História Ballet Boy - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Ballet, Boy X Boy, Drama, Fluffy, Jimin!bottom, Jk!bottom, Lemon, Taehyung!top, Taekook, Vkook, Yaoi, Yoongi!top, Yoonmin
Visualizações 61
Palavras 2.481
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Bishounen, Colegial, Drama (Tragédia), Ficção, Fluffy, Lemon, Romance e Novela, Shonen-Ai, Shoujo (Romântico), Slash, Yaoi
Avisos: Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Brotei :3

Eu pretendia terminar este cap ainda de manhã e postar de tarde,mas tive que sair pra fazer exame e.e

No final acabei levando dois furos no braço e mais um no outro porque a porcaria da agulha não pegou na minha veia.

Seria muita demência minha se eu dissesse que eu escrevo cada cap ouvindo Keep On Dancing? (Que por acaso é uma música de Barbie e as sapatilhas mágicas -qqqq)

20+ favs <3333

Obrigado por darem amor a esta fic! <3

Vcs acreditariam se eu dissesse que esqueci de responder os coments do cap passado? Pois é, eu esqueci. Vou responder depois que este cap estiver postado kkkkkk

Deixa eu calar meus dedos.

Boa leitura~

Capítulo 2 - Acte Deux


• Jimin •


— você falou isso mesmo?! Jimin, o que você tem na cabeça?! Ele é filho da nossa futura professora e tecnicamente o nosso juiz! Ele pode acabar sabotando a sua entrada na academia! — disse Taehyung totalmente nervoso.


— eu sei que não é do meu tipo falar tão grosseiramente, mas Taehyung, ele foi um panaca, grosseiro, idiota, machista, imbecil! Ele não pode simplesmente achar que só porque alguém faz ballet ela tem que ser gay!


— Jimin, sabemos que é errado tirar conclusões precipitadas, mas ele está um pouco certo nisso.


— o quê?! Você vai mesmo defender ele, Taehyung??


— não é questão de defender alguém ou favorecer, a questão é que ele está um pouquinho certo em achar que você é gay. Já parou pra pensar que a maioria dos homens que fazem ballet é LGBT?


— eu-...


— ele está certo em desconfiar, mas chamar ballet de coisa de mulherzinha já é um insulto e um cúmulo. Vocês dois estão certos.


— pensei que você disse que não iria favorecer ninguém.


— ah, é mesmo! Mas vocês estão empatados, então eu tecnicamente não estou favorecendo ninguém!


— você é estranho as vezes.


Ele deu de ombros e voltou a comer seu sorvete de menta. Eu me pergunto como o Taehyung consegue tomar sorvete num frio desses. Agora estávamos em uma sorverteria por manha dele, mas eu não pedi nada.


— você ainda faz dieta? — perguntou do nada.


— é, eu não quero ganhar peso. Seria horrível para minha carreira como bailarino!


— você se preocupa demais! — disse comendo mais um pouco do sorvete.


— ou você que é desleixado demais!


Taehyung pôs a mão sobre o peito e fez a sua melhor cara de indignado, não pude segurar o riso e então nós dois rimos.


— enfim... Mas... TaeTae, você não está... Hm... Ofendido com o que o Yoongi disse?


— um pouco. Eu posso ser gay, mas tem que ser muito macho pra conseguir aguentar aquela dor toda do ballet!


— nisso eu concordo.


Ficamos em silêncio por um tempo, eu estava pensativo e Taehyung também.


— o que vamos fazer se não conseguirmos entrar? — perguntou, ele parecia preocupado.


— eu não sei você, Tae, mas eu continuarei tentando!


— é assim que se fala, Mochi! — falou bagunçando meus cabelos e eu ri junto dele.


— só você para me alegrar, Taehyung!


— é isso o que os primos fazem, afinal!


— quando começa nossas aulas?


— acho que daqui uma semana, talvez. Eu não lembro, teremos que ver isso depois.


— sim... — parei para pensar um pouco. — Tae, acha que vamos nos dar bem na escola?


— cem por cento de certeza que não, mas vamos nos virar. Talvez não façam bullying com você, mas talvez tenha alguém que irá me irritar por conta da minha sexualidade.


— eu não vou deixar ninguém se meter nisso!


