História Be mine, hyung. - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias VIXX
Personagens Hongbin, Hyuk, Ken, Leo, N, Ravi
Tags Chabean, Levi, Nbin, Raken, Sanghyuk, Taekwoon, Vixx, Vixx Lr, Wonhyuk, Wontaek
Visualizações 48
Palavras 3.165
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Fluffy, Lemon, Shonen-Ai, Yaoi
Avisos: Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Pansexualidade, Self Inserction
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Tô pistola porque não tô tendo alimentação skinship.
Na verdade eu sempre achei WonHyuk muito fofo, já que o maknae sentia um medinho do Leo antigamente e hoje em dia quem apanha é o senhor Jung Taekwooni (cão e gato).

É a primeira vez que escrevo Taekwoon com outro boi do bigs
Ah, e é uma oneshot (acho que já sabem rsrs).

E sabem de uma coisa? Eu A M E I
TOMA ESSA WONCHICO
Bom é isso, espero que gostem rsrs

Capítulo 1 - Seja meu, exclusivamente meu único


Fanfic / Fanfiction Be mine, hyung. - Capítulo 1 - Seja meu, exclusivamente meu único

 Após a declaração de amor de Taekwoon para Wonsik, o clima se tornou tenso, como se uma nuvem cinza estivesse sobre ambos.

Hongbin continuava com as suas expressões de paisagens enquanto Hakyeon gritava com ele por todo o dormitório, pois segundo ele, o mais novo não dormia e não o deixava dormir, já que varava a noite jogando overwatch com Hyuk.

“Seus dedos batendo no teclado me incomodam.” O líder gritava da cozinha, batendo forte a porta da geladeira ao pegar seu leite de banana.

Jaehwan estava muito preocupado com seus treinos, um novo hobbie e, agora, também estava dedicando um bom tempo de suas folgas a idas em restaurantes com velhos amigos.

Sanghyuk, o mais novo dentre eles, era o único que sentia a tensão pairar sobre os hyungs. Isso se devia a proximidade que ele tinha com Taekwoon, e também por dividirem o mesmo quarto.

Ele sabia o motivo de toda aquela cara emburrada e inchada de seu hyung. Taekwoon havia chorado a noite toda no dormitório.

—Ele disse que jamais desconfiaria que eu fosse apaixonado por si. E que nunca me veria desse forma…—

Taekwoon falava enquanto estava deitado sobre as pernas cruzadas do mais novo, que por sua vez passava as mãos em seus cabelos, ambos sobre a cama de casal que dividiam.

Sanghyuk sempre fora um ombro amigo, sempre prestou ouvidos ao seu amado hyung…

...mesmo que desejasse outra coisa de Taekwoon.

—Por que você não desiste?— Suas palavras soavam como súplicas.—Você sabe que os olhos dele sempre se voltaram para o—

O mais novo tapou a boca antes que falasse coisas desnecessárias. Precisava acalentar Taekwoon, não fazê-lo chorar ainda mais.

Jaehwan.—Taekwoon completou a última palavra chave, logo após afundando seu rosto no vão das pernas de Hyuk, que se moveu incomodado ao sentir sua respiração desregulada bater em sua virilha por cima da calça moletom que usava.

—Taekwoon hyung…você não pode ficar o dia todo aqui dentro, chorando.—Disse sentindo pena do pequeno rosto inchado e avermelhado jogado em seu colo.—Tenho uma proposta…

Os snifs do nariz do mais velho eram ouvidos enquanto ele tentava parar o choro. Limpando as lágrimas com o dorso da mão, Taekwoon levantou-se e mirou Hyuk.

—Que proposta?—Seus olhos estavam pequenos e seus ombros cabisbaixos.

—Que tal sairmos? Digo, podemos ir ao cinema ou apenas sair para comer alguma coisa gostosa…—Hyuk tinha um olhar apreensivo, tentando decifrar qualquer microexpressão que Taekwoon fizesse.

