História Be my wife - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Addicted (Heroin), EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol, Chen, D.O, Kai, Lay, Lu Han, Sehun, Suho, Tao, Xiumin
Tags Baekhyun, Chanbaek, Chanyeol, Exo, Kay, Kaysoo, Kyungsoo, Lemon, Yaoi
Exibições 39
Palavras 2.885
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Crossover, Escolar, Hentai, Lemon, Romance e Novela, Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Para Park Chanyeol a música significava que Baek estava seguindo em frente...
Para Baek era só uma música bonita.

Love Yourself

For all the times that you rained on my parade
And all the clubs you get in using my name
You think you broke my heart, oh girl for goodness sake
You think I'm crying on my own, well I ain't

And I didn't wanna write a song
'Cause I didn't want anyone thinking I still care
I don't but, you still hit my phone up
And baby I been movin' on and I think you should be somethin'
I don't wanna hold back, maybe you should know that...

Capítulo 2 - Hyung


Fanfic / Fanfiction Be my wife - Capítulo 2 - Hyung

Baek...

Eu me sinto morrer, posso jurar que meu coração parou de bater... Ele esta sorrindo descaradamente para mim, um sorriso enorme de orelha a orelha, seus olhos estão brilhando e eu sinto sua satisfação...

-Hyung!

Ele grita vindo em minha direção e me abraçando, eu fico imóvel, estático, me sinto sufocado, eu quero gritar e sair correndo do meu inferno pessoal, mas nossos pais nos observam felizes ignorantes ao meu sofrimento.

Posso sentir minha mãe irradiar luz e felicidade no segundo em que ele em fim solta seu abraço, mas ainda continua a me segurar. Ela quase da pulinhos de felicidade  ao falar.

-Ommo meus queridos vocês já se conhecem?

-Somos amigos da escola... Estamos na mesma sala.

Aish que inferno! Ele está tão feliz, isso é quase insulto a mim, com certeza é um insulto pessoal, ele esta fazendo isso para me perturbar!

-Eu pensei que você estudasse em uma escola particular...

-Ele não teve de ser transferido.

Diz o pai dele, falando pela primeira vez. Ele estende a mão para mim e eu a entrego apático, ele a aperta e fala alguma coisa, mas eu não consigo escutar, tudo o que ouço é a respiração desagradável do meu novo irmão.

O jantar foi o limbo, todos felizes e conversando, minha mãe não para de sorrir se quer por um segundo e eu me forço a pensar que tenho que ser bom por ela, que tenho que ficar feliz por ela, que tenho que ao menos aguentar.

Quando a mesa é retirada nós voltamos para a sala, porém antes que eu possa me sentar Park Chanyeol me segura pelo braço e me arrasta escada acima com a desculpa de mostrar seu quarto para mim. Nossos pais sorriem juntos, é um casal bonito, mas mesmo assim a visão é desagradável. Sou arrastado e tropeço em todos os degraus, só não me vejo estirado no chão por que ele me segura firme, e eu já sinto dor onde ele me toca, mas não vou me humilhar para ele e continuo calado.

 

Chanyeol...

Nunca pensei que ficaria tão animado com o casamento do meu pai, de todas as mulheres do mundo ele se casaria com a única a qual o filho me interessava, eu não gostava dela, mas agora seria suportável... Arrastei Baek para meu quarto, estava tão animado que não consegui solta-lo se quer por um segundo, ele era forte eu podia sentir mesmo que o tocasse por cima de suas roupas, mas não tentava resistir as minhas preções.

Quando entramos em meu quarto, eu bati a porta e antes que eu percebesse ele se soltou para passar a mão no braço que eu segurará com cara de dor, será que eu o machucará, não era minha intenção, eu realmente gostava dele e só queria que ele também gostasse de mim. Mas sua  cara dizia o contrario, eu podia ver a fúria em seus olhos, podia ver a raiva que ele sentia de toda essa situação. Eu estava prestes a pedir desculpa quando sua boca se abriu.

-Eu não vou ser seu irmão, não quero que meus amigos saibam disso.

-Você não tem escolha Hyung, nossos pais vão se casar, vamos dividir a mesma casa. Não tem como você fugir de mim.

Eu juro que podia ver chamas em seus olhos, fiquei preocupado quando seu rosto começou a ficar vermelho, tinha medo que sua cabeça explodisse, sua voz era raivosa e ele parecia querer gritar, mas falava baixo com os dentes serrados.

-Eu posso ser obrigado a conviver com você aqui... Mas fora dessa maldita casa eu não conheço você.

