História Bagunça Felina - Meus Híbridos [ABO] - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), Got7
Personagens Jackson, J-hope, Jimin, Jin, Jinyoung, Jungkook, Mark, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Abo, Fluffy, Híbrido, Jikook, Lemon, Markson, Namjin, Taekook, Taeyoonseok, Vkook
Visualizações 58
Palavras 2.061
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Escolar, Fluffy, Hentai, Lemon, Romance e Novela, Sobrenatural, Suspense, Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Gravidez Masculina (MPreg), Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 2 - Acertando Todas As Contas


Fanfic / Fanfiction Bagunça Felina - Meus Híbridos [ABO] - Capítulo 2 - Acertando Todas As Contas



Caralho! Deus! Me diz, por favor, o que eu faço?!

- Tá bom, Taehyung, respire - falei pra mim mesmo - primeiro, Mark, vai colocar um roupa. E segundo, eu não conheço vocês e quero que saiam da minha casa agora - disse trêmulo olhando para o chão, evitando olhar para qualquer um dos três. Afinal, não é todo dia que tempo três pessoas, três (pelo cheiro) alfas, com você sendo o único ômega, sem contar que seu ex (também alfa) está na sua porta e todos dentro da sua casa estão nus.

- Oushe? Por que tá expulsando a gente? - perguntou um deles, com a voz mais grossa.

Porra! Que voz é essa?! Deu até arrepio!!

Me virei de costas corando ao extremo, ainda evitando qualquer tipo de contato visual.

- Eu não conheço nenhum de vocês e não sei o que fazem sem roupa no meu sofá - disse calmo.

- Mas Tae! Nós somos seus ga... - o barulho da campainha sendo tocada interrompeu que o estranho (por mim) terminasse sua fala. Logo em seguida foi escutado as batidas na porta, seguido da voz leve e suave de JungKook.

- Tae! Vamos conversar, por favor! Eu só peço um minuto.

Sem pensar duas vezes, corri até a porta logo abrindo a mesma.

- JungKook! Pelo amor de Deus, me ajuda! - comecei a me desesperar chorando.

- O que... Que foi? - largou o buquê que tinha em mãos se preocupando comigo.

- Tae! Volta pra cá, meu amor! - ouvi a primeira voz grossa novamente soar, atrás de mim, quase colado ao meu corpo.

- Aah!! Não!! Sai!! - me escondi atrás de JungKook. Esse parecia pasmo com a situação.

- Porra, Kim Taehyung! A gente mal terminou e você já sai dando pra qualquer um?! - irritou-se virando em minha direção.

- Não, Kookie! Eu não o conheço! Ele vai me machucar - desembestei-me a chorar feito uma criança.

Ele pareceu amenizar sua expressão e logo ficar confuso tentando entender o que estava acontecendo.

- Por favor! Tira ele do meu apartamento!

Estava desesperado, pois dentre todos ali, eu era o único Ômega, sendo assim, mais frágil e fraco, porém algo me dizia para confiar naqueles dois que acordaram em meu sofá. Não vou de jeito nenhum entregar o jogo! Não posso! Não os conheço, não devo confiar!! Taehyung e suas manias de confiar em qualquer um... Eu tenho que parar de fazer isso!!

- Ei! Me diz o que está fazendo do apartamento do meu namorado! - avançou no estranho entrando em minha casa.

Depois de alguns segundos em silêncio, o mesmo voltou a se pronunciar novamente.

- Vai me dizer que outro cara nu e o Mark só de cueca vieram para te machucar também? - me olhou rindo com deboche - novidade. Kim Taehyung, quase nu no corredor do seu prédio chamando atenção e perturbando os vizinhos... - riu novamente.

- Cale a boca! Não tem o direito de falar assim comigo! Primeiro se olha no espelho! E não tenho culpa se chegou em uma hora errada e não quer acreditar em minhas palavras! Que foi?! Queria que ficasse chorando e implorando pra você voltar?! Acontece que a fila anda! A minha andou, e você foi pro final!! Agora espera sentado sua vez, novamente, chegar!! De preferência bem longe!! Não preciso que acredite em mim!! Só preciso que ou me ajude ou não atrapalhe, porra!! No momento eu não estou com tempo para me tratar com lixo!!

Cuspi as palavras com rancor, alto e claro.

Vi uma lágrima descer de seus olhos, o que me fez doer o coração e perder a pose de durão.

Será que peguei pesado demais?!

- Por favor, vá chamar a sua mãe de puta, porque eu "dou" pra quem eu quiser, isso é um problema meu. Não preciso ficar pedindo sua permissão - tentei conter minhas lágrimas, mas foi praticamente impossível - Jeongguk eu... Me desculpe, eu sinto muito, eu... É melhor pra nós dois e você sabe disso - pedi carinhosamente - por favor, vá embora, e não volta mais.

