História Barriga De Aluguel - Capítulo 15


Escrita por: ~

Postado
Categorias One Direction
Personagens Harry Styles, Liam Payne, Louis Tomlinson, Niall Horan
Tags Amor, Barriga De Aluguel, Contrato, Directioner, Fanfic, Gravidez, Louis Tomlinson, Love Story, One Direction
Exibições 305
Palavras 949
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Romance e Novela
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 15 - Não são mais apenas boatos.


        Eu e  Louis entramos na loja de bebês, todas as atendentes estão com coque de cabelo e roupas sociais azul e rosa bebê. Uma delas vem até nós com um belo sorriso e vejo seu nome escrito no bottom preso à sua camisa. Maddie cumprimenta Louis e a mim, dou uma olhada rápida pela loja enquanto ela explica algumas coisas sobre a mesma.

— Então, estão procurando um presente? — ela arrisca e Louis ri.

— Não, é para nosso filho — Louis tenta seu melhor sorriso, mas não dá muito certo e ela me encara — Ainda não sabemos se será menina ou menino, então ela pensou em ver algumas roupinhas mais neutras. Não é Briana?

— É... sim, isso — a mulher abre um sorriso e vejo seus dentes brancos — Quer ficar aqui? Posso ver e quando terminar eu te chamo — digo e o mesmo nega com a cabeça.

— Temos várias peças, você vai adorar. Saiu uma nova coleção agora está lindo — nós caminhamos atrás da mulher enquanto ela tagarela, olho os cabides e os mostruários — Vocês querem menino ou menina?

— Menino — Louis se apressa em dizer.

        A mulher nos leva até uma parte da loja onde ficam as roupinhas que as pessoas denominam unisex. Eu encaro várias peças e Louis também, a moça se esforça em nós mostrar algumas peças que ela gosta e Louis não aprova, por fim acabamos escolhendo apenas umas quatro. Louis vai pagar e eu dou uma olhada nas roupinhas de menino, as coisas são caras aqui, até mesmo em um sapatinho que não tem nada demais é caro.
       
— Podemos ir — Louis chega perto de mim e estende a mão, eu seguro sua mão com certo receio e ele apenas sorri. Nós saímos da loja e suspiro, voltamos para o carro e ele coloca as sacolas no banco de trás e eu entro no banco do passageiro — Esta com fome?

— Não se preocupe comigo — digo afundando mais no banco e ele me encara.

— Por que essa carranca? O que eu fiz agora? — Louis puxa o cinto e o trava, ele me da mais uma olhada e liga o carro.

— Por que está ignorando a minha pergunta desde que entramos naquela loja? — eu bufo.

— Aquilo não era uma pergunta e sim uma afirmação... e não Serena, não vamos mudar nada — ele parece irritado.

— Deveria me chamar para sair apenas quando estiver de bom humor.

— Meu humor está ótimo — ele mantém os olhos na estrada e eu não digo absolutamente nada.

        Louis para em um desses fast food's e pede fritas, refrigerante e hambúrguer para nós dois e em seguida vamos para minha casa. Quando ele estaciona na entrada da garagem eu me apresso em sair do carro e entrar para casa, mordo o lábio inferior e tento ignorar a vontade de gritar com Louis, mas não consigo.

— Onde vai, achei que pelo menos iria me fazer companhia — diz ele ainda no carro.

        Não respondo, pego as chaves no bolso e coloco na fechadura e abro a porta. Ouço a batida da porta do carro e Louis subir as escadas apressadamente.

— Droga Serena, desculpe... — ele segura meu braço e suspiro, viro-me pata ele e percebo que Louis está usando óculos escuros e boné — Não foi idéia minha vir aqui, realmente, não estava nenhum pouco afim de ir até aquela loja e fingir ser um pai feliz... mas pelo menos, gosto de estar com você.

— Vai se foder, você não está melhorando nada — digo ríspida.

— Tudo bem, desculpa. Você não fica me pedindo para me manter feliz e exigindo que eu pense positivo e isso me deixa mais tranquilo... eu só... desculpe — ele levanta os sacos com o lanche e sorri — Não vou ter que comer isso sozinho, certo?

— Feche a porta. E saiba que está ridículo com isso aí — digo indo direto para a cozinha.

        Ele coloca os sacos em cima da mesa e lavamos as mãos para poder comer, quando me sento a mesa e ele tira o lanche para mim, eu percebo que estava realmente com fome. Sei que deveria ser educada e esperar que ele tirasse o lanche para ele, mas educação não está em nossos termos ultimamente. Louis me encara e ri, e dou a língua.

— Não sabia que comia tanto assim — ele ri e dou de ombros.

— Se não estivesse grávida, não comeria — eu baixo o olhar para o meu hambúrguer.

— Já contou ao seus irmãos?

— Pretendo, mas não sei quando.

        Depois de terminarmos de comer eu jogo as embalagens e sacos no lixo, eu vou até a sala na expectativa de que Louis dissesse que tem coisa melhor para fazer e fosse embora, porém ele está sentado no sofá e mexe no celular, tenho certeza de que não vai embora.

— Fotos nossas — diz Louis apontando o celular para mim, eu seguro o mesmo com cuidado e rolo a tela para ver as fotos — Agora não são mais boatos.

— Elas saberiam que não são mais boatos se você se pronunciasse — digo devolvendo o celular.

        Deito-me no sofá, jogo as pernas no colo de Louis e ligo a televisão. Ele me olha com uma das sobrancelhas arqueadas e dou de ombros.

— Estou carregando um filho seu, tenho direitos. Aliás, o sofá é meu.


Notas Finais


A próxima att vai demorar um tanto, provavelmente eu vá ficar um tempo no hospital e eles não me deixam ficar com o celular :c
Então se eu demorar é por isso gduahs"


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...