História Batman: A Batalha Final - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Batman
Personagens Alfred Pennyworth, Barbara Gordon, Bruce Wayne (Batman), Comissário James "Jim" Gordon, Dick Grayson
Tags Batman
Visualizações 1
Palavras 2.726
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 10 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Aventura

Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 2 - Parte 2



Após receberem a informação do Comissário Gordon de que desconhecidos fizeram roubos de produtos de gasolina numa garagem na Avenida Franklin, a Dupla Dinâmica não perde tempo e com o Batmóvel, seguem em direção ao lugar. Esta avenida não é muito longe, e em apenas 4 minutos os heróis chegam até o local, com uma placa indicando o nome do estabelecimento: Auto Masters.

A garagem esta aberta, e Batman aproveita para estacionar o Batmóvel dentro dela. Ao desligar o veiculo, os dois saltam para fora. Os funcionários se aproximam dos dois, iniciando uma conversa.

- Finalmente chegaram, Batman e Robin. Nós fomos surpreendidos por um grupo de pessoas, e estes cometem uma confissão que nos assustaram á principio. - disse o dono, um mecânico de quase meia idade.
Robin: E qual foi o que eles disseram? - perguntou Robin.
- Segundo eles, eram membros de um grupo responsável pelo desenvolvimento de um vírus que logo mais vai dominar este mundo. - quando o mecânico disse, os heróis engolem em seco.
Batman: Um vírus que infectara o planeta?
Robin: Impossível. E porque eles roubaram pouco de seus produtos de gasolina?
- Provavelmente para ajudar no desenvolvimento do vírus. - disse uma mulher que é um dos funcionários da Auto Masters.
Batman: Você tem razão. - disse Batman a mulher. - Um vírus qualquer pode ser criado através de resíduos de Álcool.
Robin: Tendo Álcool no meio, podem causar explosões se tiver descuidos. É tipo reação física.
Batman: Mais provável, Robin.
- Por favor, Batman. Nos proteja contra estes bandidos. - disse um outro membro da garagem, de aparência pouco mais jovem, ao mesmo tempo que mais um membro da passos para trás.
- Faz pouco tempo que abrimos aqui e ainda por cima sofremos um assalto. Pelo menos não levaram nenhum dinheiro nosso. - disse o dono, mais preocupado.
Batman: Tenham muita calma. Vamos dar cabo nestes idiotas! - Robin concorda também, fazendo seus famosos gestos de luta com seus punhos.
- Batman, Robin. Vou também dizer como eu sinto sobre este assalto. - de repente, o outro mecânico que antes se afastou dos outros empunha uma arma e faz disparos laser.
Batman: Cuidado! - todos os demais conseguem evadir os tiros. Logo o cruzado de capa olha para o autor dos disparos. - Quem é você? - perguntou o herói, enquanto os demais olham para ele também e não acreditam no que ele fez.
- Porque fez isso, Terry? - perguntou o dono da Auto Masters ao atirador.
- Não me chame de Terry e sim de Paul. Vocês caíram direitinho na armadilha, juntamente com esta maldita Dupla Dinâmica.
- Então nos enganou? - perguntou a mulher.
Paul: Hahahahahahaha. Aqueles homens vieram aqui para roubar parte da gasolina que aqui vende para a população por meu mando.
Robin: Santo espertinho! Se aproveitou dos primeiros dias de funcionamento desta garagem para se aproveitar de planos de um besta. - disse Robin, enfurecido. - E afinal, veio aqui pra que? Com quem você esta trabalhando?
Paul: Para aquele que vai se vingar da ciência mundial. Klaus Donovan. O mundo logo ira conhece-lo como o criador do vírus Anaconda.
Batman: Klaus Donovan? É ele que te pôs aqui como se fosse uma pessoa comum para arrumar um emprego e ainda dar vantagem a outros comparsas dele? Me explique e agora.
Paul: Se quiser saber dele, façam um encontro com ele. Sob ordens do mesmo, revelar seu projeto do Anaconda sera quebra de protocolo.
Robin: Quebra de protocolo sera, mas nós vamos quebrar você.
Batman: Afastem-se. - ordenou Batman aos demais membros, ainda assustados. - Nós aceitaremos sua proposta, mas espero que sobreviva do modo que agiremos em cima de você.

