História Be My Best Song - Capítulo 8


Escrita por: ~

Postado
Categorias Divergente
Tags Amizade, Comedia Romantica, Divergente, Universo Alternativo
Visualizações 22
Palavras 1.880
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Comédia, Musical (Songfic), Romance e Novela, Universo Alternativo
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Amooo a música! Espero que vocês gostem do capítulo e por favor, leiam a nota no final.
MÚSICA DO CAPÍTULO: Back to Black - Amy Winehouse

Boa leitura!

Capítulo 8 - Back do Black


Duas semanas haviam passado. Os dias praticamente passavam voando diante dos meus olhos e eu assistia àquilo como se fosse um filme, porém, dessa vez, eu tinha companhia. Tobias e eu estávamos saindo, como amigos, porém com a possibilidade de rolar alguns beijos. Íamos a bares, lanchonetes e boliches, e nos finais de semana, alternávamos entre cinema e passeios noturnos que, poderiam ou não, incluir alguma festa.

Almoçávamos juntos na universidade como acontecia antes de começarmos a sair, mas nos corredores, quando Tobias tentava caminhar de mãos dadas comigo, eu acabava evitando aquele contato dentro da UC. Fui questionada por ele várias vezes que pensava ser uma vergonha para mim.

– Tobias! É claro que não! Eu não tenho vergonha de você!

– Então porque não expõe?

– Porque não temos nada, não somos nada! – Me arrependi amargamente de ter dito aquilo.

Tobias saiu nervoso e não nos falamos por quase uma semana. Ele se recusava a atender o celular e não respondia as minhas mensagens. Passou a almoçar sozinho e quando me via no corredor, dava um jeito de mudar o trajeto. A situação foi piorando e, mais uma vez, estávamos agindo como se fôssemos estranhos completos.

Christina tentou convencê-lo de que precisava aprender a conviver com meu jeito estranho para relacionamentos, mas Tobias não quis escutar. Ele ficara profundamente chateado com o que ouviu de mim. Não tirava sua razão e por isso, passei a acreditar que eu não era uma boa pessoa para ele. Tobias precisava de alguém menos complicado que se doasse e eu simplesmente não conseguia ser daquela forma.

– Ele precisa aprender a aceitar você – Marlene opinou, enfiando um punhado de pipoca na boca.

Meu olhar voou da garota para Lynn que assentiu e completou:

– Quatro é tão inexperiente quanto você, não pode exigir algo que ele próprio não consegue fazer.

– Espera, espera! Vocês não entenderam? Ele é fofo comigo, é carinhoso e gosta de passar seu tempo ao meu lado. O problema é que eu não consigo fazer o mesmo por ele. Eu queria, juro que queria, mas não consigo! – Suspirei, abraçando os joelhos sobre a cama de Christina.

– Tris, amiga, acho que você devia procurar um médico.

Encarei Christina com perplexidade, mas recebi um riso que comprovou não passar de uma brincadeira de mal gosto. Aquela reunião de garotas na casa de Chris só aconteceu porque eu precisava de ajuda para me resolver com Quatro e não conseguia pensar em nenhuma maneira de mudar meu jeito de agir.

– Você devia beber com mais frequência. Aquele dia na festa... Nossa! Você dançou igualzinha a Britney Spears. – Lynn falou com a boca cheia de pipoca, arrancando risos não só meus como de todas as outras.

– É, por que não faz alguma coisa especial pra vocês dois aproveitarem juntos? Sei lá, um jantar romântico...

A ideia de Marlene não era ruim, mas só de me imaginar preparando algo para comermos me embrulhava o estômago. Eu não era uma boa cozinheira, então, era melhor não arriscar ou Tobias acabaria fugindo de vez.

– Tris, diz a verdade, você gosta mesmo dele?

Assenti devagar para Christina, que me olhava atentamente. Eu sempre temia as conversas sérias com ela. Uma estudante de psicologia pode te colocar no chão com tudo aquilo que se aprende nas aulas sem fazer muito esforço. Christina era assim, excelente em o Freud sem um pênis.

– Se você gosta, por que ao menos não tenta?

– Porque eu não sou boa com isso! Porque eu não consigo demonstrar os meus sentimentos e nem nada dessas coisas que podem me expor. É como uma barreira!

