História Bakery - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO
Personagens Baekhyun, D.O
Tags Baekhyun, Baeksoo, Exo, Fluffy, Kyungsoo, Rosa
Visualizações 26
Palavras 690
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Fluffy, Yaoi
Avisos: Homossexualidade, Pansexualidade
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


queria agradecer @yongjxnhyung (user do twitter), que foi quem betou a história.

Capítulo 1 - Capítulo Único


Sentei-me no meio-fio, o lugar coberto pelo branco do cal. Haviam pintado há pouco tempo, sendo assim, bonito de se observar. Os fones de ouvidos, igualmente claros, acompanhavam-me desde a sala de aula. Mas era às 18:00 horas que eu as colocava, minhas músicas preferidas preenchendo-me os pensamentos vazios.

E era assim que eu ficava, largado, no final do estacionamento, esperando alguém chegar. Não tinha quem ou o que para encher-me de memórias, nem se tinha eu e minhas reflexões para preocupar-me o emocional instável. Não ali, com o céu em azul, lilás e rosa, engolindo aos poucos uma escuridão intensa. O brilho das estrelas que sempre estavam ali, embora não se pudesse vê-las, logo apontando com o preto da noite. Mas, ainda não era hora, e nem sempre se espera para ver o que os dois formavam de belo.

Fechei os olhos, depois de meia hora observando os idosos passarem, absortos em seus próprios problemas ou extremamente relaxados, entorpecidos por um descanso profundo de suas vidas paradas e simples. Também se tinham os pais atrasados, indo buscar seus filhos, assim diminuindo qualquer um em minha visão e presença, ou qualquer carro no estacionamento.

Ao não mais observá-los, eu sentia-me eu, e mais nada, nem ninguém. Somente as vozes daqueles que eu admiro e respeito, aprecio. O suave do canto, os sopros e suspiros. Cantarolei, finalmente substituindo o vazio pela paixão, pela não necessidade de esforço, mas seu contrário: calma. Eu era livre para errar as notas, assim como era livre de opiniões. Afinal, eu ainda não era capaz de pensar nos outros, nas expressões de reprovação, a não ser que passasse a imaginá-las, ou escutar algo além da escassez de instrumentos da música tranquila. Não era possível, até que se reparasse. E, paz sendo como fogos de artifício, subindo, explodindo, brilhando e apagando, eu voltei à realidade.

Você tocara meu ombro, BaekHyun. Interrompera meu momento, para dar-me outro: a visão de sua cabeça, pendendo para o lado, a fim de enxergar-me. Os cabelos caindo para baixo, e os fios rosa pastel sendo levados pela pouca ventania do horário. Atrás, com o mesmo céu de antes, a cor deles fazia contraste com as de fundo. Parecidas, porém únicas e belas.

— Sua carona está atrasada, de novo? — Você questionou-me, sério, e reposicionou as costas, agora retas e antes curvadas para encarar-me de ponta cabeça.

Fiz um protesto silencioso, que você provavelmente não foi capaz de compreender. Segurei sua mão.

— É perigoso, KyungSoo.

— Eu sei, mas nunca me aconteceu nada de mal aqui, Byun. Você sabe. — Puxei-o para que se sentasse ao meu lado, mas você não o fez. Ao contrário, girou o corpo de um jeito estranho, fazendo força para levantar-me.

Seus lábios franzidos estavam ressecados. Reparei, mas não o disse, porque não queria estragar nada mais ali. Você sabe BaekHyun, já fizera coisas demais.

— Por que não me leva até a padaria? Como você diz, lhe é quase um santuário. Permita-me invadi-lo. — Sua voz estava rouca, cansada. Mesmo com muitos problemas, BaekHyun, nunca desistimos do nosso nós. Meu e seu. O olhar que me mandou, naquele momento, similar ao de uma criança manhosa e mimada, fez-me pensar nisso, e como ainda podia encará-lo.

— Como poderia lhe negar algo? — Abracei-lhe de lado, de repente, e senti seu corpo quente contra meu peito. E eu sabia que você sentia o acelerar de meu coração, mesmo que leve. O sentimento nunca sairia de mim, e a culpa era sua, por ser uma pessoa de junção tão maravilhosa. — E, como eu disse, quero apresentar tudo o que me é importante para você, BaekHyun. Siga-me para meu segundo lugar favorito no mundo, depois de seu coração.

Então você riu abafado para mim, com aquele jeito encolhido e, ao mesmo tempo, espontâneo. Achara brega, e sorri com a intenção tendo total sucesso: quanto mais meloso, mais sorriria em vergonha. Eu gosto de ver seus dentes brilhantes, e escutar seus suspiros depois da risada, ou de ver seu jeito e sentir os seus lábios selando os meus, mesmo que ressecados. A sensação não poderia ser melhor.

De agora em diante, eu só quero fazê-lo bem, Byun Baekhyun.


Notas Finais


peguei essa fanart para fazer a capa: http://www.imgrum.org/media/1273280033320504862_2103817722
//você autor, por favor, dê o crédito aos artistas quando utilizarem seus desenhos, ou mostrem de onde tiraram. eles merecem.

obrigada por lerem ♡


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...