— Jimin, o que está fazendo me deixa feliz, mas eu não quero te envolver nisso, ok? Além do mais, quero me virar sozinho. Eu posso cuidar de mim mesmo, não sou nenhuma princesa indefesa.


Fiquei calado por um tempo, raciocinando o que Taehyung disse. Eu concordei com a cabeça e acrescentei:


— mas se você quiser minha ajuda para o que quer que seja, eu estarei aqui. — sorri para ele.


— digo o mesmo para você, Mochi!


— vamos pra sua casa?


— ela também é sua casa, Jimin.


• Yoongi •


Acordei com o som irritante do despertador e por pouco eu quase o quebrei. Comecei a me arrumar para ir para a escola e comi o mais rápido que eu pude. Saí correndo para a estação e comecei a esperar meu trem. Não era que eu estivesse atrasado para a escola, mas eu não poderia perder aquele trem. Assim que ele chegou, eu entrei e me sentei em um banco qualquer e comecei a esperar eu chegar ao meu destino. Eu morava um pouco longe da escola, então era bom eu ir de carro ou de trem. Coloquei meus fones de ouvido e comecei a escutar música.


Round and round like horse on a carousel, we go

Will I catch up to love? I can never tell, I know


Rodando e rodando como um cavalo em um carrossel, nós vamos

Eu vou me apaixonar? Eu nunca posso dizer, eu sei


Não demorou muito e o trem chegou onde eu queria. Desci dele e comecei a caminhar até a escola. Quando cheguei fui até minha sala e deixei minhas coisas na minha cadeira e depois saí para ficar no pátio mechendo no celular esperando o toque de recolher. Se bem que eram ainda 06:45 da manhã e as aulas só começam as 08:30. Fiquei sentado em um banco e comecei a fuçar minhas redes sociais e outras coisas até sentir um tapa em minha nuca.


— ai! Quem-...


— bom dia, hyung! — disse JungKook.


— quem te deu permissão para bater no seu hyung, criança abusada?


— eu, agora cala a boca que nem doeu! Foi só um tapinha, e é aquele ditado: um tapinha não dói!


— isso porque você nunca sentiu um tapa seu!


— não seja por isso!


JungKook estendeu um dos braços e deu um tapa nele que doeu até na minha alma só com o barulho.


— viu? Não doeu. — disse me mostrando o braço com a marca vermelha nele.


— É LÓGICO QUE DOEU, VOCÊ QUE NÃO QUER ADIMITIR!!


— ok, ok! Eu confesso que doeu!


Suspirei.


— enfim, bom dia para você, JungKook.


— bom dia! — respondeu se sentando ao meu lado no banco. — o que está fazendo?


— nada que te interesse.


— aish... Seu idiota.


Eu ri e antes que continuassemos a conversar, algumas garotas apareceram. Nenhum de nós ficou surpreso já que era algo comum.


— JungKook-oppa, bom dia! — falaram as meninas super animadas.


— bom dia, mas por favor não me chamem de oppa.


— mas enfim, o que houve garotas? — perguntei.


— nós vamos dar uma festa daqui a três semanas e estamos convidando o pessoal!


— ah, entendi. Onde que vai ser a festa?


— a Sohyun vai mandar uma mensagem para quem foi convidado sobre onde vai ser o local! Contamos com vocês na festa?


Olhei para JungKook e o mesmo deu de ombros em um típico "tanto faz".


— sim, estaremos lá!


— ótimo, até mais, meninos!


Elas saíram dando algumas risadinhas e deixando eu e JungKook sozinhos de novo. Ele se sentou ao meu lado no banco e começou a me encarar.


— o que foi? — perguntei.


— aconteceu alguma coisa que eu sei, anda, desembucha!


— eu gostava mais quando você era todo tímido. — falei, rindo logo em seguida da cara fechada de JungKook. — tudo bem, eu vou te contar. Anteontem eu estava na academia da minha mãe, estava tendo uma seleção para bailarinos e bailarinas conseguirem uma bolsa lá.


— legal e o que isso tem haver?


Dei um tapa na nuca de JungKook e o mesmo resmungou por causa do tapa.


— não me interrompa! Enfim, eu conheci um garoto por lá, ele dançava muito bem e tals e no fim eu dei uma carona pra ele até a casa dele.