Batman e Robin avançam no oponente e começa uma sessão de combate. Paul desvia de socos e chutes da Dupla Dinâmica e guarda sua arma laser para lutar também. Agora lutando no mano-a-mano, o vilão prova que também é um excelente artista marcial. Os heróis ficam atentos a cada ataque dele para se defenderem. Num momento, Paul avança até o dono da garagem e o agarra, o levando até o Batmovel. Robin tenta salva-lo por trás, mas o vilão, esperto, da um chute direito que impede o menino prodígio reaja. Os demais membros da garagem logo atacam o vilão com equipamentos automotivos ao mesmo tempo, como se fossem parte de um time de Futebol Americano, mas Paul prova que tem força bruta também e os empurra, soltando o dono. Logo é a vez de Batman atacar o pior oponente, mas o cruzado de capa é agarrado agora e sofre um soco na cara.

Robin: Batman, você ta bem? – perguntou Robin.
Batman: Sim. – confirmou o homem-morcego.
Paul: Pensam que irão me superar? Hahahahaha, não sabem como que sou eficiente em combates. – de repente o dono da garagem o agarra por trás, segurando pelo pescoço. Sem hesitar, ele o arremessa até a Dupla Dinâmica. – Não adianta alguém me atacar pela retaguarda. Logo este mundo estará nas nossas mãos.
- Ele parece que é faixa preta em Karate. – disse o dono da garagem, que se levanta junto com os heróis.
Paul: Vocês já perderam, Batman e Robin.
Robin: Não diga asneiras, seu asno!
Paul: Asno? Pois fique atento com os últimos momentos de vida que você e bilhões mais deste mundo terão. – Paul coleta de seu avental de mecânico um pequeno explosivo e o lança com tudo no chão. Fumaças surgem, fazendo os demais tossirem e cobrirem seus narizes. Isso foi suficiente para escapar do confronto, assim que a fumaça se dissipa.
- O bandido fugiu. – disse outro membro da garagem.
Batman: Mas logo nós o pegamos.

Mais tarde, num edifício do charmoso bairro de Gotham, Rose Springs, a jovem Barbara Gordon encerra seus estudos para se preparar para os dias finais de colégio que ela possui. No entanto, ela possui o costume de todas as semanas arrumar seu quarto e também coletar jornais de banca que seu pai, o comissário Gordon, compra para ler. Barbara deixa os jornais de dentro de um baú. Ela então decide abrir para se distrair um pouco, e coletando a primeira folha que ela encontra por cima do amontoado, ela lê a noticia de capa do Clarim Diário. Esta noticia fala sobre Klaus Donovan e sua empresa de produtos químicos que foi fechada devido a problemas com seus consumidores, que inclui casos de danificações de saúde como câncer de pele. A noticia também cita uma divisão ilegal da empresa que era feita para forçar negociações para venda de alguns produtos para grandes redes de mercados; mas com o fechamento do local, não foi necessário a presença da policia para interrogar os membros que eram parte desta divisão, mas Klaus Donovan fica ausente no dia do fechamento. Barbara resolve manter a pagina nas suas mãos e fecha o baú, porque logo começa a lembrar de uma jovem que ela conheceu a pouco tempo e é chamada de Emilia. Esta disse a Barbara que ganhava um grande salario por integrar uma empresa, e esta é justamente a que foi fechada e chefiada por Klaus. Juntando estas peças pela sua incrível inteligência, Barbara Gordon começa a ficar em duvidas a respeito de Emilia. Ela agora decide apresentar a pagina aos seus dois melhores amigos: não outros senão Batman e Robin. Para isso, ela aperta um dispositivo perto de sua gaveta de camarim, revelando uma passagem secreta. Andando até ela, Barbara abre a porta próxima e segundos depois ela desce num polo, agora transformada na bela e feroz Batgirl. Indo parar numa garagem particular, a heroína salta até sua moto e o liga, e o portão se abre automaticamente. Ela sai em disparada com a moto.

Com o Batmóvel, Batman e Robin rumam até a Batcaverna via Mansão Wayne, quando um comunicador do veiculo emite uma ligação. Batman ativa o comunicador.

Batman: Batman falando.
- Sou eu, a Batgirl. – disse a voz familiar feminina do outro lado da ligação.
Batman: Aonde você esta? – perguntou o herói a companheira.
- Estou indo para a Batcaverna. Preciso mostrar algo impressionante a você.
Batman: Também sigo para a base. Nos se encontramos lá.
- Afirmativo! – confirmou a heroína.
Robin: Algo impressionante? O que Batgirl esta falando?
Batman: Apenas saberemos quando voltarmos a Batcaverna. – o veiculo chega até o túnel perto da Mansão Wayne, por onde fica a famosa Batcaverna. Os dois heróis entram com ele e a passagem se fecha.