Taekwoon fez beiço e juntou as sobrancelhas.

—Hyuk-ah—Disse num tom embargado.—Não estou tão animado para sair assim.—Respondeu jogando o corpo novamente, mas dessa vez no travesseiro.

—E o que você quer fazer então? Ficar aqui dentro, chorando para sempre?— Hyuk afundou o cotovelo no colchão e apoiou o queixo com a palma da mão, ficando de lado para Taekwoon.

—Hyuk, você deveria dizer coisas fofas e me consolar ao invés de ser tão frio comigo. Poxa, eu estou sofrendo de amor...—Seus olhos se encheram de lágrimas e ele mordeu os lábios.

Ele tinha razão.

Hyuk adorava ser mau consigo às vezes. Mas saber que aquelas lágrimas não eram para si, mas por outro homem, na verdade somente aquela ideia já lhe dava um nó no estômago.

—Eu sou mau com você, hyung?—Sua voz estava mais baixa e suave.

Seus olhos se perderam nos lábios fartos de Taekwoon e, conscientemente, ele moveu os seus dedos até às bochechas alheias.

Taekwoon, de início, não percebeu o olhar perdido do mais novo em seus lábios e o mesmo com as carícias ternas que recebia no rosto, de seu dongsaeng.

—E o que você quer fazer então, hyung?—Os dedos ainda permaneciam no rosto do mais velho, que tinha agora os olhos fechados, numa expressão triste.

—Acho que vou tomar um banho de banheira. O que acha de buscar alguns doces na conveniência?—Seus olhos se abriram lentamente e foram para o rosto do mais novo, que sorria sutilmente. Taekwoon se sentiu meio estranho e ansioso, então se pôs sentado e concluiu.—Podemos assistir algum filme, sei lá... qualquer coisa está bom.

°•°•°•°•°•°•°•°•°•°•°•°•°•°•°•°•°•°•°•°•°•°•°•°•°•°•°

Sanghyuk abriu a porta do quarto alguns minutos depois, nas mãos sacolas com chocolates, marshmallows, refrigerantes e salgadinhos. Todo o tipo de porcaria existente numa loja de esquina.

“Ele ainda não saiu do banho?” Se questionava franzido enquanto largava as sacolas na cama e voltava para a porta do banheiro, que ficava perto da entrada.

—Taekwoonie?— Deu algumas batidas na madeira.—Hyung?—

Silêncio.

Empurrou a porta que se encontrava com alguns centímetros de fresta aberta.

Ao entrar no pequeno cômodo, logo deu com os olhos nos fios negros do mais velho sobre o acrílico branco da banheira. Caminhou até que pudesse ter total visão frontal de Taekwoon e sorriu ao ver que ele respirava tranquilamente.

Estava cochilando.

Se aproximou e agachou próximo do seu hyung, tocando lhe o rosto, que já estava gelado devido ao tempo que já se encontrava ali.

Tirou alguns segundos e admirou os traços do outro, mesmo já conhecendo tudo aquilo tão bem. Antigamente, Sanghyuk mal dormia, apenas para ficar observando o amado dormir tranquilamente ao seu lado.

Era uma tortura.

Seus olhos eram pequenos, acompanhados de sobrancelhas suaves, as quais lhe davam aquela expressão errônea que todos tinham sobre sua personalidade, e também era sua principal característica. Havia uma pequena pinta, claro que também já conhecida por Hyuk, abaixo do olho direito. Seus lábios não eram tão fartos, mas haviam carnes ali; as quais o mais novo sempre quis provar. Os fios lisos e escuros, agora úmidos, estavam grudados por sua testa e têmporas. As bochechas levemente fofas lhe davam um ar de infantilidade, porém quase inúteis num rosto tão sensual, como pensava Sanghyuk.