— olha, eu já sabia que você tinha atração por homens, não é nenhuma novidade.


— que mané atração! Não me interrompa! — dei outro tapa na nuca de JungKook. — resumindo a história: eu perguntei se ele era gay e no final deu uma treta com ele.


— o que foi que você disse para isso virar uma treta? — perguntou sem dar a mínima pra mim já que estava mais entretido com a manga de sua camisa.


— eu fui sincero e falei que ballet é coisa de mulherzinha.


Ficamos em silêncio depois que eu falei isso. JungKook estava encarando um ponto fixo qualquer e havia parado de mecher com a manga de sua camisa, parecia estar raciocinando o que eu acabei de dizer.


— VOCÊ O QUE?! — praticamente gritou.


— mas o que-...


— você tem demência ou o quê?! É lógico que o cara ía ficar ofendido com isso, seu imbecil!


— mas por acaso eu tô mentindo?


— e por acaso garotas deixaram de ser garotas por jogarem futebol?


Fiquei sem resposta quanto a isso e revirei os olhos.


— o que você sugere que eu faça então?


— pede desculpas, idiota!


— e porque eu deveria?


JungKook deu um tapa na própria cara e começou a murmurar coisas como "o que foi que eu fiz pra merecer isso?".


— eu tenho um troglodita como amigo, que maravilha! Quem precisa de inimigos quando se tem Min Yoongi?


— pare de drama!


— você vai pedir desculpas, sim! Se não eu não vou com você na tal festa!


— ótimo, vou ficar bem melhor sem sua companhia e vou aproveitar pra me divertir.


— hyung! — disse manhoso, eu as vezes me pergunto se JungKook é mesmo hétero.


— tudo bem, hoje vai ser o dia dos resultados dos participantes que passaram e então quando eu ver o Jimin, eu irei pedir desculpas para ele. Tudo bem?


— bem melhor agora!


— vamos para as salas de aula, está quase na hora da aula começar e apesar de eu odiar a escola, eu ainda prezo pela minha vida e tenho certeza que minha mãe iria me matar se soubesse que estou matando aula.


— eu concordo que a senhora Min consegue ser assustadora as vezes.


Nós dois rimos desse comentário e nos levantamos do banco.


— então... Nos vemos no intervalo? — perguntei.


— para quê perguntar algo quando a resposta é óbvia? — sorriu ladino e foi embora.


Eu neguei com a cabeça. JungKook é meu melhor amigo e mesmo eu não admitindo, eu me importo muito com aquela criança levada. Eu me pergunto o que levou JungKook a levar esta vida, eu também faço isso, mas eu quero apenas diversão e nenhum compromisso, mas ele... Ele é totalmente diferente de mim. JungKook disse que não tem um motivo para querer sexo sem compromisso, mas eu vejo nos olhos dele que ele tem um motivo, mas não quer me falar. Eu só posso esperar até ele estar pronto para me contar.


♪❤♪


Depois de sair da escola eu fui direto para a academia, não demorava muito para chegar nela de ônibus. Eu cumprimentei a secretária que me correspondeu sorridente. Fui direto para a sala onde minha mãe dava aulas e só tinha os alunos lá.


— Yoongi-oppa! Não achei que você viria hoje! — disse uma garota.


Depois desse primeiro comentário comecei a escutar muitos "oppa's", ignorei tudo com um revirar de olhos e me sentei no banco do piano, olhando a sala e as pessoas que estavam alí, mas nada de Jimin.


— ei, oppa, por que não toca o piano? Você toca tão bem!


— não estou afim.


A porta se abriu e por ela entrou minha mãe, todos os murmúrios pararam e todos foram para os seus lugares.


— estão todos aqui ou falta alguém? — perguntou.


Alguém levantou a mão e vi que era uma garota, não lembro o nome dela.


— está faltando o tal Park Jimin, senhora!


Minha mãe suspirou. Ela não gostava de atrasos e muito menos de faltas.


— ele deve ter um motivo para faltar... Bem, todos se posicio-...


A porta de entrada se abriu e Jimin apareceu por ela ofegante. Devia ter corrido para chegar aqui.


— me desculpem! Tive alguns problemas para vir aqui! — falou, se aproximando do tal Taehyung.


