História Baralho de Cartas - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Boyfriend, EXO, Girls' Generation, Red Velvet
Personagens D.O, Kwangmin, Taeyeon, Yeri, Youngmin
Tags Mais Uma, Morte Perturbadora, Nao Aviso De Novo, Satansoochallenge, To Viciada Nesse Negocio, Tomem Cuidado
Exibições 43
Palavras 1.073
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Romance e Novela, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo
Avisos: Álcool, Linguagem Imprópria, Mutilação, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


THIS IS THE END.
DESCULPA A DEMORA.
TCHAUZINHO.
E NOS VEMOS EM OUTRA OS.

Capítulo 4 - Ás de Copas


Fanfic / Fanfiction Baralho de Cartas - Capítulo 4 - Ás de Copas

Os gêmeos Jo, Kwangmin e Youngmin eram muito conhecidos como uma dupla dinâmica inseparável, aonde Kwangmin era o corajoso e Youngmin, o inteligente. 

O modo como eram juntos e amigáveis servia de exemplo para outros irmãos, já que é extremamente raro irmãos, ainda mais gêmeos, se darem tão bem como eles dois. O normal seria ambos viverem a base de socos e brigas por atenção daqueles que ficavam ao seu redor, porém eles se completavam, como duas partes de um coração. 

Era noite quando os amigos estavam reunidos na sala de estar do apartamento dos Jo, ocupados com o vídeo game e os baldes de pipoca com calda de chocolate. 

“Aish, hyung, você está roubando. Isso não pode!” Minwoo exclamou irritado, batendo em Jeongmin com seu controle. 

“Você que é ruim nesse jogo, Minwoo-yah.” Hyunseong gargalhou sentado no sofá, entretido com uma conversa com um de seus amigos pelo celular. 

O mais novo do grupo se virou para o com o aparelho e jogou a almofada em que se encontrava sentado sobre o mais velho, o xingando baixinho. 

“Nem está prestando atenção na tela da TV para saber se sou ruim ou não.” Estalou a língua no céu da boca. 

Donghyun riu na porta da cozinha, os braços rodeando um balde de pipoca enquanto uma mão se ocupava de encher a própria boca. 

“É que não precisa nem ver para saber que você é péssimo jogando isso, Minwoo-yah.” Brincou, também sendo atacado por uma almofada voadora. 

“Ei! Parem de desarrumar tudo!” Kwangmin exclamou ao dar um tapa na nuca de Minwoo com a intenção de deixa-lo esperto. 

“Vou denunciar vocês para o governo. Isso é maltrato.” Ele reclamou, deitando-se no chão e choramingando baixinho.  

“Melhor parar ou vamos ser preso por violência animal.” Jeongmin murmurou ao dar play no jogo. 

“YA! TRAPACEIRO!” Minwoo berrou, jogando-se em cima de Jeongmin para pausar o game novamente, porém conseguindo somente entrar em uma briga qual ambos saíram rolando pelo chão da sala, por pouco não levando o vídeo game com eles, isso se Youngmin não tivesse sido mais rápido e se apressado a deixar o aparelho no lugar. 

“Acho que deu de noite de jogos por hoje, pessoal.” Avisou ele, suspirando ao ter certeza de que nada fora quebrado com a pequena brincadeira de luta dos amigos. 

Os meninos reclamaram, mas em 10 minutos, os gêmeos estavam sozinhos, terminando de limpar o apartamento antes que os pais pudessem chegar. Faziam tudo em silêncio, pois o estado de espírito deles estava cansado demais para uma simples troca de palavras, ainda mais com a tensão do que poderia vir a seguir. 

Tudo ficou pronto por volta da 00:00, aonde foram se deitar com os pés arrastando. 

“Amanhã tem prova.” Murmurou Kwangmin ao se jogar na parte de cima do beliche, ajeitando-se entre as cobertas bagunçadas. 

“Filosofia. Fácil.” Youngmin riu e fez a mesma coisa na parte debaixo, encarando o colchão acima de si. “Kwangmin-ah?” Chamou baixinho, franzindo o cenho. “Você também está com essa sensação ruim?” 