Seu corpo estava submerso e Hyuk agradeceu aos céus por isso, porque mesmo sendo colegas de quarto, o mais novo raramente direcionava olhares para o corpo de Taekwoon, mesmo nas vezes em que teve oportunidade -várias- porque sempre teve muita vergonha de seu amigo e companheiro de quarto.

Sanghyuk ouviu batidas na porta do quarto e prontamente se levantou para atender. Era Hakyeon.

—Onde está Taekwoon?—

—No banho.—

Hakyeon suspirou e virou os olhos para o lado, cruzando os braços.

—Fale para ele vir até meu quarto depois. Preciso discutir algumas coisas com o mesmo...—

Hyuk assentiu e apenas encostou a porta, voltando em passos longos até o banheiro.

Se agachou novamente, mas dessa vez levando os dedos até os lábios do mais velho.

Macio.

—Taekwoon-ah— Pressionou as mãos nos ombros do mais velho.—Não pode dormir aqui, você vai ficar gripado.— Sua voz era em alto tom enquanto andou até o vaso e pegou a toalha.

—Acho que dormi sem querer.—O mais velho despertou e levantou, tirando a toalha da mão do mais novo.—Obrigado.—

Sanghyuk saiu do banheiro se sentindo quente, tapando a boca para não suspirar palavrões. Taekwoon era "fodidamente lindo", sim, não havia uma palavra meiga para descrever tal homem.

—Quer escolher o filme?— Hyuk perguntou sentando na cama, de costas para o guarda-roupas, onde Taekwoon se vestia.

—Pode ser.—

Antes de ligar a televisão, Hyuk teve a sorte, ou azar -ele nunca se decidira- de ver o reflexo das costas nuas do mais velho, que estava concentrado em achar seus pijamas no monte bagunçado.

Engoliu seco, descendo o olhar pelas costas lisas e pálidas do maior até chegar em suas nádegas. Arrebitadas e redondinhas. Hyuk pegou um travesseiro e pôs em seu colo, ligando a televisão.

—Hyuk-ah—Sentiu o colchão se afundar e mãos quentes lhe tocarem os ombros.

—S-sim?—Não pôde evitar gaguejar.

—O que trouxe de bom?—

—Pegue a escola ali e veja por si mesmo.—

—Que rude.— Deu um estalo com a língua e se afastou, abrindo a sacola.

°•°•°•°•°•°•°•°•°•°•°•°•°•°•°•°•°•°•°•°•°•°•°•°•°•°•°

Taekwoon, como sempre, havia escolhido um filme totalmente ridículo. Estavam empanturrados de doces e a chatice ainda tinha mais quase quarenta minutos de filme restantes.

—Que ridículo! Ele roubou jóias para a mulher que amava para no final ela o deixar? E o pior, nas mãos dos criminosos e sem nenhum tostão.—

—Nunca confie numa mulher.—Taekwoon ria com a indignação no mais novo por causa do filme enquanto enfiava marshmallows na boca, apesar de já estar cheio das porcarias.

—Em ninguém!— Hyuk bufou amassando o travesseiro ao ver que o protagonista estava com uma arma na própria cabeça, posta por gangsters .—Olhe isso, ele vai morrer por culpa daquela…—Resmungou mordendo furiosamente o salgadinho de pimenta.

De repente, a cena se alterou para o passado do personagem, especificamente numa cena onde ele fazia amor com a mulher.

Hyuk travou na hora, parando de mastigar o salgadinho. Olhando para os lados, desviou a atenção para as paredes, ouvindo somente os gemidos da televisão.

—Ei, os hyungs irão achar que estamos vendo coisas para maiores.—

—Mas você já é maior.—Taekwoon disse sobrepondo as mãos na barriga de Hyuk.—Bobo.—Deixou nos ouvidos do menor, arrepiando-o da cabeça aos pés.

O menor engoliu seco, porque como tudo nessa vida, o que já está ferrado, tem como destino zombar ainda mais da sua cara.