Eu estava ficando chateado com seu comportamento, como ele podia ser tão mau para mim quando eu estava fazendo de tudo para agrada-lo. Pisei fundo no chão chegando mais perto e o pegando pelo pulso, me abaixei um pouco para olhar em seus olhos, e senti nossas respirações se colidirem.

-Não adianta fugir Hyung, eu vou até o inferno atrás de você e você aceitará meus sentimentos.

Ele puxou o braço com força, mas eu o segurei, sabia que o machucará de verdade naquele momento quando ele arfou de dor. O empurrei para a cama e fiz sentar, ela ainda segurava o braço com os olhos fechados quando eu voltei com uma faixa e um remédio para dor. Eu gosto de lutar, pratico box a vários  anos e já abri o pulso tantas vez que não precisava nem olhar para ele para saber que tinha sido aquilo que aconteceu.

-Me desculpe Hyung não quis te machucar...

Disse entregando o remédio e um copo de água. Peguei seu braço e comecei passar uma pomada anestésica para enrolar a faixa, ele tentava se soltar, mas eu segurava seu braço com mais força e ele gemia de dor. Quando terminei meu trabalho me desculpei novamente só para ouvi-lo dizer enquanto levantava.

-Uma ova que não quis.

Ele puxou a manga para esconder o ferimento e fez menção de sair do quarto, vi a porta abrir e se fechar. E me percebi sozinho ali, peguei as coisas que eu havia usado para o curativo e as guardei, quando abri para sair vi seu celular vibrar.

MENSAGEM RECEBIDA...

Baekhyun por favor, pelo menos fale comigo...

Eu ainda te amo Baekkie <3

 

Antes de pensar duas vezes eu desliguei o celular e o coloquei em minha gaveta, ele não ia mais precisar daquilo. Sai apressado atrás dele e senti meu corpo se chocar contra ele que corria em minha direção distraído, senti o chão contra minhas costas e o copo dele sobre o meu, instintivamente eu o segurava junto a mim.

-Que merda!

Ele xingou enquanto tentava se levantar, ato que não foi possível por eu estar o segurando.

-Você esta bem?

-Me largue!

Ele praticamente cuspiu aquelas palavras enquanto se debatia como uma criança sobre mim, eu o empurrei para o lado e me levantei antes dele, tentando emitir um ar de superioridade que nem existia em mim naquele momento.

-Por que você esta correndo sem nem olhar por onde anda? E se você se machucar?!

-Eu deixei meu celular no seu quarto?

-Eu não vi nada lá.

Disse com a maior inocência do mundo, mas ele pareceu não confiar muito em minhas palavras e saiu pelo corredor até meu quarto, esperei ele voltar e quando o fez parecia desolado.

-Você perdeu seu celular?

-Espero que o tenha deixado no carro, ou em casa...

Ele estava cabisbaixo e eu quase senti pena dele, mas não queria mais que ele recebesse aquele tipo de mensagem. Talvez ele precisasse de um celular novo, um número diferente quem sabe... Eu ia arranjar um celular para ele, aquele era bastante velho por sinal.

Já descíamos as escadas quando meu pai nos chamou, eu sorri prontamente e até abracei aquela mulher antes deles saírem. Meu pai estava orgulhoso de mim, eu também o estava...

Deitado na cama eu olhava as fotos de sua galeria, muitas com uma menina bonitinha e pequena  de quem senti até uma pontada de ciúmes e umas outras de raiva, outras com a mãe, mas as minhas preferidas eram as dele sozinho... Já tinha tido uma variedade de cabelos coloridos o que me impressionou um pouco, ele não parecia fazer o tipo rebelde. Sorri quando encontrei uma foto com seu cabelo rosa, combinava perfeitamente com sua pele branca e seus lábios exatamente da mesma cor dos seus cabelos, seus olhos eram os únicos pontos escuros e me encaravam na tela do celular, ele usava uma camiseta branca e era o desenho da perfeição. Enviei a foto para mim e a coloquei como protetor de tele. Li suas mensagens com a outra garota e apaguei uma por uma, eles haviam terminado a messes, mas ela continuava a mandar mensagens mesmo que ele não respondesse. Fiquei feliz em saber que ele não a ignorava, a bateria acabou e eu o joguei de novo na gaveta, tinha de me livrar dele amanhã e conseguir um novo para meu Hyung.

Dormi como uma criança aquela noite, e nem precisei ouvir o despertador tocar para ficar em pé, já estava vestido quando Yixing entrou no meu quarto para me acordar.

-Ommo você não dormiu essa noite?

-Dormi Hyung, melhor do que você imagina. Sorri de lado para ele que me encarou sério.

-O que você está aprontando Chany?

-Nada Hyung! O que você acha que eu sou?

