História Battle Cry - Capítulo 28


Escrita por: ~

Postado
Categorias Teen Wolf
Personagens Alan Deaton, Allison Argent, Chris Argent, Claudia Stilinski, Cora Hale, Danny Mahealani, Derek Hale, Erica Reyes, Isaac Lahey, Jackson Whittemore, Lydia Martin, Melissa McCall, Mieczyslaw “Stiles” Stilinski, Personagens Originais, Peter Hale, Scott McCall, Sheriff Noah Stilinski, Vernon Boyd
Tags Alquimia, Drama, Menção A Suicídio, Slash, Teen Wolf, Yaoi
Visualizações 132
Palavras 2.356
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Escolar, Famí­lia, Fluffy, Magia, Mistério, Romance e Novela, Slash, Sobrenatural, Suspense, Yaoi
Avisos: Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Suicídio, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


CHEGUEI!
!!
!!!!!!!
ENFIM, eu disse que voltava hoje
hehe
ENTÃO NÉ, preparem-se para o drama, os próximos caps estarão cheios disso. (sorry not sorry)
NÃO ME ODEIEM!!!!!!
acho que por hoje é só isso mesmo, tipo, cap meio parado? desculpe de novo, mas eu tenho que fazer a história andar de algum jeito
VÃO LER!!

xoxo

Capítulo 28 - Capítulo 28


                O resto da semana passou sem mais revelações. Stiles e Lydia leram e releram o Bestiário, mas ainda assim não conseguiram encontrar o significado do desenho na nuca de Cora.

                Ah sim, Cora.

                A loba ainda dormia agora no quarto dela, e vigiada 24/7 por Derek. O alfa mordia suas unhas tão rápido que nem dava tempo delas crescerem de volta, e a cada dia que passava parecia mais desanimado. Stiles, pra variar, estava se sentindo o pior dos piores porque ele não sabia o que fazer para ajudar Derek, e ele não sabia aquém recorrer, já que convenientemente, Deaton resolveu que iria tirar umas férias e ninguém conseguia se comunicar com ele. Stiles tentou pedir ajuda a sua chefa, mas ela só o olhou com uma cara estranha e disse que infelizmente ela não podia fazer nada por ele daquela vez, e Stiles tentava se decidir entre enfiar a cabeça no vaso sanitário e dar descarga ou pular da janela de seu quarto e quebrar uma perna porque ele não sabia mais o que fazer.

 

                O adolescente estava passando de um lado para o outro em sua cozinha, tentando forçar sua mente a pensar em algo útil. Ele ainda tinha a sensação de estar esquecendo algo, mas ele não. Conseguia. Lembrar. Oque era! Se ele continuasse a puxar seu próprio cabelo da forma que ele estava fazendo, ele acabaria careca em algum momento, mas infelizmente o garoto não sabia outra forma para conseguir se concentrar já que assim como Derek ele também já não tinha mais unha para roer, ou tampa de caneta pra morder. Enfim, ele precisava descobrir logo o que estava acontecendo, porque era estranho demais ver Cora dormindo daquele jeito, e ver Derek todo abatido não fazia bem para sua saúde.

 

                Mas antes... Stiles olhou para a bagunça de papeis e arquivos em sua frente sobre a mesa e resolveu que ele seria uma pessoa legal por um momento e guardaria a bagunça de seu pai. E ele não leria nenhum dos relatórios que seu pai deixou ali. Não mesmo. Nem uma linha...

                E o que é isso?

 

                -Suicídios em série? – Stiles franziu o cenho ao pensar em voz baixa antes de voltar a ler os relatórios.

 

                Ao que parece, na cidade vizinha aconteceram vários suicídios nos últimos dois meses, o que não seria realmente estranho se não fossem trinta e quatro mortes em dois meses, o que por si só já era estranho, mas também havia o fato de que todos os suicidas tinham a idade e características parecidas, incluindo o gênero. Eram todas garotas, adolescentes e jovens mulheres. E Stiles não sabia apontar o que, mas tinha alguma coisa estranhamente familiar nessas garotas que o deixava com a sensação de que ele estava deixando alguma observação obvia passar despercebida. E Stiles não gostava nada disso.