Como dói dizer essas palavras!! Aaahh!! JungKook!! Por que você me deixa assim?!

- Você ainda usa - pegou em meu pulso vendo a pulseira de ouro com a seguinte palavra gravada: "TaeKook". Reparei que no mesmo pulso alheio, também havia a mesma pulseira - por favor - fungou - não joga no lixo.

Concordei com a cabeça tentando segurar as lágrimas. Me aproximei e deixei um singelo selar em seu rosto.

Sem olhar pra mim, caminhou até o elevador.

Aí! Meu coração!! Que dor horrível!!

Me permiti a chorar me apoiando na parede.

- É um idiota - disse o cara desconhecido, por mim. O encarei profundamente.

- Saiam do meu apartamento, os dois, agora! - pronunciei pausadamente.

- Deixa a gente ao menos se explicar? - perguntou sem paciência.

- Não! Sai! - entrei e avistei Mark, já de roupa íntima, de pé, ao lado do outro desconhecido no sofá - Você! - ele se assustou - sai! Agora!

- Tae! Por favor! Não me deixa na rua de novo! Você prometeu cuidar da gente!!

- Vocês são loucos e precisam de um hospício!!

- Você tem gato? - pergunta Mark diretamente pra mim.

- Sim... Cadê meus gatos?! Vocês os pegaram, não é!?

- Mas nós somos seus gatos - disse o de madeixas alaranjadas.

- Muito engraçado! Agora saiam! Antes que eu chame a polícia - debochei.

- Tae! - o ruivo correu até mim se ajoelhado e abraçando minhas pernas - acredite, por favor! Nós somos seus gatos! Não nos abandone! - implorou quase chorando.

Por que todo mundo me lembra o JungKook?! Pelo amor de Deus!!

Reparei no topo de sua cabeça. Haviam um par de orelhinhas felinas.

Não! Isso não é possível! C-como meus gatos podem ter virado humanos?!

Será que estou sonhando?!

- Tae! Não joga a gente na rua! - apertou minhas pernas me fazendo quase perder o equilíbrio.

Olhei para Mark a procura de ajuda, sem saber o que fazer.

- Vai acreditar na gente ou nos deixará na rua de novo, para morrermos de frio ou de fome? - pergunta o de madeixas escuras atrás de mim.

O olhei e me deparei com meu gato preto sentado no chão me olhando da mesma forma que normalmente me olha.

- Não é possível! - sussurro pra mim mesmo.

- Quer mais alguma prova, ou ainda vai nos expulsar - meu gato disse aquilo. Meu gato! Estava mexendo a boquinha e falando aquilo, me cobrando uma resposta.

- E-eu... - olhei pro alaranjado, ainda, grudado em minhas pernas. O que eu faço? - Preciso pensar...

Delicadamente empurrei o estranho para que desgrudasse de minhas pernas.

A primeira coisa que fiz, foi, sem olhar para aqueles dois, correr pro meu quarto puxando Mark.

Assim que entrei fechei e tranquei a porta.

- Meu Deus! Mark! Isso não é possível!!

Sua expressão estava tão assustada quanto a minha.

- Mark! Você tem que me ajudar! O que eu faço com esses dois?! Se fossem ômegas ou betas até que deixaria... Mas eles são alfas! E um é Lúpus!!

Parecia pensar. Não me dava resposta nenhuma olhando pro chão.

- Mark Tuan! Me ajuda!

- Eu também não sei! Não gosto da ideia de te deixar sozinho aqui com dois alfas que nem conhece.

- Aí meu Deus! - coloquei a mão no rosto - hoje tinha prova na faculdade! Ficarei de recuperação!! Aí não! Eu não a acredito!! Por quê?! - me sentei na cama reclamando manhoso e decepcionado.

- Calma, é só você fazer de novo - senti ele sentar ao meu lado e depositar uma das mãos em minha coxa.

- Mark - tirei a mão do rosto e depositei em seu ombro - eu não quero te magoar, nem nada do tipo, mas... Eu não tive nada a haver com ontem, na realidade, eu nem mesmo lembro o que aconteceu.

- Entendo - desviou o olhar pro chão - você deixou nem claro e eu lembro, entendo - parecia meio triste - o que falta em mim e tem no JungKook?

Meio coração errou a batida e chegou a doer. Realmente, Mark era mil vezes melhor que JungKook, principalmente no requisito: Lealdade.