Cobri o rosto com as mãos, desejando desaparecer daquele lugar por algum tempo. Minhas têmporas doíam e eu já estava cansada de discutir aquele assunto por mais interessada que eu estivesse. Seria praticamente impossível convencer Tobias que eu não era uma cadela sem coração e seria ainda mais impossível quebrar o gelo que havia se formado entre nós.

Amy Winehouse – Back to Black

A reunião entre amigas acabou não dando em nada, voltei para casa ainda pior e não consegui pensar em outra coisa que não fosse Tobias. Meu domingo se resumiu em ficar deitada, pensando em como poderia resolver aquele problema que começou pequeno e então ficou gigantesco.

He left no time to regret

Kept his dick wet with his same old safe bet

Me and my head high

And my tears dry, get on without my guy

You went back to what you knew

So far removed from all that we went through

And I tread a troubled track

My odds are stacked, I'll go back to black

O dia seguinte amanheceu nublado por ter chovido durante a noite e o clima frio me obrigou a sair de casa mais agasalhada que o normal. Assisti às primeiras aulas, mas ao sinal para o almoço não fui para o refeitório e sim para a biblioteca. Por mais que eu quisesse só pensar em Tobias e numa forma de fazê-lo me perdoar, eu precisava me focar nas matérias ou acabaria me perdendo e, consequentemente, me saindo mal nas avaliações.

Procurei pelos livros indicados pelo professor e enquanto vagava devagar por entre as estantes repletas de livros, escutei passos vindos em minha direção. Quando virei-me para ver quem era encontrei Peter me encarando com uma expressão fechada e firme. Seu nariz ainda continha marcas do murro dado por Tobias, mas a julgar pela forma como me olhava, ele não estava ali para falar sobre o murro. Ou talvez estivesse.

– Então, Tris, fiquei sabendo que brigou com seu namoradinho...

– Não tenho namorado, Peter. Você deve estar ouvindo demais. – Falei baixo, voltando minha atenção para os livros que procurava.

– Não vou deixar barato o que ele fez comigo! – Sussurrou entredentes, se aproximando.

We only said goodbye with words

I died a hundred times

You go back to her

And I go back to

I go back to us

Eu me afastei como se não me importasse com suas ameaças. Encontrei os livros, peguei-os e segui em direção ao balcão onde as bibliotecárias registravam os exemplares. Peter me seguiu em silêncio, pisando com firmeza para que eu ficasse ciente que ele estava por perto. Rolei os olhos e entreguei os livros à moça de cabelos curtos.

Ela os registrou rapidamente e logo eu estava saindo da biblioteca, claro, com Peter a meu encalço. Pensei que ele se cansaria do joguinho bobo e me deixasse em paz de uma só vez, mas ao invés de ser inteligente e sumir da minha frente, Peter agarrou meus ombros com força e jogou-me contra a parede.

Com o impacto, deixei os livros caírem e soltei um gemido de dor ao bater a cabeça. Fechei os olhos, esperando ser espancada, mas nada aconteceu. Ao separar minimamente as pálpebras, vi que ele me olhava com raiva.

– Vamos! – Gritei, começando a ficar nervosa. – Me bata! Se vingue do Tobias me dando um soco no nariz, covarde!

Não pensei que fosse mesmo receber um soco no nariz. Foi instantâneo, assim que o punho de Peter acertou meu rosto, cai sentada no chão, tonta, sentindo a cabeça toda latejar com a dor. Olhei para cima a tempo de vê-lo cair no chão com algo sobre ele. Estreitei os olhos, a vista turva, meio borrada.

I love you much

It's not enough, you love blow and I love puff

And life is like a pipe

And I'm a tiny penny rolling up the walls inside

Os sons ecoavam pelo corredor e as pessoas iam saindo da sala. A mistura das vozes deixou-me ainda mais tonta e precisei fechar os olhos para me concentrar em não desmaiar ali mesmo. Ouvia alguém me chamar, mas parecia longe de mais.

– Abra os olhos! Tris! Tris! Por favor, abra os olhos!

Tentei obedecer, mas minhas pálpebras estavam pesadas. Quando consegui, encontrei o rosto de William. Senti-o segurar meu queixo e analisar o ferimento, mas pela expressão que veio em seguida, não era nada bom.