 

                -Stiles. – O xerife apenas observou seu filho fazer um som exasperado enquanto pulava da cadeira e deixava todos os papeis em suas mãos voarem pela cozinha. Ele rolou os olhos. – Stiles, esses eram relatórios oficiais, - Continuou o xerife ajudando seu filho recolher os papeis no chão. – Eu só vim aqui pegar esses papeis que eu esqueci, mas parece que você foi mais rápido que eu. De novo. – Terminou o xerife num tom acusador.

 

                -Eu não ia ler! Eu só ia guardar tudo pra você pegar mais tarde... – Não era uma mentira, mas Stiles se sentiu sem graça do mesmo jeito. O xerife apenas suspirou cansado antes de pegar os papeis das mãos de seu filho.

 

                -Agora que você já leu, você acha que isso tem algo haver com o mundo sobrenatural?

 

                -Bom... Parece estranho, mas não parece ser obra de algo sobrenatural. Quer dizer, chamaria muita atenção? Sei lá, é estranho e eu tenho um mau pressentimento sobre isso, mas eu não me lembro de nenhum ser que corre pela noite que faça suas vítimas cometerem suicídio...

 

                - Está tudo bem Stiles, não fique pensando muito nisso, okay? Você e seus amigos já estão com problemas demais... Aliás, como vai Cora? Ela ainda não acordou? – Perguntou o xerife preocupado, e Stiles deixou seus ombros caírem em desanimo.

 

                -Nós ainda não sabemos o que causou o “coma” ou o porquê de Cora ter sido atacada, mas Lydia virá aqui em casa hoje pra ver se nós conseguimos encontrar alguma coisa nos meus livros. – O xerife apertou um ombro de Stiles num sinal de encorajamento, e sorriu um pouco.

 

                -Vocês vão dar um jeito nisso, vocês sempre conseguem, não é mesmo?

 

                Depois disso, o xerife pegou seus papeis e voltou escada a cima para seu quarto, e Stiles como não tinha mais nada pra fazer, também subiu pra seu quarto, dar uma arrumada rápida antes que Lydia chegasse.

                E pensar que se fosse o Stiles de alguns anos atrás, o que ele não daria para ter Lydia Martin em seu quarto. E hoje em dia, tudo o que Stiles sentia por Lydia era amizade e companheirismo por causa do Pack. Stiles ainda amava Lydia, mas era um amor de irmão, o mesmo que ele sentia por Erica ou Allison.

                É. O tempo de fato muda as pessoas.

 

***

 

                Não demorou muito para Lydia chegar, o que surpreendeu Stiles mesmo foi ver Erica toda sorridente junto de Lydia. A ruiva nem esperou Stiles a convidar, passando reto por ele e parando no meio da sala para poder olhar ao seu redor. Erica por sua vez, riu da boca aberta de Stiles e o apertou num abraço de urso que quase o tirou do chão apesar de sua vantagem em altura. Depois de quase o deixar sem ar, Erica entrou na casa e começou a cheirar pela sala. Literalmente. Ele estava farejando o ar antes de dar um sorriso vitorioso e correr para subir as escadas. Preocupado com o que estava para acontecer, Stiles chamou Lydia e a levou até seu quarto.

                Chegando ao cômodo que já estava com a porta aberta, os dois adolescentes entraram e encontraram Erica fuçando a gaveta de cuecas no guarda roupa. Stiles ia reclamar sobre a falta de privacidade, mas achou melhor ficar quieto, até porque não era a primeira vez que alguém no Pack mexia no seu guarda roupa.

                Stiles se lembrou de quando Cora dormiu em seu quarto em uma das noites em que os Gordons ainda estavam na mansão, e de como ela simplesmente pegou uma de suas camisetas e nunca mais devolveu.

 

                Eles precisavam descobrir logo o que estava acontecendo e ajudar Cora, antes que mais alguma coisa acontecesse.

 

 

****

 

 

                Algumas horas mais tarde, e Stiles e Lydia estavam fechando seus livros e suspirando cansados. Erica que aparentemente só havia vindo junto com Lydia porque ele queria bagunçar o quarto de Stiles, tinha cansado de revirar tudo a procura das revistas pornôs inexistentes no quarto do garoto, e estava jogando no celular deitada na cama.