Minutos depois, Batgirl também entra pelo mesmo túnel com sua moto, de encontro com a Dupla Dinâmica. Ao entrar na caverna, ela desliga a moto, o estacionando ao lado do Batmóvel. Batgirl salta para fora e começa uma conversa com os dois, tendo nas suas mãos aquela pagina de jornal.

Batman: Seja bem vinda, Batgirl. O que lhe trouxe até aqui? – perguntou Batman, que esta ansioso pela coisa impressionante que a heroína disse.
Batman: Eu estava olhando diversas paginas de jornal que tenho e eu encontrei isso. Do Clarim Diario, é uma noticia sobre o fechamento de uma empresa que tinha problemas com seus produtos, que eram químicos. – disse a heroína aos heróis. Ao ouvirem, ambos começam a ficar cada vez mais curiosos. – Nela cita que seu dono Klaus Donovan ainda ficou ausente quando sua empresa fechou.
Batman: Infelizmente eu não sei desta noticia antes, uma vez que nem hoje vi um pouco de TV.
Robin: Nem eu, Batman.
Batman: Klaus Donovan. – repetiu o cruzado de capa. – O que ele tem a ver com a empresa? Sera que ele é um.....
Batgirl: Incerto saber, mas se a empresa dele teve problemas com seus produtos, é sinal de encrenca escondida através de um gato. – interrompeu Batgirl.
Robin: Santo mal planejamento. Você disse que este Klaus desapareceu quando a empresa dele foi fechada, não é? Isso me fez lembrar de uma encrenca que eu e Batman resolvemos tempos atrás. Foi com o malandrão do Louie Lilás, que preferiu abrir uma floricultura como parte de seu plano de envenenar Gotham City com violetas modificadas em laboratório. Disfarçado de um vendedor de flores comum, ele vendia para as pessoas para que as mesmas cheirassem o veneno da violeta para terem problemas de saúde bem graves, indo mais tarde para sentencias de morte. Quando Batman e eu encontramos a loja, enfrentamos canalhas que ele contratou e a policia veio nos ajudar em seguida, mas Louie escapou. E foi encontrado numa estrada que liga Gotham a Metrópolis pra ser preso.
Batman: Sobre esta Emilia que é sua amiga e diz ser uma integrante da empresa fechada. Ela é sua colega de sala ou apenas uma conhecida sua?
Batgirl: Ela não é realmente minha amiga. Também, ela foi expulsa do colégio dela.
Robin: Como assim?
Batgirl: Segundo o diretor do colégio dela que se chama Larry Herald, Emilia foi expulsa por tentar fazer um tipo de acidente durante uma aula de Química pratica. Iria juntar dois cloretos de sódio num liquido e depois misturar com um resíduo que parecia ser composto por gasolina. Em seguida, com o fim da aula, tentou usar a mistura para matar o professor, e acidentalmente causou danos no laboratório. Quando disse a verdade como confissão, acabou sendo expulsa. Meu encontro com ela foi uma semana depois disto.
Robin: Santa tragédia mal feita.
Batman: E ela deve ter se juntado a este Klaus para fazer uma espécie de vingança. Só pode ser. Se a empresa dele foi confiscada por uso ilegal de resíduos químicos, ele pode ter criado a empresa para cometer mais crimes do que operar de modo mais típico possível. E ainda mais, Batgirl. Momentos atrás fomos chamados pelo seu pai para investigar um crime ocorrido numa garagem que ha duas semanas foi inaugurada, chamada Auto Masters. Roubaram produtos de gasolina lá, e quando chegamos, assim quando o dono explicou o ocorrido, um de seus funcionários nos atacou e revelou se chamar Paul. Ele disse que logo este mundo sera destruído.
Batgirl: Caramba. Que coragem tem para fazer insultos como este.
Robin: Evidentemente este malandro foi o responsável pelo roubo. E tendo gasolina no meio, é mais que certo o meu pensamento que acabei de fazer. Ouçam-me! Batgirl, esta sua conhecida chamada Emilia foi expulsa do colégio dela devido a um experimento ilegal com uma gasolina. E na garagem que eu visitei com o Batman, produtos de gasolina para abastecimento de carros foram roubados por idealização de um cara chamado Paul. Talvez, este Paul ai seja um aliado da Emilia, que disse que trabalhava para o Klaus. E tudo significa que os dois tramam algo com uma possível participação de Klaus Donovan. Tudo por envolver gasolina.
Batman: Grandes pensamentos, Robin! – Batman elogia seu companheiro. – E também uma grande revelação de pista, Batgirl. Estes dois devem ser seguidores de Klaus, que pode estar planejando algo com aqueles produtos roubados de gasolina.