— bom, tanto faz. Acho que todos estão presentes, então se posicionem. Irei dizer as regras da minha academia.


Todos foram para seus lugares, mas Jimin tirou algumas coisas de sua mochila e pediu licença para sair que logo foi concedida por minha mãe.


— percebi que você é bem amigo de Jimin, Taehyung. Repasse as regras para ele assim que voltar, não irei repeti-las.


— sim, senhora! — respondeu.


— bem, vamos começar. Aparelhos celulares desligados. Além de tirarem a concentração, podem atrapalhar a aula.


— mas e se for uma ligação urgente? — perguntou alguém.


— terão de ligar para o número da academia e Rebecca irá se encarregar de avisar. Durante as aulas, não quero conversinhas paralelas, além de distraírem também atrapalham. Em terceiro lugar, sem brincadeiras, isto aqui é para ser levado a sério. E em quarto, eu não quero namoricos em minha academia.


Eu não sei dizer se aquela regra foi para mim, mas de qualquer forma ela é inválida, já que me relaciono com mulheres fora desta escola. A porta se abriu de novo e Jimin voltou e guardou suas roupas de volta na mochila. Ele estava com o que parecia ser uma calça leggin preta, uma blusa branca sem estampa e sapatilhas pretas. Aquelas calças realçavam bem as coxas fortes e o bumbum arrebitado de Jimin... Aish... O que estou pensando?


— vamos começar com o alongamento. Todos para o chão, imagino que vocês saibam se alongar. Comecem primeiro com a borboleta, darei uma hora inteira para se alongarem. Yoongi, se puder, toque alguma coisa, por favor.


— sim, senhora. — respondi.


Comecei a tocar qualquer coisa que eu lembrasse no momento e eles começaram a se alongar. Teve alguns que estavam meio duros e foi realmente engraçado, tive que segurar uma risada com as reclamações que minha mãe rebatia com um "é pra doer mesmo". O único que nem sequer escutei um gemido de dor, foi Jimin. Ele fazia tudo sem reclamar e era bem flexível.


♪❤♪


— por hoje é apenas isto, alunos. Estão dispensados. — disse minha mãe.


Todos começaram a se retirar e eu fui até o banheiro já que Jimin tinha ido para lá. Entrei no mesmo e percebi que o mesmo estava se trocando já que estava calçando suas jeans.


— ah, desculpe... Não pensei que estaria se trocando. — falei, desviando o olhar.


Não me perguntem porque desviei, foi automático, mas não nego que ele não tenha um corpo bonito.


— por que não se troca em uma das cabines?


— temos o mesmo corpo, para que ter frescura? Meu corpo te incomoda? — perguntou vestindo uma blusa.


Muito pelo contrário.


— enfim, eu vim apenas pedir desculpas por aquilo que eu falei.


— hm... Legal, te perdôo. — falou indo até o espelho e bagunçando um pouco sua franja.


— sério? Tão simples assim?


— se isso significar que vou me livrar de você do meu pé, sim.


— então, você não perdoou.


Jimin suspirou.


— para você tanto faz, tenho certeza. Não sei nem porque está aqui pedindo desculpas.


— bem, você me pegou. Foi um amigo que me obrigou a pedir desculpas a você.


— me pergunto como ele te suporta.


— hã?!


— escute, Min, eu não ligo mais pro que aconteceu ontem. Só quero que me deixe em paz, meu gênio não foi com o seu. Quero distância e sei muito bem que você também quer, então vamos apenas ignorar um ao outro. Está bom pra você?


— ainda não disse que me perdoou.


— ah, você ainda não entendeu? Isso não importa, te perdôo. Satisfeito?


— gostaria que fosse mais sincero.


Ele abriu um sorriso ladino.


— oh, então quando o seu pedido de desculpas for de coração, eu talvez te perdoe.


— talvez? — arqueei uma sobrancelha.


— convenhamos, Min, eu não te perdoaria nunca. Você é um babaca machista que não se importa com nada. Aposto que nunca vou te perdoar. — disse e logo saiu do banheiro.


Me encostei na porta de uma cabine e cruzei os braços sorrindo ladino.


— aposta aceita.


Notas Finais


Joguei a bomba e vazei


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...