                Stiles que cedeu sua cadeira para Lydia, estava sentado no chão encostado na cama, e deixou seu livro ao seu lado antes de grunhir de dor no pescoço ao inclinar sua cabeça  para trás.

                E assim como ele estava temendo, eles não encontraram nada em nenhum de seus livros.

 

                -Eu acho que eu mereço uma soneca de pelo menos uma hora. – Disse Lydia ao deixar seu livro na raque, e se levantar da cadeira de rodinhas.

 

                Stiles ergueu uma sobrancelha quando a ruiva parou em sua frente com as mãos na cintura, e uma expressão desafiadora. Depois de alguns segundos nisso, Stiles rolou os olhos e levantou do chão, logo sendo puxado pela camiseta por Erica. A loira riu da queda de Stiles e seus braços esvoaçantes que quase a acertaram no nariz, e então como se aquilo fosse a coisa mais normal do mundo, Erica começou a ajeitar Stiles na cama para que ele ficasse do jeito que ela queria, que era uma posição que mais lembrava um defunto no caixão do que uma pessoa preparada para dormir, a não ser é claro, que essa pessoa fosse o drácula, o que obviamente não era o caso ali.

                O adolescente estava se preparando para reclamar, mas aí Erica jogou uma perna por cima da dele e grudou em sua lateral como um coala e não o soltou. E como se isso já não fosse o bastante, Lydia toda diva tirou lentamente suas sandálias e as arrumou perto do pé da cama antes de também subir na cama e deitar tão perto de Stiles quanto Erica, a diferença sendo que a ruiva não o estava abraçando, mas estava perto, perto do tipo “eu posso sentir seus peitos no meu braço” perto, o que estava deixando Stiles cada vez mais desconfortável com a situação.

 

                -Se você tocar em meus seios, você está morto. – Sussurrou Lydia ao seu lado, o que prontamente fez Stiles para de se mexer e ficar tenso. Erica sendo o demônio que era, apenas riu de seu outro lado.

 

                -Se você quiser tocar os meus, eu não me incomodo... – Sussurrou a loira, e Stiles usou de todas suas forças para não deixar a lágrima no canto de seu olho direito escorrer.

 

                Ele não iria chorar. Não iria.

 

                ****

 

                Por algum milagre do destino, Stiles conseguiu tirar um cochilo, e só foi acordar quando seu pai, todo sem graça com a cena, entrou no quarto para acordá-los.

                Erica foi a primeira a levantar a cabeça que estava escondida no pescoço de Stiles, à garota parecia perdida com os cachos bagunçados e o lápis de olho e batom borrado, olhando de forma frenética para os lados ao tentar se lembrar de como ele havia parado naquela cama.

                Lydia foi a segunda a olhar para o xerife, essa com o cabelo também bagunçado, mas ainda assim parecendo ter tudo sobre controle.

                Stiles, obviamente, foi o último a sentar na cama, perguntando o que aconteceu e jurando que a culpa não foi dele. O xerife estreitou os olhos, desconfiado, na direção de seu filho antes de se lembrar do porque de estar ali.

 

                -Eu só queria te avisar que eu irei mais cedo pro trabalho. - Apontou o Xerife vendo Stiles franzir o cenho, Lydia tentar arrumar o cabelo com as mãos e Erica voltar a se afundar na cama.

 

                -Mas o senhor já trabalhou um turno duplo ontem. – Racionalizou Stiles tentando tirar o sono de seus olhos com uma das mãos.

 

                -Desculpe filho, mas eles me chamaram para ajudar nessa investigação, parece que descobriram uma nova pista sobre os corpos dos suicidas. – O xerife sorriu meio amarelo ao perceber que estava falando sobre assuntos policiais na frente das garotas, mas depois deu de ombros ao perceber que Stiles provavelmente as contaria de qualquer jeito.

 

                -O senhor quer que eu te leve o jantar? – Perguntou Stiles tentando não demostrar seu aborrecimento com a quantidade de horar que seu pai estava trabalhando.

