História Be my girlfriend please! - Imagine Jimin - Capítulo 10


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jimin, Jin
Tags Bangtan Boys, Bias, Bts, Comedia, Imagine, Imagine Jimin, Imagines, Jimin, Park Jimin, Vai Lacrar Geral, Você
Exibições 648
Palavras 5.087
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Aventura, Comédia, Escolar, Famí­lia, Fluffy, Romance e Novela, Violência
Avisos: Heterossexualidade, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Oi - foge dos tiros - gente eu naquele dia realmente fiz meu máximo, mais vcs não sabem como é morar na roça e tudo, falta energia pra cace**, então desculpe, gente só avisando, o próximo cap vai ser o penúltimo certo, tá acabando TuT
psé é por isso que eu peço que pfvr me deem mt amor e favoritem e comentem para eu ficar feliz.
Boa leitura amores ^o^

Capítulo 10 - X - Decisões a Serem Tomadas


Fanfic / Fanfiction Be my girlfriend please! - Imagine Jimin - Capítulo 10 - X - Decisões a Serem Tomadas

 

Jimin on

 

                As palavras estavam prontas para serem ditas, eu pediria desculpas a ______, eu apenas tinha que dar um jeito nesse casamento. Casamento..., por alguns instantes me imaginei casado com ela, dormiríamos na mesma cama todas as noites, cozinharíamos alguma coisa juntos, deixei um sorriso bobo escapar, eu gostava da ideia de me casar com ______, gostava muito.

                As flores que eu havia comprados ainda estavam bonitas, e o ursinho que não era tão grande estava embrulhado num papel de presente com frases escritas “Eu te amo”, talvez aquilo fosse demais... Balancei a cabeça afastando aqueles pensamentos. Logo cheguei em casa, estacionei o carro e peguei os presentes que estavam no banco de trás. O ar estava incrivelmente bom, respirei fundo e rumei para casa, antes de chegar na mesma, vi ______ parada em frente da minha mãe e minha avó no jardim, ela apertava as mãos e não parecia calma, continuei andado e a cada passo que eu dava, eu podia notar a face nervosa da minha noiva de mentirinha.

                Estranhei aquilo tudo e fui o mais rápido que pude em direção a minha mãe. _______ parecia não ter me visto, na verdade, ninguém ali tinha notado minha presença.

 

_ Bom dia querida, a vovó Park me contou tudo sobre ontem à noite, estamos discutindo se vamos fazer o casamento aqui no jardim. – Minha mãe sorriu para _____, não notando seu nervosismo, desconhecido por mim.

 

 

_ É sobre isso que eu quero falar, é que Jimin e eu nós... - _______ gaguejou, arregalei meus olhos, ela queria contar a verdade? Só podia ser. – É que Jimin e eu, nós não somos o .... que .... aparentamos ser...  - ______ falava baixinho, gaguejava e tinha a cabeça baixa.

 

                Me apressei e cheguei ali chamando a atenção de todas ali, fui até ______, que pareceu ter gelado por ter me visto. Lancei meu melhor sorriso para minha mãe e minha avó, tornei a olhar para ______, a mesma fitava os próprios pés nervosa.

 

_ O que a ______ quer dizer... é que .... tomaremos mais cuidado dá próxima vez em que ... – Respirei fundo, aonde eu estava com a cabeça de inventar aquela mentira?

 

_ Minha nossa, querida você está grávida? – Minha mãe se levantou abruptamente do banco nos olhando assustada.

 

_ Ah Deus, ele me ouviu vou ter um bisneto! – Minha avó vibrou enquanto ______ estava mais que corada.

 

_ Não estou grávida, é que... – Minha noiva de mentirinha falou baixinho. – Só não quis esconder ... isso.

 

_ Ah tudo bem querida, sabemos como são vocês jovens modernos, fico feliz em terem sidos sinceros, mais tomem cuidado.  – Minha suspirou aliviada nos olhando atentamente. Ela não parecia com raiva, parecia até ter um sorrisinho debochado daquela situação.