Taekwoon havia se aproximado um pouco mais, num nível que fez Hyuk sentir o cheiro de xampu e sabonete. As mãos, que realmente não tinham nada de erótico -para Taekwoon- eram o paraíso. Seu estado mental já não estava bom. Ter visto um Taekwoon na banheira, costas nuas mais a visão bônus das bundas já estava de bom tamanho para apenas um dia.

Hyuk levantou-se rapidamente, retirando com rapidez as mãos do mais velho de cima de si.

—O que foi? Não quer mais assistir? Hyuk-ah, é apenas um filme.—

Mas o problema não era os hyungs ouvirem, até porque ele tinha cartas na manga contra Hakyeon, que gemia alto demais do segundo andar com Hongbin. Mas o problema era que Sanghyuk estava excitado. O filme em si só foi um propulsor para aquele estado em que se encontrava.

Estava duro porque a imagem de Taekwoon nu não saía de sua cabeça. E a sensação do seu hálito quente em seu ouvido quando o chamou de "bobo" também permanecia.

—Ei!—Taekwoon agarrou suas mãos e o puxou de volta para o colchão, fazendo-o cair de costas.

Naquele puxão, ambos ficaram em silêncio, um olhando nos olhos do outro, pois estavam realmente próximos.

Hyuk estava com o corpo para um lado da cama, seus pés tocavam o chão. Taekwoon estava do lado oposto, com as pernas sobre a cama. Então, automaticamente era como se estivessem de ponta cabeça um para o outro. Taekwoon tinha o cotovelo no colchão e Hyuk estava deitado abaixo de si.

—Hyung, você tem uma pintinha bem aqui.—Disse tocando levemente o ponto abaixo dos olhos do mais velho, olhando-o de baixo para cima.

—Hyuk-ah, você até que é muito bonito, olhando assim de perto…Deve ter muitas meninas aos seus pés.—

—Que b-bobagem.—Hyuk respondeu arrastando a cabeça para o lado, saindo de baixo de Taekwoon.—Não tenho interesse nisso.—

—O que? Você não tem interesse em sexo?—Taekwoon disse sem pudor algum, fazendo o dongsaeng corar.—Você ao menos já beijou, certo?— Falou se aproximado lentamente.

—Hyung...você já beijou um homem?— Ele dissera aquilo num tom tão ridiculamente baixo que Taekwoon só o ouviu porque estava a centímetros de distância

—Anh?! Obviamente, já se esqueceu de que eu gosto de um?—Taekwoon riu leve se jogando sobre o colchão.

—E mais que um beijo, já fez?—Tentou parecer desinteressado.

Hyuk não acreditava nas próprias palavras. Estava totalmente envergonhado. Mas ao não ter uma resposta de Taekwoon, ele olhou para o mais velho.

Seu coração bateu mais forte naquele segundo. Seu hyung estava com o dorso da mão, tapando metade do rosto, todo corado.

Ele também estava envergonhado.

—Quer tentar?—Sua mão de afundou no colchão, próximo da cabeça do mais velho.

—Ei! —Taekwoon tentou dizer qualquer coisa, mas nada saia. Seu coração também estava acelerado com a aproximação que o mais novo fazia sobre si.

Mas já estava feito. Era sim ou sim.

Hyuk se levantou da cama e foi até a televisão, desligando-a pelo botão. Ficou um tempo de costas parado antes de se virar e caminhar lentamente até o seu hyung, que o olhava com os olhos arregalados.

Colocou um joelho sobre a ponta da cama e mirou Taekwoon. Seu peito subia mais frenético agora.

Ele estava nervoso.

—Hyuk-ah, acho melhor—

Hyuk pôs o outro joelho sobre a cama abandonando o carpete e usou ambas as mãos para pegar as pernas alheias, levantando-as e pondo as ao lado de seu quadril, encaixando seu quadril no do outro.