Fingi espanto e inocência, mas sabia que ele me conhecia melhor do que ninguém, nem meu próprio pai me conhece como ele, afinal já estamos juntos a mais de dez anos, ele trabalha para nós desde que completou a maioridade mas sempre esteve presente em minha vida desde que eu tinha sete anos e ele doze. Yixing é filho do assessor de meu pai e provavelmente meu melhor amigo.

Fomos até o shopping e eu pude escolher um celular novo, comprei dois celulares idênticos e do ultimo modelo, um para mim e outro para ele, teríamos celulares iguais e eu estava animado.

 

Baek...

Procurei meu celular pela casa toda e não achei... Eu levei anos para conseguir arrancar um celular da minha mãe e já estava com ele a mais de três anos... Ele podia ser velho, não ter muitos aplicativos mais ainda assim era melhor que nada. Perder meu celular foi o ato final para a pior noite da minha vida.

Deitei na cama exausto, minha cabeça doía horrores, meu braço estava machucado e eu estava confuso... Como de todos os demônios, eu teria de morar logo com ele. Aish como eu estava cansado, cansado de mais até para ficar com raiva. Acordei com minha mãe berrando em meus ouvidos e me sacudindo dizendo que eu ia me atrasar e que Chanyeol estava me esperando lá embaixo... Eu acho que ainda estou sonhando, ou tendo um pesadelo quem sabe.

- Byun Baekhyun!

Ela gritou e eu me sentei na cama com os olhos arregalados.

-Omma! Por que você esta gritando?

-Você vai se atrasar para escola...

Olhei para o relógio e eu tinha apenas quinze minutos para chegar a escola, pulei da cama arrancando minha roupa e corei ao perceber que ela ainda estava ali, mas ela ignorou minha vergonha e saiu fechando a porta... Em  cinco minutos eu estava correndo pela escada com o cabelo bagunçado a cara ainda amaçada e o uniforme todo torto. E Então pow... ele estava lá encostado em um carro gigante com um sorriso idiota na cara e uma caixa embalada na mão.

Pensei em simplesmente ignorar a sua maldita imagem mas tinha certeza que minha mãe estava nos observando quando ele olhou para cima, sorriu e acenou, para então abrir a porta para mim e me entregar a caixa colorida.

-Eu trouxe uma coisa para você Hyung.

Eu entortei a cara par ele, mas entrei no carro com o pacote nas mãos, ele deu a volta e se sentou no banco do motorista sorridente, antes de perceber ele se debruçou sobre mim e puxou o cinto para me prender, meus olhos se arregalaram e ele sorriu a centímetros de mim, sua boca a centímetros da minha...

-Hyung não quero que você se machuque.

Sua voz sussurrada era soprada e batia na minha boca me fazendo sentir cosquinhas ali, sem perceber eu mordi o lábio para coça-lo e seus olhos ficaram ali, fitando minha boca como um pedaço de carne. Eu também não conseguia para de fita-lo e também não conseguia respirar...

Quando ouvi o clique do sinto encaixado em seu lugar eu despertei para empurra-lo para e em fim quebrar aquele contato tão desagradável. Ele pareceu não ligar, apenas sorriu mais ainda, colocando seu próprio cinto e ligando o carro.

-Abra seu presente Baekkie...

Ele estava fazendo aegyo para mim? Eu virei um pouco o rosto, encarando-o e ele apenas sorrio ainda mais. Ele parecia tão fofo com aquelas orelhas grandes e as bochechas infladas com um bico no rosto como uma criança pequena mesmo que fosse muito maior que eu. Me senti momentaneamente zonzo e comecei a abrir o pacote... Dentro um iphone preto... Um iphone? Como assim ele me deu um iphone?!

-O que é isso Park?

-Um celular...

-Não é só um celular. É um iphone! Eu nem sabia que existiam nessa cor!

-Eles foram lançados a algumas semanas...

-Ommo isso deve ter custado uma pequena fortuna eu não quero isso.

Eu comecei a sentir um desespero crescer dentro de mim, era uma absurdo como ele poderia me dar uma coisa dessa? Era um celular lindo, porém horrivelmente caro, poderia pagar o aluguel da nossa casa durante uns quatro ou cinco meses .

-Hyung, não discuta eu sei que você não achou seu celular, então apenas aceite o presente.

Eu não conseguia parar de encara-lo, eu estava um pouco envergonhado, um pouco surpreso e admito que um pouco feliz. Quando chegamos a duas quadras da escola ele estacionou...

-Não quero que saibam que temos dinheiro.

-Eu não tenho...

-Você tem Hyung... Tudo o que precisar eu dou para você.