 

_ Será que vocês podem deixar nós dois conversarmos? – Perguntei olhando para as senhoras a minha frente. ________, me olhou rapidamente com as bochechas rosadas, arquei uma sobrancelha mostrando que não estava de brincadeira a fazendo desviar o olhar de mim.

 

_ O que eu faço com você? – Falei baixinho dando um logo suspiro. Me aproximei de _______ e com o braço livre dos presentes a envolvi em um abraço.

 

_ Me desculpa, eu... eu ia falar a verdade Jiminnie, eu não suporto brigar com você. – Ela disse escondendo o rosto na curvatura do meu pescoço.

 

_ A propósito, isso é para você! – Nos separamos e eu entreguei as flores e o ursinho que estavam na minha mão.

 

_ Não precisava, você é incrível Jimin, obrigada! - _______ exclamou pegando os presentes da minha mão, ela olhou para o ursinho e não pode deixar de sorrir.

 

                Depois de olhar as flores por alguns segundos ______ deixou os presentes no banco que anteriormente minha mãe e minha avó estavam sentadas e veio correndo em minha direção, minha ‘’noiva’’ me abraçou forte. Sorri para ela enquanto aproximava meu rosto do dela, devagar eu fui colando nossos lábios, senti ______ hesitar um pouco, mais aos poucos ela foi cedendo, minhas mãos passeavam pela sua cintura, enquanto ela afagava meus fios, passei a distribuir selares pelo pescoço de _______ sentindo o cheirinho ali de sabonete de bebê.

 

_ Jiminnie, alguém, pode estar...vendo.  – Minha pequena sussurrou.

 

_ Não me importo... – Sussurrei próximo ao seu ouvido.

 

_ Jimin... - ______ arfou após eu deixar uma pequena mordida em seu pescoço. Minha pequena se afastou um pouco, lancei um sorrisinho e a fitei um tanto corada.

 

_ Você sabe que eu gosto de você, não sabe? – Perguntei baixinho fitando os olhos de ______. Ela assentiu e eu não sei se é algo da minha cabeça, mais um vi os olhinhos a minha noiva brilharem.

 

                Nos abraçamos novamente e ficamos ali sentados no banco do jardim por mais um tempo, apenas olhando a natureza a nossa volta.

 

 

Jimin off

 

ಌ...

 

 

_____ on

 

_ Você é péssimo Jimin! – Exclamei entrando no quarto sendo seguida por um Jimin risonho.

               

                Depois de Jimin chegar exatamente na hora em que eu iria contar que que nosso namoro era falso, de o moreno me beijar e deixar meu coração acelerado como nunca, de dizer que gosta de mim e fazer eu me derreter, de me dar presentes pela madrugada de desentendimento, eu tinha esquecido que estávamos mais que encrencados.

 

_ A culpa foi sua, quando tentou contar a verdade. Eu tinha que inventar algo que fizesse sentido com “ Nós não somos o que aparentamos ser”. – Jimin fez aspas e em seguida se jogou na cama.

 

_ É, agora parece que somos dois pervertidos!  - Falei cobrindo o rosto ao lembrar da vovó Park.

 

                “ Jimin e eu, havíamos entrado em casa depois de ficar um tempo no jardim, as senhoras Park nos esperavam para o café da manhã, e...foi meio constrangedor, por conta do que o Jimin teve que fazer para ninguém perceber que estávamos mentido. Eu sentia minhas bochechas arderem quando a vovó Park olhava para mim, ela tinha um sorrisinho meio ‘’malicioso”, no final acabamos que depois do café da manhã, Jimin queria fugir da sua mãe e avó, e eu optei por seguir ele, afinal vai que as senhoras resolvessem me encher de perguntas.

                Ajudei o moreno a olhar algumas ovelhinhas que tinham dado cria, e também fomos ver Lady e Peter, afinal o Jiminnie tinha me contado que ela provavelmente teria filhotinhos. Voltamos para casa na hora do almoço,ao menos o almoço foi mais normal, graças ao senhor Park que estava lá.