Taekwoon soltou um grunhido ao sentir que o mais jovem se pressionava, já meio excitado, em suas nádegas.

Sanghyuk se inclinou até o mais velho e pôs as mãos sobre a manga longa de zíper que o mesmo usava, deslizando-o lentamente e expondo aos poucos a pele branca, e provavelmente macia, de Taekwoon.

—Hyung, eu—

Taekwoon pôs seu dedo indicador nos lábios do mais novo, impedindo-o de prosseguir. Seus lábios se entreabriram, pareceu que iria falar alguma coisa, mas se fecharam e ele puxou levemente os fios da nuca de Hyuk para si, enlaçando as coxas no mais jovem e o trazendo mais próximo.

—Eu nunca me dei conta do seu aroma.—Taekwoon disse sorrindo leve enquanto abraçava o menor.—Você tem certeza disso? Meu coração não lhe pertence.—Sussurrava no pé do ouvido alheio com aquela doce voz palavras de significados tão cruéis.

—V-você…você está disposto a tentar?—Hyuk se sentia com um nó na garganta. Estava difícil juntar as palavras.—Você acha que consegue?—Perguntou pegando as mãos do mais velho e pressionando as em seu próprio peito, na direção de seu coração.—Eu já estou me afogando nisso há tempos, hyung. Você sabe como é se sentir assim, não sabe?—

Taekwoon logo se lembrou de Wonsik. Fechou os olhos e quis chorar.

—Você esteve apaixonado por mim?— Seus dedos se embrenharam nos fios macios de Hyuk, que assentiu.—Você pode fazer com que eu me apaixone por você?—

Hyuk levantou o rosto que estava afundado no pescoço do mais velho e tocou seu maxilar.

—Me deixe tentar.— Pediu ele, selando os lábios nos quais ele sempre quis provar.—Me deixe…—Novamente, como uma súplica, desceu os lábios para o pescoço de Taekwoon, depositando diversos beijos molhados na área.

Sanghyuk não se contentou com apenas o toque de lábios e, por isso, segundos depois, subira até os lábios alheios e pedia por espaço no interior de Taekwoon, que cedeu aos poucos.

O menor pensava -o que podia pensar no momento- o quão doce ele era. Seus beijos, eram leves e calmos, e mesmo que ele soubesse de seus sentimentos não recíprocos, não podia deixar-se de se iludir quando o outro lhe respondia tão bem.

Como se lhe amasse...

Taekwoon acariciava as bochechas do mais novo enquanto provava daquele beijo brusco que recebia. De vez ou outra o menor batia com os dentes nos dele, mas deixou passar, pois com certeza ele era inexperiente. As mãos de Hyuk, maiores que as suas, um mistério que nunca entenderia, lhe agarravam a cintura e às vezes desciam pela lateral de seu quadril, onde subiam com os nós dos dedos arranhando lhe levemente a pele até suas costelas.

Sanghyuk já estava bem excitado, seu membro se apertava dentro do jeans. Taekwoon usava uma calça moletom, a qual um Hyuk enfiou pouco tempo depois as mãos pelo elástico e as desceu junto com a boxer que o mais velho usava, liberando seu pênis também duro.

—Ah hyung…—Seus dedos desceram no falo rígido e ele gemeu contido ao sentir que Taekwoon já estava molhado com o líquido pré gozo.—Você é tão lindo…—Disse se distanciando dos lábios alheios.—Tão malditamente lindo.—Resmungou descendo aos beijos o corpo alheio.

—Hyuk, você não precisa—Seu ar foi cortado ao sentir os lábios quentes e macios tocarem a base de seu membro.—Não…—

Suas pernas estavam trêmulas e suas costas curvadas. Sanghyuk estava amando ter aquela visão do seu hyung. Tão frágil e entregue a si enquanto ele brincava consigo usando seus lábios.