Eu arregalei os olhos, tentei disfarçar e sai do carro com o presente novo dentro da mochila, eu estava ansioso para liga-lo.

 

Chanyeol...

Eu sei que ele ficou feliz com o presente, embora tenha dito que não gostaria de ficar com ele, seus olhos brilhavam... Eu estava de ótimo humor. Caminhei ao seu lado no caminho que faltava para a escola e mesmo que ele estivesse calado eu me sentia feliz, toquei meu bolso e senti meu novo celular que também tinha ele como tela principal.

Chegamos juntos na sala e eu senti o olhar de todos em nossa direção, não era sempre que inimigos declarados entravam assim tão calmamente em algum lugar, ele se sentou e assumiu sua posição costumeira para dormir, sentei-me atrás dele e o observei... Observei toda a aula, nem ouvia o que os professores falavam e nem percebia quando a aula acabava para outra começar. Apenas o observava a minha mais nova obsessão.

-Hyung...

Toquei suas costas quando o sinal de termino tocou e ele pareceu não escutar, arqueei meu corpo sobre o dele ainda da minha carteira chamando-o...

-Baekkie Hyung...

Ele levantou com o cabelo bagunçado e a cara amassada e mercada pelo seu caderno...

-hummm...

-Vamos pra casa Hyung.

-Ok.

Ele se levantou e eu peguei suas coisas enfiando tudo na mochila e o puxando pra fora enquanto seus amigos me olhavam de boca aberta e eu me senti muito mais que bem.

Ele já estava completamente acordado quando chegamos ao carro, e colocou o sinto antes que eu pudesse o fazer... O caminho para casa foi rápido e silencioso, quando estacionei o carro ele saltou sorriu de canto e me agradeceu...

-Boa noite Hyung...

Em menos de uma semana eu não teria mais que deixa-lo em casa, pois ele viveria comigo e isso fazia meu coração disparar.

 

Baek...

Pulei na minha cama com meu novo celular, eu havia dormido o dia todo e estava me sentindo muito animado e disposto. Quando o símbolo da maça acendeu e o papel de parede apareceu eu comecei a rir...

O idiota colocou sua foto como papel de parede, também colocou seu contato como favorito e até mesmo fez um e-mail para mim. (Chanbaek.byunbaekhyumdoparkchanyeol@) eu ria como um idiota, ele havia configurado todo o meu celular...  E meu Deus como se tira essa porcaria de foto daqui?

Fiquei com medo de mexer e estragar o celular, então simplesmente resolvi deixar daquele jeito, era uma foto bonita, ele aparentemente acabará de acordar seus cabelos estavam bagunçados, seus olhos negros me encaravam desafiadores, estes que em conjunto ao nariz e boca eram perfeitamente proporcionais... Até suas orelhas grades combinavam perfeitamente com ele. Era bonito, isso não se podia negar.

Estava no banho quando ouvi o celular tocar love yourself, a música era tocada apenas com violão a voz era linda e estranhamente familiar...

Me enrolei na toalha e peguei o celular que ainda tocava e piscava com um nome; MARIDO

Revirei os olhos e atendi.

-Quem é?

-Você não sabe ler Hyung?

-É você idiota?

-Hyung por que você está sendo tão mau?

-O que você quer Chanyeol?

-Que você pare de responder minhas perguntas com mais perguntas.

-Ok, vou desligar agora.

-Espere Yhung.

-Hum...

-Fui eu que peguei seu celular. Boa noite hyung.

O bip tocou e a chamada ficou muda. O celular ainda estava em minha mãe e eu estava possesso com ele.

CONECTANDO...

Marido

CHAMADA FINALIZADA...

Eu liguei algumas vezes ainda de toalha e muito zangado com ele, mas ele não me atendeu. Fui para o quarto e sentei-me na cama.

 

MENSEGEN...

 

Por que você pegou a porra do meu celular?

Eu quebrei ele sem querer...

Onde esta o que sobrou dele?

Eu joguei fora... estava quebrado.

E o chip do celular?

Ommo Hyung eu joguei junto...

Era o meu celular você não devia ter feito isso.

Desculpe Hyung mas vc já tem um novo.
Esse é muito melhor... Soube que até o papel de parede é lindo.

Idiota

Hyung você gostou da música que eu gravei?

...

Hyung vc dormiu?

...

Boa noite Hyung.

 

Então era por isso que eu conhecia a voz, era dele e ele cantava com um anjo, mesmo que fosse um demônio pra mim. Coloquei a música para tocar no replay e dormi ouvindo a voz de Park Chanyeol.


Notas Finais


Espero sinceramente que vocês gostem...


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...