Então o ChimChim foi inventar de falar:

‘’Vou tomar um banho, vem comigo _______? ’’

                Foi a gota d’ água, a vovó Park entendeu tudo errado e acabou que ela ficou nos lançando olhares constrangedores e balançando as sobrancelhas. Quando o senhor Park saiu da sala de onde comíamos, a mãe do moreno chegou ao meu lado e sussurrou:

“Tomem cuidado crianças”.

                Para não ser mal-educada, assenti, assenti e sai daquela sala o mais rápido que pude. Ouvi passos se aproximando, olhei para trás e Jimin me seguia, rindo da minha cara. “

 

 

_ Você não devia se preocupar com isso agora, e sim com o que vamos fazer em relação à esse casamento. – Jimin se sentou na cama e me olhou sério.

 

_ Como assim?

 

_ Nós agimos como se tudo fosse verdade, como se tivéssemos confirmado esse casamento, você sabe que a qualquer momento minha mãe e minha avó podem entrar aqui e falar que já organizaram tudo. – Jimin disse enquanto me olhava ainda sério.

 

_ Então... então nós casamos. – Falei quase em um sussurro. Jimin que tinha seu olhar em mim, arregalou os olhos.

 

_ Está falando sério?

 

_ Sim, eu caso com você Jiminnie.

 

_ Eu não acredito, eu sei que é para me ajudar e tudo...

 

_ Jimin, se você não quisesse esse casamento teria me deixado contar a verdade naquela hora, você sabe que eu também sinto algo por você, é que.... – Minhas palavras saíram mais rápido do que eu pudesse analisa-las, eu só queria descobrir o que sentia por Jin.

 

_ Então, quando descobrir que não sente nada por mim, vamos nos divorciar, é isso? – Jimin falou com a voz carregada de tristeza.

 

_ Não! – Exclamei, que besteira eu tinha falo?

 

_ Certo ______. – Jimin se levantou e foi rumando a porta.

 

_ Jimin, não vá! – Gritei e então Jimin parou de andar, o moreno não se virou, foi então que batidinhas na porta foram desferidas, a mesma se abriu revelando uma vovó Park sorridente, provavelmente ela não tinha ouvido a nossa discussão.

 

_ Olá, eu não aguentei e vim aqui, vamos organizar os preparativos do casamento! – A vovó exclamou sorridente, entrando no quarto com um caderno e uma caneta nas mãos.

 

_ Eu vou cuidar de alguns animais vovó, mas tenho certeza de que a ______ adoraria organizar tudo com a senhora. – Jimin olhou para trás e deixou um olhar misto de raiva com tristeza para mim antes de sair pela porta.

 

                Senti meu coração se despedaçar com o olhar do ChimChim, tudo estava indo rápido demais, eu estava confusa, perdida e acima de tudo me sentindo culpada.

 

 

                ಌ...

 

                Apesar de estar com uma enorme vontade de chorar, eu me segurei e passei aquela tarde da minha vida sendo mais uma mentirosa, sorrindo para a avó do meu melhor amigo, que nem sei o que agora pensa de mim. Naquela tarde, a vovó Park e eu organizamos quase todos os detalhes do casamento. O mesmo seria no jardim, as medidas do meu vestido seriam tiradas no dia seguinte, igualmente as de para o terno Jimin. Escolhemos as flores que teriam no casamento, os docinhos, e o bolo. Eu não queria que os senhores Park gastassem tanto, mas a vovó Park disse que tinha que ser tudo perfeito.

                O senhor Park ia agendar a data do casamento para o final da semana, falando assim com o padre, ficando apenas seis dias de férias restantes, afinal, teríamos passado duas semanas apenas no Império Park. Os Park decidiram casar Jimin comigo na igreja, afinal eu não sou oriental. Alguns dos detalhes eu deixei a critério da vovozinha que tanto queria aquele casamento. 

                Naquela tarde, eu não vi mais Lady, não jantei quando anoiteceu e não senti os braços de Jimin me abraçarem, eu sentia falta do calor dele, mais ele sem dúvida estava magoado e agora era eu quem teria que pedir desculpas.

 

_____ off

 

 

ಌ...

 

Jimin on

 

                Entrei no quarto depois de jantar, eu não tinha comido muito, ______ não tinha saído do quarto desde a nossa discussão. Eu não sabia como me sentir, odeio estar brigado com ela, mais dessa vez ela passou dos limites. Eu não queria me casar por causa de pena, ______ sabe disso.

