História Be Mine // Larry Stylinson - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias One Direction
Personagens Harry Styles, Liam Payne, Louis Tomlinson, Niall Horan, Zayn Malik
Tags Harry, Larry, Liam, Louis, Niall, One Direction, Zayn, Ziam
Exibições 45
Palavras 721
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Esporte, Famí­lia, Fantasia, Festa, Ficção, Fluffy, Lemon, Romance e Novela, Yaoi
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Gravidez Masculina (MPreg), Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Spoilers
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Demorei? Demorei kkkkk perdão!

Boa leitura.

Capítulo 2 - Capítulo 2


Passar a noite todo acordado é cansativo, principalmente para os irmãos Styles que trabalham com crianças. Mesmo com o diploma de fisioterapia, Harry ajuda a irmã no setor de pediatria sempre que pode. Com anos de convivência, o de olhos verdes passou a aprender varias coisas com a garota, que agora está com mexas rosa nos cabelos, e assim virce-versa.

Durante a noite, apareceu cerca de três crianças com partes do corpo quebrado. Gemma teria que encaminha as crianças para outro médico, mas não foi necessariamente preciso com Harry ali.

Cinco horas de manhã e o sono consumia o garoto de um pouco mais de vinte e cinco anos, com um copo de chá em uma mão e uma colega de trabalho do seu lado, Harry acabou descobrindo mais sobre a pequena Lottie, que passou a seguir a medicina porque via sua mãe chegar orgulhosa do trabalho.

- Minha mãe foi enfermeira durante uns anos, aí descobri minha paixão pela coisa toda.

- Você é filha única?

- Nan, eu tenho - ela parou por um momento, parecia pensativa e depois continuou - seis irmãos comigo sete.

- Você não parou pra contar quantos irmãos tinha, parou?

- Não posso fazer nada se tenho vários irmãos. - ela deu uma risadinha cansativa - Vou indo, estou muito cansada e minha cama me chama.

- Bons sonhos, Lottie!

Ela gritou um valeu e saiu correndo para saída, Harry parou para pensar como seria ter mais de um irmão e acabou rindo com seus pensamentos. Faltam três horas para seu plantão acabar, ele procurava uma sala desocupada para tentar descansar um pouco quando foi surpreendido por uma voz rouca e arrastada.

- Harry! Bom te ver!

Um senhor de cerca de sessenta anos, cabelos grisalhos e com quase um e noventa de altura saiu de trás da bancada da recepção com uma prancheta na mão.

- Podemos conversar,  jovem?

O mais novo assentiu e seguiu o velho tio até um dos elevadores, logo depois apertando no vigésimo quinto andar do prédio. Aquele andar sempre foi o andar preferido do Harry, diferente dos outros, esse tem paredes de vidro e tinha vista perfeita para a grande Inglaterra. Quando era mais novo e precisava pensar, o vigésimo quinto andar era o seu destino.

Ao chegar, seu tio se aproximou de uma das paredes de vidro e colocou as mãos para trás. Está pensando deduziu Harry.

- Sabe filho, estou ficando cansado. Logo, logo terei de deixar o hospital.

Harry entendia bem o tio com uma idade elevada. Era cansativo e estressante, mas o garoto de olhos verdes sabia que o tio fazia com amor e dedicação.  Se ele se sentia morto por passar uma noite toda acordado uma vez por semana, imagina o tio que faz isso há mais de quarenta anos.

- Minha vista está cansada, minhas costas doem. Como o Zayn fala, estou com problemas de junta. - riu um pouco e continuou - quando eu deixar o hospital estarei tranquilo. Vou deixar essa grande herança de família em mãos seguras.

Harry olhou além das paredes de vidros. Ele viu a correria dos carros nas ruas, percebeu como o asfalto parecia gasto. Não poderia pedir e nem implorar para que o tio ficasse. Assim como o asfalto gasto, seu tio também estava.

- Mas isso não é assunto para agora, meu jovem - continuou o velho com a respiração cansada -. Como está a pequena?

Harry sabia muito bem de quem o senhor de cabelos grisalhos estava falando. Riu por ver que o velho Edward pensava na pequena garotinha de olhos claros. Harry sabia que assim como ele, o senhor de idade junto a si também amava a pequena como nunca. Isso o fazia bem

- O caso dela é um pouco complicado, tio - ele falou cansado - mas não impossível.

- Ela ficará bem, eu acredito no seu talento. - Edward virou para seu sobrinho. Sua expressão era triste,  mais mesmo assim, se forçou a perguntar - O que vai acontecer depois, Harry?

- Eu não sei, tio - o cacheado respondeu triste - Eu não sei.

 

Harry sabia do que o tio estava falando. Muitas vezes conversavam sobre o fisioterapeuta arrumar um amor e assim, formar uma família. Além do mais, o processo de adoção da Emma já estava adiantado. 


Notas Finais


O meu twitter é o mesmo user daqui (@/nowwxlz) https://twitter.com/nowwxlz eu sou legal eu juro. Se quiserem falar comigo por lá, fiquem a vontade eu iria adorar :3
a historia ta meio assim sem graça mais eu juro que vai melhorar.
beijão


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...