História Be My Sin - Capítulo 14


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fifth Harmony
Tags Camila G!p
Visualizações 929
Palavras 1.091
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Romance e Novela
Avisos: Homossexualidade, Incesto, Intersexualidade (G!P), Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


NÃO! VOCÊS NÃO ESTÃO SONHANDO! KSJAKJS
Eu só estou muito inspirada hoje e escrevi dois capítulos.
Espero que vocês gostem e não deixem de me dizer o que acharam por favor!
Beijos ♥

Capítulo 14 - It's too late to apologize.


Fanfic / Fanfiction Be My Sin - Capítulo 14 - It's too late to apologize.

POV Lauren Jauregui.

Escutei duas batidinhas na porta, eu já sabia quem era, só não sabia se queria vê-la, não queria ouvir suas desculpas mais uma vez. Sequei minhas lágrimas e respirei fundo, me ajeitando na cama.

— O que você quer, Camila? — Perguntei.

— Falar com você — Ela respondeu e abriu a porta — Posso? — Ela colocou apenas a cabeça para dentro.

— Vai falar o que? Desculpa filha, eu não sei onde eu estava com a cabeça, eu só me deixei levar pelo momento, mas eu sei que fui burra — Fiz uma voz irritante. Ela nada disse — Eu quero ouvir suas desculpas dessa vez.

Ela entrou no quarto e fechou a porta, visivelmente sem jeito. Camila se sentou de frente para mim novamente. Olhei-a nos olhos, esperando que, pelo menos, saísse algum motivo plausível de sua boca.

— Eu não sei por onde começar — Ela respirou fundo, me olhando. Com certeza estava procurando as palavras certas.

— Pelo começo. — Eu disse simplesmente.

— Está bem — Respirou fundo — Você sabe como nos conhecemos, sabe o que aconteceu na época que você nasceu, mas você sabe por cima, eu nunca te contei o que eu senti na época.

— Certo. Então conte.

— Eu era completamente apaixonada pela sua mãe, eu a via como minha futura esposa, a mãe dos meus filhos e o amor da minha vida. Eu sempre tive certeza que ela era a mulher certa para mim, tanto é que quando ela engravidou, eu não me preocupei com a situação em que nos encontrávamos. Contanto que a Megan estivesse do meu lado, o resto era resto. — Ela respirou fundo mais uma vez — Quando ela me abandonou, eu me recusei a acreditar que o amor que ela dizia sentir era mentira. De repente, eu me vi sozinha aproveitando um momento que eu sonhei por meses, mas eu sonhava em aproveitar com ela. Eu estava tão assustada, eu definitivamente não sabia o que fazer. Em um momento eu estava com a minha família formada, tinha um futuro todo planejado pela frente e do nada eu me vi sozinha, com uma filha para cuidar. Você tem noção da responsabilidade que é cuidar de um filho?

— Não, mas imagino. — Eu disse baixinho.

— Se não fosse pelo apoio de seus avós, Lauren, eu jamais saberia o que fazer. Eles me ajudaram tanto, tanto, tanto, eu nem sei o que seria de mim sem eles. Seus avós maternos nunca quiseram saber de você, quando souberam que Megan estava grávida, eles quiseram matar a gente. Acho que gravidez foi demais para a cabeça deles, mas até hoje acho tão desnecessário o modo como eles nos trataram após aquele dia. Hoje eu não tenho mais contato com eles, e acredito que nem ela.

Eu apenas assentia com a cabeça, prestando atenção em cada palavra.

— Sabe — Ela continuou — Eu sempre tive medo de não ser o suficiente para você, tinha medo de te decepcionar como mãe, mas sempre dei o meu melhor.

— Você nunca falhou como mãe, Camila. Sempre te disse isso, eu nunca senti falta de ter uma outra mãe, Megan nunca existiu pra mim e mesmo que ela tenha voltado, não vai mudar o que eu penso sobre ela. Eu não aceito ter o mesmo sangue que ela, mesmo parecendo ela. — Revirei os olhos.

— O que importa é que por dentro você é uma pessoa maravilhosa, e mesmo que se pareça com ela, não consigo associar suas imagens. Te acho uma pessoa muito melhor, muito mais linda. — Camila disse sorrindo — E eu me orgulho disso.

— Eu puxei você. — Sorri fraco — Mas ainda não entendi porque vocês quase se beijaram na sala.

— Vou chegar nesse ponto agora — Ela olhou em meus olhos — Após uns dois anos da partida dela, eu finalmente havia superado, em todos esses anos eu nunca senti falta dela, não queria mais vê-la. Porém, hoje, quando eu a vi, tão inesperadamente, meu coração ficou tão apertado. Eu não esperava vê-la tão cedo, na verdade, sempre achei que ela nunca mais voltaria, eu não fazia questão e ainda não faço. É só que... — Ela parecia procurar as palavras certas novamente — Ela está mais linda do que a 16 anos atrás, eu perdi o chão quando a vi, não quer dizer que eu a ame, não, com certeza não. Mas eu me desestabilizei, eu estava despreparada, ela começou com o seu joguinho de persuasão e eu me deixei levar, como se fosse uma adolescente idiota. Infelizmente, ela ainda mexe comigo, mas acredito que seja mais sexualmente do que sentimentalmente.

— Por que você age como se fosse uma adolescente quando se trata de sexo? — Perguntei e ela me olhou confusa — É, você age como uma adolescente, parece que só pensa com a cabeça de baixo. Megan foi tão filha da puta com você, e em menos de dez minutos você já estava quase a beijando. Sério, mãe, não parece que você tem 32 anos, parece que você tem a minha idade.

— Você não entende, Lauren. — Ela disse baixo.

— Não entendo mesmo, eu juro que estou tentando, mas você falou, falou, falou e eu não achei um motivo plausível para o quase beijo que eu vi na sala. Pelo amor de Deus, Camila! Ela te traía e fugiu com um cara no dia que você diz ser o mais importante da sua vida! Aí ela volta e só precisa de umas palavrinhas bonitas para conseguir o que quer? Cadê sua maturidade?

— Você está com ciúmes? — Ela perguntou, me olhando desconfiada.

— Não tente mudar o foco da conversa, isso não tem nada a ver com ciúmes.

— E qual seria o foco da conversa?

— O quanto você é burra. — Ela arregalou os olhos, assustada, porém não disse mais nada, apenas abaixou a cabeça.

— Eu juro por Deus, Camila, se você se relacionar com ela, eu vou embora dessa casa! — Eu disse, me levantando.

— Eu não vou fazer isso. — Continuava com a cabeça baixa, eu não sentia firmeza em suas palavras, neguei com a cabeça, mesmo sabendo que ela não veria.

— Por que será que eu não acredito nisso? — Ela apenas me olhou e respirou fundo, eu balancei a cabeça negativamente e sai do quarto, já pensando para onde eu iria.

A minha única pergunta era: Quanto tempo demoraria até elas transarem?



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...