                As luzes estavam apagadas, naquela noite não havia lua. O quarto estava totalmente escuro, rumei com a luz fraca do celular até a escrivaninha e acendi abajur. A luz não era tão forte, ______ não acordaria por causa dela. Me aproximei da cama e notei minha ‘’noiva” abraçada a uma das minhas blusas, o rosto da mesma havia tracinhos de quem havia chorado, mordi meus lábios numa tentativa de não a acordar e a abraçar e dizer que tudo ia ficar bem.

                Suspirei e andei até o banheiro para um banho, enquanto a água acalmava meu corpo, pensei se minhas palavras tinham saído muito duras, sai do banho e vesti uma roupa leve. Me dentei na cama e a vontade que eu tinha era de abraçar a garota que ali estava era gigante. Virei de costas tentando ignorar aquela sensação que fazia parte de mim nos últimos dias.

...

 

                Na manhã seguinte acordei com o rosto de ______ perto do meu, ignorei a vontade de beijar aqueles lábios rosados e sai da cama antes dela. Vesti uma calça jeans e uma camisa comum, me aproximei da cama não aguentando ficar longe da minha pequena. Passei minhas mãos de leve em seus fios, estavam meio bagunçados, mais nãos deixavam de ser fofos. Enquanto eu a acarinhava em silêncio notei que o braço ferido de _______ estava meio inflamado. Ela provavelmente tinha esquecido de tomar os remédios. Me afastei e desci as escadas da casa calmamente. Avistei minha mãe, e lhe disse que ______ precisava tomar os remédios quando acordasse. Dei a desculpa de que precisava ir à cidade para resolver alguns problemas – o que não era mentira- e sai de casa calmamente.

 

_ Olá Jimin! – Yoona que estava sentada na varanda de casa junto a minha avó, sorriu para mim falsa. Era claro o desgosto da minha avó com aquele ser perto de si. Passei direto sem nem olhar para trás.

 

                Ela era a fonte de todo aquele problema. Peguei o carro e acelerei até a cidade, resolvi a questão das frutas que haviam sido vendidas sem serem pagas, comprei uma gravata que me pai tanto insistiu para eu comprar, a mesma era preta com bolinhas brancas.

                Passei em uma lanchonete e pedi um hambúrguer e um refrigerante. Eu tinha que me acostumar com a ideia de me casar com a minha melhor amiga. Na verdade, isso é tudo culpa minha mesmo, Yoona, encheria meu saco e usaria toda sua energia para me seguir mesmo, ______ “amenizou” isso de certa forma. Se eu não tivesse metido ______ nisso, eu e ela poderíamos estar bem agora, eu talvez nem teria me apaixonado por ela, se bem que... foi tudo muito rápido, era provável que eu me apaixonasse por ela cedo ou tarde.

                Paguei o lanche e voltei para casa, seu eu ia casar com _______, eu tinha que fazer ela se apaixonar por mim. Quando cheguei em casa, a vi conversando com Jin no jardim, Yoona estava lá por perto e parecia falar algo também, o ciúme de ver a minha pequena falando com o Jin foi maior, eu não queria aparecer lá, até porque eu e ______ ainda não havíamos nos falado depois de ontem.

 

_ Olá. – Falei andando até o lado de ______, ela pareceu surpresa por eu estar tão perto.

 

_ Oi Jimin, eu estava aqui falando para a _______ que quando vocês precisarem de ajuda, é só pedir. – Jin que estava a minha frente falou com um sorriso, _______ correspondeu o sorriso dele e eu me segurei para não falar nada.

 

_ Isso é muito legal, obrigada da sua parte Jin. – Falei tentando não parecer sínico.

 

                Jin pareceu que eu não estava sendo muito sincero e deu um sorriso como se percebesse meu ciúme, o mesmo deu tchau e levou Yoona consigo deixando ______ e eu sozinhos no jardim.

 

_ Por que você está tão colado em mim Jimin? - ______ perguntou baixinho, foi aí que notei que eu a rodeava com um de meus braços.