O barulho que se foi ouvido o fez pensar que o irmão se endireitou para encarar o teto iluminado pelos postes do lado de fora, pequenos raios que chegavam pelas frestas das persianas, mas fortes o bastante para não deixar o quarto em uma penumbra completa. 

“Estou.” Sussurrou Kwangmin. “Ao menos vamos estar dormindo...” Completou. 

“Não vou fazer a prova. E nem passar o terceiro ano, ou me formar na faculdade.” Youngmin comentou com a voz embargada. “Acho injusto não termos nos despedido dos garotos de forma apropriada. Eles foram nossos melhores amigos por 5 anos.” 

“Eles iriam estranhar e dizer para a gente parar com a piada de médium.” 

“Não ia mudar o fato de que teríamos dito um “tchau” de verdade.” E isso foi a última coisa que disseram antes de dormir para nunca mais acordarem. 

No dia seguinte, os polícias encontraram os corpos dos gêmeos deitados sobre as próprias camas, de mãos dadas. 

De acordo com o que liberaram para a imprensa, tinham sido envenenados enquanto dormiam pelo assassino que entrou pela janela no meio da noite. 

De todas as mortes feitas pelo Assassino de Cartas – nome qual os detetives deram –, aquela tinha sido a menos brutal. 

Houve questionamentos no departamento de investigações, mas era bem óbvio o culpado por aquilo por apenas um simples detalhe: a carta de Ás de Copas, rasgada, um pedaço na mão de cada gêmeo, quando juntadas, formando o tão conhecido “Alice”. 

Um papel sobre o peito de Youngmin fez o choque correr pela polícia, que não sabiam se ficavam desesperados por não arranjar um culpado ou aliviados pela notícia. 

Eles eram os últimos.” 

Yifan sorriu ao observar as fotos que estavam em cima de sua mesa, enfileiradas com as respectivas cartas do baralho abaixo delas. 

Estava muito satisfeito com seu trabalho. 

Havia achado perfeitas Alices e as mandado para a festa do chá. 

Tinha completado sua missão. 

Taeyeon era valente, não desistia com tanta facilidade.  

Kyungsoo tinha conseguido tudo o que mais queria depois de tanta luta. 

Yerim queria um mundo melhor, aonde ela pudesse se chamar de Rainha e fazer o bem com as próprias mãos. 

E Kwangmin e Youngmin, tendo a visão do Mundo dos Espíritos, sabiam pelo o que tinham que lutar, sabiam como conviver bem entre si, conseguindo completar um ao outro, usando a coragem a inteligência como um só. 

“Vocês podem ser a Alice e eu serei o Chapeleiro Maluco.” Sussurrou Yifan, afastando-se de suas quatro fotos e de suas quatro cartas, olhando a rua movimentada pela janela. 

Estava em um prédio conhecido e bem povoado fazia quatro meses. Em questão de minutos seria achado e no dia seguinte, provavelmente estaria nos jornais com as mesmas fotografias em sua mesa. 

Sorriu. 

Estava pronto para ir para o chá. 

E foi assim que levantou a arma, a colando à têmpora, não hesitando ao apertar o gatilho. 

Enquanto isso duas crianças chegaram nos bosques, elas tiveram uma festa do chá debaixo das roseiras 

O convite do castelo era... um Ás de copas. 

A quarta Alice foi um lindo par de irmãos 

Curiosos a explorar o estranho país 

Passando por portas e encontrando cada vez incontáveis cenas de pena e terror sem fim 

Uma valente irmã maior, e um brilhante irmão menor 

Procurando a primeira Alice, até encontrar... 

 

Deste lindo sonho eles não vão acordar... 

Presos para sempre no País das Maravilhas 

– Alice Human Sacrifice, Vocaloid 


Notas Finais


sobre o assassino de cartas, o nome eu homenageio a gabs porque ela que me apresentou vocaloid e eu amei essa musica porque eu amo alice no país das maravilhas e todo mundo sabe disso porque é meu conto de fadas favorito.
sim.
isso morte bem isso mesmo porque era o que tava na creepypasta.
terminou.
isso ae.
pois é. ces achando que era o junmyeon. bum.
yifan.
beijos pra vocês.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...