoal.

— Fale por você. — um garoto loiro que permanece sentado resmunga.

— Esse é o Jack Johnson. — Cameron específica, dando de ombros. — Nem dá muita corda.

Dou de ombros e me sento na cadeira atrás de Gilinsky a tempo de ver Row passar correndo pelo corredor ao meu lado. Ela toma um assento na lateral esquerda da platéia, ao lado de um grupo de meninas que cochicham baixo.

Ao lado dela.

A loira, cara!

A loira está aqui!

Me estico melhor para poder vê-la, conseguindo assistir quando ela ri e se remexe na cadeira, simulando um chute fraco na direção de Rowenna. Logo em seguida, ela joga os cabelos claros para o lado e os penteia com as mãos, puxando então seu short jeans para baixo.

Belas pernas, aliás.

Mas minha visão é cortada quando Zoe passa pelo corredor, sorrindo e piscando para mim antes de tomar um assento na frente. Nem consigo prestar muita atenção nela, volto a encarar a loira sorridente antes que o reitor comece o discurso.

E o olhar dela recai sobre mim, me pegando no flagra.

E ela sorri.

Porra, ela sorri.


Notas Finais


Como eu disse acima: demorou mas chegou hu3
E toda essa treta com a Zoe? E a Rowenna? E aquele grupo de macho falando no corredor? O que é JFA? O sorriso da loira no final? AAAAAAAAAAAAAAAAH TANTAS TEORIAS HAHAHA

Também vou dizer que BA agora tem PLAYLIST no spotify, então, quem quiser dar uma olhada, tá aqui: https://open.spotify.com/user/larysouzaag/playlist/4pES3guTM0OS528Mq8LhUv

Grupo do face: https://www.facebook.com/groups/546395568895604/
E onde mais me achar haha: http://ask.fm/AtriaGrey ou https://twitter.com/sickeningmendes

Nos vemos em breve!
Xx


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...