 

_ Olha, vamos dar uma trégua. Você sabe que isso tudo já não é mais mentira pra mim. – Suspirei me afastando um pouco.

 

_ Jimin, se você não quer esse casamento é só falar, eu senti pena da vovó por ela estar triste. Se você tivesse um pouco de paciência eu podia descobrir se gosto do Jin ou não. Eu falei que sinto algo por você Jiminnie...

 

_ Eu sei, é que... eu não consigo me imaginar casando com você, sabendo que gosta de outro. – Sussurrei mordendo o lábio inferior.

 

_ Eu gosto de você Chim, eu só preciso saber o quanto. Eu não sou uma pessoa com muita experiência no amor, eu nunca nem namorei, as coisas só estão confusas você entende?

 

_ Hunf, eu entendo. Eu gosto de você, por isso vou te dar espaço, certo. – Falei meio inseguro, só de imaginar ela conversando com Jin me sinto agoniado.

 

_ Obrigada Jiminnie, e para de ser tão ciumento. - _____ deu uma risadinha por estarmos bem de novo e deu um tapinha no meu ombro.

 

                _______ passou por mim e deu um sorriso sincero, a mesma me puxou com o braço que não estava ferido e saiu me puxando de leve. Ah... era sempre assim, com um sorriso ela concertava tudo. Um sorrisinho meu escapou e eu me pus a segui-la.

...

                Os dias foram passando, o dia do casamento já estava muito próximo. Próximo até demais. Eu, como tinha dito, havia dado o tempo e espaço que _____ queria, eu não tinha roubado mais nem um beijo dela, nem a abraçava de noite. Eu respeitei quando ela disse que não tinha namorado nem uma vez e que estava confusa, a verdade é que eu me segurava para não abraça-la. Mais em compensação, não tínhamos mais discutido, eu notava o brilho em seu olhar quando acordávamos de manhã.

                Algumas vezes eu a via conversando com Jin, isso já não me irritava tanto, Yoona por algum milagre já não nos importunava muito, o que era um tanto estranho, alguma coisa me dizia que ela estava aprontando. A decoração do casamento estava muito bonita, e com certeza _______ também estaria, sorri bobo a imaginando num vestido branco.

 

_ Eu tenho que bolar um plano para não sorrir quando ver a ______, nhah isso vai ser impossível. – Falei para mim mesmo.

 

Jimin off

 

ಌ...

 

 

_______ on

 

                 Acordei com um carinho em meus cabelos, abri os olhos e me deparei com Jimin sentado ao meu lado. Ele tinha um sorriso fofo nos lábios. Sorri também aproveitando aquele carinho, desde que eu havia falo que queria saber o quanto gostava do moreno, Jimin não me tocava mais, eu sentia falta dos abraços, dos beijos roubados e dos carinhos. Minha confusão já não era tanta assim, eu tinha passado um tempo com Jin, eu me divertia conversando com ele, mais eu não sinto nada quando ele está perto, Jin é um garoto lindo, mais não sinto nada mais que amizade por ele.

 

_ Eu não queria te acordar... – Jimin sussurrou ainda sorrindo, senti meu coração acelerar com aquilo, eu queria que Jimin me abraçasse, me beijasse, eu queria ele perto de mim.

 

                Assustada com meus pensamentos, senti meu rosto corar intensamente, me sentei de frente para ele meio sem graça. Jimin ficou me olhando como se esperasse que eu falasse algo, eu tinha apenas que falar que eu o amo, que não quero que ele se afaste, eu fique comigo para sempre. Minha boca se abriu, é só falar ______.

 

_ Você está bem ______? Está vermelha. – Jimin colocou sua mão em minha testa se aproximando, meu coração acelerou, – como se fosse possível – meus olhos começaram a fitar aqueles lábios chamativos a minha frente. O que eu estava pensando?

 

_ Eu... eu estou bem. – Por que eu tinha gaguejado? Não era como se eu nunca tivesse ficado perto de Jimin, eu tinha descoberto que gostava dele, e aquele sentimento só aumentava quando ele se aproximava. O moreno se aproximou e roubou um selinho rápido.