– Eu vou levantá-la. Tirem o Tobias daqui rápido e levem o Peter para a enfermaria...

We only said goodbye with words

I died a hundred times

You go back to her

And I go back to

We only said goodbye with words

I died a hundred times

You go back to her

And I go back to

Meus olhos acabaram se fechando novamente e apaguei.

Black, black, black, black

Black, black, black...

I go back to

I go back to

(...)

Quando acordei, estava deitada numa das macas da enfermaria da UC. Christina e Marlene estavam sentadas ao meu redor, esperando que eu despertasse. Tentei me levantar, mas senti as pontadas no rosto e na cabeça. As garotas se levantaram e com cuidado me deitaram de volta.

– Cadê o Tobias? – Foi a primeira coisa que escapou da minha boca.

Marlene e Chris se olharam e depois voltaram-se para mim.

– Tobias está bem, Tris. Ele deve estar na reitoria explicando o que aconteceu...

– Mas, o que aconteceu, Chris?

– Peter bateu em você. – Marlene tomou a frente e começou a explicar. – Tobias estava fazendo uma ronda e acabou chegando segundos depois do murro. Tanto Peter quanto Tobias estavam fora de si e brigaram. Hã... o Peter está deitado logo ali – a garota apontou o dedo fino e virei a cabeça devagar.

Peter estava dormindo. Havia uma agulhada ligada na veia de seu braço por onde ele recebia soro. Seu rosto estava bastante machucado, cheio de hematomas, mas não estava tão pior quanto pensei que poderia ficar. Tobias tinha pegado leve. Voltei a encarar minhas amigas e suspirei.

– O Tobias está encrencado?

– Não. – Christina fez sinal com a cabeça ao falar. – O Peter estava sob efeito de cocaína e o Tobias só tentou pará-lo. Bem, foi isso o que ele nos contou, mas eu sei que ele sentiu prazer em agredir o covarde ali. – Apesar da gravidade da situação, Christina estava tranquila e Marlene também. Então, eu não deveria me preocupar.

Fechei os olhos por um segundo e respirei fundo.

– Tobias estava irado! Irado de verdade! – Marlene abriu um sorriso e eu não entendi o motivo. – Acho que se fosse outra pessoa apanhando ele não teria ficado tão furioso... Mas, era você, Tris. Até uns instantes atrás ele não saiu do seu lado.

– Ele estava aqui? – Arregalei os olhos e as duas assentiram juntas. – Nossa! – Coloquei a mão na testa, de repente, me sentindo muito agitada. – Tobias ainda está magoado comigo?

Marlene sussurrou alguma coisa para Christina e saiu, deixando-nos a sós. Encarei a baixinha por um longo período e, ansiosa, esperei que ela dissesse alguma coisa.

– Ele ainda está magoado, Tris. Muito magoado. Ele acha que não é nenhum pouco importante pra você. Mas, está preocupado. – Chris acariciou com cuidado minha cabeça. – Quatro gosta mesmo de você, Bad Girl.

Meu coração se apertou e senti as lágrimas brotarem nos cantos dos olhos. Elas escorreram rápidas, mas Christina as secou antes que molhassem demais o meu rosto. Eu havia sido idiota e medrosa, meu sentimento por Quatro estava bem mais que claro, mas mesmo assim eu tinha medo de pular.

We only said goodbye with words

I died a hundred times

You go back to her

And I go back to

We only said goodbye with words

I died a hundred times

You go back to her

And I go back to black


Notas Finais


Então, eu amo essa música! Mas, o capítulo foi difícil de escrever... Primeiro porque eu GOSTO do Peter e fazer ele ser esse canalha filho da mãe me doeu o coração. Segundo porque fiquei com pena da Tris e terceiro, poxa, Amy Winehouse não escreveu suas músicas para serem inspirações fracas, ela é a Amy e a música é difícil sim! UHASUHAUHSUAHSUAHSUA espero que tenham realmente gostado e não me matem por ter terminado o capítulo assim... No próximo JURO que vou compensar! Agora, não custa nada um comentário, não é? O dedinho de vocês não vai cair. Vamos lá!

LEITORES FANTASMAS, VAMOS APARECER? Ou então chamarei os GhostBusters *começa a tocar a musiquinha* UAHSUHAUSHAUSA

Espero vocês no próximo! Um beijo a todos! ♥


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...