História Bangtan World - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Bts, Musica, Romance, V-hope, Vkook
Exibições 35
Palavras 1.565
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ecchi, Festa, Magia, Mistério, Musical (Songfic), Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Suspense
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Intersexualidade (G!P), Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Transsexualidade
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olá, gostaria de dizer que simplesmente amei escrever esse capítulo. Ficou bem maior que o primeiro, mas é porque as ideias foram fluindo. Espero que a leitura flua da mesma forma. Espero que gostem, comentem o que acharam. Bjs.

Capítulo 2 - No more dream


Fanfic / Fanfiction Bangtan World - Capítulo 2 - No more dream

Acordei no meu quarto. Na minha cama. Não acreditei que tinha sido apenas um sonho. Mas eu não lembro de ter dormido. Aquilo não fazia sentido nenhum. Me levantei meio tonta e ouvi minha mãe gritar meu nome.

- LISAA!

- Senhora!

- O QUE É QUE TÚ TÁ FAZENDO, HEIM? FAZ HORAS QUE EU TE CHAMO! TÁ BEM COM ESSE DIABO NO OUVIDO!

                Eu realmente usava os fones, mas não tocava música nenhuma.

- Vem enxugar essas louças!

- Tô indo!

                Aquele sonho parecia tão real....

                Acordei cedo pra ir à escola. Mesmas pessoas, mesmos professores. Os mesmos problemas, as mesmas aulas. Em casa, as mesmas críticas, as mesmas reclamações ao meu respeito. A mesma segregação.

                Fui pro meu quarto. Aquele lugar cor-de-rosa era o único no mundo em que eu me sentia livre. Me joguei na cama de farda e tudo.

NO MORE DREAM

                De repente, lá estava eu em um ônibus escolar com os mesmos sete. Eles estavam sérios, diferentes da outra vez que os vi. Como pode um sonho acontecer duas vezes? Eu estava do lado do meu ruivo, que agora não era mais ruivo, era loiro. Que coisa estranha. Estavam tão sérios e concentrados que resolvi ficar calada. O garoto que tava de boné no outro sonho agora dirigia o ônibus. Acho que não tinha carteira, porque bateu em um amontoado de caixas que estavam bem na sua frente. Eu dei um grito com o susto.

- Será que dá pra alguém me explicar o que tá acontecendo?

- Acho que precisamos nos apresentar.

                O garoto de moicano começou:

- Meu nome era Kim Nanjoon, mas aqui sou o Rap Monster.

                Fiquei confusa.

- Como assim? Porque mudou de nome?

- Acho melhor não fazer perguntas agora.

- Tá ok.

                Depois foi a vez do motorista:

- Meu nome é Kim Seokjin, mas me chame só de Jin. Desculpe por te assustar, mas eu não dirijo há muito tempo.

- Tá tudo bem, Jin.

                Foi até meio cômico ele pedindo desculpas pelo susto que me deu. Agradeci a Deus que eram só caixas vazias.

- Eu sou o Jimin. Park Jimin. É um prazer conhecê-la.

                A forma como ele pronunciou a palavra “prazer” fez com que tivesse um duplo sentido, se é que me entende. Resolvi responder à altura:

- O prazer é todo meu, Jimin.

                Ele deu um sorriso de lado bem malicioso. Aquele boné de lado o fazia parecer mais novo do que realmente era.

                O rapper feliz também quis se apresentar formalmente.

- Meu nome é Jung Hoseok, mas as gatinhas me chamam de J-hope.

                E fez um coração com os braços ao redor da cabeça que me fez gargalhar. Ele me deixava leve naturalmente. Foi a vez do ex-ruivo, agora loiro:

- Acho que você não esqueceu de mim, né? Meu nome é Kim Taehyung, mas pra você pode ser só V. Desculpa pela última vez que nos vimos, mas eu sou um cara impulsivo com relação aos meus sentimentos.

- É.. tá tudo bem, V. Eu também sou assim, ás vezes.

- Mas eu sei que você gostou....

                Minhas bochechas ficaram tão quentes que acho que fiquei vermelha.

                Era a vez do mais novo. Ele expressa um inocência no olhar que eu não via nos outros. Talvez fosse só impressão minha.

- Oi, eu sou o Jungkook!

- Oi, eu sou a Lisa!

                Ele parecia ingênuo, mas já conheci garotos que só enganam pela carinha. O último, finalmente, era o rapper swag.

- Eae, gata? Eu sou o Min Yoongi, mas você pode me chamar de homem dos seus sonhos.

                Aquela cantada ridícula me fez sorrir até cair pra trás. V pareceu incomodado com a piadinha.

- Cala a boca, Suga!

                E todos rimos juntos. Rap Monster lembrou de mim e disse:

- Quero saber porque você se apresentou só pro Jungkook. Tem algum tipo de preferência? 

- Não... não é isso. Eu nem percebi, foi mal. Meu nome é Lisa, e sou uma garota problemática de 17 anos.

                J-hope pareceu assustado.

- Problemática? Porque? Qual é o seu problema?

- Tenho pais que não me amam, meus poucos amigos são superficiais, me sinto um lixo nesse mundo e não estou confiante pra porcaria do exame que vou fazer daqui a um mês.

                Suga se ajoelhou na minha frente, olhou nos meus olhos e segurou em minhas mãos.

- Qual é o seu maior sonho?