 

_ Senti falta disto. – Jimin me lançou mais um daqueles sorrisos fofos mostrando seu eyesmile.

 

_ Também senti. – Confessei baixinho.

 

                Nossos olhos se encontraram, Jimin me olhava de uma forma tão intensa que eu podia ouvir as batidas do meu coração. Era tão bom sentir que eu gostava de Jimin e ele gostava de mim, eu me sentia tão feliz, eu só precisava falar isso em voz alta.

 

_ Jimin eu ... – Minha frase foi cortada por uma pessoa que acabara de entrar no quarto.

 

_ Meus queridos, desculpe entrar assim, mais se vocês não se lembram hoje é o casamento. Então, _______ querida venha comigo. – A vovó Park falou com a voz carregada de animação, se não fosse pela idade ela provavelmente daria pulinhos agora.

 

_ Vó, o casamento é só de tarde. – Jimin falou com uma voz meio emburrada.

 

_ Mesmo assim, a ______ tem que se preparar, vamos? – A senhorinha arqueou uma sobrancelha e eu sorri com aquilo. Olhei para Jimin notando o quanto ele queria que eu terminasse a frase, lancei um sorriso para o mesmo e deixei um selar em sua testa.

 

                Jimin balançou a cabeça negativamente ao me ver saindo da cama, ele tinha aquele sorrisinho típico – meio malicioso ou coisa parecida – como se dissesse “você não tem jeito”. Deixei o Chim no quarto e fui seguindo a vovó Park. Ela me levou a um quartinho da casa, que até então eu não conhecia, quando entramos no mesmo um vestido e vários acessórios estavam espalhados pela cama que lá havia.

                A vovó Park me olhou sorrindo ao me ver andando até o vestido, toquei aquele tecido não podendo acreditar que eu ia me casar, passei os olhos pelas outras coisas em cima da cama e senti meus olhos marejarem, eu queria que meus pais estivessem vivos para me ver.

                Os minutos foram se passando, a vovó Park tinha feito eu tomar café da manhã no quarto, quando eu terminei meu café, fiquei observando novamente as coisas em cima da cama, eram muito lindas. Só sai de meus devaneios quando a porta se abriu revelando duas moças ao lado da senhora Park. A mãe do meu futuro marido disse que aquelas moças, que aparentavam ser mais velhas do que eu poucos anos, iriam me ajudar a me arrumar. E literalmente elas começaram a me arrumar. Cuidaram das minhas unhas, até deixei que elas cortassem um pouco do meu cabelo. Tomei um banho super demorado e deixei as moças começarem a arrumar o vestido em mim.

                Eu estava vendo as horas se passarem rapidamente, e isso estava me deixando nervosa. Minha ansiedade estava no topo, eu ainda custava acreditar que ia me casar, era como se a ficha não tivesse caído. Ao invés de almoçar, eu quis checar se meu cabelo estava bom o suficiente. O tempo parecia estar contra a mim, a cada minuto que eu olhava para o relógio a hora parecia passar mais rápida.

                A hora de me casar estava próxima, muito próxima, enquanto a vovó Park tinha se retirado e levando as duas moças consigo para se arrumar também, fiquei no quarto treinando andar no salto alto que estava em meus pés. Não era tão fácil quanto parecia, eu só não podia cair na frente de todo mundo.

                Enquanto eu treinava, batidas não muito fortes foram desferidas na porta do meu quarto, gelei, não podia ser Jimin, o noivo não pode ver a noiva antes do casamento! Com a voz meio vacilante eu resolvi perguntar quem era.

 

_ Quem está ai? – Falei não muito alto, minha voz aparentava estar mais que nervosa.

 

_ É o Jin, vou entrar. – A porta se abriu e um garoto de terno muito bonito entrou.

 

_ Meu Deus, você está linda! – Jin ao me ver exclamou, sorri meio constrangida com aquilo tudo.

 

_ Você também está ótimo. – Sorri para o garoto a minha frente sorridente.

 

_ ______, eu quero falar que eu sei de tudo. – Jin sussurrou fechando a porta e vindo em minha direção.