—É gostoso, Taekwoonie?— Perguntou num sussurro ao soprar e depois enfiar novamente o falo rígido em sua boca, não perdendo tempo e acariciando-lhe as glandes com as mãos. —Você quer mais?—Ele sorria de tanta excitação. Já não aguentava mais, mesmo sem ter se tocado, pois a visão do mais velho todo contorcido e gemendo seu nome já era o suficiente para lhe fazer gozar.

—H...yuk-ah, já chega, por… f…favor.—Suas mãos correram na direção dos fios médios acastanhados de Sanghyuk.

O mais novo sorriu, largando o membro muito rígido todo lambuzado e molhou os próprios dedos na boca de Taekwoon.

—Por favor…—Taekwoon disse com dificuldade por ter os dedos em sua boca.—H...há lubrificantes na g-gaveta.—

Sanghyuk rapidamente abriu a gaveta e abriu o objeto, apertando-o contra seus dedos.

—Abra as pernas para mim, hyung.—Ele tinha um sorriso mandão. Sabia que o outro estava louco para tê-lo dentro de si e obedeceria aquela ordem, mesmo que atingisse um pouco de seu orgulho.

Taekwoon pegou cada perna com ambas as mãos e as abriu, expondo seu mais íntimo para o mais jovem.

O menor colocou uma mão sobre o colchão ao lado da cabeça do mais velho e com a outra mão direcionou seus dedos na entrada apertadinha de Taekwoon.

Hmm…Hyuk, vá mais rápido.—

Hyuk queria fazer mais cuidadoso, mas viu que abaixo de si, Taekwoon estava tremendo em excitação. Seus olhos estavam embargados e sua voz era trêmula.

Retirou os dedos do interior dele e lambuzou o próprio pênis, direcionando-o para a bordinha apertada de seu hyung.

Ao sentir apenas a base de seu membro no interior alheio, quis enfiar com tudo, mas não o fez, prezando o prazer do homem que sempre desejou ter em seus braços.

—Taekwoon, você é tão quente e apertadinho. É tão gostoso.—Gemeu no ouvido alheio enquanto usava uma mão para apalpar a bunda do mais velho, se deliciando com os gemidos entrecortados e os sons eróticos de suas glandes batendo nas nádegas alheias ao se mover num ritmo mais acelerado.

Taekwoon sentiu um terrível incômodo de início, mas as doces palavras, elogios e carinhos que recebiam o distraiam um pouco da dor, que durou algum tempo até que o mais novo estivesse golpeando um ponto extremamente delicioso.

—É bem aí.—Ele gemia arranhando levemente as nádegas de Hyuk enquanto rebolava.—Isso é tão gostoso Hyuk. Hyuk, me beija.—Pediu quando sentiu que estava para gozar. O mesmo com Hyuk, que sentia uma pressão vindo e liberando-se dentro do seu hyung.

Ambos estavam recuperando a respiração quando Sanghyuk viu uma sombra passar pela porta.

”Alguém estava espiando?” “Merda.” Pensou ao se recordar que não havia fechado a porta com chaves.

—O que foi?—Taekwoon questionou franzindo o cenho.

—Não, nada.—Negou e sorriu para o hyung abaixo de si.—Quer marshmallows?

—Primeiro saia de dentro de mim.—Sorriu malicioso.

Sanghyuk corou ao sair e ver seu líquido jorrar do interior de Taekwoon, quando o mesmo se levantou e foi até o banheiro.

A noite que ele havia sonhado e planejado várias vezes aconteceu de repente, num dia que ele jamais esperaria.

Sorriu novamente ao ver Taekwoon sair do cômodo e correr para debaixo das cobertas.

—Podemos fazer isso várias e várias vezes?—

 —Mas é claro.—Sorriu o dongsaeng.


Notas Finais


Beijo pra vocês.
Espero que esse comeback me dê muitas ideias para que eu possa escrever para vocês ✌🏻🖤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...