 

                -Não precisa, eu compro alguma coisa. – Respondeu o xerife, e Stiles estreitou os olhos na direção dele.

 

                -Nada de fritura! – Falou mais alto Stiles ao ver seu pai começar a sair de quarto.

 

                -Eu sou o pai aqui Stiles!

 

                -Ordens médicas!

 

                O garoto ouviu os passos na escada e deixou um suspiro cansado escapar antes de bocejar e olhar para Erica que estava roncando de forma baixa. Ele negou com a cabeça, e então se voltou para Lydia que tinha uma marca de lençol no rosto e olhava para a porta de forma pensativa.

 

                -O que foi? – Perguntou Stiles a garota, vendo-a piscar algumas vezes, como se estivesse saindo de um transe antes de também virar o rosto para o olhar.

                -Do que seu pai estava falando? – Perguntou ela parecendo ainda perdida em pensamentos.

 

                -Hn?

 

                -Sobre os suicídios... – Perguntou Lydia olhando para algum lugar por cima do ombro de Stiles. O garoto arqueou uma sobrancelha antes de olhar por cima dos próprios ombros e não ver nada.

 

                -Hnh, é um caso. – Começou Stiles tentando entender o que estava acontecendo com Lydia. – Na verdade, são vários casos de suicídios que aconteceram na cidade vizinha, eles acham que tem algo estranho nas mortes, por isso pediram ajuda do departamento aqui de Beacon Hills.

 

                -Por que você diz que são estranhos os casos? – Questionou Lydia ao inclinar a cabeça para o lado.

 

                -Bom... Há dois meses, uma série de suicídios numa cidade aqui perto começou a chamar a atenção porque os suicidas tinham características parecidas, incluindo o gênero e idade que variavam de dezessete a vinte e dois anos. Tipo, todas elas eram parecidas em até mesmo no porte físico, de acordo com o que eu li, eles estavam achando que os suicídios eram na verdade assassinatos.

 

                -É o que parece, não é? Qual eram as características dos suicidas?

 

                -Hnn... Elas eram todas garotas brancas, magras, com cabelo longo castanho e olhos também castanhos...

 

                -Parece alguém que eu conheço...

 

                Erica nesse momento sentou na cama tão rápida e de repente que Stiles sentiu sua alma quase sair de seu corpo com o susto.

 

                -Erica!

 

                -Ssh! – A loba colocou um dedo sobre a boca de Stiles para que ele parasse de falar, e o mesmo ficou tão surpreso que até perdeu a fala. – Garota branca, magra, cabelo longo castanho e olhos castanhos... Parece uma descrição resumida da Cora.

 

                Os três adolescentes ficaram se encarando por alguns segundos antes deles pularem da cama para vestirem seus sapatos e arrumar o cabelo de qualquer jeito.

 

                - Eu vou ligar pro meu pai e perguntar se os suicidas demostraram algum comportamento estranho antes de morrer... – Avisou Stiles procurando por seu celular em sua raque.

 

                -Pergunte se elas tinham algum tipo de marca! – Pediu Lydia enrolando seu cabelo num coque e dando um nó para que ele parasse em cima de sua cabeça.

 

                -Eu vou ligar para o Derek! – Avisou Erica também dando um nó em seu cabelo enquanto procurava por uma toalha para limpar o batom em seu rosto.

                -Eu acho que não vai ser preciso... – Comentou Stiles fazendo as duas garotas pararem seus movimentos para o olhar de olhos arregalados.

 

                Stiles estava com seu celular em mãos, e este estava vibrando. Ele desviou seu olhar do visor para as garotas e engoliu a seco.

 

                -É o Derek.

 

_________________________________________________sterek end cap 28


Notas Finais


pelas barbas de Merlin, o que eu estou fazendo aqui?
ENFIM, eu não tenho certeza quando irei atualizar de novo?
MAS, com certeza será algum momento nessa semana ainda, ok? (O cap tá meio feito e pá)
MUITO OBRIGADA POR ESTAREM ACOMPANHANDO!!
vejo vocês por aí
xoxo


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...