- Mark. Eu não quero te decepcionar, não pense nesse tipo de coisa. Você é um ótimo amigo, e sempre continuará sendo para mim. Não se compare com JungKook, acredito que você seria bem melhor do que ele, mas, infelizmente não sou eu que mando em meu coração. Eu não gostei do JungKook do dia para noite. Foi aos poucos. E...

- Mas eu sempre tentei, Tae! Eu nunca desisti de você, estou nessa a 1 ano, mesmo assim não adianta nada.

- E eu namorei o JungKook nesse tempo todo. Essa é a primeira vez que fico solteiro nessas situações e... Meu Deus!! Como eu sou um ser humano horrível!! Não devia ter te iludido dessa forma, me perdoa, Mark! É sério. Por favor olha pra mim quando estivermos conversando - ele virou a cabeça lentamente - Me perdoa. Eu te amo demais e odiaria perder sua amizade se tentarmos nos relacionar... A minha única sugestão pra você, é, me esquecer. Procurar outra pessoa, e não viver na minha sombra, ou você nunca vai sair.

Talvez essas palavras tenham batido forte nele, pois ajeitou sua postura olhando pro lado contrário do meu. Escutei um fungar, talvez ele esteja chorando.

Por impulso, o abracei.

- Desculpa se isso te magoa. Mas eu estou sendo sincero. Ficaria muito feliz se te visse, namorando alguém tão feliz quanto você, Mark. Eu quero apenas a sua felicidade, e do meu lado não encontrará ela nunca.

- Te entendo - foi a única coisa que disse.

Aquilo me deu um vazio por dentro, e uma certa dor. Não é porque não quero ficar com ele que não tenho sentimentos, eu tenho, e muito. Muito carinho e amor - de irmão - pelo mesmo.

Me separei dele e peguei em seu queixo virando seu rosto para mim. Ele definitivamente estava chorando.

Me aproximei beijando seu rosto de leve.

- Promete pra mim que, vai procurar alguém para te fazer mais feliz do que eu faria? - ele concordou com a cabeça - não, Mark. Com palavras.

- Tae, não tem como. Eu não vou te prometer. E não quero quebrar essa promessa. Sei muito bem que só serei feliz com você. Quer que eu prometa? Me dá um clone seu.

- Não, Mark! Isso está errado! Estou tentando consertar um erro meu, mas você tem colaborar. Eu não disse que conseguiria, disse que podia ao menos tentar. Pedi para me prometer que iria tentar.

- Não tenho certeza.

- Por quê?!

- Porque não é tão simples assim, Tae! Não é do dia pra noite que esquecemos alguém que amamos. Tae. Eu amo você! Tudo em você! Não encontraria uma pessoa igual em qualquer esquina e em lugar nenhum deste mundo. Mas eu não quero alguém com a mesma personalidade, eu quero alguém que tenha completamente tudo de você. E que consiga fazer me apaixonar como você fez. Eu não comecei a te amar a 1 ano... E sim, dois meses depois depois que nos conhecemos. Então, eu estou nesse barco a muito mais tempo do que imagina. Isso já faz quase 5 anos! - Corei e abaixei a cabeça cobrindo meu rosto com as mãos.

- C-como assim? - perguntei quase sussurrando desacreditado.

- Tá bom, Tae. Eu não prometo que vou tentar te esquecer, mas prometo que vou ficar bem - levantou colocando sua calça.

- Markie! Eu só quero seu bem e você sabe disso. Promete pra mim que não vai derramar nenhuma lágrima e sempre sorrir??

Ele assentiu de leve.

- Com palavras, Markie!

- Eu vou embora - disse fechando o zíper de sua calça - depois a gente conversa melhor - sentou-se na cama começando a colocar sua meia e seu tênis - Tome cuidado com esse dois, qualquer coisa me ligue ou chame a polícia. Deixe a porta destrancanda, qualquer coisa grite, vocês tem vários vizinhos aqui - terminou e se levantou caminhando até a escrivaninha do outro lado da cama. Pegou seu celular, sua carteira e sua chave, logo colocando a camisa - fica bem - passou por mim, mas o impedi segurado seu pulso.

- Vai ficar bem? - perguntei com receio.

- Sim, eu vou - sorriu, em uma tentativa falha de demonstrar que estava bem.

O soltei e vi sair pela porta de meu quarto.

Fechei a mesma. Procurei colocar uma roupa confortável.

Ok, Taehyung. Agora é só ir lá e falar com aqueles dois. Você praticamente não os conhece, e precisa decidir o que vai fazer. Nada de mais. Lembre-se que os dois estão sem roupas, no sofá.



Vamos lá.



Nada difícil.




Notas Finais


Espero Que Tenham Gostado.
Cometem ^^

Horário Definido: Toda Quinta - Por Volta De 20 Hs 😉


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...