 

_ Sabe do que, não sei do que está falando. – Engoli em seco, Jin teria descoberto que Jimin e eu estávamos fingindo namorar?

 

_ Eu sei que você e o Jimin não são namorados de verdade. – O moreno se aproximou de mim fazendo meu coração disparar, ele sabia, ele sabia de tudo.

 

_ Co...como soube? – Questionei baixinho, eu me sentia tão envergonhada.

 

_ Yoona me contou, eu não quis acreditar no começo, mais aquele dia no jardim, que o Jimin chegou com raiva, eu acabei ouvindo a conversa de vocês por acidente, ela não fazia sentido até eu juntar os pontos. Sei também que a Yoona fez várias coisas horríveis como vocês, eu sinto muito. – Jin me olhou com um sorriso fraco.

 

_ Vai contar para todos agora?

 

_ Claro que não, não faz muito tempo, mais sei que somos amigos ______, você é a primeira garota com a qual eu mais me aproximei, com exceção da Yoona, eu pensava que sentia algo por você talvez por isso.  – O moreno falou ainda sorrindo, não perdendo o sorriso Jin foi se aproximando de mim, observei que meu coração não disparava quando Jin se aproximou mais, até quando o moreno colocou suas mãos em minha cintura.

 

_ Jin... – Sussurrei sem graça.

 

_ Diga o que sente, diga o que sente quando estou por perto.

 

_ Agora, sinto cosquinhas. – Confessei não segurando o riso.

 

_ Como eu imaginava, de alguma forma esse namoro de mentira de você e do Jimin se tornou verdade. Eu só precisava confirmar que não sentíamos nada pelo outro. Eu gosto de você ______, mais como amigo. – Jin me abraçou e eu retribui, aquelas frases eram como se um peso enorme tivesse saído das minhas costas.

 

_ Obrigada Jin. Espero que encontre alguma garota que te mereça. Você é incrível. – Disse dando um dos meus sorrisos mais sinceros.

 

_ Certo, se você não percebeu, acho que é hora de alguém casar, agora que sabemos que somos só amigos, se você aceitar eu posso te levar até o altar e deixar o Jimin com ciúme, é tão divertido. – Jin falou entre risadas.

 

_ Claro, Jin, obrigada.

 

                Jin me deu mais um de seus sorrisos fofos e deu o braço para mim, sem avisar a vovó Park entrou no quarto e falou que estava na hora. Entrelacei meu braço com o de Jin e fomos rumando para fora do quartinho escondido. Descemos as escadas devagar, mesmo assim eu apertava o braço de Jin a cada passo que dávamos, a mãe e a avó de Jimin tinha ido na frente, elas estariam próximo ao altar. Saímos pela porta da frente e então avistei toda aquela produção, várias cadeiras de cor branca estavam alinhadas, as mesmas estavam repletas de pessoas que se levantaram quando viram a mim e Jin. Um altar havia sido feito e tudo estava muito lindo. Ao começar a passar por uma estradinha repleta de flores no chão, eu avistei ele, eu só podia estar ficando louca mesmo quando aceitei aquele pedido do Jimin... eu sei que era para ajudar ele, e eu como uma boa amiga aceitei. Agora eu via o moreno com um belo terno me esperando no altar, o olhar dos pais do mesmo estava cheio de felicidade por ver o filho se casando. Todos olhavam em minha direção ansiosos, eu sabia exatamente o que fazer, só não sabia se era o certo. Minhas mãos soavam com o olhar do moreno sobre mim, porque ele estava sorrindo? Aquilo fez me coração disparar, ele é seu amigo _____, seu amigo! Aonde eu vim me meter?

                Meus passos e os de Jin eram lentos, mais ao ver Jimin sorrindo para mim, parecia que só existia nós dois naquele momento. Eu não podia chorar, ia borrar a maquiagem que as moças que estavam com a vovó Park fizeram com tanto gosto. A cada passo dado meu coração acelerava mais – se é que ainda podia-, quando finalmente chegamos ao altar, Jimin já não parecia com ciúme de Jin, afinal o mesmo tinha entregue minha mão ao meu noivo que agora já não era tão de mentirinha.