Como sabemos, como Robin, Dick Grayson é um grande aflito por ação e ainda é muito inteligente. Mas não a ponto de adivinhar por completo o plano de Klaus para a total dominação da Terra. O foguete com o vírus Anaconda ainda não esta concluído. E o roubo de produtos de gasolina é apenas mais um passo feito por este oponente terrível. Num hangar subterrâneo feito perto da base secreta, por onde o foguete esta sendo construído, uma van entra e depois seus pilotos saem e descarregam as caixas de gasolina roubados, para que depois membros da unidade de construção os coloquem dentro de uma esteira que os leva até a unidade de criação do vírus.

E do outro lado, Klaus olha tudo.

Klaus: Hahahahahaha, finalmente o caminho para a devastação da Terra esta indo muito bem. – falou Klaus com toda a sua vilania. Eis que surgem seus dois auxiliares Paul e Emilia.
Emilia: Como esta indo? – perguntou a jovem de cabelos rosados.
Klaus: Sem falhas por enquanto.
Paul: Batman e Robin ainda tentaram me impedir de fazer outro plano secundário na garagem Auto Masters. Desculpe meu chefe, mas tive que mudar de tática em emergência.
Klaus: Não tem problema. O que importa é que aos poucos estamos prestes a conseguir nosso sonho. Quando a Terra for contaminada pelo vírus Anaconda, juntos vamos domina-la e desenvolver um novo capitulo para a ciência mundial. Aqueles que acabaram com meus negócios vão sofrer o pão que o diabo amassou. Este mundo sera o primeiro do universo em que uma nova era começara. E nem Batman, Robin e Batgirl não vão ver esta história porque eles estarão mortos pelo vírus.
Emili: Faremos agora a terceira fase do vírus. Uma fase que sera a penúltima para a seguinte, que levara ao lançamento. Achar cadáveres de cobras mortas, cujo suas substancias ainda podem ser usadas para fins.
Klaus: Estas substancias ainda poderão ser multiplicadas o suficiente para a formação do vírus, com a fusão dos resíduos.
Paul: Mas se as substancias dos corpos de cobras mortas causarem explosões internas dentro do foguete, a ponto de destruir? – perguntou o comparsa de Klaus com duvidas.
Klaus: Felizmente direi que não ocorrera nenhum erro. JYQ-120, EWT-129, JWH-014, cloreto de toxina feita por extração de Ageratina altíssima e as gasolinas. Estas cinco substancias podem ser combinadas com coisas vindas de corpos de cobras que já não vivem mais, como órgãos que permitem que elas mudem de pele. Sera o suficiente para matar toda a população da Terra.
Emilia: É bacana que cobras, todas, tem os famosos líquidos venenosos. Estes ainda aceleram o processo de criação do vírus.
Klaus: E se ninguém interromper vocês dois na busca, nem mesmo aquele idiota do Batman e seus aliados, irão traze-las aqui com segurança. Como sabem, existe um ninho de cobras mortas perto do cais da região costeira de Gotham, num local que as vezes cientistas visitam para fazerem experiências. Para não terem problemas na coleta, usem luvas que impedem que sofram danos as suas peles com os corpos. E para acompanhar vocês, vou mandar um motorista.
Paul: Aceito esta proposta! – confirmou Paul.
Emilia: Aceito a busca! – confirmou Emilia, com um sorriso.

Klaus e seus dois comparsas realmente não perdem tempo quando o assunto é criação de vírus que consiga matar pessoas de vários países do mundo simultaneamente. O tempo corre e o destino da humanidade esta cada vez mais incerto. Com cadáveres de cobras mortas numa região costeira de Gotham, é incerto saber como esta sendo feito este vírus. O Trio Dinâmico precisa agir e rápido!



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...