- Eu não sei, Suga. Eu quero uma casa grande, carros grandes e grandes anéis. Mas na verdade, eu não tenho quaisquer sonhos. Não sei como posso alcançar todas essas coisas. Me sinto perdida na vida.

- Você não tem nenhuma ideia do que fazer?

- Meus pais me dizem que pra eu escolher algum cargo público, pois traz estabilidade financeira.

- E isso é tudo o que seu sonho é?

- Mesmo se eu não sonho, ninguém diz nada mesmo. Estudo dia após dia, noite após noite. Eu esqueci completamente da minha infância cheia de sonhos.

                Jin, que tinha ficado quieto esse tempo todo, que participar da nossa reflexão. Não sei porque, mas eu não achava aquele lugar propício para aquela conversa. Havia um monte de garotos andando de skate em pistas. Um monte de coisas jogadas no chão. Paredes pinchadas.

- Sabe o que devia fazer? Siga o seu próprio caminho, mesmo que viva por um só dia. Faça alguma coisa, afaste essa fraqueza. Você não gosta de estudar?

- A questão não é essa, Jin. O meu problema é minha indecisão quanto ao futuro. É como se eu tivesse correndo, correndo, e não soubesse onde vou chegar.

- Entendo.

                V veio até mim e passou a mão na minha cabeça.

- Não fica assim. Vai dar tudo certo agora. Eu prometo.

                Eu sorri pra ele o meu melhor sorriso. Por um segundo eu relembrei daquele beijo delicioso que ele me deu. Nunca tinha beijado um alguém desconhecido. Ele tinha um olhar misterioso, um sorriso reluzente e sedutor. Era como uma fantasia muito além das minhas fantasias sexuais de adolescente.

                O tempo ia passando, e eles já estavam no meio das pistas ensaiando alguns passos de dança. Só J-hope e V que tinham sumido de repente. Achei estranho, principalmente depois de ter visto o modo que V olhava para Hope ontem. Será que....

                Meus pensamentos foram interrompidos por Jimin, que já estava ao meu lado. O modo como ele andava já parecia sexy, ele nem precisava se esforçar.

- Achei esse papo todo uma grande perda de tempo. De que adianta vir com conselhos utópicos que não adiantam de nada? Acabou que eu nem tive tempo de ficar com você.

- Conselhos utópicos? E qual seria o conselho realista para o meu problema?

- Rebelar-se contra o sistema, contra essa sociedade infernal. Jogue uma bola rápida no desperdício de tempo que são sessões de estudo à noite. E pronto! Podemos mudar de assunto?

- Claro.

                Estávamos atrás do ônibus escolar, fora da vista dos outros. V e J-hope ainda não tinham aparecido, e o resto dos meninos ainda estavam dançando na pista de skate.

                Silêncio constrangedor. Finalmente Jimin disse alguma coisa.

- Puxa algum assunto aí.

- Você é forte.

- Forte?

- Sim, musculoso... seus braços. Acho bonitos os seus músculos.

- Sério? Obrigado.

                Ele ficou brincando com os músculos. Achei engraçado.

- Quer tocar?

                Eu sorri meio sem graça. Nunca tinha tocado daquele jeito em um garoto. Muito menos em um garoto como aquele. Mas fui apertando os bíceps dele, e começamos a sorrir. Mas os sorriso foram se desfazendo para uma situação excitante. Minha respiração já ia ficando ofegante, e percebia a dele também ficava. Ele uniu a minha mão à sua bem devagar.... Colocou minha mão debaixo da camisa regata dele, e a posicionou em seu peito.

                E fazia isso olhando no fundo dos meus olhos. Eu já não respondia por mim. De repente, a mão dele foi guiando a minha pra baixo... descendo. Descendo bem devagar. Podia sentir cada gominho da abs dele. E ele me olhando daquele jeito. Já estava tão excitada que fechei os olhos. Que homem maravilhoso era aquele? Fui ficando cada vez mais nervosa a medida que ele descia e subia a minha mão naquela brincadeira. Naquele jogo em que ele parecia expert e eu nunca tinha jogado antes.

                Ele posicionou a minha mão na altura da sua braguilha. Não pude conter um gemido.

- Jimin...

                Ele estava me seduzindo de uma forma que eu esqueci. Esqueci de todos os problemas que me assolavam nesses últimos meses. Naquele momento o meu único sonho era que ele continuasse com aquilo. Continuasse me tomando e me levando pra cada vez mais longe da realidade. Me fazendo delirar.

                Já podia sentir seu pênis pressionando a minha mão através da calça. Podia sentir o quanto ele estava duro. Muito duro. Amo essa palavra.

                Ele chegou no meu ouvido e pude sentir o calor da sua respiração.

- Posso fazer muito melhor da próxima vez.

                Fomos interrompidos por V e Hope que saíam de um beco escuro. Eles pareciam tão assustados quando a gente. Fiquei preocupada, mas acho que não viram nada de mais. Ou se viram, disfarçaram porque talvez também tivessem algo a esconder. Essa ideia não saía da minha cabeça. Jimin tirou algo do bolso e me deu.

- Isso é pra você lembrar do que aconteceu hoje.

- Como poderia esquecer?


Notas Finais


É isso ai, gente. Obrigada a todos que comentaram, eu to animada pra escrever. Descobrir que gosto mais de escrever do que de ler, e isso é legal kkkkk Continuem lendo com as músicas e vejam as traduções. Assistam ao mv antes pra se ambientar na história. Bjs.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...