                Todos se sentaram e a cerimônia começou, fizemos os tão famosos votos de fidelidade, trocamos alianças e finalmente havia chego a hora de dizer “Aceito”.

 

_ _______ ________, você aceita se casar comigo? – Jimin perguntou se desgrudar os olhos dos meus.

 

_ Aceito. – Falei não contendo meu sorriso.

 

_ Park Jimin, você aceita se casar comigo? – Perguntei vendo os olhinhos de Jiminnie brilharem.

 

_ Sim, é claro que eu aceito! – O moreno falou e todos riram um pouco.

 

_ Sendo assim, eu vos declaro marido e mulher. Pode beijar a noiva. – O padre falou com um sorriso satisfeito.

 

                Eu corei quando Jimin se aproximou, era meio constrangedor saber que todos ali veriam Jimin e eu nos beijar. Foi apernas Jimin tocar nossos lábios que não consegui me preocupar mais com nada. Era apenas ele e eu.

 

 

ಌ...

 

_ Senhorita, me concede esta dança? – ChimChim perguntou após terminarmos de distribuir os pedaços de bolo.

 

_ Claro senhor. – Falei mordendo o lábio inferior.

 

                Depois da cerimônia, eu joguei o buque de rosas vermelhas para as garotas que estavam presentes no casamente, e adivinha que o pegou... isso, Yoona, o mais engraçado foi que ela nem parecia muito interessada. Recebemos parabéns dos convidados, cumprimentamos todos e depois cortamos o bolo. Anoitecia calmamente enquanto tocava uma música lenta no jardim, Jin estava feliz por mim e por Jimin, e isso ele não escondia.

                Agora, eu já não queria me preocupar com nada, apenas com um Jiminnie que tinha suas mãos em minha cintura. O moreno colava nossos corpos, movendo-nos ao som da música. Eu não sabia como me confessaria para Jimin, não parecia tão difícil, até porque ele mesmo já havia dito que gostava de mim. Naquele momento eu só queria sentir o calor do corpo do Chim, depois eu pensaria em como me confessar para ele.

 

_ Você está incrível _______, eu agradeço por estar fazendo isso por mim. – Jimin fala baixinho e eu escondo meu rosto na curvatura de seu pescoço.

 

_ Jimin eu estou fazendo porquê...  – Minha voz vacilou um pouco, eu sentia minhas bochechas queimarem, como se soubesse que eu estava nervosa, o moreno começou a passar a mão nas minhas costas. Aproveitando o carinho eu me permiti sentir o cheirinho de Jimin. Nossa dança estava calma, quando a mesma acabou Jimin e eu nos separamos um pouco, a verdade era que eu não queria me separar de Jimin, nunca.

 

_ Jimin, posso falar com você. – Jin apareceu ali, fazendo com que o olhar que eu e o moreno trocávamos se quebrasse.

 

_ Claro. – Jimin deixou um selar em minha testa e seguiu Jin por meio aos outros convidados. Jin olhou para mim dando uma piscadela, sorri com aquilo e enquanto ninguém me parava eu rumei rapidamente para dentro de casa. Eu precisava tirar aquele vestido e colocar algo mais leve.

 

                Subi as escadas em passos pequenos, afinal eu ainda estava de salto. Rumei até o quarto pegando um vestido na cor creme e uma sapatinha da mesma cor. Pronto agora eu estava mais confortável. Sai do quarto e quando rumei até a escada pronta para descer, notei que Yoona estava parado no incio da mesma. Fui descendo devagar no pensamento de que ela me ignoraria, grande erro...

 

_Então como se sente agora, depois de conseguir tudo o que queria? – Yoona falou com sua voz irritante.

 

_ Você não pode me deixar em paz. – Perguntei baixo tentando me conter, eu estava prestes a meter porrada naquela doida.

 

_ Não, não posso. E não quero.  – Yoona falou entredentes.

 

                Eu não sei como e quando foi que ela partiu para cima de mim, eu apenas sabia que eu iria revidar, Yoona vai pagar por tudo que fez a mim a ao Jiminnie.

 

 

     ಌ...

 


Notas Finais




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...